História Guardiões da Terra - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Areia de Ferro (Satetsu), Asuma Sarutobi, Chiyo, Chouji Akimichi, Choumei, Darui, Deidara, , Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Gyuuki, Haku, Han, Hana Inuzuka, Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Hidan, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Hizashi Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ibiki Morino, Inari, Indra Otsutsuki, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Iruka Umino, Isobu, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Jiraiya, Juugo, Kabuto, Kaguya Ootsutsuki, Kakashi Hatake, Kakuzu, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kidoumaru, Killer Bee, Kisame Hoshigaki, Kokuou, Konan, Konohamaru, Kurama (Kyuubi), Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Maito Gai, Manda, Matatabi, Mebuki Haruno, Mei, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Mito Uzumaki, Moegi, Morino Idate, Muta Aburame, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Oonoki, Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rikudou Sennin, Rock Lee, Roshi, Sai, Saiken, Sakon & Ukon, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shion, Shisui Uchiha, Shizuka, Shizune, Son Gokuu, Suigetsu Hozuki, Tayuya, Temari, TenTen Mitsashi, Tobirama Senju, Tsume Inuzuka, Tsunade Senju, Udon, Yahiko, Yakumo Kurama, Yamato, Yondaime Kazekage, Yugao Uzuki, Yugito Nii, Zabuza Momochi, Zetsu
Tags Destino, Esperança, Proteção, Salvação
Visualizações 24
Palavras 2.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Os bijuus ficam...

Ashura e Vishnu ficam surpresos, quando...

Capítulo 12 - O treinamento de Yukihana


Fanfic / Fanfiction Guardiões da Terra - Capítulo 12 - O treinamento de Yukihana

Ela se concentra e surgem as contas com os bijuus de dentro dela e após se espalharem, flutuando no ar, brilham, tomando a forma dos bijuus, cada um de uma conta.

Eles abrem os olhos, ficando animados ao estarem fora das contas, para depois Hagoromo entrar, dentro da proteção, já que esta permitia a sua entrada.

- Tou-chan!

Todos os bijuus exclamam em uníssono, emocionados, enquanto correm até ele que os afaga paternalmente na cabeça, sendo que Yukihana também os afaga.

- Como estão, meus filhos?

- Bem. – eles falam em usino.

Então, após alguns minutos, Kurama exclama indignada para Shukaku, pois, a cauda enorme dela quando abanava se chocava contra ela, pois, era a maior cauda de todos os bijuus:

- Olhe onde coloca a sua cauda!

- A cauda é minha e eu faço o que quiser, orelhuda. – Sukaku fala virando o focinho.

- Quem você chamou de orelhuda, sua guaxinim fedida? – Kurama pergunta dentre rosnados.

- Olha quem fala raposa sarnenta. – ela fala estreitando os olhos.

Então, todos ficam com uma gota, quando Kurama é enterrada pela areia que Shukaku liberou, deixando apenas as pontas das caudas de Kurama de fora, que sai indignada debaixo da areia para depois chicotear Shukaku com as suas caudas, até que Yukihana usa correntes de gelo, detendo as caudas sobre o olhar de indignação de Kurama que fala chorosa, apontando com a pata para a sua irmã mais nova, enquanto as correntes desapareciam:

- Foi ela que começou.

- Foi você que começou – Shukaku vai até Rikudou e aponta a pata para Kurama – Tou-chan, a Kurama implicou comigo.

- Olha quem fala! Quem é que fica colocando a cauda imensa em cima dos outros? – Kurama se aproxima e fala, apontando a pata para Shukaku – Tou-chan, ela fica provocando os outros com a sua cauda.

Hagoromo revira os olhos e suspira, assim como Yukihana, sendo que Rikudou fala pacientemente:

- Shukaku-chan, tome cuidado com a sua cauda. Kurama-chan, você deve ser mais calma.

- Mas, tou-chan... – elas falam em usino, até que ficam cabisbaixas ao ver que o pai delas não cederia.

