História Guia Definitivo de Como Conquistar Kim Taehyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Bottom!taehyung, Taekook, Top!jungkook, Vkook
Visualizações 106
Palavras 12.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi BabyReaders 💙💙
Aqui estou eu com uma nova fic, uma 2shot Vkook.

Guia Definitivo de Como Conquistar Kim Taehyung, essa fanfic é um presente para a mochi @Aninharmy15 💙💙, esse ser humano é muito fofa e um amorzinho, além de ser a inspiração para a Jun Hee, então a amem muito pois ela foi a principal causa para mim trazer essa nova estória para vocês.

Espero de verdade que gostem e tenham uma boa leitura 💙💙💙

Capítulo 1 - Parte 1


 

Finalmente eu estava voltando para a Coreia, só eu e Deus sabemos o quanto eu senti saudades desse país, não que eu não amasse o Brasil, não tinha como não amar aquele país que fez mudanças tão grandes em mim.

 Meu nome é Jun Hee, ou Ana Júlia, esse último sendo uma espécie de “nome facilitado”, a questão é que os meus amigos brasileiros não conseguiam pronunciar meu nome real, então me apelidaram de Ana Júlia para conseguirem falar e também como uma forma de fazer eu me sentir parte deles.

 Eu tinha 17 anos, mas aos 9 meus pais se separaram, eles foram para a justiça decidir com quem ficaria a minha guarda e a do meu irmão, foi descido que meu pai ficaria comigo e minha mãe com meu irmão e um ano depois meu pai recebeu uma proposta de emprego na filial da empresa ao qual ele trabalhava no Brasil.

 Foi realmente difícil me despedir dos meus amigos, principalmente do Jeongguk, o meu melhor amigo -e também amor platônico e do meu irmão também, ele chorou muito, me acusou de estar o traindo indo morar longe, mas o que eu podia fazer afinal? Era um ano mais velha que ele só e era uma criança.

 -Está pronta meu amor? -Meu pai perguntou segurando minha mão enquanto anunciavam que o avião iria pousar em segundos.

 -Sim. -O respondi sorrindo -Estou com tantas saudades do Tae.

 A menção do apelido do meu irmão fez o sorriso do meu pai desaparecer, não o culpava, a relação dele e de Taehyung era extremamente complicada, nossa mãe não era um “exemplo de mulher”, mas Taehyung teve que ficar só com ela e meu pai não pode fazer nada.

 -Deve estar, eu vou te deixar na casa dele. -Ele disse tentando não parecer cabisbaixo.

 -O senhor não vai descer? -Perguntei estranhando a situação, até onde eu sabia meu pai sentia tanta saudade do Tae quanto eu, talvez até mais.

 -Não sei Ju, ele não me quer lá. -Meu pai disse sorrindo como se aquilo não o afetasse.

 -Pai, o Tae só está magoado. -Expliquei não gostando de o ver daquele jeito.

 -Eu sei, eu fui um péssimo pai para ele né? -Ele perguntou olhando para os pés.

 Não sabia o que responder então só segurei sua mão mais forte. Por se sentir culpado por ter deixado Taehyung com apenas 9 anos meu pai ficou 1 ano sem falar com meu irmão, só falou com ele no natal muito sem jeito.

 -Do que o senhor mais vai sentir falta no Brasil? -Mudei o assunto.

 -Da comida, das festas, da nossa rotina talvez. -Ele disse me dando atenção.

 -Eu vou sentir falta da galera e de cada parte da nossa casa. Foi bom morar lá. -Contei sincera.

 O Brasil foi um divisor de águas na minha vida, antes eu só tinha Jeongguk como amigo por ser muito tímida, tinha medo até da minha sombra e agia quase sempre como um robô, no Brasil eu aprendi a me divertir -por que mais que as pessoas se divertissem a minha volta na Coreia, eu não conseguia me soltar.

 -Acho que é agora. -Meu pai disse quando o avião finalmente parou.

  Pegamos nossas bagagens que estavam conosco e descemos para pegar nossas outras malas, eu não sabia pôr em palavras o quanto era esquisito ver tantas pessoas parecidas no aeroporto quando do lugar onde eu vinha parecia que a única regra de aparência era ser o mais distinto o possível das pessoas a sua volta.

 Ao pegar o carro que meu pai comprou junto com o funcionário da agencia mais uma nova sensação, a tanto tempo que eu não falava coreano, meu pai e eu a muito tínhamos perdido esse costume até mesmo dentro de nossa casa, apesar de tanto tempo sem falar dia a dia coreano ainda éramos fluentes no idioma.

 Taehyung e minha mãe ainda moravam na mesma casa, e acho que isso fez meu pai se sentir ainda mais mal, porque nossa casa no Brasil deveria ter no mínimo o quíntuplo do tamanho daquela casa.

 -Precisaremos fazer umas reformas nessa cara. -Falei pondo minhas mãos na cintura enquanto observava as claras rachaduras na pintura.

 Meu pai terminou de pegar nossas malas e veio observar nossa antiga moradia junto comigo, mas fomos interrompidos por um grito e a porta sendo aberta bruscamente junto de um menino vindo rápido em nossa direção encima de um skate.

 Vocês já podem imaginar o que aconteceu? Eu soltei um grito de estourar tímpanos e o menino conseguiu desviar de mim e do meu pai, mas seu skate bateu no meio fio e ele foi lançado pelo capo do carro girando até cair do outro lado do veículo.

 -Aí. -Ele gemeu.

 -Taehyung está tudo bem? -Meu pai perguntou preocupado indo para o outro lado desesperado e então eu percebi que o menino desgovernado era o meu irmão.

