História Guerra Dimensional - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail, High School DxD, High School DxD New, Naruto
Personagens Acnologia, Akeno Himejima, Asia Argento, Carla (Charle), Chouji Akimichi, Deidara, Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Gajeel Redfox, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Hidan, Hinata Hyuuga, Igneel, Ino Yamanaka, Issei Hyoudou, Itachi Uchiha, Juvia Lockser, Kabuto, Kakashi Hatake, Kakuzu, Kankuro, Kiba Inuzuka, Killer Bee, Kisame Hoshigaki, Konan, Koneko Toujou, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Madara Uchiha, Maito Gai, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Metallicana, Mirajane Strauss, Nagato, Naruto Uzumaki, Natsu Dragneel, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rias Gremory, Rock Lee, Rogue Cheney, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Sting Eucliffe, Temari, TenTen Mitsashi, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Yuuto Kiba, Zeref, Zetsu
Tags Dxd, Fairy Tail, Highschool Dxd, Naruto
Exibições 15
Palavras 3.561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Ecchi, Harem, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - O terror continua




Após o jantar eu arrumo a cozinha junto da Rias, enquanto os outros foram fazer sua higiene. Quando eu termino nós subimos para o meu quarto e eu percebo que a Ray-chan está guardando as coisas dela, muito provavelmente ela vai mudar para o quarto dela. Antes que ela terminasse isso eu começo a falar com ela.

Ise: Pode parar com isso agora, você não precisa sair desse quarto.

Raynare: Mais vocês são namorados, então eu só vou atrapalhar agora.

Eu olho para a Rias, ela suspira entendendo o que eu queria dizer, volto minha atenção a Ray-chan e continuo a falar.

Ise: É um bom momento para anunciar isso, mais eu preciso que você traga a Akeno-san aqui também.

Raynare: Vou ir chamar ela então.

Ela sai do quarto, eu me sento na cama, e a Rias senta entre as minhas pernas, com a cabeça encostada no meu peito. Depois de um tempo as duas morenas entram no quarto, eu peço para elas sentarem em algum lugar já que eu tenho algo sério para falar. Cada uma puxa uma cadeira e senta me encarando.

Ise: A Rias já sabe dessa decisão que eu tomei, então vocês duas também precisam saber.

Akeno: Então fala de uma vez Ise-kun.

Ise: Vocês duas também já se confessaram para mim, então para tentar manter todas felizes eu vou ter um harém.

A Akeno-san fica um pouco surpresa, enquanto a Ray-chan começa a analisar a informação.

Raynare: Como um dragão é justo que você tenha várias mulheres. Eu sempre ouvi o Azazel-sama falar que dragões viviam cometendo a poligamia.

Ise: Então está mais do que decidido, eu vou ter um harém

As duas saem das cadeiras, cada uma vem até mim por um lado e agarram meus braços. A Akeno-san chora de felicidade enquanto a Ray-chan exibe um sorriso muito brilhante.

Akeno/Raynare: Eu te amo Ise-kun.

Ise: Eu amo a Rias, não vou esconder isso de ninguém, mais com o tempo eu vou aprender a gostar de vocês também.

Hoje minha cama ficou um pouco mais lotada já que a Akeno-san falou que queria dormir aqui essa noite. Nós começamos a conversar um pouco para distrair até chegar no assunto Ravel.

Ise: Como os outros receberam a Ravel?

Akeko: Todos parecem ter gostado da Ravel-chan, menos a Koneko-chan, mais deve ser por causa que as duas devem ter a mesma idade, e pássaros e gatos não se dão bem.

Todos riem um pouco dessa última parte. Agora que eu me toquei, uma nekomata e uma phoenix, isso vai ser engraçado de assistir.

Como eu pensei, quando eu estava tomando o café da manhã no outro dia lá estavam a Koneko-chan e a Ravel brigando. A Koneko-chan continuava sentando no meu colo, o que fez aquelas que ainda não sabiam da história do harém estranharem um pouco.

Koneko: Mesmo o Ise-senpai namorando a buchou eu não vou sair desse colo. É o único lugar que eu encontro paz e também foi demarcado como parte do meu território.

Eu começo a rir dessa fala, mais já entendi o recado que ela quer passar. O clima na hora estava muito bom até a Rias lembrar de algo, ficar com o rosto bem sombrio e falar.

Rias: Quando o Ise me salvou do Riser ele acabou enlouquecendo, e usando uma outra transformação e seu tem...

Antes dela continuar eu coloquei um dedo sobre a boca dela para ela parar. Já que isso diz respeito a meu tempo de vida então eu devo contar.

