História Meu Herói É Verdinho - YoonMin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Beyond The Scene, Bts, Bullying, Depressão, Jimin, Shipps, Suícidio, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 48
Palavras 1.896
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Suicídio Interrompido - Um


Fanfic / Fanfiction Meu Herói É Verdinho - YoonMin - Capítulo 1 - Suicídio Interrompido - Um

Terça,09:30

 

- É isso... - Dou um suspiro profundo e uma última olhada em meu celular me levantando, recebendo aquele vento calmo sobre meu rosto, fazendo a minha franja ir um pouco para trás - Me desculpem por existir, eu realmente não queria incomodar - Ao dizer isso algumas lágrimas invadem meu rosto, fazendo eu me sentir pior ainda, mas logo as limpo.

Meu celular que estava no chão da sacada daquele enorme prédio abandonado, toca. Pensei em apenas ignorar, mas era minha mãe, eu tinha que atender ou ela iria na escola e perceber que eu não estava lá e todo meu plano, iria por água abaixo. Pego o celular, deslizo a tela e coloco o celular em um dos meus ouvidos.

 

Ligação

 

- Oi, filho!

 

Me - Oi, mãe.

 

- Será que dá para você vir hoje pra cá? O seu irmão está de aniversário. Dá para você vir?

 

Me - Não mãe... Hoje iremos ter física, a aula termina um pouco mais tarde e tenho muitas tarefas escolares.

 

- Tudo bem então... O seu irmão queria muito que você estivesse aqui, para você desejar os parabéns para ele.

 

Me - Okay mãe... Preciso entrar na sala, o professor pode me brigar... Tchau.

 

Fim Da Ligação

Desligo rápido a ligação, não iria conseguir ficar mais nem um segundo conversando com ela sem desabar nas lágrimas, infelizes lágrimas. Eu iria me suicidar por maior parte culpa da minha família... Idiotas.

 

- Chegou sua hora, Park Jimin - Falo alto, fazendo um eco no local abandonado e úmido - Talvez depois disso...Me amem.

 

Jogo o celular que estava em minhas mãos no chão o que faz um barulho alto e dou mais alguns passos à frente, com certas lágrimas me acompanhando. Eu já estava preparado para morrer, mas ouço uma voz vindo logo atrás de mim.

 

- Não faça isso! - Um garoto de cabelos verdes, pele pálida e olhos bem negros, que estava com um moleton azul, uma calça acinzentada e sapatos brancos. Falava ofegante, me fazendo desviar rapidamente meu olhar para ele me fazendo chegar mais perto - Por que você quer se suicidar? - Ele chega mais perto me fazendo dar passos para trás, já me arrependendo do que fiz anteriormente.

 

- Você se importa por acaso? - Digo tentando me afastar ao máximo.

 

- Me importo sim! Não faça isso, eu vou tentar te ajudar, tudo bem? - Depois dá um grande sorriso, onde notavasse seus dentes pequenos e sua gengiva que tomava grande parte de sua boca, bom, era fofo.

 

- Não, não está " tudo bem " - Fui um tanto sarcástico com o garoto que levanta uma das sombrancelhas.

 

- E você acha que se suicidando vai resolver? - O garoto estende uma das mãos para mim, esperando que eu pegasse nela.

 

- Pode não resolver, mas vai aliviar - Coloco minhas mãos atrás de minha costa, evitando qualquer contato - Por que você está aqui?

 

- Eu venho aqui todos os dias... - Respira fundo e continua a falar - Por favor, não faça isso - Ele se aproxima devagar, na intenção de não me assustar ou de me fazer pular de uma vez, o que era o que gostaria de fazer, mas resolvi ouvi-lo por alguns minutos.

 

- Por que você se importa?! - Grito fazendo o garoto me olhar assustado.