 Contornei o carro rapidamente junto com meu pai e vimos Taehyung sentado no chão segurando a canela, abaixei ao lado dele e nosso pai segurou delicadamente a perna do meu irmão, mas assim que o garoto levantou a cabeça arregalou os olhos e se afastou.

 -O que vocês estão fazendo aqui? -Ele perguntou se levantando de supetão e fazendo uma careta logo depois.

 -Será porque voltamos a morar aqui? -Perguntei não entendendo sua dúvida, mas ao ver seu olhar confuso percebi que algo não estava bem esclarecido.

 -Sua mãe deve ter te contado não é Taehyung? -Meu pai perguntou tentando se aproximar, mas Tae se afastou novamente.

 -Não, omma não me disse nada e....

 -Achei que seria melhor assim. Seu pai e sua irmã vão voltar a morar aqui até acharem uma casa. -A voz da minha mãe atraiu meu olhar e a vi passando pela porta.

 -Como você me esconde uma coisa dessas? -Ele perguntou chocado.

 -Da mesma forma como você me esconde o que acontece com você e seu namoradinho? -Ela contrapôs venenosa.

 Olhei para Taehyung esperando uma reação, ele estava com a boca aberta e seus olhos rapidamente se encheram de lágrimas, mas ele as segurou fechando a cara.

 -Tanto faz, desde que eles vão embora logo. -Taehyung disse trombando o ombro no da nossa mãe e entrando em casa com o skate na mão como um furacão.

 Nós sabíamos que Taehyung era gay, um dia nossa mãe ligou para meu pai desesperada dizendo que havia colocado o Tae para rua pois o flagrou com um rapaz, meu pai aceitou numa boa a orientação sexual do meu irmão, afinal eu costumava dizer que conhecemos somente a parte boa do Brasil e essa parte nos ensinou a sermos menos preconceituosos como os coreanos.

 Taehyung tinha 13 na época, e meu pai ameaçou dar um jeito de contatar a polícia coreana se minha mãe não achasse Taehyung e o fizesse voltar para dentro de casa em segurança, dois dias depois ela ligou novamente falando que meu irmão já estava de volta.

 O que me deixou surpresa foi ele em si, Taehyung parecia outra pessoa agora, lembro de ter deixado um menino de 9 anos simpático e amigável, e não alguém tão arrisco e ríspido.

 -Ju, leve suas malas para cima, eu vou me inteirar dos assuntos com sua mãe. -Meu pai pediu olhando serio para a mulher a minha frente que o devolvia com um olhar debochado.

  Assenti e entrei para dentro de casa, e tudo parecia tão igual que a nostalgia me acertou em cheio, só que não haviam nenhum retrato meu e do meu pai, era como se nunca tivéssemos feito parte daquela família e isso me deprimiu um pouco.

 Continuei meu caminho até a escada e já no primeiro degrau um barulho horrível soou da madeira, parecia que eles iriam quebrar a qualquer momento e eu pensei seriamente em como aquela casa ainda se mantinha em pé.

 Fui até a porta onde antigamente ficava meu quarto, eu dormiria com meu pai, pois só tinham 3 quartos na casa. O quarto como o resto da casa parecia igual, mas estava muito empoeirado, então só deixei minhas malas e sai lá de dentro.

 Antes peguei meu celular que estava no silencioso e sorri largo com a mensagem que encontrei:

 

Jeongguk:

O avião já pousou?

 

Jeongguk:

Vai demorar para você chegar em casa?

 

Jeongguk:

 Queria poder te ver agora.

 

Jeongguk:

Ainda não acredito que finalmente você está voltando ^.^

 

 

You:

 Cheguei em casa a pouco tempo.

 Não se preocupe, amanhã nos veremos na escola.

 

 You:

 Ah Jeongguk.... não pense que eu esqueci daquela história de você estar apaixonado, eu quero saber quem é a pessoa que conseguiu conquistar esse coraçãozinho trevoso.

 

Jeongguk:

Aish, eu vou te mostrar quem é, mas só quando você chegar na escola.

 

 Guardei meu celular sentindo uma pontada levemente incomoda ao digitar sobre ele estar apaixonado, eu gostava de afirmar que não sentia mais nada por Jeongguk, mas aquilo me atingia de alguma forma, ele sempre foi amoroso amigo e sabia que se namorássemos ele me faria sentir a pessoa mais amada do mundo, mesmo se ele não me amasse.

 Quando voltei para o corredor ouvi a voz de Taehyung em uma conversa que me chamou bastante a atenção, e mesmo sabendo que era errado colei o meu ouvido na porta.

 -Eu sei Namjoon, não enche o saco, mas o que eu posso fazer? Eu e Hoseok namoramos por 2 anos e ele me traiu, eu iria perdoar, você sabe que eu já fiz isso dezenas de vezes. -Taehyung disse.

 Logo nesse início desgrudei meu ouvido da porta só para olhar para a mesma indignada, que palhaçada era esse de ser traído e perdoar várias vezes? Taehyung era o que? Uma espécie de mulher de bandido para ficar aturando galhada?

 -O QUE VOCÊ QUER QUE EU FAÇA? Hoseok que terminou comigo. -Ele continuou.

 -Pelo menos já se livrou do traste. -Deixei escapar, mas voltei a ficar quieta.

 -Ele está com aquele garoto? Mas nós terminamos ontem! -Taehyung protestou rouco.

 Um claro sinal de que ele iria começar a chorar, e juro isso partiu meu coração em milhares de pedaços.

 -Nam, eu queria poder superar ele rápido e partir para outra do mesmo jeito que ele está fazendo. -Meu irmão finalizou choroso.

