História Grenze - Capítulo 13


Escrita por: ~, ~sadshit e ~prynces

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber
Personagens Demi Lovato, Justin Bieber
Tags Comedia, Crossover, Mistério
Exibições 61
Palavras 1.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bitch i'm back
Oi, oi, grenze= 1 anooo
Desculpas por enrolar tanto. Juro que vamos tentar atualizar com mais frequência

Capítulo 13 - Baby's?


Fanfic / Fanfiction Grenze - Capítulo 13 - Baby's?

Nastya 


* UMA SEMANA DEPOIS DO ASSALTO*


Verificava minha bolsa para ver se estava tudo no lugar. Talvez eu devesse parar de ir para esses tipos de lugares devido ao álcool e a nicotina que rola. 
Desci as escadas e fui para o elevador. Apertei o -0 que era a garagem e entrei no meu carro. Retoquei meu batom vermelho, eu estava maravilhosa! 
O tema da boate era "a fantasia" por ser halloween, botei uma fantasia de "Dorot" de O Mágico de Oz. Decidi que não iria para o galpão contar aquela merda de dinheiro. É meio perceptível que lá não é um dos meus lugares preferidos. Por mais que seja bem bonito, não vejo tanto prazer em estar lá. 
Quando cheguei ao local, saí do meu carro e entreguei a chave ao manobrista. Entrei na boate e o barulho estava ensurdecedor, fui para a área reservada e esperei um certo tempo até o pessoal chegar.
Vi o pessoal entrando, Kylie de Christina Aguilera, Kendall de não sei o que era aquilo, tinha um Power Ranger, Christian estava de Christian, Khalil de jogador de basquete junto ao Za, Hailey de Barbie, Letícia de mulher gato, Ryan também não se fantasiou, Ketlyn de vampira e Chaz de nerd. 
Me viram e já subimos para a área VIP, sentei no sofá e relaxei. 


– Vem dançar, Nas!? – Me chamou Kendall. 


– Tô sem vontade, Kenny! Fiz uma careta. 


– Chata pra porra, hein! – Kylie puxou ela, eu lancei um dedo do meio e ela riu. 


Olhei para o lado, vi Chris e Bieber me olhando cochichando algo, mas ignorei e continuei sentada. 
Passou alguns minutos e eu estava me arrependendo de ter vindo, ninguém conversava comigo pois estavam com suas vadias. 
Levantei e decidi que iria dançar com as meninas, fui para a pista e começou a tocar "Partition" da Beyoncé. Abrimos um sorriso e começamos a dançar fazendo com que toda a atenção se voltasse para nós. Fechei meus olhos e entrei no embrazo do momento sendo acompanhada pelo pessoal. Quando vi estavamos todos pulando e rindo ao som de " Bitch Better Have My Money".
Só parei quando meus pés cansaram, voltei para mesa encontrando apenas o Bieber com um cigarro na boca. Caminhei até ele, que me olhava com desprezo, ultimamente esse tem sido seu único olhar sobre mim. 


— Podemos conversar? — Perguntei enchendo um copo com whisky, só pra disfarçar, já que eu não ia poder beber. 


— Não acho que seja um ambiente adequado! — Ele falou soprando a fumaça. Eu apenas balancei a cabeça. 


Dois tiros fizeram a música parar e só era possível ouvir as pessoas gritando, olhei para a pista de dança, apertando os olhos para tentar enxergar na escuridão. E avistei Richard com centenas de homens. Os olhos dele me encontraram, e eu corri até o Justin segurando seu braço com força. 


— Precisamos ir atrás do pessoal e sair daqui AGORA! — Eu gritei. 


— Que porra foi essa? — Ele perguntou jogando o cigarro no chão. 


— Por favor, me escuta! — Olhei pra ele desesperada. Nada podia acontecer com o meu bebê, e com eles. Ele me encarou, e seus olhos se suavizaram. 


Mais tiros foram disparados para o auto, acertando as luzes de neon.
Fomos juntos procurar o pessoal.
Encontramos todos e quando eles saíram, Richard me puxou, me fazendo ser a única ficar. A boate esvaziou, ficando somente eu, Richard e seus capangas. Reconheci o rosto de alguns, que me agrediram enquanto eu estava presa. Botei a mão na barriga enquanto estava sendo puxada, totalmente desarmada. 
Uma sessão de tiros foram lançados, Richard me soltou e eu corri, olhei para trás, vendo que era Justin e o pessoal, Kendall me jogou uma arma e logo todos os capangas de Richard estava no chão, menos ele. Olhei para o Justin que o olhava com olhar mortal. Eu corri para frente dele quando Richard apontou a arma para ele, e um tiro foi disparado acertando meu ombro, e o outro passou de raspão na minha barriga. 
Richard fugiu quando todos vinheram até a mim, Justin correu atrás dele, mas não o alcançou. 


— Droga! — Ele gritou voltando. 


Eu coloquei a mão na barriga. 


— Eu preciso de um médico, urgente! — Eu gritei. 


— Calma, o da barriga foi de raspão, precisa se preocupar com seu ombro. — Chris falou. 


— Foda-se o meu ombro, tem uma vida na minha barriga, acha mesmo que o ombro é mais importante que o meu filho? — Eu gritei, já sentindo os olhos pesarem com as lágrimas. 


Todos me olharam sem entender, confusos. Eu levantei e corri até o carro. 


— Eu levo você, está perdendo muito sangue! — Justin falou, caminhando até mim e levantando minha blusa. 


— Nastya, um tiro acertou a barriga! — Kendall falou me fazendo olhar para baixo e ver o arranhão do tiro de raspão e um furo logo ao lado. Só lembro de ter caído nos braços de Justin. 


Acordei com um vestido azul totalmente brega, e cheia de tubos. 


