História Guerra Fria - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sorriso Maroto
Personagens Bruno Cardoso, Cris Oliveira, Fred Araújo, Personagens Originais, Sérgio Jr., Vinícius Augusto
Tags Bruno Cardoso, Romance, Sorriso Maroto
Exibições 23
Palavras 1.678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - Novidade!


Fanfic / Fanfiction Guerra Fria - Capítulo 29 - Novidade!

Procuro por um filme interessante na Netflix,mas não consigo me decidir,na verdade estou entediada procurando desesperadamente por alguma distração.O Fernando ligou e perguntou como eu estava,como ele é amigo do Bruno ficou sabendo do que aconteceu e ligou pra ver o nível da minha fossa.Aproveitei e chamei ele pra almoçar aqui,preciso saber até que ponto ele sabe o que a Ariane fez,e se posso confiar nele.Apesar de cozinhar muito bem,eu acredito muito nesse lance de energia passar pra comida,e não quero ter uma má digestão por causa do meu humor,então pedi duas refeições completas num restaurante fino que fica no bairro onde moro atualmente.Pra minha surpresa,a comida e o Fernando chegaram juntos,então desci pra pagar e pra abrir o portão pra ele.Nos cumprimentamos e conversamos banalidades até entrar no apartamento.Começo a arrumar a comida nos pratos,e ele parece tímido demais.
- Tudo bem Fer? Você geralmente é mais comunicativo que isso – digo brincando
- Olha Bah,por favor,não fique com raiva de mim – ele disse tirando algo do bolso – eu estava com o Bruno quando liguei pra você....na verdade foi ele quem pediu pra eu ligar e saber como você estava...ele pediu pra te entregar isso.
Era um colar de ouro com um pingente delicado em formato de coração,atrás dele estava gravado “Dependente”,foi o bastante pros meus olhos se encherem.
- Olha...dê uma chance dele se explicar e vocês resolverem isso.O Bruno é um cara legal e jamais machucaria você.
- Acontece que ele não tem nada pra explicar Fer...fui eu quem falou que ele não precisava me esperar,que podia seguir em frente.
- Esperar?  - ele disse confuso
- Olha...o Bruno confia em você,se não te contou o que houve é porque tem medo de que eu ache ruim,mas eu não ligo.Peça pra ele te contar – eu encorajei – porque eu não vou conseguir sem encher essa sala de lágrimas – dei um sorriso fraco.
- Vou falar com ele....- ele fez uma pausa enquanto nos sentávamos na mesa pra comer – nessa confusão toda a Ariane tem te apoiado?
- Vocês ainda estão brigados?
- Não diria brigados,mas não estamos nos falando...quer dizer,ela não fala mais comigo.Seria muito mais fácil dizer que não quer mais e me deixar seguir com a vida.
- Entre pro clube,nós também não estamos nos falando. – coloquei uma batata na boca,mas estava com um gosto estranho – Eca,acho que a batata azedou.
Levantei e coloquei meu prato todo na pia,perdi o apetite.Bebi alguns goles de suco e me virei pro Fernando que ainda comia.
- O que houve entre vocês duas?
Respirei fundo.
- Fer,por favor,não faça eu me arrepender de te contar isso,eu já me decepcionei com pessoas demais....- olhei pra ele e soltei de uma vez – olha,descobri que a Ari tem superfaturado os orçamentos...e feito saques na nossa conta conjunta falsificando minha assinatura.
Ele não disse nada...apenas ouviu.
- Eu não sei o que ela ganha roubando a própria empresa,mas gostaria muito de descobrir,e pra isso queria a sua ajuda.
- Será que o Victor não tem dedo nisso? – ele perguntou – será que ele não está forçando a Ari a ter esse comportamento? Nós sabemos que ela não é assim.
- Não sei Fer,eu realmente estou no escuro.Não sei em quem posso ou não confiar mais.Você é minha última esperança,preciso da sua ajuda pra descobrir o que está havendo com ela.
- Eu não sei como...ela realmente não quer me ver.Mas vou tentar ajudar...talvez se...
Nossa conversa é interrompida por uma ligação no meu celular:
- Alô?
- Srtª Maldonado?
- Sim,sou eu!
- Aqui é do Hospital Samaritano,verifiquei no sistema,que você ligou solicitando uma consulta urgente  com o Dr.Roberto,mas não conseguiu de imediato por que ele estava sem agenda,correto?
- Isso mesmo.
- Bom,temos uma paciente que ligou desistindo da consulta,que seria daqui a uma hora.Posso encaixar você no lugar?
- Hã....claro! Sem problemas!
- Te vejo em breve então! Boa tarde!
- Igualmente!
Olho pro Fernando que está mexendo no celular e me desculpo:
- Sei que é feio marcar compromisso quando se tem visita em casa,mas é que consegui antecipar minha consulta pra daqui uma hora.
- Fica tranqüila Bah,eu também tenho algumas coisas pra resolver! – ele disse digitando no celular – em qual hospital você vai?
- Samaritano – respondi – olha vou me trocar,e descemos juntos pode ser?
- Claro,eu espero aqui!
Tomei uma ducha rápida,optei por um vestidinho leve – para o caso de ser examinada – peguei meus últimos exames,a bolsa e descemos para a portaria,lá me despedi do Fer,que prometeu me dar noticias pelo WhatsApp.Dirigi tranqüila até o hospital,e lá dei meu nome na recepção,que me indicou o andar correto.Sentada na sala de espera,eu folheava uma revista quando recebi uma mensagem

