História Guardians of Magic - Capítulo 68


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, One Direction
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Fifth Harmony, Larry, Norminah, One Direction, Vercy
Visualizações 118
Palavras 2.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Fantasia, Fluffy, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello Little's!

Ps: Lili Reinhart como Dara.

Boa Leitura.

Capítulo 68 - Sua verdadeira forma.


Fanfic / Fanfiction Guardians of Magic - Capítulo 68 - Sua verdadeira forma.

Narrador P.O.V

Sofia já estava bem mais calma com as novas descobertas, Camila havia lhe explicado tudo o que a mais nova precisava saber. Lilly ainda não havia voltado do quarto e Verônica também não tinha retornado, o tempo estava passando e elas precisavam ser rápidas, caso contrario não conseguirão salvar Dara. No quarto de hospedes da residência Cabello Jauregui, Lauren fazia tudo o que estava ao seu alcance, mas ela nunca havia tratado alguém que foi atingindo por “magia”, o abdômen de Dara estava começando a se petrificar e aquilo assustou a morena.

- A partir de agora ela não terá muito tempo! – Lilly fala com pesar. – Seu corpo irá virar pedra e ela irá virar pó em no máximo uma hora.

- Não tem nada que eu possa fazer? – Lauren indagou.

- Infelizmente não, sua amiga já foi atrás dos ingredientes a irmã da Camila já esta aqui, agora só nos resta esperar. – Lauren suspirou frustrada enquanto Leo estava em silencio – Faça-a assumir sua verdadeira forma, talvez assim ganhemos algum tempo.

- Como? – Lauren não entendeu, mas Leo encarou Lilly assentindo – Essa não é a verdadeira forma dela?

- Não, ela só esta assim porque naquele dia era aniversario da menina e ela não queria assusta-las. – Leo respondeu – Ela achou que assumindo a forma de uma criança seria mais fácil convence-las de que falava a verdade.

- E que forma ela possui? – Lauren perguntou receosa.

Self illusion, exitus! – exclamou Leo com a mão sobre a testa de Dara, de repente o corpo da menina brilhou intensamente – Essa é a sua verdadeira forma.

A menina que antes aparentava ter no máximo doze anos, agora era uma jovem mulher. Seus traços finos continuavam ali, ela era uma bela mulher. Lauren agradeceu internamente por ela não ter assumido a forma de algum monstro.

- Ela meio que parou de envelhecer com vinte e um anos, que foi quando seu pai faleceu e o legado passou para ela. – Leo explica – Ela ainda envelhece, mas o processo de envelhecimento é bem mais lento do que o de vocês.

Enquanto isso ainda na cozinha Camila observava Sofia que brincava com Angel. A porta da sala abriu revelando uma Verônica ofegante. Ela caminhou ate a cozinha chamando a atenção das três.

- Consegui! – ela falou colocando as sacolas sobre a mesa – Deu trabalho, mas eu consegui... Tive que comprar um colar só por causa da pedra.

- Ótimo, vou chamar a...

- Já estou aqui! – Lilly respondeu entrando na cozinha – Se não se importarem voltarei a minha forma original, ficar assim é cansativo.

- Fique a vontade! – Camila respondeu já que Vero e Sofia apenas a encaravam ainda perplexa. Lilly pronunciou algo inaudível e voltou a sua forma de filhote.

- Own... Que fofinha! – Sofia soltou e Vero concordou – Prefiro você assim.

- Vou me lembrar disso! – Lilly respondeu de maneira educada – Então, podemos começar? Dara não irá aguentar mais de uma hora.

- Eu vou ficar lá em cima com a Laur! – diz Vero. – Eu ainda não acredito que tem um leão na sua casa, Mila!

- Nem eu, Vero! Nem eu.

Vero se retirou deixando Camila e Angel assistindo Lilly ensinar Sofia a preparar o antídoto.

- Será que você poderia me colocar em cima da mesa? – Lilly perguntou de maneira envergonhada e Sofia a achou ainda mais fofa. – Eu preciso ver se você esta fazendo certo.

- Claro! – Sofia se abaixou pegando-a e colocando-a sobre a mesa – Prontinho, por onde eu começo.

E assim Lilly começou a explicar-lhe tudo o que a jovem Cabello deveria fazer. Sofia fazia tudo o que lhe era instruído e, tudo sobre os olhares atentos e curiosos de Camila e Angel que agora estavam comendo cereal. Lilly traduzia o que estava escrito no livro para Sofia, já que o mesmo possuía linguagem élfica, cheio de símbolos e letras desconhecidas pelas nossas Guardiãs.

- Terminei! – Sofia exclama de maneira empolgada e recebe aplausos de sua irmã e sobrinha. – Agora só precisamos torcer para que dê certo.

- Leve-o para Dara. – Lilly instruiu – Você precisa colocar na boca dela, ela tem engolir o antídoto.