Após alguns minutos, ele afaga paternalmente a cabeça de ambas, perguntando com um sorriso gentil no rosto:

- Vocês poderiam tentar se dar bem pelo tou-chan?

As duas bijuus se entreolham e depois olham para Hagoromo, falando em usino com um enorme sorriso, enquanto abanavam as caudas:

- Sim, tou-chan.

- Obrigado.

Ocorrem algumas outras discussões ocasionais que são aplacadas, sendo algo normal, com as bijuus adorando ter a companhia do pai, até que o mesmo se despede, pois, precisava voltar para a casa dele e após os bijuus chorarem, pelo genitor não poder ficar com eles, Yukihana trata de dar carinho e de brincar com os bijuus, para parar o choro deles, sendo que com o passar dos minutos, eles passam a brincar entre si.

Com o dia prestes a raiar, eles voltam a entrar nas contas, que por sua vez, são absorvidas por Yukihana para mantê-los a salvo.

Alguns dias depois, Ashura e Vishnu participavam da sessão de treinamento de Yukihana e naquele momento, ambos estavam de pé em cima de um tronco com um balde de água na cabeça, imitando os movimentos de Yukihana que estava na frente deles, sendo que a água no balde dela não se mexia. No de Vishnu tremia um pouco, mas o de Ashura, já havia sido esvaziado algumas vezes quando ele derrubou a água, acabando por tomar um banho.

Naquele instante, a água se mexia bastante, mas, não caia mais, após algum tempo.

- Isso mesmo, Ashura-kun. Você está aprendendo a não fazer movimentos desnecessários. Isso poupará chakra e vitalidade.

- Obrigado, nee-chan.

Ashura se lembrava do treinamento, sendo que antes havia treinado a respiração e depois passaram para o treino com balde, sendo que na parte da tarde, eles iriam treinar corrida com peso nas costas, no caso, seguindo os movimentos de Yukihana, alterando com escaladas, sendo que anunciou que após evitarem movimentos desnecessários, treinariam controle de chakra. Eles também meditavam no fim da tarde e Ashura queria saber como ela conseguia saber quando ele se concentrava ou não. Ela o repreendia quando não esvaziava a mente.

O jovem confessava que sentia que estava melhorando cada vez mais, algo que o deixou animado, enquanto que Vishnu e Yukihana o animavam, com o mesmo conseguindo perceber uma melhora imensa em suas habilidades.

Na vila, mais precisamente no doujo usado para treino, Indra pergunta respeitosamente ao seu pai, após mais uma sessão de luta:

- Yukihana onee-san, continua treinando o Ashura e a Vishnu?

- Sim e eles estão tendo uma grande melhoria. Sua irmã não treina qualquer um, sendo que o treino dela é bem exigente e peculiar.

- Conhecendo o Ashura, ele deve estar se esquivando dos treinos. Não entendo de onde ela consegue paciência para treiná-lo. Somos irmãos, mas, ele não honra o sangue do senhor. Se bem, que todos nós acreditamos que Yukihana somente treina aqueles com dificuldades tentando melhora-los de alguma forma. Muitos consideram vergonhoso ter que recorrer a ela e por isso não recorre a ela, pois, isso evidencia o fato de que não conseguem seguir o treinamento dos demais e por isso, precisam de um treinamento especial. Não entendo porque Vishnu foi com ele. Ao contrário de Ashura, ela conseguiu seguir o treino que usamos.

- Há outras formas de honrar, Indra. O treinamento dela, na verdade, é mais exigente do que o que usualmente treinamos. Este Hagoromo poderia dizer que é um treinamento acima do que fazemos e que ela não treina qualquer um. Ela escolhe a dedo quem treina. Além disso, a sua irmã é exige exigente e é um treinamento diversificado, por assim dizer. Além disso, saiba que este Hagoromo não sente qualquer desonra em relação à Ashura. Ele me honra de muitas outras formas. – Hagoromo fala seriamente.

- Bem, se o senhor diz, otou-san. Quanto ao treinamento dela, este Indra não consegue ver como seria melhor do que os treinos que fazemos.

