História Guardião Dimensional - Capítulo 52


Escrita por: ~ e ~LordeKoorishiro

Visualizações 36
Palavras 2.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lírica, Luta, Magia, Mecha, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 52 - O Dia do Julgamento


Capítulo 52: O Dia do Julgamento

Ao entrar na Casa de Câncer Camus, Saga e Shura logo percebem que a quarta Casa Zodiacal se tornou uma passagem para a colina do Yomotsu, a entrada para o Inferno. Nesse momento, os mortos se levantam do chão e atacam os três espectros. Saga descobre se tratar de uma ilusão e a elimina.

Eles seguem em frente por horas e nunca encontram a saída, até perceberem que só correram por poucos minutos na palma da mão de Buda. Saga destrói a ilusão, mas os mortos reaparecem. Sabendo agora a origem das ilusões, Saga lança um golpe em direção a sexta Casa Zodiacal, mas Shaka se defende com seu "Kahn", sem sofrer um único arranhão e revida com a “Rendição Divina”.

O ataque de Shaka destrói parcialmente a Casa de Câncer, e os cosmos dos três antigos cavaleiros desaparecem. Na Casa de Virgem, os espectros se deparam com Shaka, envolto em uma redoma de energia. Shaka lhes mostra um rosário de cento e oito contas e explica que o número de contas em seu rosário é o mesmo número de Espectros que servem à Hades.

Shaka mostra que das 108 contas, onze já haviam escurecido, ou seja, que onze espectros já haviam sido derrotados. Shaka então ataca os Espectros com a “Invocação dos Espíritos Malignos”, porém tem sua técnica contida por um espectro. Esse espectro e mais dois atacam o Cavaleiro de Virgem, mas este revida, quebra suas sobrepelizes e revela que eles são Saga, Camus e Shura.

Giganto de Ciclope e os outros espectros tentam avançar, mas Saga os impede e adverte que encontrarão a morte ao se confrontarem com Shaka. O Cavaleiro de Virgem ao perguntar sobre as intenções dos três e descobrir que pretendiam matar Atena, sorri e deixa-os passar. Os três seguem em frente, e os demais espectros tentam, mas são todos mortos pela “Rendição Divina” de Shaka.

Shaka: Como vão?

Saga (confuso): Shaka o que está fazendo batendo papo conosco?

Shaka (de cenho franzido): Esqueci que vocês não estiveram aqui por um bom tempo. Deixe-me explicar. (conta sobre os eventos em Asgard) E é isso.

Shura (descrente): Nós protegiámos uma vaca mimada o tempo todo?

Shaka: Infelizmente meus amigos. Agora nós estamos sob o comando de Artémis que é cem vezes mais competente do que ela. Eu já despertei o meu oitavo sentido graças ao treinamento dela.

Camus: Hades não sabia disso.

Artémis: Previsível. Ele não sabe sobre Demigra ainda. (os cavaleiros de ouro renegados arregalam os olhos ao vê-la surgindo do nada) Mas agora vocês tem duas escolhas. Podem continuar servindo Hades ou... (vê os três se curvarem a ela) Isso não é necessário. Ao contrário da mulher que eu tenho o desprazer de ser irmã eu não exijo, ser adorada.

Enquanto isso:

Radamanthys de Wyvern foi mandado de volta a Terra para coordenar a invasão dos espectros ao Santuário de Atena agora de Artémis embora fosse desconhecido, para as forças de Hades. Inicialmente sua missão era a de esperar doze horas e, caso os cavaleiros ressuscitados falhassem em matar Atena, seguir ao Santuário e terminar a tarefa. Ele duvida da capacidade dos renegados e pede a permissão de Pandora para ir ao Santuário.

Ela recusou, dizendo que se deixassem como estava, em doze horas teriam a cabeça de Atena sem perder nenhum espectro. Mas Radamanthys não se convence e manda Zelos de Sapo enviar uma dezena de estrelas terrestres ao Santuário. Zelos o avisa sobre a fúria de Pandora, mas Radamanthys lhe diz que o mais importante é matar logo Atena.