 

- "Por quê?" Porque foi por minha culpa que meu melhor amigo se suicidou! Eu estava ao lado dele, pude salvá-lo, mas fui fraco! Eu ainda choro todas às noites por ele. Ele era especial, ele era Kim Namjoon, o garoto mais incrível que já conheci. - Ele deu um sorriso farto, mostrando estar orgulhoso sobre o jeito de seu amigo.

 

- Me desculpe...Mas de qualquer forma eu não quero ficar aqui, todos me odeiam! - Bufo um pouco e continuo a falar - Bom, tenho que pular...

 

- Eu não te odeio! - Solta um sorriso singelo

 

- Você nem me conhece... - Respiro fundo com a cabeça baixa.

 

- Mas que porra, não pula! - O garoto grita, o que me faz desviar a visão do chão e olhando para ele com meus olhos arregalados - Só me diga seu nome, tudo bem?

 

- Meu nome? - Pergunto enquanto dou uma leve arrumada em meus fios alaranjados - Meu nome é Park, Park Jimin

 

- Tudo bem... Jimin - Ele fica parado esperando algo acontecer.

 

- Adeus. - Me viro e dou passos quase juntos, chego bem perto sobre a beirada daquele prédio que não tinha proteção alguma para a rua, que se encontrava deserta e faltava apenas um último passo para encontrar a minha tão sonhada morte.

 

- Não! - O garoto anda bem rápido e puxa meu braço, me fazendo cair no chão e recebe um olhar fuzilante de mim. - Não iria deixar você fazer isso.

 

- Idiota! Não pedi ajuda! - Falo muito bravo e pegando minha mochila que estava ao meu lado no chão, pego meu celular e o coloco no meu bolso, me levanto furioso tento descer às escadas rápido, iria demorar para chegar ao final, mas era a única maneira de sair dali.

 

- Meu nome é Min Yoongi! - O garoto grita ainda no começo da escada.

 

- Bom saber... - Desço mais rápido ainda, com receio dele me alcançar e querer dar palestra que eu não deveria tentar me suicidar.

 

Finalmente chego no final daquelas escadas, escadas imundas por sinal, por ser um prédio muito grande e ele estava abandonado, suas escadas eram gigantescas e o elevador que havia, nem funcionava, atravesso a rua depois de esperar o sinal abrir, espero dar mais ou menos a hora que voltaria para a casa se fosse para a escola, estava esperando em um restaurante a dona foi bem gentil comigo e até me ofereceu Kimchi. Mas infelizmente, tenho que voltar para aquela casa (...)

_

_

_

 

 

- Olha quem chegou! - Meu pai diz ainda na porta da casa, onde posso ver uma mulher sentada no sofá - Quer comer algo?

 

- Não obrigado, pai. - Tiro os meus sapatos de cor vermelha me abaixando um pouco e ficando somente de meias sobre meus pés.

 

- Tudo bem! Tome um banho antes de jantar. - Ele sai da frente deixando eu passar e guardo os meus sapatos ao lado da porta.

 

Vou para o meu quarto que fica no segundo andar da casa fecho a porta com a chave, me jogo na cama, tiro minhas meias pretas, pego meu celular que estava em um dos bolsos de minha calça e começo a digitar:

 

" Título: Suicídio não executado...

 

Droga!Um bobo veio "me salvar" eu só quero morrer, será que ele não entendeu? Eu juro tentar amanhã, não aguento mais! "

 

Salvo mais um dos meus infinitos textos e no mesmo momento na tela do meu celular: " Diário 1.547, salvo com sucesso! "

 

- Droga, droga, droga! - Grito com o travesseiro em meu rosto, para abafar o som - Que vida inútil!