Ele fala descrente, não conseguindo compreender de que forma Ashura o honrava.

Afinal, ele era péssimo no uso e controle de chakra, além de não conseguir lutar direito. Ou seja, ao ver de Indra, Ashura desonrava o sobrenome deles de muitas formas.

Alguns dias depois, com Ashura conseguindo fazer movimentos sem agitar a água no balde, era o treino de escalar o tronco de uma árvore sem usar cordas e as mãos. Iriam escalar, apenas usando o chakra, com ela fazendo uma demonstração.

- Incrível! Não sabia que podíamos fazer isso. – Ashura comenta animado.

- Podemos. Lembre-se, que para subir, é preciso manter estável a quantidade de chakra que é liberado. Se liberar pouco chakra irá cair. Se liberar muito, irá danificar o tronco. O equilíbrio é fundamental e esta Yukihana percebeu, assim como o nosso tou-chan, que o pé é o local mais difícil para controlar o chakra. Vocês devem se concentrar e depois, começarem a andar. Usem as kunais de pedras afiadas que ensinei você a fazerem para marcarem o tronco, após conseguirem subir, para que tentem superar a altura anterior.

Ashura e Vishnu se concentram, sendo que Ashura consegue subir até a metade, até que libera muito chakra, rachando o tronco e ao perceber isso, tenta usar menos chakra, mas, reduz demasiadamente e acabando caindo.

Já, Vishnu, consegue subir até o galho e senta no mesmo, sorrindo.

O irmão olha para ela e fica feliz do fundo do seu coração, exclamando:

- Você foi incrível!

- Obrigada, Ashura nii-chan. – ela agradece sorrindo.

- Você subiu uma altura muito boa, Ashura. Só precisa se concentrar mais. Esta Yukihana sentiu que você quebrou a concentração e acabou liberando mais chakra do que o necessário e depois, quando tentou diminuir o seu chakra, reduziu demais e acabou caindo. Considerando que o pé é um local difícil para controlar o chakra, você deve ficar satisfeito de ter conseguido subir, chegando próximo da copa da árvore.

- Eu vou continuar. Vou conseguir, com certeza! – Ashura exclama determinado.

- Fico feliz em ouvir isso.

- Com certeza você vai conseguir, onii-chan! – Vishnu exclama, animada, o fazendo sorrir.

Nisso, sorrindo confiante, ele começa novamente e acaba caindo, próximo da copa, enquanto que a irmã descia e começava a subida de novo para treinar.

Após algumas quedas, com Yukihana curando qualquer ferimento ao usar o seu chakra senjutsu, Ashura consegue subir na árvore e comemora. Mais tarde, eles meditam e depois voltam para casa.

No dia seguinte, após os treinos matinais, ela explica sobre andar na água, falando:

- Vocês devem se lembrar de que controlar o chakra em uma superfície rígida é uma coisa. Na água é mais difícil exercer o controle para não afundar, sendo que concentrar chakra nos pés é mais difícil, assim como controlar o fluxo. Portanto, será um treino excelente para o controle e domínio do chakra e exigirá mais do que o do tronco.

- Yukihana nee-chan sabe tanto sobre chakra... Muito mais do que Indra. Nunca imaginei que houvesse essas aplicações. – Vishnu comenta surpresa.

- Este Ashura também está surpreso. Yukihana onee-chan, possuí um conhecimento profundo do chakra. Não entendo porque não ensina aos demais.

- Se esta Yukihana ensinasse aos demais o que estou ensinando a vocês, eles poderiam tentar subir em troncos por si mesmos e bem, a queda poderia ser fatal. Ou então, tentariam atravessar um rio de correnteza forte, acabando por cair no mesmo e morrer. O certo seria que apenas pessoas preparadas aprendessem sobre isso. Mas, o que esta Yukihana vê no doujo são pessoas fascinadas pelo chakra, tentando praticá-los sozinhas. Há o fascínio que pode levar a imprudência. Até porque, eles aprenderam sobre chakra há alguns anos atras. O conhecimento que estou passando a vocês é em decorrência de vocês não terem o fascínio como os outros em relação ao chakra. Portanto, não irão tratar tais técnicas com leviandade, como aconteceria com os outros, que abusaria delas de forma inconsequente. Já temos os óbitos ocasionais. Não pretendo aumentar absurdamente a taxa de óbitos. Além disso, subir em árvores e andar nas águas seria mais para uso de treinamento do controle de chakra, que é essencial para usar os selos.

