História Guarda-costas - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Karin, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Comedia, Naruhina, Romance, Sasusaku
Visualizações 264
Palavras 2.606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Escolar, Fantasia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oláaa :D
Esse capitulo contém dois POV'S, ok?! O da Sakura e do Sasukezito <3

Boa leitura!

Capítulo 6 - Capítulo seis


Fanfic / Fanfiction Guarda-costas - Capítulo 6 - Capítulo seis

Guarda-Costas

 

Olhei para meu despertador para conferir a hora.

Sasuke não vai vir me acordar hoje?

Bem, eu já estou acordada, mas ia fingir para tentar agarrá-lo.

Nossa Sakura... Como você está sem vergonha!

 

Hm... Por que ele está demorando tanto?

Já estou ficando nervosa. Meu coração pulsa em ansiedade.

Quero vê-lo!

 

Sasuke demorou tanto que decidi me trocar. Vesti uma camisa marrom e calça jeans. Penteei meu cabelo repicado e peguei minha mochila.

Saí do meu quarto depressa e desci as escadas. Ao chegar no último degrau avistei Sasuke, ele estava de costas. Conversava com minha mãe, a ajudando a carregar as malas.

 

Sasuke não parecia bem. Estava abatido, e com olheiras. Isso me preocupou.

 

– Hmm... – Mamãe olhou tudo em volta, com aquela pose de séria. – Tudo parece bem por aqui.

 

Ela parou de caminhar quando me avistou.

 

– M-Mas... Sakura, o que fizeram com seu cabelo?! – Perguntou aterrorizada.

 

Travei no lugar.

Tinha me esquecido desse pequeno detalhe.

 

– Mamãe... – Sorri sem graça. – É uma longa história hahaha.... – Tentei rir para tranquiliza-la e melhorar o clima, porém não adiantou.

– Explique-se Uchiha! – Ela fitou Sasuke severamente.

O moreno encolheu os ombros, igual uma criança trelosa que foi pega pela mãe.

– Isso foi um acidente, Senhora. – Respondeu polidamente.

– Um acidente? – Mamãe virou-se para o moreno. – Pelo o que sei, eu te pago para evitar acidentes! – Estreitou os olhos perigosos e os fixou em Sasuke. – Se não consegue evitar problemas como esse, então, estou desperdiçando meu dinheiro com você!

 

Doeu ouvir isso.

Sasuke não fez nada para merecer essas palavras duras.

 

– Mãe, Sasuke não tem culpa de nada! – Mamãe se virou para mim. – Eu que quis cortar!

– 'Sasuke'? - Ela franziu o cenho - Já estão assim? Tão íntimos? – Sorriu cínica para o moreno. – O que mais eu perdi entanto estive fora?!

– Mãe pare com isso! – Pedi, já me assustando com o rumo daquela conversa. – Eu cortei meu cabelo sozinha, porque queria mudar meu estilo, só isso!

– Certo, certo! – Balançou a mão com descaso. – Desta vez vou deixar passar, mas escute bem... – Apontou o dedo na minha cara. – Pare de chamá-lo pelo primero nome! Vocês não são "amiguinhos", o trabalho dele é te manter segura e nas regras! – Mandou, e voltou a encarar Sasuke. – Da próxima vez que você deixar a desejar... Será demitido!

 

"Demitido".

 

Meu corpo inteiro gelou ao escutar aquela palavra tão assustadora.

Não quero que Sasuke seja demitido. Não consigo me ver com outro guarda-costas sem ser ele.

Não aceitarei outro sem ser ele!

 

Sasuke assentiu de forma acanhada.

– Sim, Senhora!

– Certo. – Começou a caminhar para a sala. – Yumi faça um chá para mim! – A empregada balançou a cabeça e se dirigiu a cozinha para preparar a bebida quente.

– Desculpe, Senhorita Haruno. – Sasuke se desculpou, curvando-se em minha direção. – Farei o possível para melhorar!