Ise: Eu não sei muito o porque mais eu acabei ativando o Juggernaut Drive, que me dá poderes que ultrapassam o nível de um Maou, mais como efeito colateral reduziu bastante minha expectativa de vida. Eu posso acabar morrendo daqui a 100 anos.

Todos ficam chocados ao ouvir isso, e algumas chegam até a chorar. Eu sei que é estranho um jovem falar que vai morrer com 100 anos, mais os demônios tem por volta de 10.000 anos de vida. Então sobrou poucos anos da minha vida real. Eu vejo a Koneko-chan chorando bem baixinho no meu colo, o que me surpreende já que ela não demonstra nem um traço da suas emoções. A Rias e a Ravel são as mais tristes. Uma porque se culpa pelo ocorrido e a segunda porque foi o irmão dela que me forçou a fazer isso.

Após essa rápida refeição nós vamos para a guilda, e chegando lá cumprimentamos todo mundo. A Rias andava ao meu lado, sempre grudada no meu braço, o que surpreendeu muitos que estavam no local, principalmente porque eles imaginavam que eu iria namorar a Ray-chan. Eu vou até o balcão para fazer um pedido com ela vindo junto comigo.

Rias: Bom dia Mira.

Mirajane: Bom dia Rias.

Eu reparei que o ódio que ela tinha no outro dia sumiu completamente. Quer dizer que ela estava com ciúmes da Mira-san?

Ise: Eu gostaria de um copo de cerveja Mira-san. E você Ria-tan?

Rias: Mou, até você Ise.

Eu começo a rir um pouco e logo dou a minha explicação.

Ise: Eu não ouvi o que você falou com o Sirzechs-sama, mais quando ele te chamou assim eu consegui ouvir, e como eu achei um nome fofo eu resolvi pegar emprestado.

Ela me encara um pouco brava, mais logo dá o braço a torcer.

Ise: O que vai querer amor?

Rias: Eu gostaria de um bolo, não precisa se importar com o sabor.

Mirajane: Eu já trago o pedido dos dois.

Eu sento em um banco próximo ao balcão, ela sentando ao meu lado, e nós observamos a zona que está a guilda. Bem, eu acabei me acostumando com essa bagunça. Dessa vez até o Vali entrou na briga. Gray, Natsu e Gajeel conseguiram arrastar até o meu rival nessa confusão. Estava tudo indo bem até alguém arremessar algo na direção da Erza-san, que levantou furiosa e começa a bater nos garotos. A maioria foi nocauteado com um soco só. Natsu e Gray começaram a tremer ao ver a Scarlet-sama bater nos outros. Gajeel só saiu como se não fosse nada com ele e o Vali tinha seu sorriso debochado no rosto.

Erza: Quem foi que jogou aquilo em mim?

Vali: O que vai acontecer se eu falar que foi eu?

Erza: Você vai preferir não ter nascido.

Vali: Você faz ideia de com quem está falando?

Erza: Você pode ser importante na sua casa, mais aqui a história é outra.

A Erza-san pegou Natsu e Gray, jogando os dois em direção ao chão. O Vali viu que tinha feito besteira ao provocar ela, começando a tremer, mais não adiantou muito porque a Erza-san pegou ele pelo pescoço, e arremessou ele na parede, abrindo um buraco na mesma. Ela então encara os bagunceiros e pergunta quem iria concertar o buraco, e todos se prontificam em concertar o local. A Erza-san é assustadora quando quer, mesmo sendo uma beldade.

Nosso pedido chegou, e nós vamos em direção a mesa que a Lucy e a Ray-chan estão. Nos juntamos as duas e eu começo a beber minha cerveja enquanto a Rias se deleita no bolo dela, que aparenta ser de chocolate.

Rias: Deixa eu tomar um pouquinho Ise?

Ise: Então eu quero provar seu bolo também.

Ela me dá uma colherada na minha boca, e eu deixo ela tomar um gole. Para falar a verdade o bolo é muito bom.

A Lucy a todo momento me encarava e depois olhava para a Ray-chan, que tinha um sorriso no rosto.

Lucy: É estranho você estar sorrindo Raynare, já que o homem que você ama está com outra bem ao seu lado.

Raynare: Não tem problema já que o Ise-kun vai ter um harém, então eu ainda posso ter ele para mim.

O Natsu acaba de se juntar conosco depois da surra que tomou da Erza-san, e logo faz uma pergunta.

Natsu: Como assim harém, que eu saiba os dragões tem uma espécie de ligação verdadeira onde só podem ter uma parceira a vida toda.

Raynare: Na nossa dimensão dragões tem várias mulheres.

