História Guerra é guerra ( Antiga friends and rivals) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Personagens Originais
Tags Amizade, One Direction, Trabalho, Triângulo Amoroso
Exibições 15
Palavras 1.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


perdãoo, eu sei que era pra eu ter atualizado ontem, mas eu tinha umas coisas pra fazer, e não deu ( mas nem atrasei muito né?)
* Esse capitulo não foi betado, então qualquer erro me avisem
* Não vou me estender mais, pq tô com pressa, então BOA LEITURA.

Capítulo 2 - Obrigada de novo


Fanfic / Fanfiction Guerra é guerra ( Antiga friends and rivals) - Capítulo 2 - Obrigada de novo

Alice Canavan

    Eu pude ver os olhos verdes da mulher ficarem tons mais escuros, e seu rosto delicado se tornar duro e com traços rígidos. Eu poderia apostar que ela estava quase fora de si, mas mulheres como ela não perdiam o controle tão facilmente, eu percebi isso quando sem aviso prévio um sorriso surgiu em seus lábios.

— Namorada? – Dalilah, estreitou os olhos me observando sem se importar em ser discreta. Ela não havia dito mais nada até então, mas a reprovação era tão clara em seu olhar que ela não precisava falar nada mesmo. Eu endireitei minha postura e a olhei nos olhos, tentando ser o mais firme possível para mostrar que ela não me intimidava. O único problema, era que ela me intimidava sim!  E isso só fazia com que eu me sentisse patética. Talvez eu fosse patética mesmo!

— Namorada! — Harry repetiu. Ele estava apreensivo, eu podia sentir isso pela pressão que sua mão fazia na minha, e também pelo seu olhar inquieto, que não demorava mais de um segundo num mesmo ponto.

— Sim. Namorada! — Essa foi minha vez de dizer, e reforçar a mentira de Harry. Eu decidi que iria aproveitar cada milésimo de segundo que aquele teatrinho poderia me impor, porque não é todo o dia que você esbarra com seu chefe gato, e se torna sua namorada fake. — Eu lancei meus braços em volta daquele homem maravilhoso, e fitei Dalilah com a expressão mais amável que pude fazer.

 — Não sabia que estava em um relacionamento Harry. — Ela disse olhando única e exclusivamente para Harry, me ignorando por completo. “Invejosa, só porque o namorado é meu, não dela! ” Pensei.

— Pois é. É bem recente na verdade. — Desta vez ele disse ávido, confiante de suas palavras, enquanto eu concordava com a cabeça. Eu concordaria com qualquer coisa que ele dissesse na verdade.

— Você já teve mais bom gosto. — Ela satirizou, arqueando as sobrancelhas zombeteira. Nesse instante eu quis pular nela. Qual é? Eu não era tão ruim assim era?! — Mas felicidades ao casal. – Dalilah concluiu com um pequeno sorriso sarcástico, e então eu me obriguei a fazer o mesmo.

— Obrigada queria. — Respondi com a voz controlada, ocultando o meu desdém.

— Nos vemos em breve querida. Foi um prazer te conhecer. — Ela reforçou a palavra “prazer” e passou por nós rumo a saída. O barulho do salto agulha da mulher ecoou por alguns segundos, até que ela realmente se perdesse de vista, e só então Harry me soltou.

— Obrigado de novo. — Ele agradeceu com um sorriso complacente. Não era um daqueles sorrisos grandes que deixavam todos os dentes a mostra, infelizmente. Mas tinha o tamanho suficiente para revelar lindas covinhas em suas bochechas.

— Disponha. — Disse, e um silêncio constrangedor se formou entre nós. — Então...acho que tchau não é mesmo?!   — Indaguei me sentindo uma inútil por ter Harry bem na minha frente, e não saber o que falar para deixa-lo minimamente interessado. Quando eu pensava que não poderia ser mais estupida, eu sempre conseguia me surpreender das piores formas possíveis. 

   Eu dei as costas, e comecei a caminhar para longe de Harry, entretanto eu ouvi ele murmurar um “ Espera garota” e mesmo que eu tivesse pilhas de trabalho a fazer, eu parei e o esperei chegar até mim.

—Você não disse seu nome. — Ele falou coçando a testa, talvez tentando se lembrar se eu tinha dito ou não como me chamava.

— Você não perguntou. — Rebati, dando de ombros, e ele fechou a cara em uma carranca.

— É, você está certa. Como se chama?

—Alice. — E essa era a segunda vez no dia, em que eu me apresentava para um superior meu. Harry concordou com um sorriso, e enfiou a mão no bolso de sua calça social, tirando de lá um papel pequeno na cor azul.