 Eu tinha que fazer alguma coisa, Taehyung não podia ficar chorando por namorado, quantas vezes ele não deve ter feito isso nesses dois anos que namorou esse menino?

 A grande diferença é que agora ele não estava sozinho, a noona dele estava de volta para o ajudar, e eu defenderia o meu leãozinho com unhas e dentes, nem que para isso eu tenha descer do meu salto e montar um barraco.

 Respirei fundo e entrei no quarto.

 -TaeTae levanta que eu ouvi tudo. -Falei entrando no quarto.

 Ele estava deitado na cama de bruços e levantou assim que me ouviu, mas ficou um tempo de costas limpando as lágrimas tentando parecer discreto.

 -Por que você fica ouvido as conversas dos outros EIHN? É esse tipo de coisa que aprendeu naquele país? -Ele disse virando irritado.

 -Ei, pode ir parando, eu vim te ajudar. Você vai superar ele e tenho até uma ideia já. -Falei orgulhosa.

 Outra coisa que aprendi foi que não devia esperar muito tempo quando queria algo e agora eu queria Taehyung bem.

 Sem falar que eu já tinha visto casos assim diversas vezes no Brasil, era obvio o que deveríamos fazer para que Taehyung esquecesse esse cara de uma vez.

 Isso pareceu fazer ele considerar minha ajuda, já que ele parou e me olhou curioso.

 -Que ideia? -Taehyung perguntou fungando o nariz.

 -Simples, vamos te arrumar um outro relacionamento para você esquecer o seu ex. -Expliquei sorrindo.

 Taehyung soltou uma risada sarcástica e olhou para cima logo voltando o seu olhar para mim.

 -Isso é impossível, agora sai do meu quarto. -Ele disse apontando para a porta.

 -Não é impossível, você é bonito e vai ser fácil achar alguém. -Afirmei.

 -SAI. -Taehyung gritou fazendo eu pular de susto. -E desiste dessa ideia.

 Sai do quarto para não arrumar briga, mas percebi que Taehyung já não me conhecia mais, afinal eu claramente não desistiria tão fácil de algo que eu nem se quer testei.

 

 

                                          ***********

 

 -Então Jun Hee, espero que você goste da escola. -Minha mãe desejou simpática e eu sorri agradecendo.

 Nós três estávamos tomando café da manhã, a espera de Taehyung que estava se arrumando. A cada hora que eu ficava naquela casa me sentia mais culpa, Taehyung e a nossa mãe viviam com muitas limitações financeiras, uma das coisas que me fez ver isso foi o fato de que não tínhamos o que tomar de café, meu pai teve que ir no mercado comprar.

  Logo no dia seguinte que cheguei na Coreia iria para escola, a mesma que Taehyung e Jeongguk, e só a perspectiva de ver esse último me deixava eufórica.

 -Eu vou buscar você e Taehyung hoje, depois que eu levar o carro para lustrar. -Meu pai avisou.

 -Lustrar o carro? -Minha progenitora disse confusa.

 -Taehyung arranhou o carro do papai ontem quando pulou por cima dele. -Ri ao lembrar da cena.

 -Ah, ele causa esse tipo de coisa com o skate, deixa que eu pago pelo conserto. -Ela se ofereceu.

 -Não se preocupe com isso, está na hora de eu começar a arrumar as coisas que Taehyung destrói, já que não fiz isso por anos e pais tem esse papel. -Meu pai disse feliz.

 -Não precisa pagar nada por mim, eu vou arrumar as coisas na casa do vizinho hoje e ele vai me pagar, eu te entrego o dinheiro como pagamento pela minha destruição. -Taehyung disse aparecendo na cozinha.

 O olhei dos pés a cabeça, o uniforme da escola -preto no meu caso- se encontrava cinza de tão desbotado, assim como o tênis que ele segurava na mão.

 -Não seja desse jeito filho, não é problema nenhum pagar por algo tão pequeno. -O mais velho garantiu.

 -Eu tenho certeza que falta de dinheiro não é um problema para vocês dois. -Taehyung provocou olhando de mim para meu pai.

 Meu irmão se sentou ao meu lado, e foi colocar o tênis mas encontrava dificuldade com a meia que parecia nadar em seu pé.

 -Essa meia não é grande demais? -Perguntei olhando ele finalmente conseguir colocar o primeiro tênis.

 -É do vizinho, ele me deu quando percebeu que eu não tinha mais nenhuma. -Taehyung disse com um tom de magoa e eu fiquei quieta.

 -Coma Taehyung. -Nossa mãe disse apontando com a cabeça para as coisas que havíamos comprado.

 -Café da manhã? -Ele perguntou impressionado.

 Olhei para meu pai e ele estava com uma expressão triste vendo a animação de Taehyung. Eu sabia que nosso pai pagava pensão para Tae, mas por que então ele vivia tão mal financeiramente?

 Taehyung pegou um bolinho e o comeu com gosto, mas seu celular apitou e ele se levantou rápido.

 -Tenho que ir. -Ele avisou pegando o skate que estava na entrada da sala.

 -TOMA CUIDADO COM ISSO FILHO. -Appa gritou para Taehyung sem resposta.

  Pouco depois que ele saiu me levantei e fui junto com meu pai para escola, não conversamos muito no caminho, ele estava muito pensativo e eu não gostaria de atrapalhar.

 Quando cheguei na escola, a primeira coisa que fiz foi procurar Jeongguk, mandei mensagens para ele ontem, ele era um ano mais novo que eu assim como Tae, então não ficávamos na mesma sala.

  Olhei para todos os lados, e quando vi um nariz um tanto quanto MUITO grande já sabia que tinha encontrado meu alvo.