- Tem lógica. – Vishnu consente.

- Sim. É melhor eles não souberem. Concordo que eles não estão preparados, ainda, para aprenderem tais técnicas. – Ashura comenta pensativo.

Vishnu consegue dominar rapidamente, mas, Ashura acaba caindo várias vezes, com as suas roupas secadas pelo chakra de Yukihana, enquanto ficava maravilhado ao ver que ela conseguia usar chakra para várias coisas, sem precisar fazer selos.

Para ajudar Ashura, Vishnu torcia por ele, animando-o.

Após algumas quedas, Ashura enfim consegue andar sobre a água, cruzando uma margem a outra, sendo que Yukihana leva ambos para um riacho com uma correnteza forte que exigia mais deles.

Vishnu conseguiu atravessar várias vezes, enquanto que Yukihana teve que salvar Ashura algumas vezes, até que ele consegue fazer a travessia, concordando que de fato, a forte correnteza exigia um exímio controle de chakra para lidar com as mudanças rápidas na água.

Então, após dominar andar na água, eles meditam e no dia seguinte, ocorre treino de selos, com Vishnu mostrando pacientemente o posicionamento correto dos dedos, além de Yukihana auxiliar com dicas.

Após semanas de treino, Ashura melhorou o seu uso de jutsus, sendo que em seguida, Yukihana se dividiu em dezenas de oponentes, deixando Ashura e Vishnu surpreendidos, sendo que ocorrem várias batalhas, com os clones dela dando dicas, enquanto lutavam, assim como corrigiam a postura e as técnicas.

Depois, Vishnu e Ashura treinavam usar clones que não eram simples cópias, tendo que dividir o chakra entre os seus clones. Ashura demorou mais para conseguir dominar essa técnica.

Quando ambos dominaram, Yukihana falou:

- Façam os clones treinarem selos. Se vocês notarem, o conhecimento adquirido pelos clones passa para vocês, assim que ele desaparece. Claro que não é somente a experiência. O cansaço também será passado a vocês. Portanto, usem com moderação e não exagerem. Se exagerem no número irão ficar esgotados por absorverem o cansaço de todos os seus clones.

Em uma tarde de treino, que foi reservada para descansarem, Ashura e Vishnu estavam deitados na grama, relaxando, sendo que o cachorro de Ashura, Shiro, cresceu e ficou maior do que qualquer outro cão ao ponto de poder montar nele. Foi um crescimento para muitos, assustador.

Já, Vishnu, estava com os seus gatos, os acarinhando, sendo que Ashura dividia a sua atenção entre acarinhar um gato e seu cachorro, sendo que ele e sua imouto estavam com as costas encostadas na barriga do cachorro.

Então, alguém se aproxima deles e fala:

- Ei, Ashura. Já faz algum tempo que não o vejo. Bom dia, Vishnu-sama.

- Pode me chamar só de Vishnu. – ela fala sorrindo – Imagino que seja Tenzou, um grande amigo de infância do meu irmão.

- Isso mesmo.

Ele fica surpreso, pois, Vishnu continuava gentil e boa, mesmo tendo os olhos de Indra, embora fossem completamente diferentes de Indra.

- Estava treinando com Yukihana nee-chan. Este Ashura e Vishnu-chan. Como você está?

- Bem. Eu tenho um pequeno favor para pedir a você.

- Vou ajuda-lo, onii-chan. – Vishnu fala sorrindo.


Notas Finais


Yo!

Quero agradecer aos comentários de: Isabel23 e RedDragonKing.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...