História Guerreiros do Chaos - Capítulo 18


Escrita por: ~

Exibições 29
Palavras 657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Desculpe a demora, mas minha criatividade tirou férias... Isso é frustrante.

Capítulo 18 - Capítulo 17 - Você tem... Dois minutos.


Fanfic / Fanfiction Guerreiros do Chaos - Capítulo 18 - Capítulo 17 - Você tem... Dois minutos.

Uma forte tempestade tomou conta de Chaos, ninguém entendia o que de fato estava acontecendo, mas cada um pegou suas armas e correram para salvar tanto suas vidas quanto a de seus familiares, outros que não possuíam família em Chaos, correram para ajudar a quem quer precisasse de ajuda. Porém uma garota em especial, correu até a sala de comando, onde Caos sempre estava e se espantou com o que viu, parado a frente da porta estava um exército de sombras, que assim que a viram entraram em modo de defesa, fazendo a garota sorrir e avançar neles.

— Hora de dançar — a mesma falou rindo e avançou no exército.

Quem olhasse de longe se surpreenderia com a energia que era despregada daquela batalha com o exército, seu cabelo ruivo balançava a cada investida que a garota desviava. Algo no seu braço esquerdo queimou, a mesma olhou e ali estava um grande rasgo, fora ferida e por sua distração vários deles a atacaram fazendo a mesma não saber como atacar e se defender dos múltiplos golpes, vindo de diversos lugares.

A ventania se tornou cada vez mais forte e não foi preciso muito, para entender do que se tratava, com o resto de esperança que te restava e o corpo fraco e machucado a mesma se teletransportou para onde seu protetor estava, para o acampamento meio sangue.

O coração de Ângelo parou quando viu a amiga fechar os olhos, Caos já havia o contado as consequências que viriam a seguir quando um dos gêmeos morresse.  Sem se importa com as consequências, Ângelo empurrou uma caçadora que estava em seu caminho e correu em direção a garota que era amparada por seu protegido.

— Cerys, por Chaos me responda — o mesmo pediu em sussurros enquanto repousava a cabeça da garota em seu colo.

Um vórtice apareceu em sua frente e de lá saiu uma das assassinas de Caos, seu corpo estava cheio de cortes, sua roupa, estaca rasgada em diversas partes e a mesma parecia que iria desmaiar a qualquer segundo.

— Dianna, o que aconteceu? — Angelo perguntou ao olha-la preocupado.

— Caos está morto — ela pronunciou as palavras e então seu corpo desfaleceu.

— Temo dizer, mas a guerra finalmente começou — Ângelo disse de cabeça baixa deixando sua áurea fora de controle — Os inimigos agora sabem que estamos aqui.

— Filhos de Apolo — Ruby chamou fazendo todos os filhos de Apolo as olharem — Cuide delas e dos feridos, qualquer sinal de que uma das duas está acordando quero ser informada na mesma hora.

Os meninos concordaram e dois garotos foram em direção as duas guerreiras, porém, Benjamim tomou a frente e pegou Cerys do colo de Ângelo, a levando rapidamente para a enfermaria.

— Os outros se preparem o treinamento de vocês começa agora — Emma disse e saiu em direção a arena.

— Peguem suas armas guerreiros — Ângelo falou se levantando — Porque esse será o pior treinamento de vocês.

Os guerreiros saíram juntos em direção a arena e logo foram seguidos pelos campistas que assim que adentraram a arena não puderam evitar a cara de surpresa para o que viram, a arena era agora um verdadeiro campo de batalha, havia de monstros desconhecidos por eles até chão de larva.

— Ouçam-me — Emma chamou a atenção de todos — Esse será o treinamento de vocês de hoje e somente saíram daqui quem completar todas as missões e acreditem, não me importo de passar a madrugada acordada.

— Você não tem coração — uma filha de Deméter falou da multidão.

— Não é à toa que eu sou comandante de Lúcifer — a mesma sorriu — Já que falou, lhe dou a honra de estreia as missões.

— O que devo fazer? — a mesma falou metida.

— Será fácil e rápido — sorriu — Você só precisa passar pelo dragão sem machuca-lo, andar pelas pedras amarelas, atravessar o rio de fogo e sobreviver ao que virá depois — falou tudo ironicamente.

— E o que virá depois? — perguntou.

— Você logo descobrirá — sorriu — Agora, acho bom correr, você tem... Dois minutos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...