Ise: Por falar em mulher, já encontrou sua companheira Natsu?

Ela olha um pouco para a loira sentada na mesa, e desviando o olhar um pouco responde.

Natsu: Ainda não.

Ao ouvir isso eu juro que vi a Lucy suspirar. Eu não vou me intrometer nisso, acho melhor eles resolverem isso sozinhos. Por causa de toda a confusão no Submundo nós tivemos o dia sem treino hoje. De repente a Ophis aparece na nossa mesa e me pede para seguir ela até lá fora. Eu acompanho ela até a parte de trás da guilda.

Ise: O que aconteceu Ophis?

Ophis: O Azazel entrou em contato comigo e eu perguntei sobre os seus pais.

Ise: E então?

Ophis: Parece que eles foram atacados de novo, mais o pessoal de Grigori conseguiu proreger eles.

Ise: Já era para eu ter feito isso antes mais acabei esquecendo. Você pode me levar para lá de novo?

Ophis: Sim, mais para que?

Ise: Eu vou trazer eles para cá, assim fica mais fácil de proteger.

Ela ativa o círculo mágico e no instante seguinte nós aparecemos na sala do Clube de Ocultismo. De lá nós vamos até a minha casa, a esse horário eles já devem ter chegado do trabalho. Eu entro em casa e encontro os dois na sala assistindo TV. Eles ficam surpresos ao me ver.

Pai: Por onde você andou Ise?

Ise: Depois eu explico, mais agora eu preciso que vocês façam as malas, eu vou levar vocês para morar comigo.

Mãe: O que aconteceu para você aparecer e falar isso tão de repente?

Ise: Eu ouvi que vocês foram atacados de novo, então eu vou levar vocês para um local seguro.

Os dois se levantam do sofá e vão arrumar as coisas que eles pretendem levar. Eles gastam por volta de meia hora para preparar a mala, e quando eles terminam descem até o primeiro para partirmos. A Ophis aparece nesse instante para me levar embora. Um segundo depois já estávamos na entrada da guilda, eu entro nela só para avisar a Rias que eu estou indo para casa. Eu levo meus pais até a casa que eu aluguei, e ao chegar nela eles escolhem um dos quartos do último andar.

Depois de se acomodarem eles me perguntam o que estava acontecendo, e eu passo uma hora explicando tudo desde quando eu despertei minha Sacred Gear até os últimos acontecimentos. Eu consigo ver no rosto deles que eles estão assustados com o filho que tem, mais antes deles falarem algo eu faço uma pergunta.

Ise: Depois de tudo isso que vocês ouviram, vocês ainda me aceitam como filho?

Pai: Não me importa se você é um demônio que possuí um dragão dentro do corpo, você continua sendo nosso filho.

Mãe: Você é nosso filho bonito não importa o que você seja.

Eu começo a chorar ao ver que eles me aceitam do jeito que eu sou.

Ise: Obrigado.

No momento seguinte eu escuto o barulho da porta se abrindo e quando eu vejo quem entrou são todos os habitantes da casa. A Rias vem até o meu lado, se abraçando em mim e cumprimenta meus pais.

Rias: Oi Otou-sama, Okaa-sama.

Pai/Mãe: Olá Rias-san.

Rias: Eles já sabem de tudo?

Ise: Do principal.

Rias: Até que nós dois estamos namorando?

Ise: Ainda não tinha dado tempo já que primeiro eu expliquei tudo que aconteceu na minha vida.

Mãe: Então quer dizer que alguém está namorando nosso filho inútil?

Eu não respondo nada, e o restante do pessoal só ri da minha cara.

Mãe: Como você se virou sem a minha comida Ise?

Ise: Algumas meninas sabem cozinhar. Para falar a verdade até o Kiba sabe cozinhar, então não faltou comida em casa.

Pai: Sabendo como você é quantas delas serão minhas futuras noras?

Ise: Isso é pergunta que se faça para o próprio filho?

Ele não fala mais nada, se levanta e liga a TV. Minha mãe vai com as garotas para a cozinha conversar sobre culinária. Eu resolvo subir para o meu quarto um pouco, já que hoje eu devo comer a minha comida favorita. Após uma hora todos estão reunidos na mesa de jantar, e como eu imaginei, minha mãe fez bife acebolado com batata fritas.

Todos jantam enquanto conversam entre si. Minha mãe e a Irina começam a conversar sobre a minha infância, o que me deixa um pouco envergonhado. Ao término do jantar eu e a Rias arrumamos a bagunça dos pratos, mais ela parece um pouco triste.

Ise: O que foi Rias?