“O Fer me contou que você está no hospital,tudo bem?” BC.

Minha resposta foi curta e grossa.

“O Fer não deveria ter contado á você.E sim,está tudo bem”

Sei que o Fernando contou na melhor das intenções,mas isso me deixou com medo,de que talvez ele pudesse contar pra Ariane tudo o que eu sei.O painel apitou indicando minha senha,e eu me dirigi até a sala 4.
- Boa tarde Bárbara,esperava ter visto você antes – ele disse me repreendendo.
- Boa tarde doutor,e me desculpe,estava viajando e quando voltei não tinha mais agenda pra mim!
- Tudo bem,estou brincando.Como vão esses dias?
- No geral bem,mas estou preocupada com alguns sintomas,que seriam normais nos primeiros dias após a cirurgia,mas agora não sei mais.
- Estou ouvindo - ele disse enquanto digitava em seu Macbook.
- Hã....tenho tido muita dor de cabeça,enjôos de vez em quando e falta de apetite.Também tenho dormido mais de dia e menos de noite,passo a madrugada acordada.Sem contar que alguns alimentos vem me fazendo mal.
- Você menstruou desde a cirurgia?
- Sim...a verdade não sei se posso chamar aquilo de menstruação,porque ela dura geralmente 4 dias,e só veio 2 dias,bem pouco...na verdade quase nada.
- Sangue vivo ou escuro?
Comecei a ficar preocupada.
- Muito escuro.Parecia uma....borra sabe? – falei envergonhada.
- Ok,vamos fazer um transvaginal e ver como estão as coisas por aí....
Ele me entregou aquelas roupas de hospital,e eu me dirigi até o banheiro pra me trocar.Poucos minutos depois eu estava naquela cadeira ginecológica super desconfortável,e o doutor se sentava ao meu lado,onde havia um monitor e alguns aparelhos.Ele pegou um comprido,colocou um preservativo,lubrificante e pediu licença pra mim.Introduziu aquela geringonça em mim – o que é muito constrangedor – e olhava atentamente o monitor em sua frente,enquanto mexia de vez em quanto o aparelho dentro de mim.
- Você sente cólicas?
- As vezes sim – respondi.
Ele se virou e ligou a enorme televisão pendurada na parede de frente pra mim,e assim eu tive a mesma visão que ele.Na verdade eu não estava entendendo absolutamente nada da imagem na minha frente mas permaneci calada.
- Bárbara,está vendo essa bolinha? – ele fez um círculo com o mouse na imagem
- Sim.
- É a causa de todos esses sintomas relatados.
- É outro mioma? – perguntei alarmada e ele riu
- Não Bárbara.É um bebê,estou impressionado,por que geralmente as mulheres demoram a engravidar depois de uma cirurgia como a sua mas,não isso não é impossível.
- Gra....grávida? – gaguejei
- Sim,meus parabéns! – ele disse animado – Você está de aproximadamente 4 semanas e meia.
A sala foi preenchida por um som forte e contínuo.
- E esse é o coração do seu bebê!
Meu bebê.Meu filho.E filho do Bruno! Eu não consegui ter nenhuma reação,só fiquei ali parada observando a televisão.