 -JEONGGUK VIADO. -Chamei.

 Ele olhou para onde vinha o grito e assim que me viu abriu um largo sorriso, vindo em minha direção.

 -JUN HEE DEMONIA.

 Assim que fiquei próxima o suficiente me joguei em seus braços, agarrei minhas pernas em sua cintura e me deixei matar a saudade de seu corpo.

 -Ah Deus, eu estava com tantas saudades suas. -Jeongguk disse me rodando em seus braços.

 Quando ele me soltou o olhei por inteiro.

 -Jeon Jeongguk eu saio por alguns anos e quando volto você ta puro músculo. -Falei olhando seu corpo definido.

 -Eu não estou só músculo, só estou me cuidando. -Jeongguk protestou sorrindo.

 É você não está só músculo, está um puta de um gostoso que me deixou morrendo de tesão.

 -Quem é essa Jeongguk? -Um garoto disse se aproximando.

 Ele era magro, um pouco mais baixo que Jeongguk e bem mais branquinho, mas sua expressão não era infantil como a de Jeongguk, era bem mais séria.

 -Ah Yoongi hyung esse é a minha melhor amiga Jun Hee, e Jun Hee esse é o meu melhor amigo Yoongi. -Jeongguk nos apresentou feliz.

 Melhor amiga é foda né? Mas fazer o que se era essa minha triste realidade, eu era amiga do pecado e não podia me aproveitar dele.

 -Prazer em te conhecer. -Yoongi disse apertando minha mão.

 -O prazer é meu em conhecer um amigo de Jeongguk. -Falei sorrindo.

  De repente Jeongguk começou a olhar para os lados, logo depois Taehyung passou por nós de skate, e pela primeira vez vi Tae socializando, ele parou perto de um garoto um pouquinho moreno e com lábios grandes.

 -Para de encarar ele Jeongguk, olha a vergonha. -Yoongi avisou batendo na cabeça do Jeon que o olhou reprovador.

 -Olhando quem? -Perguntei curiosa.

 -O menino que ele é apaixonadinho. -Yoongi me respondeu, Jeongguk ficou tenso quando ouviu as palavras do amigo.

 Menino? É lógico que eu sabia que Jeongguk era bi, mas por essa não espera. Pelo menos quando eu me perguntar o que a pessoa que o Jeongguk gosta tem que eu não tenho já tenho a resposta: Um pênis.

 -AH era isso que eu queria saber. Jeongguk quem é a pessoa que te conquistou? -Perguntei animada, mas é logico que eu estava sendo falsa, e o idiota nem percebeu só tentou desconversar.

 -Ana Júlia ta na hora de você ir na secretaria pegar seus horários né? -Ele disse me puxando pelo braço.

 -Ei, não me chama de Ana Júlia aqui, na Coreia eu sou Jun Hee e ponto. -Soltei meu braço de suas mãos e protestei contra o nome.

 -Jeongguk uma hora ou outra ela vai perceber que você é apaixonadinho pelo Kim Taehyung. Todos na escola sabem, você é bem insistente sabia? -Yoongi disse.

 Automaticamente eu e Jeongguk paramos de nos bicar, eu abri minha boca surpresa e Jeongguk me olhou com os olhos arregalados.

 -V-você é apaixonado pelo meu irmão? -Perguntei gaguejando, eu precisava de uma confirmação antes de qualquer coisa.

 -Sim. -Ele assumiu abaixando a cabeça.

 -O que? -Perguntei novamente por ele ter falado baixo.

 -SIM DESGRAÇADA NÃO LIMPOU O OUVIDO. -Jeongguk gritou com as bochechas coradas.

 Ele gostava do meu irmão? Mas que porra de sorte era essa minha? O meu senpai era apaixonado pelo meu irmão.

 Olhei para Taehyung de forma automática e vi ele olhar triste para o menino a sua frente e se agarrar nele em um abraço forte, ele estava realmente sofrendo e pensei que seria bom ele ter um namorado como Jeongguk, mais esse pensamento me deixou desconfortável.

 -Jun Hee? -Jeongguk me chamou hesitante.

 E mais uma vez agi sobre impulso e pressão quando gritei alto o assustando:

 -AHHH MEU DEUS, EU NÃO PUDIA QUERER NOTICIA MELHOR, É ISSO AI PORRA. TA TUDO COOPERANDO COMIGO DESGRAÇA. -Gritei feliz pulando em excitação.

 -Jun o que você quer? -Jeongguk perguntou surpreso com minha comemoração.

 -Você -Falei apontando para ele. -Vai ser muito útil para mim, e vai ajudar muito meu irmão.

 -Ajudar Taehyung? Aconteceu algo? -Ele perguntou preocupado e isso só serviu para mim ter mais certeza.

 Jeongguk seria nada mais nada menos que o meu novo cunhado, e faria Taehyung esquecer de vez daquele Hoseok, e eu teria certeza que ele trataria o meu irmão melhor do que qualquer pessoa.

 -Nada muito sério. Mas agora eu tenho que ir para a secretaria agora. -Falei tendo ciência de que deixaria Jeongguk louco de curiosidade.

 Mas eu tinha que bolar um plano sério, pois eu tinha uma grande mania de começar a fazer algo e parar no meio, e isso era a última coisa eu poderia fazer, tinha que ir até o final.

 

 

                               ************

 

  Mesmo que aquele plano rodasse minha cabeça o dia inteiro eu tinha que ter certeza do que Jeongguk sentia pelo meu irmão, pois eu não podia deixar eu meu pequeno se magoasse mais.

 -Alô Jun? O que você quer a essa hora? -Jeongguk perguntou com voz de sono.

