História Guerra é Guerra - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Fifth Harmony, Hayes Grier, Jack & Jack, Madison Beer, Magcon, Mahogany LOX, Nash Grier, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Camila Cabello, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Jacob Whitesides, Madison Beer, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Personagens Originais, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Jack Johnson, Magcon, Shawn Mendes
Exibições 64
Palavras 1.423
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


LEIAM AS NOTAS FINAIS, É IMPORTANTE..

Capítulo 22 - Reconciliation and Fight


Fanfic / Fanfiction Guerra é Guerra - Capítulo 22 - Reconciliation and Fight

Francielle Hastings

 

A porta do elevador se abriu no meu andar e vi uma figura largada na minha porta, dei um passo à frente e me espantei ao perceber quem era.

– Shawn? – Chamei e o mesmo me encarou – o que faz aqui?

– Em uma manhã você conseguiu me trazer tanta lembrança, você tirou meu chão Francielle Hastings – falou o mesmo meio grogue.

Deve estar bêbado, presumi.

– Shawn, você mora lá em baixo, sai da minha porta por favor.

Caminhei pelo corredor até chegar nele.

– Não é só você que não tem sorte no amor, eu te larguei e o destino me passou a perna com a Camila, logo depois veio a Ashley e eu a fiz sofrer, acho que tenho o dom de causar dor nas pessoas.

– Você tem o dom de poder consertar também, Shawn – agachei junto a ele – quando eu te conheci, você era romântico, o que aconteceu com aquele garoto canadense que amava compor suas canções com prazer, que amava fazer surpresas românticas, que mesmo quando eu ficava brava você me agarrava e me beijava até que meu surto cessasse e eu me entregasse a você, onde está aquele Shawn que me mostrou que vale a pena lutar por amor?

– Camila destruiu aquele garoto lírio, estou sofrendo, magoei a Ashley, te magoei e agora me magoei.

Levantei seu rosto e o encarei, pude sentir sua respiração lenta bater contra meu rosto, apesar do cheiro embriagante de bebida, seu cheiro doce ainda permanecia ali naquela mistura.

– Aprenda a lidar com seus erros, aprenda a levantar a cabeça e tenha responsabilidade.

Ficamos um tempo calados nos encarando, até que ele se apoiou no chão e levantou com dificuldade, o ajudei e logo o vi de pé em minha frente.

– Acho que vou indo – falou por fim.

– Melhor – assenti – consegue chegar em casa de pé?

– Sim – respondeu.

Sorri e abri a porta quando o mesmo se afastou, mas logo senti seu corpo junto ao meu.

– Seus lábios parecem tão convidativos Francielle – sussurrou no meu ouvido.

Senti um arrepio subir pela minha espinha e algo quente e macio tocou meu pescoço, os lábios de Shawn, ele podia estar bêbado antes, mais agora eu estava ciente de que ele tinha certeza do que estava fazendo.

– Shawn, eu não posso – me virei para encara-lo.

– Porque não? – Ele acariciou minhas bochechas com suas mãos gentis e me olhou nos olhos.

Engoli em seco, não tenho um motivo plausível, aliás, não tenho nenhum motivo, eu poderia inventar qualquer coisa mais ao invés disso, o segurei pela camisa e o puxei para mim, tocando meus lábios aos dele... Não sei em que momento aconteceu mais senti meu corpo colidir com a cama macia, como cheguei ali não fazia ideia, eu só queria ter Shawn para mim por essa noite, o beijei urgentemente.

– Sinto falta do seu corpo – sussurrou no meu ouvido e logo beijou meu pescoço lentamente.

– Não vai lembrar de nada disso amanhã – murmurei tentando controlar minha ansiedade.

– Isso a gente descobre amanhã – falou me encarando e logo voltou a me beijar.

...

 

Jack Johnson

 

– JACK – ouvi a Ashley gritar e parei por um instante.

Vire-me e vi seu rosto num misto de tristeza e ansiedade.

– Você o ama? – Perguntei.

– Já disse que não sei – se aproximou de mim e segurou minhas mãos – é tudo um grande talvez.

– Vou lhe perder por uma terceira vez, não vou suportar Ashley, tenho sentimentos.

– Eu sei disso, mais preciso que me entenda, você e o Shawn me magoaram, mais não quero perder você, por favor, não me afasta como o Shawn fez.

– E o que faço com meus sentimentos?

– Vai ter que lidar com ele como um adulto.

Assenti e sorri.

– Me leva em casa? – Perguntou fofa.

– Claro – assenti e ela entrelaçou o braço dela no meu.

...

Caminhamos até a casa da Ashley, já que era perto.

– Não quer dormir aqui? Tem um quarto extra – Perguntou a mesma parada de costa para a porta.

Ouvi algo quebrar e Ashley me olhou espantada, logo abriu a porta e adentramos correndo, Madison estava de um lado tentando segurar Natália e Sammy a encarava disperso.

– ME DIZ SAM, POR QUE? – Gritou a mesma em lagrimas.