- Deixa comigo, Mestra! – Sofia bateu continência e Lilly negou com a cabeça – Posso coloca-la no chão?

- Sim, obrigada!

E então Sofia a desceu colocando-a no chão, pegou o recipiente com o antídoto e caminhou para o quarto de hospedes. Entrou sem bater chamando a atenção de todos ali presentes.

- Até que enfim! – Lauren fala limpando a boca de Dara que começava a cuspir sangue. – Olá Sofi!

- Oi cunhada! – Sofia respondeu, mas ficou confusa ao ver a jovem deitada na cama – A Kaki me disse que era uma criança.

- Longa historia! – diz Lauren, mas Sofia esta mais preocupada com Leo. – Sofi... Sofia... Sofia?!

- Desculpe-me... Eu ainda não estou acostumada com esse mundo! – pede ela envergonhada e Lauren assente – Lilly disse que ela precisa beber o antídoto.

- Okay, eu vou segurar a cabeça dela enquanto você coloca o liquido na boca dela!

Sofia assentiu e seguiu as instruções de Lauren, a morena segurava a cabeça de Dara levemente inclinada para frente enquanto Sofia tentava não derramar o liquido fora da boca da loira. Leo assistia tudo de maneira angustiada, já Verônica roía todas as suas unhas de maneira nervosa. Sofia terminou e Lauren colocou a cabeça de Dara sobre o travesseiro de maneira cuidadosa, todos olhavam para a caçadora com expectativa, mas nada aconteceu.

- Não funcionou? – Vero perguntou confusa.

- Abra os olhos, moça! – Sofia começou a pedir com a voz embargada.

- Por favor... Por favor... Por favor... – Leo pedia baixinho.

- Por favor... Moça, não faz isso comigo! – Lauren suspirou e se colocou ao lado de Sofia – Se você não reagir eu vou me sentir culpada...

- Hey, você fez o tudo o que pôde! – Lauren tenta acalmar a cunhada – Não se culpe, okay?

- Mas... Eu segui todas as instruções do livro! – Lagrimas já escorriam pelo rosto da mais nova – Porque não funcionou?

- Eu não sei, eu realmente não sei, Sofi! – responde Laur – Eu não entendo de Alquimia.

Todos ficaram em silencio apenas encarando o corpo de Dara. A porta foi aberta lentamente e um filhote de Husky entrou com o cenho franzido.

- Ela bebeu o antídoto? – indaga Lilly.

- Sim, mas parece que não funcionou! – Vero responde.

- Não funcionou? – Lilly pergunta retoricamente – Ele não age instantaneamente... – todos a encararam – Ele precisa agir no organismo dela, isso requer algum tempo. Até porque o veneno já havia se alastrado praticamente pelo corpo todo.

- Eu... Eu não fiz nada errado? – Sofia perguntou.

- Não minha querida, fui eu quem te ensinei! – afirma Lilly – E este é um antídoto simples, alguns requerem mais atenção, inclusive só podem ser feitos com alinhamento da Lua, do Sol e alguns planetas. Mas esse até que não exige tanto! – Sofia assentiu – Eu acho melhor vocês descerem, ela ainda vai demorar um pouco para se recuperar... Não há mais nada a ser feito, agora é com ela!

Todos assentiram inclusive Leo. Todos se retiraram deixando Dara descansar, Sofia ainda não estava muito convencida sobre o eficiência do antídoto, mas preferiu acreditar em Lilly, assim que viu que todos desciam menos Dara, Camila se preocupou.

- O que aconteceu?

- O antídoto precisa agir no corpo dela! – Lauren respondeu – Agora só nos resta esperar.

Leo pediu licença e foi sentar-se na beira da piscina, Angel o seguiu e Lilly foi atrás. Camila, Lauren, Verônica e Sofia foram para a cozinha preparar o almoço. Vero aproveitou para mandar uma mensagem para sua esposa informando-a que almoçaria com suas amigas, mas que depois lhe contava toda a historia.

- Aonde eu arrumo um cachorro desses? – Sofia pergunta se referindo a Lilly.

- No pet shop é que não é! – Vero responde com diversão.

- Ela é tão fofinha e, ela fala! – diz Sofia animada – Vocês tem noção de que vocês possuem um cachorro que fala? E que lê línguas estranhas?

- Sim, nós temos! – Camila respondeu. – No primeiro momento foi assustador, mas agora vemos que é fantástico.

- E com o que vocês a alimentam? – Sofia se mostrava curiosa.

- Ração! – Lauren responde como se fosse obvio.

- Eu achei que fosse com biscoitos scooby! – Vero fala e logo em seguida começa a gargalhar, Sofia a acompanha enquanto Lauren e Camila possuem uma expressão de tédio. – Ah qual é? Nem foi tão ruim assim.