  Desde que cheguei na escola eu comecei a preparar as coisas, mas quanto já não conseguia segurar minha curiosidade tive     que ligar para Jeongguk, mas isso foi a 1:30 da manhã.

 Tive que ir sair de casa, por que se ficasse no meu quarto acordaria meu pai, e poderia chamar a atenção de Taehyung.

 -Eu preciso falar com você. Jeongguk quais são seus sentimentos pelo Tae exatamente? -Perguntei mordendo o lábio.

  Ele suspirou e riu anasalado.

 -Eu sou apaixonado por ele desde que Taehyung tinha 10 anos. -Jeongguk assumiu e eu podia garantir que ele estava sorrindo.

 -E por que nunca se aproximou dele? -Indaguei curiosa, eu precisava eu ele fazer ele me dar o máximo de informação o possível.

 -Você acha eu já não tentei? -Ele perguntou -Eu me declaro para ele todo ano, Taehyung sabe que eu gosto dele, mas ele deixou claro que não sente nada por mim.

 A voz de Jeongguk ficou tão tristinha que senti meu coração apertar igualmente aconteceu quando o Tae chorou pelo namorado. No final eu erra completamente derretida pôr aqueles dongsaengs.

 Os sentimentos deles vinham antes dos meus.

 -Você é insistente e ele é teimoso, tem como não dar certo? -Perguntei tentando o animar, o que não surtiu efeito. -Eu vou fazer vocês dois ficarem juntos.

 -E como pretende fazer isso? -Jeongguk perguntou curioso.

 -Você vai ver. -Afirmei.

 

 

 

 No outro dia assim que acordei vim direto para escola, nem tomei café e pedi para meu pai me trazer, não esperei Taehyung por que tinha certeza que ele não aceitaria ir conosco mesmo.

 Quando cheguei na escola fui direto para o ginásio onde marquei de encontrar Jeongguk, e na hora marcada em ponto fui ao local e o vi sentado nas arquibancadas com Yoongi.

 -Oi gente. -Atrai a atenção deles para mim.

 -Bom dia Jun Hee. -Yoongi cumprimentou agradável.

 Eu estava começando a me acostumar com aquela beleza afrontosa que Yoongi jogava na minha cara, mas aquele rostinho serio quase fez eu me jogar no chão.

 Sim eu gostava de Jeongguk, mas eu não era cega não é mesmo?

  -O que é isso? -Jeongguk perguntou olhando para o embrulho na minha mão.

 -Um bom dia é sempre bom -Declarei o provocando -Isso caro Jeon, é simplesmente o caderno de bordo de toda nossa operação.

 Tirei o diário do embrulho e virei para ele, vi o olhar dos dois a minha frente se arregalar e sorri orgulhosa, eu havia passado boa parte do começo da minha noite decorando aquele caderno.

 -Guia de como conquistar Kim Taehyung? -Jeongguk leu em voz alta.

 E eu assenti freneticamente, enquanto via ele passar a ponta dos dedos entre as dezenas de fotos do Taehyung e dele próprio que eu havia recortado e colado.

 -Sim e olha, já temos todos os passos para conquistar ele. -Falei animada abrindo o caderno e o entregando.

 -Passo 1: Observação e aproximação. -Yoongi leu e Jeongguk me olhou confuso.

 -Eu vou observar e tentar e aproximar do Tae? -Ele me perguntou e eu confirmei.

 -E isso começa hoje, então vamos lá. -Chamei.

 -Eu posso ficar? -Yoongi perguntou se deitando na arquibancada.

 -Mas é Jun isso vai ser muito estranho, eu começar a observar o menino, ele vai achar que eu sou louco. -Jeongguk protestou.

 Parei de andar e virei para eles revirando os olhos, eu não podia ser simplesmente a única pessoa provida de inteligência naquele pequeno grupo.

 -Nós não vamos sair por aí grudando na testa que estamos o observando, iremos o espiar. -Falei sorrindo. -Mas também se você não quiser Jeongguk tudo bem você nunca saberá o que é ter o meu irmão do seu lado.

 Ficamos no silêncio até que os meninos se convencessem, e eu respirei em triunfo, porque já sabia que contra aquele argumento Jeongguk não teria o que falar.

 

 

   Jeongguk POV.

 

 

 Passo 1: Observação e aproximação.

 

 Minha manhã estava sendo totalmente agradável, mesmo com minha irredutividade para seguir e observar Taehyung no começo, não podia negar que ficar o admirando era um bom programa, principalmente quando eu o fazia todo dia, só não queria observar Tae sem a minha privacidade habitual.

 Mas o plano de Jun Hee tinha uma falha logo no Passo 1, ela queria que nós observássemos Taehyung, mas por ela própria e Yoongi estarem um ano na frente, eu fiquei sozinho observando Taehyung.

 Ele não fez nada diferente do que faz normalmente, foi até seu armário pegou os livros, conversou com o seu melhor amigo Namjoon -o Kim mais velho também era do 3° assim como Yoongi, Jun Hee, e o Hoseok.

 Esse era outro motivo para minha manhã estar tão esplendida, Hoseok, o agora ex namorado irritantemente de Taehyung não veio hoje, e todo dia que aquele garoto não vinha era uma vitória a mais.

 Na aula de filosofia Taehyung dormiu praticamente todos os períodos da matéria, ele normalmente dormia sempre que chegava o final de um semestre, quando ele recebia a -não tão rara noticia- de que mais uma vez tinha tirado nota máxima na matéria.

 Jun hee nos contou nos primeiros minutos da manhã que a parte da observação era apenas para entendermos mais de Taehyung, e ela duraria o plano todo apesar de só estar escrita no Passo 1.