 

Por que estou me sentindo assim?

Essa dor estranha ao ver o rosto triste de Sasuke...

 

– Você não fez nada errado Sasuke! – Respondi desconsertada.

– Não me chame pelo nome, por favor!

 

Parece que tudo está desmoronando na minha frente.

 

– Nosso relacionamento é... 'profissional'. – Respondeu calmo. – Então é melhor voltarmos a ser como antes! – Ele se curvou outra vez e se retirou do local, me deixando para trás. Observei suas costas enquanto se afastava de mim.

 

Não estou acreditando nisso.

 

Tudo o que eu fiz...

Todos os meus esforços...

Desceram pelo ralo!

 

Quando saí da mansão Sasuke já me aguardava dentro do carro da mamãe. Parece que ela permitiu Sasuke usá-lo de novo, pois minha limusine voltou para o mecânico.

Entrei no carro encabulada, não olhando diretamente para o moreno sério.

 

O clima tenso pousou dentro do carro. Sasuke parecia um robô. Inexpressivo. Mesmo eu tentando puxar conversa ele permanecia quieto.

– Você parece abatido... Está tudo bem? – Eu realmente estava preocupada com ele.

– Sim Senhorita.

– Não dormiu?

– Sim.

Minha preocupação só aumentou com aquela resposta.

– Por quê? Aconteceu alguma coisa na sua casa?

– Sim.

– E-E o que aconteceu?

– Isso é pessoal, Senhorita. – Respondeu seco.

Sabe quando alguém te dá um tapa na cara? Estou sentindo como se tivesse recebido um.

– Chegamos. – Avisou assim que paramos na entrada do prédio da faculdade.

– Até mais tarde, Sasuke. – O moreno me lançou um olhar reprovador, me censurando por dizer seu nome. – "Uchiha" – Me auto corrigi.

– Até mais. – Ele disse antes de dar partida.

 

 

 

***

 

 

– HOJE É SEGUNDA GENTE, CADÊ O ÂNIMO?! – A doida da Tenten berrou animada antes de se sentar perto de mim.

- Normalmente as pessoas ficam felizes na sexta-feira. – Respondi desanimada. – E pare de gritar, aqui não é cabaré não!

– Awn, 'tá venenosa hoje hein amore?! – Rolei os olhos para aquele comentário. – Não te vi na festa do Gaara ontem... Estava dando uns pegas no guarda-costas é?

– Não, eu não estava "dando uns pegas", não pude ir pro Gaara, só isso.

– Oxe! – Ela se inclinou para trás em descrença. – Mentiiiira! – Negou com a cabeça. – A Sakura que eu conheço, não perderia essa festa nem se estivesse doente! – Contou confiante. – Porque a festa foi organizada pelo crush dela!

– Pare de falar como se eu fosse uma impostora! – Enruguei a testa. – Queria muito ter ido, mas não pude.

– Tem a ver com a aposta?

– Infelizmente sim. – Respondi contra gosto.

– Então realmente deu uns amassos nele, né danadinha? – A de coques abriu um sorriso safado.

– Claro que não, sua boba! – Dei um peteleco na testa dela.

– Ai! – Resmungou de dor.

– Nós saímos ontem, estava até indo bem... Mas hoje rolou uma treta com a minha mãe. – Expliquei para Tenten. – Ela cagou tudo!

– Que merda hein?!

– Pois é!

– Olá lindas! - Karin se sentou em nossa frente. – E a festona de ontem?! Aaah quero replay!

Tenten e Karin começaram a comentar sobre a festa de Gaara, me deixando levemente irritada por estar por fora.

– Como vai o "gostosão", minha rosinha? – Karin perguntou curiosa.

– Vai bem, com saúde! – Pelo menos eu acho isso...

– Você sabe o que eu quis dizer, né fofa? – Ela ajeitou os óculos na face.