— Sábado à noite haverá a festa anual da QualityIn. — Ele disse e eu concordei, sabendo bem que ele se referia do “ blue day” – Apareça por lá, será bom te ver novamente. — Harry falou pondo dois convites na minha mão e saindo sem esperar por uma resposta minha. Deus, isso realmente tinha acontecido?

 

     A tarde nunca passou tão rápido na empresa quanto hoje, talvez fosse pelo fato d´eu estar animada por ter recebido convites para uma festa que eu nem mesmo queria ir, mas eram convites que Harry tinha me dado, então isso significava muito. O mundo poderia cair que eu continuaria pouco me importando, nem mesmo o atraso do metrô que eu pegava até chegar em casa me irritou.

— Cheguei. — Exclamei assim que entrei dentro de casa, tirei os sapatos de salto que me apertavam, jogando-os em qualquer parte da sala, e me sentei no sofá.

     Mamãe saiu da cozinha com seu habitual cabelo amarrado para o alto, e suas roupas em tom claro. Seus olhos castanhos eram iguais ao meus, mas hoje carregavam um brilho maior. Ela se sentou próximo a mim, e pôs minhas pernas que estavam esticadas sobre suas cochas.

— Como foi no trabalho hoje? —Mamãe perguntou exibindo um sorriso animado, enquanto eu me ajeitava no sofá a olhando.

—Foi bem. Ganhei convites para a festa da empresa.

—Isso é ótimo! As coisas estão se ajeitando, hoje de manhã a confeitaria recebeu uma encomenda grande para uma festa de casamento, esse mês poderemos ficar tranquilas quanto ao aluguel da casa. – Minha mãe disse contente, todavia eu só conseguia ficar chateada por lembrar o quanto ela trabalhava para mantermos a casa. Essa deveria ser uma tarefa só minha, mas estagiários não ganham muito, e falta algum tempo para que eu termine a faculdade.

— Isso é maravilhoso mãe! —Disse firmando meus lábios, tentando   forjar um sorriso.

—Kristel irá ficar conosco por um tempo, eu já te falei? — Minha mãe indagou, e então eu me virei para ela negando com a cabeça. Kristel era minha prima paterna, e seria incrível ter aquela maluca por perto, faziam pelo menos um ano que eu não a via pessoalmente, e só tinha notícias dela por suas redes sociais. Ter alguém da minha idade por perto seria animador.

—Legal. Quando ela decidiu isso?

—Essa semana. Ela conseguiu um emprego na área dela aqui em Cambridge. – Falou empolgada, me arrancando um sorriso. Essa semana estava sendo tão boa, que eu estava só esperando a hora de acordar e me dar conta que não era real. Tava tudo bom demais pra ser verdade.

 

      Quando eu deitei sobre meu colchão, senti todo meu corpo antes tencionado relaxar, e um sorriso bobo me tomou quando eu me lembrei de que amanhã era sábado. Eu poderia dormir até o horário que eu quisesse, assistir minhas series, e aproveitar para adiantar meus trabalhos da faculdade. Minhas pálpebras começaram a pesar, e sem que eu me dessa conta, eu caí no sono.

      Senti que mal havia fechado meus olhos quando o barulho alto e inescrupuloso do meu celular me acordou. Surrei as mãos sobre os olhos, tentando despertar mais rápido, e depois tateei-as sobre o criado mudo que havia do lado da minha cama, capturando o celular, e atendendo a chamada, sem nem me dar ao trabalho de olhar de quem era o número.

Alo? — Perguntei seca e mal-humorada. Era assim que eu ficava pela manhã.

Estagiária? —A pessoa do outro lado da linha perguntou. Era um homem. E eu tinha a total certeza de que já ouvira aquela voz, só não me lembrava onde. Sentei no meio da cama, e tirei o cabelo da cara, nunca tinham me ligado da empresa antes, menos ainda final de semana.

Sim! Quem deseja? —Perguntei

Liam. Liam payne. —Eu arregalei os olhos quando o filho do senhor Geoff se identificou, e praguejei trilhões de palavrões. O que aquele homem queria de mim as sete horas da manhã de um sábado?

Hum...precisa de alguma coisa? —Perguntei apertando os lábios, e rezando para que a resposta fosse não.

Na verdade sim! — Deixei meus ombros caírem, e soltei o ar pesadamente. — Minha assistente entrou em trabalho de parto antes do esperado, e eu estou sem nenhuma auxiliar aqui. O que quer dizer que eu preciso de você aqui na qualityIn para já.

Mas eu não sou secretaria, e não estagio aos sábados. —Expliquei.

— E eu sou seu chefe, e estou dizendo que você tem meia hora para estar aqui, ou diga adeus ao seu estágio.

O QUE? —Perguntei exaltada, mas tudo o que ouvi foi tu tu tu da linha. Ele havia desligado na minha cara.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...