Rias: Eu também queria trazer meus pais para morar aqui.

Ise: No seu caso é impossível, já que seu pai é o líder da família, e para ele se aposentar você tem que assumir.

Rias: Eu sei, e por isso eu fico preocupada que alguém tente fazer algo contra eles.

Ise: Eu acho que eles conseguem se defender sozinhos. Eu já ouvi falar no apelido da sua mãe, e só de ouvir ele eu fiquei assustado. Por outro lado eu não sei nada sobre o seu pai, tirando o nome dele.

Rias: Espero que tudo se ajeite logo pois eu quero te apresentar para eles.

Eu só imagino como o Zeoticus vai agir quando eu for apresentado como namorado da princesinha dele.

No dia seguinte:

Eu estou no momento junto da Rias, Akeno-san, Asia, Irina, Rossweisse, Koneko-chan e Gasper e estamos fazendo uma missão pela cidade. Na verdade essa missão faz parte de uma aposta que eu fiz com o Natsu. Hoje quando eu cheguei na guilda eu encontrei ele se preparando para ir em uma missão junto da Lucy, Erza-san, Wendy e Gray e de repente alguém veio com a ideia de apostar quem conseguia concluir mais missões e arrecadar mais recompensas no dia de hoje. Como nosso grupo era maior a Rias resolveu ceder o Kiba, a Ray-chan e a Xenovia para o outro lado para ficar mais justo.

Nosso grupo resolveu se dividir em relação a dificuldade da missão. As missões mais fáceis ficaram nas mãos da Asia, Koneko-chan e Gasper. O restante do grupo ficou com as missões mais perigosas. Eu já fui em uma montanha atrás de uns morangos super raros, já corri atrás de bandidos, já escoltei um tesouro até um banco da cidade vizinha.

Agora estamos retornando ao nosso ponto de encontro para ver qual time ganhou. O perdedor vai ter que fazer tudo que o outro time quiser por um dia. O grupo do Natsu acaba de aparecer também, e eles exibem um sorriso no rosto.

Rias: Primeiro vamos ao número de missões. Nosso time realizou 10 missões no total.

A Erza-san fala pelo time deles.

Erza: Nosso time fez 8 missões, mais o que realmente vai determinar o vencedor é a recompensa total do dia. Nosso time conseguiu 400 mil jewels.

Ise: Como isso é possível, nosso time também conseguiu 400 mil jewels.

Kiba: Então precisa haver um desempate.

Rias: Cada time vai sortear um membro, e ele vai fazer mais uma missão. Aquele time que tiver a maior recompensa dessa vez vence.

Erza:Por mim tudo bem. Quem vai do nosso grupo?

Natsu: É claro que eu vou.

O Gray fica nervoso na hora e começa a gritar.

Gray: Quem você pensa que é esquentadinho, eu que vou dessa vez.

Natsu: Você não tem condições de acompanhar meu ritmo picolé.

Imediatamente os dois começam a se bater, não se importando com nada mais que acontece ao redor. Já no nosso time foi decidido bem rápido que eu iria. A Erza-san já irritada com a atitude deles dá um cascudo nos dois, que se acalmam.

No fim foi decidido que o Natsu seria meu adversário, então os dois grupos vão em direção a guilda. Quando avistamos a entrada da guilda percebemos que tinha três pessoas bem machucadas caídas na frente da mesma. Parece que o Natsu conhece eles, já que ele é o primeiro a ir ajudar. Agora que eu reparei também há dois gatos junto com eles. A Wendy junto da Asia começam a curar os machucados deles até o rapaz loiro acordar.

Natsu: O que aconteceu com vocês Sting?

Sting: Atacaram a Sabertooth Natsu-san.

Ele começa a chorar antes de voltar a falar.

Sting: Somos os únicos que conseguiram fugir, os outros já devem estar mortos no momento.

Ao terminar essa fala ele desmaia, e nós levamos todos para a enfermaria. Algumas horas depois o Sting acorda mais uma vez, mais dessa vez a albina e o moreno acordam junto.

Natsu: O que aconteceu lá?

Sting: Era um dia normal na nossa guilda, mais de repente surgiu alguns milhares de pessoas e começaram a nos atacar, mais eles eram diferentes de todos os adversários que eu já enfrentei.

Natsu: Como assim?

Sting: Eles tinham asas de morcego nas costas. Eu e o Rogue até conseguimos derrotar alguns, mais o número deles era exorbitante, e os outros se sacrificaram para podermos fugir.

Rias: O que demônios fazem aqui e ainda por cima atacando guildas?

Ise: Deve ser coisa daquele bastardo do Rizevim.