– Que porra está acontecendo aqui? – Ashley perguntou alto demais para que Natália a encarasse e que Sammy desse as costas e fosse até a porta.

– VOLTA AQUI SEU BABACA – Natália gritou furiosa.

– Quando estiver mais calma nós conversamos – Sammy saiu e Ashley acenou para mim com a cabeça murmurando um “vai atrás dele”.

E assim o fiz, sai e fechei a porta, achei o Sammy encostado no carro dele de cabeça baixa.

– O que houve mano? – Perguntei me encostando no carro ao seu lado.

– Uma garota louca me beijou quando saímos da pizzaria – falou perdido, passou a mão pelo cabelo e me encarou.

– Conheço esse olhar, você gostou – falei.

– Não é que eu tenha gostado é que... sei lá, lembrou a Natália no início do namoro, ela me beijava da mesma forma que aquela garota me beijou hoje, Natália nem me deixa toca-la mais como antes.

– E por que não termina?

– Porque eu a amo, e sei que ela me ama também, estou tão ferrado.

– Percebi.

– Vamos logo, te deixo em casa e de lá vou para casa.

– Ok.

 

Shawn Mendes

 

Acordei com a cabeça latejando e abri os olhos, o quarto ainda estava escuro e as cortinas se mantinham fechadas, passei a mão pelo rosto e rolei para o lado colidindo com um corpo ao meu lado, a abracei e inspirei o cheiro que emanava do seu cabelo.

– Tem certeza que sabe quem sou eu? – Ouvi a mesma perguntar.

– Francielle Hastings, meu primeiro amor, a garota dos meus sonhos, a mulher ao qual tive uma noite maravilhosa – murmurei com os lábios no seu pescoço.

Ela deu um risinho.

– Hmm, então o senhor santinho das trevas estava bem lucido ontem à noite.

– Sim, e estou mais lucido agora sentindo o cheiro maravilhoso do perfume de baunilha da minha florzinha, meu lírio.

Senti a mesma me apertar a ela e a segurei com segurança.

– Senti falta de ter você me chamando de lírio – sussurrou.

Sorri animado, a muitos dias não me sentia assim, meu celular tocou irritantemente em algum canto do quarto e eu revirei os olhos.

– Não para de tocar desde as seis da manhã – ela falou quando sentei para localizar minha calça.

– E que horas são?

– Sete e meia – falou e puxou minha calça para cima da cama – procurando isso?

Sorri satisfeito.

– Te daria um beijo se eu não tivesse que atender o telefone – falei e peguei o celular que ainda tocava.

Atendi e ouvi meu empresário resmungar algo sobre “precisando ter novos artistas na gravadora e eu ter que fazer um dueto com uma garota”, assenti e disse que eu o encontraria as dez no estúdio com a solução dos problemas, desliguei o telefone e o deixei de lado no criado mudo.

– Solução dos problemas? – Perguntou a morena franzindo o cenho.

– Por acaso não tem alguma amiga que sabe cantar e que quer começar uma carreira né? – Argumentei esperançoso.

– Tem a Grace, e tem a Meaghan, elas são ótimas, só que ninguém descobriu isso ainda.

– Como tem tanta certeza de que são ótimas?

Ela sorriu debochada, levantou da cama e eu encarei seu pijama, uma calcinha short preta com uma blusa dos Rolling Stones, sorri e ela me jogou uma almofada no rosto, em seguida abriu a porta e ouvi duas vozes sincronizadas vindo de alguma parte da casa, ela fechou a porta e me encarou.

– Viu? – Voltou a cama e deitou de lado.

– Uma dupla? – Perguntei.

– Não, melhor colocar uma com sua própria carreira, vai ser bom para a gravadora.

– Que vontade de te beijar agora – falei animado.

– Então vem aqui e beija Mendes – retrucou maliciosa.

A puxei pela camisa que com certeza ela me xingaria mais tarde por tê-la laçado e a beijei, ela correspondeu e logo se afastou aos pulos.

– Vamos logo, temos que contar isso para elas – falou ainda pulando e indo para o banheiro.

Neguei com a cabeça rindo e deitei cruzando as mãos de baixo da cabeça, minutos depois Fran saiu do banheiro de toalha e com o cabelo molhado.

– Sua vez – ela apontou para o banheiro e eu levantei – tem toalha limpa no armário em baixo da pia e tem uma escova nova no armário do espelho.

– Estou quase arrancando essa sua toalha – falei quando passei por ela.

– Já me viu nua demais por uma noite, para o banho Mendes – me empurrou até o banheiro e eu ri.

...


Notas Finais


Tenho duas coisas para falar.

PRIMEIRA, a fanfic está acabando, só mais dois capítulos e é o fim...

SEGUNDA, estou com uma fanfic nova sobre os MAGCON também, escrevi com uma amiga, se puderem dar uma olhada agradecerei. Deixaria o link para quem quiser...
https://spiritfanfics.com/historia/secret-agents-7149267


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...