Após descobrir que todos os dezessete espectros morreram pelas mãos de cavaleiros, Pandora se enfurece e quase mata Radamanthys, mas acaba perdoando-o e resolve lhe dar mais uma chance. Nesse momento Radamanthys acaba de encontrar Seiya (agora com a Armadura de Pégaso fundida ao Robe de Odin) derrotando alguns espectros com um único balanço, de sua espada. Ele surgiu atrás do Cavaleiro de Pégaso.

Radamanthys (friamente): Você deveria tomar cuidado com a retaguarda Pégaso. (ruge) Rugido de Wyvern!

Radamanthys rugiu ferozmente, agindo como um canhão sonoro (embora muito mais alto). O golpe é tão poderoso que causava impactos físicos ao seu redor. Porém antes que o ataque atingisse o jovem cavaleiro este sorriu e disse:

"Eu não preciso tomar cuidado. Sei que meu aliado está aqui para defendê-la."

Um jovem de cabelos espetados e dourados surgiu entre os dois e rugiu:

"Rugido de Wyvern!"

Para o espanto do espectro de Hades o seu ataque é copiado e usado para bloquear seu próprio rugido. Radamanthys olhou para o jovem a sua frente.

Seiya: Obrigado pela ajuda Ash.

Ash SSJ: Não há de que.

Radamanthys (de cenho franzido): Quem é você?

Ash SSJ: Ash Ketchum Marvell. Eu diria que é um prazer conhecê-lo... mas seria mentira. (saca Galatine e Seiya fica ao lado dele com a espada em riste)

Inferno:

Orphée de Lira é o Cavaleiro de Prata de Lira e um Cavaleiro Lendário do século XX, que havia desaparecido há tempos e cuja força acredita-se superar a dos Cavaleiros de Ouro. Era um hábil tocador de Lira. Ele foi para o Mundo dos Mortos para buscar sua amada Eurídice, mas Pandora gostou tanto do som de sua Lira que acabou transformando Eurídice em metade pedra para detê-los no Inferno.

A partir disso, Orphée decide permanecer por vontade própria ao lado de sua amada no Mundo dos Mortos. Mas como isso ocorreu? Vou explicar.

Certo dia, Eurídice, o amor de Orphée foi mordida por uma cobra e acabou morrendo. A fim de ter sua amada de volta Orphée foi até o Inferno e com sua triste melodia, convenceu Hades a lhe devolver Eurídice. Entretanto, o Imperador do Mundo dos Mortos deixou bem claro a Orphée que durante sua trajetória rumo à saída do Inferno, o mesmo não podia olhar para trás uma vez sequer, porque se ele olhasse para trás, seu desejo nunca mais se realizaria.

Pandora não aceitou tal atitude e com intuito de fazer Orphée ficar no inferno, achando que Hades apreciaria ouvir o som de sua Lira mais vezes, tramou um plano junto com o espectro Faraó de Esfinge para manter Orphée no Inferno tocando sua Lira para Hades. Ao ver uma luz, que Orphée acreditou ser a luz do sol, o Cavaleiro de Lira, acreditando que finalmente chegaram à saída do Inferno, cometeu o trágico erro de olhar para trás e com isso, o corpo de Eurídice foi transformado em pedra, impedindo-a de voltar à Terra. Orphée então decidiu ficar no Inferno ao lado de sua amada, tocando sua Lira para ela e mantendo sua promessa.

Orphée não era leal a Atena como seria de se esperar mas sim ao deus Apolo. Ele foi abençoado pelo deus do sol e da música com o dom de tocar aquelas belas melodias. De repente ele sentiu uma poderosa presença se aproximar dele e se surpreendeu ao ver uam jovem de cabelos longos cor de rosa, asas de dragão brancas, presas e garras se aproximando.

Orphée: Quem é você? (fica na frente de Eurídice)

Wendy DF: Sou Wendy Ketchum Marvell. (sorri) Eu quero fazer uma proposta a você Orphée-san.

Earth Land:

Ruas de Magnólia:

Kazehana: Isso não é justo Mavis-oneechan. (as duas estão caminhando pela cidade com Sylveon ao lado delas) Por culpa desse bobão chamado Wa-... zod, Wa-... tod... (tentando dizer o nome dele)

Mavis: Warrod.