 Quase ri quando ela disse isso, eu observava Taehyung todo dia final, sabia que ele não gostava de ir ao cinema mas ia até lá só para comprar pipoca, ele amava aquele skate que tinha ganhado de Namjoon e o carregava para cima e para baixo, era alérgico a nozes e amava mais que tudo roupas maiores que ele.

 Mas eu só sabia o que Taehyung mostrava, qualquer um que o observasse saberia disso e isso me magoava, eu queria saber mais sobre o Tae, saber coisas que só pessoas intimas dele sabiam, coisas que só eu soubesse.

 -No que ta pensando biscoito/ -Jun Hee perguntou próximo ao meu ouvido.

 -AH, você é louca menina? -Perguntei me levantando com o susto o que fez todo o refeitório nos olhar.

 Eu estava concentrado em Taehyung que comia um pedaço de pizza e nem ao menos notei a presença de Jun Hee e Yoongi se aproximando.

 -Tava levando o Passo 1 a sério né Jeongguk? Não desgruda o olho do garoto, não sei como não furou a cabeça dele. -Yoongi disse debochado se sentando ao meu lado.

 -Então Jeongguk. Quem é o Hoseok? -Fechei minha cara quando Jun citou o nome maldito.

 -Não veio. -Contei deitando minha cabeça nos meus braços que estavam em cima da mesa.

 -Ei não fica assim, eu sei que a presença dele deve ser um nojo para você. -Jun Hee disse com cara de desgosto.

 -Posso perguntar algo? -Yoongi pediu e nós dois assentimos -Como o Jeongguk vai fazer a outra parte do Passo 1?

 Olhei para Jun Hee sem saber o que responder, aproximação.... como eu iria fazer isso sem que Taehyung me mandasse pastar como em todas as outras vezes?

 -Você vai dar um jeito. -Jun Hee disse para antes que eu pudesse dizer algo.

 -É, só quero saber qual. -Fui sincero.

 Eu não sabia o que fazer, então só segui para a aula de biologia esperando que um sinal ou uma ajuda divina caísse do céu direto na minha cabeça e fizesse eu ser obrigado a me aproximar de Taehyung.

 Fui um dos últimos a entrar na sala porque fiquei na porta para ver se Taehyung iria entrar ou matar aula novamente, por que em biologia ele também tinha tirado nota máxima. Ele era sem dúvidas a pessoas mais inteligente e que me menos se esforçava para isso que já conheci.

 Depois que o mesmo passou por mim entrei na sala, e fui surpreendido, só não sei se foi pelo fato que a verruga que o professor tinha na volta do nariz parecia maior que normalmente -confesso que fiquei alguns minutos tentando entender como ele ainda tinha mais nariz que verruga-, e segundo que a sala toda estava organizada com duas classes uma do lado da outra, e aquilo só podia significar uma coisa.... DUPLA.

 EITA PORRA, isso era Deus agindo, até ele me shippava com o Tae... OBRIGADA SENHOR.

 Sentia uma vontade de dançar e dar um abraço no professor coisinha -esqueci o nome dele mesmo, grande coisa.

 -Jeongguk? Jeongguk? GAROTO ACORDA. -O velho gritou no meu ouvido.

 Olha eu tinha uma gana daquele professor que mesmo ele tendo posto a sala em dupla não ajudaria ele a se livrar da macumba que eu ia arma para ele.

 -OI? -Perguntei um pouco alto demais ouvindo a risada da turma.

 Sabe quando você olha para os lados e percebe que estava pagando um micão e o justo o professor que você menos gostava estava tentando te salvar.

 -Sente com o senhor Taehyung. -O professor disse apontando para o garoto que olhava para tudo sem expressão.

 Taehyung era um amor de pessoa, mas era bem antissocial, além de que tinha muita panelinha naquela turma, e olha o melhor: a maioria dos meus amigos era do 3° ano, então naquela turma quando tinha dupla eu sentava com ele, isso se o....

 -Bom dia professor, posso entrar? -Jimin perguntou na porta da sala.

 ... Jimin não chegasse para atrapalhar.

 Antes que o professor pudesse dizer alguma coisa eu corri e me sentei ao lado de Taehyung fazendo um barulho infernal com a cadeira e o Kim me olhou assustado.

 -Jimin, sente-se com a srta. Lee a srta. Shin. -O professor disse e Jimin foi se sentar junto delas.

 -Hoje, nós iremos tratar sobre a formação dos seres humanos e iremos ver isso a partir dos fetos. -O homem começou a falar.

 -De novo esse assunto. -Taehyung reclamou do meu lado.

 -Realmente, parece que esse homem fica mais caduco a cada dia. -Falei rindo, Taehyung riu também e isso quase fez meu coração parar.

 Eu consegui falar com Taehyung e ele ainda riu para mim pela primeira vez na vida, quando sentávamos em dupla eu ficava tão envergonhado que nem conseguia o olhar.

   Todos pegaram seus livros e abriram na página que já havíamos decorado como formação de bebês.

 Nem estudar sobre fetos iria tirar a magia desse início de tarde, eu havia dado um passo com Taehyung, eu estava tão feliz, nada poderia estragar minha animação.

 -Não nos livros, o vidro na frente de vocês. -O professor disse.

 Taehyung tirou o pano da frente do vidro, e assim que vi um feto dentro de um potinho com uma água amarela percebi que falei tudo muito cedo.

 A única coisa que me lembro foi de vomitar adivinhem aonde? NOS PÉS DO TAEHYUNG, ele soltou um muxoxo de nojo, e eu cai sobre o colo dele, não estava desmaiado, mas estava próximo, então ele me empurrou e assim que me senti bater em algo viscoso perdi realmente a consciência.

