História Grimdark - A Família Woods - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Personagens Personagens Originais
Tags Homicidal Liu, Homicidal Scarlett, Jane The Killer, Jeff The Killer, Nina The Killer
Exibições 7
Palavras 1.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Oi gente! Tudo bem com vocês?
É, muitos aina devem querer minha cabeça pela demora, mas eu volto a mostrá-la! Agora fiquem com o primeiro dia de aula da família Woods :)

Capítulo 2 - Escola


A manhã não foi muito agradável. Jeffrey não conseguiu dormir depois daquele pesadelo e Nina não conseguia pregar os olhos com o colchão novo que sua mãe havia comprado. Ao menos Liu e Scarlett tiveram uma boa noite de sono, apesar do garoto reclamar de dores no pescoço.

Nina pegou seu casaco roxo favorito e o vestiu por cima de uma camiseta listrada de azul e preto, Liu pegou seu cachecol favorito, junto ao seu casaco cinza, Scarlett vestiu um casaco listrado de rosa e branco com uma alça caída e Jeffrey optou novamente por seu casaco branco. Os mais novos vestiam jeans claros e os outros dois, jeans escuros.

Enquanto Alexander e Albert foram para o primeiro dia no novo trabalho, Lílian ficou cuidando da casa e Hazel levou os adolescentes para a escola.

- Comportem-se! - A mulher mandou com um sorriso no rosto antes de deixar os 4 na escola.

- É isso aí... - Scarlett disse com uma expressão preocupada, mas esperançosa. - Vamos?

- Enfrentar o desconhecido... - Liu comentou.

- Encarar o perigos do ensino médio... - Jeffrey completou.

- E sobreviver aos piores professores! - Nina concluiu antes dos 4 darem um high five e entrarem na escola.

Foram recebidos pelo líder do conselho estudantil, que lhes informou sobre o funcionamento da escola, a divisão entre os alunos e o comportamento dos professores, tentando se manter imparcial.

Na hora de se apresentar, cada um em sua sala, tiveram que citar uma curiosidade sobre si mesmos. Liu disse que gostava de baseball, Nina confirmou que seus olhos eram vermelhos de nascença, não lentes de contato, Scarlett disse que queria muito ser estilista e Jeffrey admitiu ser faixa azul no caratê. O resto do dia correu bem, apesar dos 4 terem que ouvir "Nossa, como você é branco!" algumas vezes durante o dia.

No final da aula, eles voltaram cansados para a casa a pé, demorando um pouco por tentarem lembrar do caminho que viram no carro. Jeffrey não teve pesadelos essa noite, mas notou uma diferença estranha nos olhos, antes de um azul cinzento, agora como um azul artificial, vibrante demais para os tons de azul comuns.

- Tomara que não seja obra da bisavó... - O garoto comentou para si antes de apagar a luz e ir para a cama.

Os dias seguintes foram bons na escola e em casa. Os adolescentes não haviam esquecido das amizades na Califórnia (N/A: até porque tem facebook né gente?), mas estavam se adaptando bem à vida em Nova Iorque.
Mas a semana seguinte trouxe muitos problemas.

Bryce, Joe e Gary, os três bullies de quem o quarteto ouviu falar na semana passada, haviam voltado para a escola. Eram famosos por arranjar encrenca facilmente, mas se fossem ignorados, nada ruim acontecia.
Exceto em um dia do mês, quando o pai de Bryce não volta pra casa.

O garoto ficava insuportável, provocando todos - TODOS - os alunos de todas as turmas e idades possíveis na esperança de conseguir uma briga no dia, pra que o pai fosse chamado à escola.

Era o dia com menos alunos na escola. Os poucos que vinham, se escondiam nos intervalos. Não que Bryce fosse muito ameaçador - vestia bermuda camuflada, camiseta preta e casaco azul escuro, com botas marrons e um boné bege -, mas ninguém o suportava ou queria ir pra diretoria com ele.

- No início do ano, alguém juntou todas as brigas em que ele perdeu num vídeo só e jogou na internet. - Jordan, um amigo do quarteto, lhes contou. - O garoto virou o demônio até o final do ano letivo. Se eu fosse vocês, nunca apareceria na escola no dia 11. Pele branca, olhos muitos claros e serem novatos já vai ser um prato cheio pra ele.

- É verdade que tem até professores que evitam dar matéria nesse dia? - Nina perguntou. - Eu ouvi dizer...

- Sim. - Jordan confirmou. - Cara, nem os amigos idiotas dele gostam de ficar perto nesse dia. Ouvi boatos de que o diretor já quis expulsar o garoto várias vezes, porque esse dia 11 dá muita dor de cabeça pra a escola, mas ele sempre está aqui no dia seguinte...

Jordan se interrompeu ao ver um garoto chegando no corredor.

- Merda, é o Bryce!

A chegada do garoto fez todos os alunos da escola se calarem. Os passos barulhentos de suas botas repercutiam pelo ambiente.
- Assim que eu gosto! Respeito pela autoridade!

Bryce riu, uma risada psicopata que ecoou pelo lugar, deixando Jeffrey ainda mais desconfortável. O garoto era completamente perturbado.