Kazehana: Isso mesmo. Por causa dele o Ichigo-oniichan está longe da gente! E eu tenho certeza que tem mais alguém envolvido nisso!

Mavis: Eu também. (pensando) Se aqueles bakas tivessem feito o Ichigo-kun ser preso teriam se gabado disso.

Kazehana: Ele deveria estar naquela prisão que mandaram o oniichan! Por quê ao invés disso ele pode ficar andando por aí? Onde está a justiça?

Mavis: Porque a vida não é justa Kazehana-chan. (de repente ela cai de joelhos agarrando o braço direito gritando de dor) Aaaarrrggghhhh!

Kazehana (desesperada): Mavis-oneechan! (Mavis está chorando de dor enquanto as pessoas olham para ela assustadas)

Sylveon (envolvendo suas "fitas" na loira): Syl, veon? (preocupada)

Mavis: Tudo bem. (ainda sentindo a "dor fantasma") Eu... (leva a mão ao seu olho esquerdo e recomeça a gritar)

Kazehana (desesperada): Alguém a ajude! (de repente dois homens se aproximaram delas) Ei senhores! Me ajudem a... (se surpreende quando o que se parecia com uma árvore dá um soco em seu estômago fazendo-a cair no chão gemendo de dor) Por que fez isso? (sem ela e Mavis perceberem uma ilusão se forma sobre elas)

Mavis (ainda gemendo e arregala os olhos): Warrod? O que está fazendo aqui?

Warrod: Pegando o que me pertence. (pega Kazehana pela gola da camisa dela e em seguida coloca um tipo de "coleira" roxa no pescoço dela)

Mavis: O que está fazendo com ela? (se levanta) A solte! (Wolfhein a derruba no chão de novo e pisa no estômago dela enquanto nocauteia Sylveon)

Kazehana: Não machuque a oneechan! (de repente a coleira brilha e ela começa a ser eletrocutada com relâmpagos vermelhos deixando-a inconsciente)

Mavis: Por que está fazendo isso Warrod?

Warrod (bufando): Você é uma ingênua Mavis. (dá uma risada maligna) Não é a toa o seu namorado também é um. Eu ainda não acredito no quão fácil foi para convencer aquele ingênuo a ser um mago santo, e distraí-lo. Eu queria... não melhor dizendo... ainda quero o poder! Mesmo com todo o meu poder político eu percebi recentemente que os meus poderes estão, diminuindo lentamente.

Mavis: E o que isso tem haver com Ichigo e Kazehana?

Warrod: Os pais deles são poderosos então logicamente as crias serão mais poderosas ainda. Meu mestre arrumou um meio de levar o garoto para Ishgar para avaliarmos, os poderes dele.

Mavis: E Kazehana? (pensa) Então ele tem um mestre? Quem será?

Warrod: Eu e os meus colegas precisamos de descendentes não precisamos?

Mavis (furiosa): Vocês vão estuprar uma menina inocente?

Wolfhein: Não somos pedófilos. Primeiro vamos colocar ela numa máquina para envelhecer ela até a idade de dezoito anos que coincidentemente é a idade que os Dragon Slayers amadurecem. (sorri) Daí sim iremos estupra-la.

Warrod: Já estamos de saída. E antes que eu me esqueça Mavis-chan... (com sarcasmo) Fui eu que matei o paspalho do Yury. (Mavis arregala os olhos com lágrimas escorrendo) Iámos fazer isso com o pirralho dele também mas Purehito o deixou vivo e ensinou-lhe magia, para se livrar da divída que tinha com Yury. (joga Kazehana inconsciente sobre os seus ombros) Bem se isso é tudo... (ele e Wolfheim se preparam para ir embora deixando Mavis chorando no chão)

Porém nesse momento a ilusão se desfez e um círculo de chamas os cercou deixando-os confusos. Do meio das chamas surgiu Natsu Dragneel com uma expressão aterrorizante fazendo-os mijarem nas calças (principalmente Warrod).

Natsu: Onde vocês pensam que vão com a minha sobrinha?

Wolfheim (tremendo de medo): Como você descobriu que estávamos aqui?