 E só digo uma coisa, tinha sim algo que poderia acabar com meu dia: Eu mesmo, e eu estava muito feliz por ter desmaiado e não ter precisado encarrar Taehyung depois desse micão do século.

 

 

                               ************

 

 

 Devo dizer que consegui volta para a escola no dia seguinte ao meu micão, só não consegui olhar na cara do Taehyung, então Jun Hee vendo que eu realmente havia pagado uma vergonha difícil de superar, fez do Passo 3, o Passo 2, já que nesse eu não precisaria falar com Taehyung diretamente.

 

 

x Passo 3 X     Passo 2: Mistério.

 

 

 Esse passo consistia em escrever cartas como um admirador secreto para Taehyung e colocar nas coisas dele durante as aulas.

 Mesmo não escrevendo nada muito bom, achei que seria legal fazer isso, a primeira carta foi relativamente curta, mas bastou para atrair a atenção de Taehyung quando ele abriu o armário e caiu o bilhete.

 

“Confesso que a última coisa que queria fazer hoje de manhã era abandonar minha cama e vir para essa aula, mas depois que eu te vi pela primeira vez no dia, percebi que não importa com o que eu esteja somente em te olhar já me sentirei a pessoa mais disposta do mundo inteiro.

Ass: A pessoa a qual você mais faz bem. ”

 

 

 Ele sorriu quando leu e eu fiquei completamente bobo por ter o feito sorrir outra vez, então sem perder tempo eu fiz muitos bilhetes para o entregar ainda naquela manhã.

 Corri rápido para a sala tentando colocar o bilhete entre suas coisas, coloquei em seu estojo e antes que conseguisse fechar o material Jimin apareceu na sala, e com o susto eu cai na frente da mesa de Taehyung.

 -Jeongguk? Está tudo bem? -Jimin perguntou me olhando curioso.

 MAIS UM MICO PARA MINHA COLEÇÃO, EBA!

 -‘To. ‘To sim Jimin, ta tudo tranquilo. -Falei sorrindo falso e fechando o estojo atrás de mim.

 Jimin foi para sua cadeira e eu corri igual um jato até a minha, os meus colegas foram vindo e Taehyung se sentou, ele ficou um tempo sem fazer nada o que me deixou agoniado, mas assim que ele abriu o bilhete quase pulei de animação.

 Esse bilhete era sobre sua inteligência e beleza exterior já que eu não tinha experiencias suficientes para dizer se ele era tão lindo por dentro quanto por fora, mas desconfiava que fosse.

 Trocamos de matéria no outro período, e tivemos que ir pegar nossos livros que estavam nos armários, aproveitei para deixar outro bilhete dessa vez em seu caderno e corri para ir pegar meus livros sem suspeita.

 Quando voltei Taehyung estava com o bilhete na mão, e ao passar por ele o ouvi ler o bilhete em voz alta mas para si.

 -Pela segunda vez você riu por mim, e eu mal te agradeci por existir e você já vem sorrindo daquele jeito? Quer me matar Kim Taehyung? Talvez se eu fosse mais corajoso falaria com você pessoalmente mais vezes. Assinado: O garoto que não consegue te ver sem sorrir.

 E eu fiquei a aula inteira praticando o Passo 1: observação, Taehyung era um apaixonado por inglês e essa era a única matéria que ele não ia muito bem. Taehyung era muito teimoso, amava inglês e era quase o pior da sala naquela matéria.

 Depois da aula fui atrás de Jun Hee e o Yoongi, e então meu intervalo acabou assim que vi Jung Hoseok passando pelo portão da instituição chegando mais uma vez atrasado, Taehyung o olhou mas Hoseok passou reto por ele.

 Yoongi e Jun Hee estavam sentados em baixo de uma das árvores comendo sanduiches, aqueles dois estavam conversando bastante e eu não podia querer algo melhor que meus dois melhores amigos sendo amigos também.

 -Quem é aquele menino? Ele é muito bonito. -Ouvi Jun Hee perguntar olhando para Hoseok e quase vomitei.

 -Jung Hoseok. -Yoongi disse sem desviar o olhar de seu sanduiche.

 -HOSEOK? -Ela perguntou escandalosa se levantando.

 Jun Hee foi igual a um furacão atrás de Hoseok, mas eu a segurei pela cintura a tempo e a deixei afastada do chão.

 -ME LARGA JEONGGUK ELE TRAIU O MEU BEBÊ. EU VOU SOLTA A POMBA GIRA COM ELE. -Jun Hee gritou revoltada se mexendo e tentando se levantar.

 -Se acalma Ana Júlia. Credo parece outra pessoa quando está irritada nossa senhora. -Falei a segurando.

 -NÃO ME CHAMA ASSIM SEU FILHO DA PUTA. -Ela disse dando uma joelhada no meu pênis.

 A primeira coisa que fiz foi soltar ela e cair deitado em posição fetal segurando meu membro.

 -AHH. -Soltei um grito gutural me segurando para não chorar.

 -Aí meu Deus Jeongguk me desculpa. -Jun Hee se abaixou do meu lado.

 Só consegui ouvir a risada alta de Yoongi, e eu era o alvo de sua diversão.

 -Vocês são muito anormais, principalmente você mochi. -Ele disse e eu quase parei de sentir dor para tentar entender de onde havia saído aquele apelido e por que ele tinha o dado para Jun Hee.

 -Me ajuda aqui Yoongi, eu deixei o Kookie estéril. -Ela disse culpada e eu só queria jogar na cara dela o quanto a mesma se importava comigo.

 -Ixi, olha quem vem ali. -Yoongi avisou.