Suspirei alto.

Me preparando para as piadinhas dela.

– Tá difícil... – Respondi desanimada.

– Entendo... – A ruiva me fitou com compaixão. – E então...? Já preparou a dança e o biquíni? – Riu maldosa.

– Eu não disse que ia desistir! – Sorri de lado, ainda confiante. – Ainda tenho duas semanas inteirinhas!

– Ui, que medo dela! – A ruiva fingiu estar com medo.

Tenten apenas nos observava com uma expressão divertida no rosto.

– Palhaça! – Mordi meu pão de queijo, ignorando a ruiva à minha frente.

 

Por mais que eu mantenha a pose, no fundo eu nem ligo.

Pra dizer a verdade nem estou me importando muito com essa aposta, estou preocupada com o Sasuke.

 

Será que ele está passando por uma dificuldade familiar?

 

Ontem ele estava tão feliz, me mostrando aquele sorriso lindo... E agora está tão deprimido.

 

As aulas passaram rápido. Quase não prestei atenção nelas.

Me despedi de Karin e Tenten, e caminhei para fora da faculdade.

Me surpreendi ao ver quem me esperava.

 

Não era o Sasuke.

Era Hiro, o chofer de minha mãe.

 

– Cadê o Sasuke? – Minha pergunta saiu meio desesperada. O Hiro me fitou com estranheza.

– O Senhor Uchiha, teve que resolver assuntos pessoais, minha Senhorita. – Abriu a porta da nova limusine para eu entrar.

– M-Mamãe não demitiu ele, não é? – Questionei temerosa.

– Não Senhorita, já expliquei que ele teve assuntos a resolver. – Hiro indicou o banco com as mãos, pedindo para eu entrar no veículo.

Obedeci o Hiro, entrei na parte de trás da limusine e esperei ele dar partida.

– Hiro? – Chamei o Chofer.

– Sim Senhorita?

– Sabe me dizer quais são os “problemas” que o Uchiha precisou resolver?

Hiro entortou os lábios, incomodado com as inúmeras perguntas que eu estava fazendo.

– Não faço ideia Senhorita!

Decidi parar de fazer perguntas, para não irritá-lo.

 

 

***

 

Uchiha POV’S

 

O dia passou rápido.

As ruas já estavam escuras.

 

Suspirei pela milésima vez, tentando me livrar do estresse.

O dia foi corrido demais.

Só quero tomar um banho demorado, relaxar e dormir.

Só isso.

– Elevador abre logo... – Choraminguei impaciente.

 

"Tin”

 

Nunca fiquei tão feliz com esse barulinho antes.

A caixa de metal se abriu, permitindo minha passagem.

Saí do elevador e caminhei diretamente para a porta do apartamento de Naruto.

Nem precisei tocar a campainha, a porta se abriu magicamente assim que me aproximei.

– É sério? Você levou uma bronca lá na mansão dos Haruno’s? – Meu amigo cabeça oca puxava minha camisa, afobado com a noticia.

Fofoqueiro...

– Sim, e daí? Pra que todo esse espanto? – Entrei no apartamento sendo seguido pelo loiro.

– Como assim cara? Estamos falando dos Haruno’s! – Fez uns gestos exagerados com as mãos. – Me conte o que aconteceu!

– Nossa... Que exagero Naruto – Enruguei a testa, já perdendo a paciência com o meu amigo falador – Eles são ricos, mas não quer dizer que são “deuses” – Caminhei para a cozinha, já ligando a cafeteira.

Sim. Tenho intimidado o suficiente com o loiro para invadir a cozinha e ligar a cafeteira.

– Cara, se você conseguir resolver os bagulhos loucos dessa garota tu ‘tá feito mano! – Lancei um olhar de repreensão para o loiro.

– “Bagulhos loucos”? – Por que eu sou amigo desse idiota mesmo?