Natsu: Eu acho que vocês se consideram tão inteligentes que se esqueceram o quanto essa cidade ama, a nossa guilda. Quando eles ouviram que um de nós estava gritando de dor aparentemente sem razão ele correram até os magos, mais próximos. Que coincidentemente foram eu e Erza. (a ruiva sai das chamas usando sua armadura de Imperatriz das Chamas)

Erza (irritada): Eu espero que vocês estejam satisfeitos por terem me feito perder a promoção, de bolo de morango. (ordenando) Me entreguem a minha afilhada.

Natsu (piscando): Afilhada?

Erza: Eu perguntei a Wendy se eu podia ser a madrinha de Kazehana. (cora um pouco) Lisanna é a de Haru. Bem é que você, Yukino e Zeref já são os tios e tia dela... (brincando com os dedos)

Natsu: Certo... (eles ficam sérios novamente) De qualquer forma coloquem a minha sobrinha no chão e talvez, eu não os transforme em cinzas.

Warrod: Ok. (coloca a menina no chão) Vê? Estou colaborando!

Mavis para de chorar e rapidamente pega Kazehana e Sylveon os levando para perto de Natsu e Erza. A ruiva arranca cuidadosamente a coleira no pescoço de Kazehana. Mavis então olhos com ódio para Warrod e Wolfheim que começaram a suar.

Erza: Você decide o que faremos com eles Primeira.

Mavis: Algum de vocês dois tem uma Lacrima Câmera?

Erza (reequipa uma): Nunca saio de casa sem ela.

Natsu: Eu vou querer saber o porquê?

Erza (cora): Não.

Mavis: Foco na situação. Erza você vai gravar a confissão deles.

Warrod (confiante): E como você tem tanta certeza de que iremos repetir isso Loira Burra?

Mavis (friamente): Eu posso ter sido uma ingênua Warrod. (junta as mãos) Mas não sou e nunca fui uma "Loira Burra". (ocorre um brilho) Fairy Judgment (Julgamento das Fadas)!

De repente representações dos três juízes do submundo da mitologia grega Radamanthys, Minos e Aiacos surgiram. Todos eles usavam armaduras roxas e tinham olhares frios em seus rostos. Warrod e Wolfheim ficaram pálidos.

O julgamento se iniciou aquela magia de Mavis era usada contra traidores, estupradores e pedófilos. O julgamento se iniciou e perguntas foram feitas pelos juízes aos dois que não podiam mentir por causa da magia. Para a revolta de todos os presentes (incluindo os moradores de Magnólia) os dois admitiram ter estuprado várias jovens, o assassinato de magos inocentes incluindo o de Yury, auxiliar a Grimoire Heart no ataque a Fairy Tail, a destruição da vila onde Erza e os seus amigos moravam, a prisão de Rob, a de Ichigo e o auxílio no sequestro do rei Toma.

Felizmente Kazehana ainda estava inconsciente enquanto isso ocorria assim sua inocência, ficou intacta. A sentença não poderia ter sido outra. Os cinco foram declarados culpados e senteciados a tortura eterna nos campos de punição.

Eles seriam castrados, torturados e dados como prostitutos a homens monstro. Todos na rua aplaudiram de pé a sentença deles e então os juízes os agarraram e desapareceram com eles, os levando para o submundo. Mavis caiu nos braços de Natsu cansada afinal convocar os juízes do submundo arrancava muita magia.

Erza sorriu enquanto guardava a câmera tendo gravado tudo. Em cima de um prédio uma menina de cabelos castanhos claros ostenta um vestido laranja curto com um pescoço halter e rendas usado sobre calças escuras. Em seus braços, Zera veste luvas longas que envolvem pouco abaixo dos ombros e alargam-se em punhos grandes, bordados.

Em seus pés, ela usa, botas marrons longas com arcos escuros. Ela assistia tudo sorrindo enquanto olhava para Mavis. Ela sussurou:

"Estou tão feliz que você se livrou desses bastardo Mavis-chan."


Notas Finais


(Autor: Antes que vocês reclamem que o Ash copiou a técnica do Radamanthys se lembrem que o Goku aprendeu o Kame Hame Ha, olhando o mestre Kame fazer. E o Regulus o Cavaleiro de Leão de Saint Seiya Lost Canvas copiou o ataque só de olhar como o Ash fez.)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...