— Olha olha, quem acordou! — Kendall caminhou até mim. 


— Como está o meu bebê? — Perguntei de imediato, olhando para ela, que sorriu. 


— Está tudo bem, o tiro não atingiu a bolsa, mas você terá que se cuidar agora! — Ela falou botando a mão na minha barriga. 


— Cadê o Justin? — Perguntei. 


— Tá lá fora! — Ela olhou pra porta. 


— Chama ele, por favor. — Pedi. Ela assentiu e saiu. 


A porta se abriu abruptamente, mostrando um Justin preocupado, ele caminhou até mim, mas ficou em silêncio. Meu coração acelerou, e eu confesso. Estou completamente apaixonada.


Ele olhou-me e percebi seu rosto em um tom avermelhado, suas bochechas estavam molhadas com resquícios de lágrimas. Olhou para mim e percebeu que estava olhando os mínimos detalhes do seu rosto como a pinta em sua bochecha, seus olhos castanhos claros, em um tom meio bipolar. Abriu um pequeno sorriso, estilo cafajeste e veio em minha direção botando sua mão em minha barriga, fazendo eu ficar surpresa. 


— Por que não me contou? — Perguntou olhando minha barriga.


— Medo! — Disse sincera, fazendo com que ele me olhasse. 


Ele chegava mais perto de mim, cada vez mais, até que senti seus lábios entrando em contato com o meu. Não nos beijamos apenas por desejo. Mas sim por sentimentos. 


                               [▪▪▪] 


— Já sei o nome! — Falou Chaz. Todos estavam dentro do quarto. Prestamos atenção. — Chazzy! — Abriu um sorriso orgulhoso fazendo com que eu olha-se para ele com um olhar torto. 


— Deus me livre disso! — Falou Justin.


— Chazzy mais iludido que eu! — Falou Kendall rindo. — Agora eu tenho uma pergunta. Justin, quando vai assumir seu amor pela Nastya? Porque pra mim tu assume mas pra ela não! — Falou rindo e eu olhei-o vendo sua bochecha ruborizada. 


 — Hahaha! Engraçadíssima você hein! — Disse ele e bebeu sua água. — Quem sabe um dia, ou... — Fez cara de pensativo. — Nunca! — Abriu um sorriso. 


— Tu é bichão das novinhas! — Disse Khalil e fez uma dancinha sendo acompanhado pelos meninos. 


— Vocês são uns cafajestes! — Disse Kylie. — Mas se for menina, vou ensinar muito de moda. Se for menino, vou ensinar a ele ser um cavaleiro! — Começou a bater seus cílios enormes. 


— MEU afilhado, ou afilhada, sei lá. Se for menino vai ser fodedor, igual ao padrinho aqui! — Apontou para si. — Se for fêmea vai ir pra um internato! — Disse Ryan. 


— Um mais iludido que o outro! — Rimos e continuamos o assunto. 


Depois de um certo tempo o médico pediu para que eles saíssem do quarto para me examinar, tive a tão clamada alta e fui para casa. 
Entrei em casa.


— Por que aqueles animais estão aqui na sua casa? — Perguntei para Justin. 


—Esqueceu que vamos morar todos juntos? Então achei melhor que fosse logo. — Abriu a porta de casa para mim. Vi Pattie vindo em minha direção me dando um e mil cermões e eu apenas assentia quieta, pois sabia que ela só queria o melhor para mim e a essa criança. 


— Nastya, chega aqui! — Me chamou Hailey para o escritório. Segui-a.


Justin estava na cadeira e ela fechou a porta fazendo ficar apenas nós dois lá dentro.


  
— Diga! — Sentei na cadeira de frente para ele. 
 

— Richard está no porão! — Me entregou a chave. — Faça o que quiser! — Meus olhos brilharam, mordi meus lábios e sai de sua sala correndo. 


Chegando no porão vi que tinha uns caras do lado de fora supervisionando. Entrei no porão fazendo ele olhar para mim com um olhar mortal. 


— Olá, Richard! — Abri um sorrisinho. 


— Olá, Nastya, ou se preferir, traíra! — Abriu um sorriso irônico fazendo eu sentir nojo. 


— Você é desprezível! — Fiz cara de nojo.


— Você é mais ainda, querida! — Me olhou desafiando-me. 


Ele quer brincar? Então vamos brincar... 
Me aproximei segurando em seu cabelo, fazendo ele me olhar. Seu rosto não transparecia nenhuma expressão. Eu sorri maleficamente.


— Isso é pelo meu filho! — Falei socando a cara dele repetidas vezes. 


— Nastya, para! — Justin me agarrou. — Você não pode fazer isso, você pode prejudicar nosso filho! — Eu olhava com ódio para Richard.


— Me solta! — Gritei. — Não é porque tô esperando um filho seu, que você manda em mim, garotão! — Falei andando até Richard.


Ele me olhava com a boca escorrendo sangue, mas não parecia com medo.


— E isso... — Tirei uma arma da cintura. — É pela mãe dos meus meninos! — Disparei três tiros na cara dele.


Justin me olhava confuso. Uma dor muito forte no pé da barriga me fez gritar e ele correr até mim. Ele me ajudou a caminhar até o quarto, me deitou na cama tirando meus sapatos, e desabotoando minha calça a tirando fora. Ele me deixou nua e me cobriu com o lençol.


— Você tem que aprender a ser menos cabeça dura! — Ele deitou do meu lado colocando a mão na minha barriga. — Pelo nosso filho, me escuta como eu te escutei na boate! — Ele falou parecendo uma súplica.


Eu sorri, coloquei minha mão em cima da dele que estava posicionada na minha barriga, e apaguei, entrando em sonho totalmente conturbado.


Notas Finais


Digam o que acharam❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...