– É cara... ‘Tão falando que ela tá louquinha da cabeça – Fez um sinal de “biruta”, girando o dedo indicador perto da própria cabeça loira.

Não sei o motivo, mas ouvir Naruto falando assim da Rosada estava me incomodando.

– A situação dela não é tão grave assim... – Tirei duas xicaras do armário. – Ela só é revoltada com a família dela!

– Você tem certeza?! – Questionou apreensivo. – Ela sempre te mete em problemas, pô! – Enchi as xicaras com o café e caminhei para a sala.

 – Eu sei, você tem razão – Suspirei pesado me sentando no sofá – Tipo, eu sei que ela tem umas dificuldades pessoais, mas depois que conversamos eu mudei de ideia, sabe, ela é gente boa e consegue ser divertida quando quer. – Dei um gole no café.

– Fala logo que ela é uma maluquinha mimada e pronto cara! – Tomou o café todo em um só gole.

– Cara, o maluco é você! – O retardado começou a gargalhar do nada – Por que eu ainda sou seu amigo mesmo?!

– Que pergunta é essa?! Credo! – Ele fez uma careta de coitado. – Mas mudando de assunto... Por que tu vai dormir aqui?

– Minha mãe... 

O loiro me fitou preocupado.

– O que aconteceu com a mãe Mikoto? – Perguntou aflito.

– Ela teve que voltar ao hospital... – Não consegui explicar direito, me sinto mal.

– Entendi.

– Não quero ficar ‘lá’ sozinho... Desculpe te incomodar!

– Que isso cara?! Você pode ficar aqui o tempo que quiser! – O loiro bateu em meu ombro.

Suspirei cansado, meus olhos focaram em meu braço machucado me fazendo lembrar da longa manhã que tive. Quando recebi a noticia que minha mãe estava mal, saí voando pra área norte da cidade. Pedalei tão rápido que nem sentia meus pés. Quando ultrapassei o caminhão, meu braço direito passou rasgando, acabei fazendo um grande machucado. Por sorte consegui chegar a tempo para socorrer mamãe. Peguei um carro emprestado com o vizinho e a levei ao hospital mais próximo.

– Não se preocupe, ela vai ficar bem! – Naruto me lançou um sorriso reconfortante.

– Obrigado! – Agradeci.

Um barulho estrondeante me fez despertar em um pulo no sofá. Vinha do outro lado da parede.

– Que inferno. – Naruto levantou irritado. – Puta merda, mano!

Em passos pesados ele se dirigiu até a porta de seu provável vizinho.

Segui ele, curioso para ver o que ia acontecer.

– HEY! – O loiro espancou a porta – ABRA!

O som irritante parou e logo a porta se abriu.

– QUAL É O SEU PROBLEMA?!! – Gritou assim que a mulher saiu ‘pra fora.

 

Brincos.

Cabelo longo, repicado até o ombro de uma maneira estranha.

Olhos brancos.

Piercing no nariz.

Roupas pretas.

 

Ótimo.

Uma vizinha roqueira.

 

– Poderia parar com isso?! – O loiro pediu impaciente. A mulher morena tombou a cabeça para o lado, fazendo seu cabelo repicado cair em seu rosto. A expressão confusa dela me indicou que ela não estava entendendo o que o loiro queria. – O barulho... Poderia parar?! – Naruto explicou entre dentes.

O silêncio pairou no ar, e por um momento me senti constrangido.

O clima entre esses dois exala agressividade.

– Eu moro do seu lado, o barulho que você está fazendo me incomoda, entende? – Explicou pausadamente. – Argh, por que estou explicando?! Você sabe muito bem disso Hinata!

– Oi Narutinho. – Uma voz profundamente bonita e fina saiu de seus lábios finos e pálidos. – Como você é chato! – A de olhos brancos reclamou. – Acabei de ligar o som e você já vem tretar comigo! – Ela cruzou os braços de maneira preguiçosa.