O moreno que se chama Rogue levanta furioso e me pega pelo colarinho exigindo uma explicação.

Rogue: Vocês sabem quem fez isso?

Natsu: Eu entendo a raiva de vocês, mais brigar agora não vai levar a nada. Rias, você pode explicar tudo para eles ?

Ela aceita esse pedido e começa a explicar tudo que vem acontecendo ao nosso grupo. Passado 30 minutos de explicação eles já estão mais calmos, mais também estão tristes pelas perdas dos companheiros.

Natsu: Eu sei que o momento não é bom, mais vocês não tem nenhum lugar para ficar, então se quiserem podem entrar para a Fairy Tail.

Eles se encaram um pouco e começam a conversar entre si.

Sting: O que vocês acham Yukino, Rogue e Lector?

Yukino: Aonde vocês decidirem ficar eu irei. Vocês dois são a única família que me restou.

Rogue: Por mim tudo bem.

Lector: Seria divertido fazer parte da Fairy Tail.

Frosch: Fro também acha.

Natsu: Só falta pedir ao velhote então.

Eles saem indo até onde o mestre estava, enquanto o grupo Gremory fica dentro da enfermaria, todos com os olhos cheio de ódio.

Ise: Quando eu colocar minhas mãos no Rizevim ele vai pagar por tudo que ele já aprontou.

Algum tempo depois eles voltam, já com as marcas da Fairy Tail pelo corpo, e se apresentam.

Sting: Meu nome é Sting Eucliffe, e esses ao meu lado são Rogue Cheney, Yukino Agria, Lector e Frosch.

Nosso grupo também se apresenta, e as garotas logo vão conversar com a Yukino.

Ise: Como vocês conheceram o Natsu?

Sting: Nos Grandes Jogos Mágicos do ano passado. Nossa guilda era a melhor do reino, mais no fim do torneio a Fairy Tail venceu.

Natsu: Mais foi difícil vencer vocês já que também são Dragon Slayers.

Eu fico surpreso pela informação e questiono.

Ise: Os dois?

Sting: Sim, eu sou o Dragon Slayer Branco enquanto o Rogue é o Dragon Slayer das Sombras. Somos conhecidos como Dragões Gêmeos. O Natsu-san fala que foi difícil, mais na luta em dupla ele nos derrotou sozinho e sem usar a Dragon Force também.

Natsu: Também o Gajeel me abandonou no meio da luta.

Rogue: Você não lembra o que fez? Deixa quieto.

Após essa conversa nós saímos da enfermaria e fomos em direção ao nosso grupo, com Sting e Rogue vindo junto.

Já faz uma semana que o pessoal da Sabertooth se juntou a guilda. Eles ainda estão meio acanhados, então andam juntos do grupo do Natsu a todo instante. Durante essa semana eles se juntaram ao nosso treinamento, já que querem se vingar por seus companheiros.

Estamos todos na guilda conversando. As meninas parecem ter feito amizade rápido com a Yukino. De repente se ouve o barulho de explosão vindo do lado de fora da guilda. Time Vali, Grupo Gremory, Time Natsu e os novatos saem para ver o que era e quando saímos havia uma mulher caída no chão, com o corpo todo machucado. Ao lado dela tem um jovem de cabelo preto, olhos vermelhos e um sorriso maligno no rosto. A Rias reconhece o rapaz e no instante seguinte ela se enche de ódio.

Rias: O que faz aqui Diodora Astaroth?

Diodora: Vim me divertir um pouco nessa dimensão já que a nossa perdeu toda a graça.

O Sting olha para o Diodora e parte para cima do mesmo, mais ele é impedido pela Yukino que o abraça. O moreno então nota a Asia ao nosso lado e com uma risada cínica volta a falar.

Diodora: Como vai Asia Argento?

Ela fica com uma expressão de dúvida, mais logo ele acaba com elas.

Diodora: Eu sou o demônio que você curou quando ainda era da igreja.

Ao ouvir isso um sentimento de raiva brota no meu corpo, me fazendo inconscientemente atacar ele, mais quando meu punho estava a centímetros do rosto dele eu sou simplesmente empurrado para trás, sem ele ter feito nenhum movimento.

Diodora: Eu não vim aqui para lutar, estou aqui apenas para um aviso. Enquanto a nobreza Gremory não se entregar ao Rizevim-sama vamos destruir uma guilda por semana.

Deixando essas palavras para trás ele some. Todos os magos nos encaram sem saber o que falar, enquanto nossa nobreza apenas abaixou a cabeça se sentindo culpado pelo ataque a Sabertooth.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...