- Não se preocupe,vou te dar muitas fotos dele,e uma gravação também – ele disse piscando pra mim – agora vista-se e podemos conversar sobre os próximos passos.
Já vestida e sentada na mesa dele,eu tinha vontade de perguntar muitas coisas,mas não conseguia encontrar minha voz.
- A julgar pelo tempo do bebê,ele foi concebido nos dias em que você deveria se resguardado.Porém seu útero está saudável,os ovários também,a placenta não apresenta nenhuma anormalidade,então ficaremos de olho apenas,porque essa gravidez contém seus riscos ok?
O resort...foi lá que...meu bebê foi concebido.
- Nesses três primeiros meses,é de vital importância que você tome essas vitaminas que vou receitar.Se puder se afastar do trabalho,melhor.Nada de estresse,nem fortes emoções,precisamos de todo o cuidado nesse primeiro trimestre.
Assenti com a cabeça.
- Todos esses sintomas são perfeitamente normais nessa fase,você também pode sentir sensibilidade nos seios,variações de humor e uma lista imensa que varia muito de mulher pra mulher.Esse é o meu telefone particular – ele disse me entregando um cartão – me ligue em caso de dor ou sangramento.E...acho que é isso,passe na recepção e agende uma consulta pra daqui trinta dias – ele me entregou um cartão com os dizeres “Diário da Gestante” – Boa tarde,e parabéns mais uma vez.
Saio da sala,passo na recepção,marco um retorno e vou em direção ao elevador.Já no térreo eu me desespero.Estou grávida! Grávida! Como vou contar isso pro Bruno? E se Victor sonhar...
Meu coração acelera quando vejo,na recepção, Bruno,se informando sobre algo,provavelmente sobre onde eu estaria.Nossos olhares se encontram e ele vem em minha direção.
- Bah,eu sei que você não quer me ver,mas eu fiquei preocupado.Está tudo bem?
Eu não conseguia falar.Se fosse a um tempo atrás estaríamos os dois pulando de felicidade aqui mesmo,no pátio do hospital,mas aqui estamos nos encarando.Ele ficaria tão feliz...será que vai ficar feliz agora? Começo a chorar descontroladamente e ele num impulso me abraça e dá um beijo na minha testa.
- Shhh......vai ficar tudo bem! Não chora amor,por favor! Me conta, o que houve.
Mas eu não queria falar.Aquele abraço era meu porto seguro,poderia esquecer todos os meus problemas ali.De repente somos interrompidos por uma voz feminina chamando meu nome:
- Srtª Maldonado – era  a recepcionista do Dr.Roberto – esqueceu seu ultrassom,e o Cd com a gravação – ela disse me entregando e olhando pro Bruno.
Por alguns segundos ela ficou paralisada admirando a beleza do homem da minha vida,depois como se saísse de um transe,ela me olhou de novo e disparou:
- Parabéns de novo!
Bruno olhou pra mim com os olhos arregalados.
- O que ela quis dizer com parabéns? – ele perguntou
- Nós....vamos ser pais! Eu estou grávida Bruno.


Notas Finais


E aí amores? Gostando??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...