Esse olhar sereno dela faz o Naruto parecer o vilão da cena.

– Estou com visita. – O loiro apontou para mim. – Seu som atrapalha nossa conversa!

A mulher focou seu olhar em mim.

– E aê?! – Ela acenou.

– Olá! – Acenei de volta.

– Entendo. – A mulher resmungou, voltando seu olhar ao Naruto.

– Hm? – Naruto arqueou a sobrancelha loira.

– Entendo. – Ela repetiu. – Era só isso? – Perguntou calmamente.

– Você vai abaixar mesmo o volume?!

– Sim. Vou desligar agora.

O loiro abriu um sorriso radiante para ela.

– Valeu Hinata!

– Mas não garanto nada na madrugada. – Sorriu maldosa.

– Nossa, estou muito grato, nem sei expressar minha gratidão a você. – Naruto sorriu irônico.

– De nada Naru! – Ela soltou um beijinho no ar e fechou a porta na cara do loiro.

– SUA ALBINA DE MERDA!!! – Devo dizer que achei um exagero o chutão que Naruto deu na porta da moça. – Ela me paga! Vou botar meus cds de forró no máximo! – Caminhou para dentro do apartamento em passos pesados.

– Quem é ela? – Indaguei curioso.

– A desgraça da minha vida! – Respondeu emburrado enquanto ajeitava as caixas de som. – Ela vai ver só!

– Qual o motivo dessa rivalidade toda?

– Desde que ela chegou aqui, ela decidiu ser o iceberg do meu Titanic! – Murmurou irritado. Acabei rindo com o que ele disse.

– Já faz muito tempo que ela se mudou ‘pra cá?

– Acho que já fez três meses... – Se abaixou para colocar o cd no som. – Três fucking meses sendo perturbado por uma “Cobra albina”.

– Isso vai dar romance, hein?! – Provoquei, recebi um dedo do meio como resposta.

– Vê se morre Sasuke! – Se levantou em um pulo. – Prontinho, está no volume máximo. – Conferiu o painel do som. – Agora é só esperar ela começar a briga!

Apenas neguei com a cabeça.

Essa criancice toda tinha que vir de Naruto mesmo.

– Não vale a pena se estressar com isso.

– Vai cagar, vai!

– Você não tem jeito mesmo! – Suspirei pesado.

– Ah é, lembrei! – O loiro se virou para mim. – Poderia ir na loja de conveniência que fica do outro lado da rua? Meu estoque de Lámen acabou, eu ia comprar, mas você me ligou dizendo que vinha pra cá, aí nem deu pra ir!

– Mas eu acabei de chegar cara!

– Sasuke, eu estou te abrigando aqui esqueceu? Agora vá, ‘tô com fome mano!

– Hunf – Resmunguei indo até a porta, peguei o dinheiro e saí dali, caminhando até o elevador.

 

Caminhei até chegar na tal loja de conveniência. Entrei e peguei Lámen’s de todos os tipos que tinha ali.

Assim que paguei, me retirei do local.

Avistei luzes coloridas e me virei para ver o que era.

Era uma boate.

Ignorei e me virei para voltar ao apartamento de Naruto.

 

– Karin sua louca, aqueles caras pareciam perigosos! – Meu corpo travou ao escutar uma voz conhecida.

– Qual é Sakura, pare de ser vacilona! – Minha cabeça ricocheteou para o lado.

Avistei Haruno e sua amiga ruiva.

Haruno usava um vestido curto de alcinha, da cor vinho.

 

Uma raiva cresceu em mim.

Eu saio de “folga” um dia só, e essa mulher já desanda.

 

Haruno entrou na boate junto com a ruiva.

 

E agora?

A Senhora Haruno permitiu a saída da Senhorita? Ou ela saiu escondida?

 

Será que eu devo entrar lá?

 

 


Notas Finais


Ui, ui, ui hein! ¬u¬

Beijãoooo :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...