Elas acabaram engatando em uma conversa sobre seres mágicos e todos os que já tinham visto até aquele momento. O almoço não demorou a ficar pronto e, logo Lauren foi chamar Angel que estava entretida em uma conversa animada com Lilly e Leo. Lilly ficou no quintal fazendo companhia para Leo. Enquanto isso no quarto de hospedes o corpo de Dara voltava ao normal e a jovem já começava a se despertar, ela abriu seus olhos tentando entender onde ela estava.

- Que lugar é esse? – Dara questionou tentado sentar-se na cama – Oh, eu ainda estou viva! – diz ela apalpando seu próprio corpo – Que alivio! – ela voltou a olhar em volta até que se levantou abruptamente - Leo?!

Dara abriu a porta do quarto e saiu correndo tentando entender onde ela estava e, principalmente, aonde Leo se encontrava. Ela não se lembrava de muita coisa depois que sofreu o ferimento com osso humano. Seu desespero só aumentava à medida que ela olhava para os lados e não reconhecia o local.

- LEO! LEONARDO! – ela gritou descendo a escada e assustando as pessoas que estavam almoçando naquele momento, Leo abriu a porta encontrando Dara no meio da sala – Graças aos céus... Que susto você me deu.

- Estou aqui querida! – diz ele aliviado por vê-la em pé e completamente recuperada – O antídoto funcionou.

- Antidoto? Que casa é...

- Dara! – Lauren chama sua atenção – Fico feliz que tenha acordado.

- Guardiã do Equilíbrio! – Dara fala suspirando – Você nos trouxe para a casa das Guardiãs?

- Você estava morrendo e não havia lugar mais seguro do que perto delas! – Leo se defende – Elas cuidaram de você... Fizeram o antídoto... Você já estava virando pedra.

- Okay, obrigada! – ela responde de maneira carinhosa – E... Muito obrigada por salvar a minha vida, Guardiã, terei uma divida eterna com você.

- Não se preocupe, eu não fiz muita coisa! – Lauren dá de ombros – Quem produziu o antídoto foi minha cunhada, agradeça a ela e o espírito guardião da Angel.

- De qualquer forma, obrigada! – Dara agradecia verdadeiramente.

- Você deve estar com fome, nós estamos almoçando, junte-se a nós! – Lauren pede – Leo preferiu ficar lá fora.

- Oh... Eu não quero incomodar mais do que já incomodei! – responde ela com a voz baixa, há quantos anos não se sentava em uma mesa com outras pessoas para uma refeição? Ela nem se lembrava, sua única família era Leo.

- Não incomoda! – ela abaixou o olhar – Venha, Leo não vai te abandonar só porque você aceitou se juntar a nós.

- Vá querida, eu estarei lá fora! – diz Leo de maneira serena – Você precisa se alimentar afinal, você quase morreu hoje.

- Tudo bem, eu aceito! – Leo assentiu e retirou-se do recinto, Dara caminhou lentamente até Lauren – Vocês são estranhas.

- Diz a jovem que gosta de se passar por criança! – Lauren retruca com divertimento, ao entrarem na cozinha Dara sentiu-se envergonhada, pois não conhecia duas das integrantes da mesa – Sente-se, aquela é Verônica e essa é Sofia, ela quem produziu o antídoto.

- Obrigada por me salvar! – sua voz quase não saiu e ela corou ao que Sofia apenas assentiu sorrindo – Olá Guardiã do Ar. – Camila apenas assentiu, pois estava com a boca cheia. – Raio de sol! – Angel sorriu. – É um prazer revê-las.

- Sirva-se, fique a vontade! – fala Camila e Dara assentiu.

O almoço foi silencioso, poucas palavras foram trocadas. Por varias vezes Sofia pegava Dara olhando para todas na mesa com um olhar nostálgico, Dara sentiu-se bem estando ali, não era fácil viver tanto tempo sem ter uma família, não que ela estivesse reclamando da convivência com Leo, longe disso. Mas ela sentia falta de ter uma família, de ter amigos, a vida dos caçadores de magia não é tão fácil como parece, ela é triste e solitária já que nenhum ser mágico os deseja por perto, uma vez que eles são traiçoeiros e podem estar apenas fingindo para levar sua magia. Mas ali estava Dara como Dara, não havia personagem para que ela pudesse interpretar, era apenas ela por ela e pela primeira vez em muito tempo ela estava feliz por não precisar atuar. Ela estava almoçando com as atuais rainhas dos feiticeiros e, ela estava vendo com seus próprios olhos que elas eram tudo aquilo que falavam, elas eram boas, e a loira pensou que talvez elas não se importassem em te-la como amiga, e esse pensamento preencheu seu peito de expectativa e alegria.


Notas Finais


Erros corrijo depois!

To Be Continued...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...