- Olha só! Carne nova! - Bryce apontou o indicador para o quarteto, os olhos cor-de-avelã mirando em Jeffrey, talvez por ele ser o mais velho. - Vocês me devem o que eu quiser de vocês, OK? E é melhor que venham no dia 11. Não é muito legal ir pra a escola sem ninguém pra espancar ou roubar. - Ele riu de novo e foi andando em direção à saída.

Quando a porta se fechou, Jeffrey sussurrou para os outros:

- Maluco é pouco...

Liu

Os dias seguintes se mostraram um inferno para Liu. Fossem empurrões no corredor quando ele pegava seus materiais no armário ou puxões em seu cabelo longo quando o professor ficava de costas para a turma. Scarlett reparou e conversou com o primo.

- E você engole tudo quieto. Sabe que o Jeff pode lidar com todos eles.

- Não. - Liu cortou, com voz trêmula. - Quando eu cortar o cabelo, eles vão parar de implicar comigo. - o garoto assegurou, tentando não chorar. A ideia de cortar o cabelo o entristecia mais do que as perseguições, mas tinha que tentar. - Jeff não precisa se meter. Não é problema dele.

- Ele é seu irmão. - Scarlett tinha uma expressão muito solidária, mas preocupada.

- Não é problema dele. - Liu repetiu seco. - Nem seu. Obrigado.

Scarlett desistiu, mas não parecia aborrecida ou magoada, como se soubesse o porquê das atitudes de Liu.

Jeffrey

No dia seguinte, Liu foi à escola de touca. O garoto parecia abatido, mas Jeffrey não conseguia entender o porquê. Liu ficava na defensiva quando ele perguntava sobre a escola.
Foram interceptados pelos três metidos a valentões. O barulho dos outros alunos foi cessando, como se soubessem de algo que iria acontecer.

- Por que se cobre, menina? - Bryce falou debochado. Jeff pensou que talvez ele falasse de Nina ou Scarlett, mas seus olhos miravam em Liu. - Não penteou os cabelos hoje?
Um de seus comparsas, Joe,  avançou com a mão para a cabeça de Liu, mas Jeff o parou, segurando a sua mão.

- Solta, Jeff. - ouviu seu irmão lhe dizer. Seu tom era triste. - Isso é comigo.
Liu tirou o gorro, revelando cabelos tão curtos quanto os de Jeff. O visual surpreendeu a todos, comprovado pelas expressões dos outros alunos.

- Eu lá mandei você cortar o cabelo? - Bryce falou fingindo reprovação.

- E eu sou sua merda de esposa pra te dever satisfação? - Liu o mirou, orbes verdes nos olhos avelã.

Jeff só percebeu o que aconteceu 3 três segundos depois. Joe estapeou Liu na cara, como um filho mal-criado. Bryce xingava como uma criança mimada pedindo respeito e Gary gargalhava de Liu.

Nesse momento, o tempo parecia mais devagar. Jeffrey acertou uma joelhada na virilha de Joe, seguida de uma cotovelada no nariz, manchando seu casaco azul-claro com sangue. Correu até Bryce, que havia ficado atônito por uns segundos e lhe acertou um chute no queixo, o nocauteando. Sobrou apenas Gary, que tentou avançar para cima de Jeffrey, apenas para quebrar o braço esquerdo e ganhar um chute no olho direito.

Nina

Nina olhou abismada para os primos e os valentões enquanto Scarlett tocava a bochecha de Liu, verificando se o tapa tinha deixado marca. Liu parecia ainda pior do que quando saiu de casa, pela expressão que fazia. Ele realmente não queria expor o bullying que sofria e agora seu irmão iria para a diretoria por defendê-lo numa briga.

Mas outra coisa que a surpreendeu foi Liu elevando a voz. O garoto já deve ter aguentado isso a mais tempo que pode suportar. E claro, o desempenho de Jeff na briga era impressionante. O garoto parecia ter levado uma injeção de adrenalina pelo modo que se comportava. Se movimentava mais rápido e aplicava golpes fortes o suficiente para desorientar o trio, que começava a recuar.

- Nem ousem falar com Liu ou nenhum de nós de novo! - Jeffrey berrou, seus olhos azuis agora estavam num tom forte, quase artificial, como se pudessem brilhar.

- Eles vão voltar. - Liu disse. - Você vai pra a diretoria e eles ainda vão voltar. - o garoto chorava inexpressivo no ombro de Scarlett, como se já esperasse mais um tapa dos bullies.

- E eu acabo com eles de novo! - Liu assegurou. - Não devia ter me escondido isso, Liu. Scarlett me falou ontem e eu fiquei decepcionado. Decepcionado por eu não ter percebido. E magoado por você não me contar.

Liu

- Irmão, você sabe que eu já passei por isso antes. - Liu assegurou. - Eu sobrevivi antes, eu posso fazer de novo.

- Mas não precisa sofrer assim. Por que você faz isso?

Liu não podia contar. A verdade é que parte dele, mesmo que fosse muito pequena comparada a raiva do trio, gostava da dor. Não dos xingamentos, mas a dor física que sofria.

Liu era masoquista. E não podia contar isso pra ninguém.


Notas Finais


Que rumo é esse dessa história, Jesus? E quando Jeff The Killer vai nascer? - minha imaginação sobre os comentários.
Foi mal, gente! Capítulo ficou bem chinfrim, mas foi o que me deu na telha. Dscp ;-;
Até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...