 

Vou para o banheiro que havia em meu quarto, tiro aquela camisa branca de mangas compridas, que já estava suja de tudo que é tipo de coisa nojenta, graças a Yoongi que me jogou no chão daquele prédio sujo! Abaixo minha calça jeans escura que estava presa a um suspensório preto, ligo a torneira afim de esperar a banheira se encher, jogo alguns produtos para fazer espuma e esperando enxer por completo aproveito para pegar meu celular que havia deixado em cima da cama, pego ele apenas de boxer azul, não teria como ninguém entrar no meu quarto pois estava trancado, pego e escolho alguma música da minha playlist "Tanto Faz" e coloco no aleatória, aumento o volume que deixa um som alto no local, onde toca uma música qualquer. Entro novamente no banheiro, tiro minha boxer a jogando no chão, assim como as demais roupas e já desligando a torneira, entro na banheira com um pouco de frio, mas logo meu corpo se acostuma com a temperatura(...)

 

Ao terminar meu banho, visto um moleton cinzento com uma calça preta ralada bruscamente no joelho e vou para o andar de baixo, onde o meu pai estava... E argh... Ele estava se beijando com aquela mesma mulher e ao perceber que eu estava olhando aquela cena nojenta, ele para.

 

Me olha com um sorriso bobo, mas esse sorriso não me agrada nem um pouco e começa a conversar com aquela mulher de cabelos pretos e ondulados, que não aparentava ser coreana, muito menos oriental.

 

Vou direto para a cozinha abrindo a geladeira sem dar muita bola para os dois e pegando minha garrafa de água azul com listras pretas escrito no centro com a cor branca " Fuck You " Subo às escadas rápido e entro no meu quarto, batendo a porta forte.

 

Pego meus fones que estavam no criado - mudo do lado de minha cama, na primeira gaveta, me deito em minha cama e coloco os fones escutando minha própria música, Lie.

Eu sou tão bobo, que fiz uma música para ela ser roubada no final! Roubada pelo meu irmão, Seokjin, ah, como eu o odeio... Mas eu estava escutando a versão original, onde minha voz toma conta, e não a daquele cretino desgraçado.

 

 

 

 

" Pego em uma mentira "
" Por favor, encontre o eu que era inocente "
" Eu não consigo fugir de dentro dessa mentira "
" Por favor, devolva o meu sorriso "

 

" Pego em uma mentira "
" Liberte-me desse inferno "
" Eu não consigo escapar desse sofrimento "
" Por favor, salve o eu que está sendo punido "

 

Fiz essa música para uma garota que nem sabia da minha insignificante existência, mas ao rolar uns boatos maldosos dela por todo o canto daquele colégio, implorou para os pais dela a mudarem de colégio, e eu, não tive nem a chance de dizer um simples "Oi" para a garota. Como sempre, fui um covarde.

 

Todos dessa família inútil, sabem que eu escrevi está música, mas ignoram e dão apenas " Parabéns " para Seokjin. Ele sempre quis tudo que era meu, que babaca e graças a minha música, ele virou um cantor de sucesso... Pelo menos nos últimos meses, "sua" música sempre está tocando nas rádios corenas e ele sempre está dando alguma entrevista.

 

Se aquele idiota do Yoongi, que eu nem conheço, deixasse eu morrer e pronto, não estaria sofrendo, assim como todos os outros dias...

Gostaria de me cortar, mas meu pai descobriu a alguns meses e me fez sérias ameaças de me internar em um hospital psiquiátrico e ainda disse que "Se cortar é uma palhaçada, eu vou te levar em um psicólogo, porque isso é uma burrice! "

Pode até ser, mas me alivia dessa dor profunda. Eu tive que mentir para ele, para minha mãe e meu irmão; Disse que eu havia sido arranhado por um gato e idiotas como são, acreditaram. Mas não posso mais me cortar, que merda...

 

 

Ah, e amanhã tem aula, acho que já vai fazer nove dias que as aulas começaram e eu, todos esses dias, faltei. Estava ocupado demais indo para aquele prédio, escrevendo cartas de despedidas; Não que eu gostasse deles, só eram cartas dizendo que morri por culpa deles...

 

 

 

 

Amanhã tem aula e não tenho como escapar, argh!

Que droga!

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...