 Segui para onde seu dedo apontava e vi Taehyung vindo até nós com toda sua fúria, o que me fez levantar rápido -e meio capenga.

 -Taehyung, veio visitar a sua irmãzinha? -Jun Hee perguntou fazendo uma carinha fofa que funcionava com quase todos, mas não com quem fazia aquela carinha até melhor que ela.... Seu próprio irmão.

 -Vou ser rápido com vocês. Eu sei o que vocês querem, mas eu não quero nada com você Jeongguk, e não quero que você se meta na minha vida Jun Hee. -Taehyung disse parando de braços cruzados.

 -O que? Não sei do que você está falando. -Eu disse tentando desviar o olhar dos penetrantes olhos a minha frente.

 -Eu sei que você escreveu as cartas, é a sua letra e Jimin me confirmou. Eu até gostei delas, mas eu acabei de terminar com o Hoseok, e eu não gosto de você então por favor ME DEIXE EM PAZ. -Taehyung pediu e nem nos deixou responder e foi embora.

  Eu olhei para o chão e Yoongi riu até mais do que antes.

 -Esse foi o melhor pé na bunda eu já vi. -Ele disse quase sem ar.

 -Sabe o que isso significa? -A voz de Jun Hee soou fraca.

 Levantei meu rosto com um largo sorriso e assenti freneticamente correndo até ela e a abraçando.

 -ELE SABE MINHA LETRA, ELE PRESTA ATENÇÃO EM MIM. -Sorri animado e Jun Hee se grudou em mim enquanto pulávamos.

 -O que? Vocês têm algum problema? Essa é a hora que vocês deixam o menino em paz. -Yoongi explicou como se fossemos idiotas.

 -Claro que não, Yoongi fique quieto por favor. -Jun Hee falou sem dar ouvido a ele.

 -O próximo passo vai vir em boa hora. -Lembrei.

 -E qual seria? -Yoongi perguntou.

 -Romantismo antigo. E nós iremos fazer isso amanhã mesmo, vamos deixar Taehyung se acalmar, chegue cedo amanhã, vamos programar o que você vai fazer durante o dia. -Jun Hee deu a ideia e eu assenti eufórico.

 Pela primeira vez eu sentia que aquilo era uma esperança, afinal eu achava que Taehyung não sabia nem meu nome, e ele sabia até mesmo diferenciar minha letra das outras.

 Eu faria o possível para que desse tudo certo amanhã.

 

 

 

  Depois que a aula acabou eu fui para a casa da Jun Hee, que por acaso era a casa do Tae, e mesmo tremendo muito só de pensar em o olhar, fiquei decepcionado quando cheguei e ela me disse que ele não estava em casa e que tinha saído com o Namjoon.

 -Olá Jeongguk. Como você cresceu. -O senhor Kim disse ao me ver entrando.

 -Oi sr. Kim, faz tempo que não nos vemos pessoalmente. -O lembrei enquanto ele bagunçava o meu cabelo.

 -Realmente, eu senti saudades de muitas coisas na Coreia, mas você foi uma das principais, talvez a principal depois do meu Tae. -Ele disse com um sorriso bobo ao falar do filho.

 Eu não fazia a mínima ideia de como ele havia conseguido passar tanto tempo longe de Taehyung, se o Kim mais novo faltava um dia na escola eu já ficava louco de preocupação.

 -Sobe logo Jeongguk, que droga, será que eu vou ter que vir aqui te buscar toda vez? -Jun Hee perguntou parada no pé da escada.

 -Eu já vou, credo você é muito estressada Ana Júlia. -Falei rindo de seu rosto vermelho.

 -Já te disse que esse é um nome especial e só pode ser usado em solo brasileiro. -Ela disse puxando o meu cabelo.

 -Aí solta sua maluca. -Reclamei e nos separamos.

 -Sobe logo. -Jun Hee disse subindo e eu fui logo atrás.

 -Estava com saudade de vocês juntos. -O sr. Kim comentou me deixando envergonhado.

  Paramos em uma porta e eu fiquei me perguntando onde seria o quarto do Taehyung.

 -O quarto do Tae é o da frente. -Jun Hee soltou aleatória me fazendo pular de susto.

 Por acaso ela estava lendo os meus pensamentos agora?

 -Hum. -Falei simples querendo entrar no quarto dela de uma vez.

 Fui até a escrivaninha branca e me sentei lá olhando para o Guia de Como Conquistar Kim Taehyung que eu havia trago, Jun Hee pediu para mim levar o que reduziria as chances do Tae o achar.

 -O que você acha que podemos fazer amanhã no próximo passo? -Jun Hee perguntou se sentando ao meu lado cruzando as pernas como a menininha que eu queria que ela fosse.

 -Que tal eu tocar alguma música para ele? Sabe, com meu violão e tal. -Dei a ideia animado.

 Taehyung gostava de música eu tinha certeza que ele iria gostar bastante disso, e era algo que eu ainda não havia tentado com ele, talvez desse certo.

 -Não Jeongguk, muito simples. -Ela disse abanando a mão como se afastasse a ideia.

 -Então o que você tem em mente? -Perguntei emburrado.

 -Você tem que ser um romântico antigo Kookie, é claro que você precisa ver filmes com essa temática por que você não sabe nada sobre isso. -Jun Hee argumentou.

 Acreditem se quiserem, mas eu tive que fazer maratona de filme antigo, e eu dormi pelo menos na maior parte deles porque vai dizer aquilo era um saco.

 Mas se me fizesse atrair a atenção do Tae eu estava imensamente satisfeito.

 -Por favor Jun me deixa ir para casa, eu ‘to morrendo de sono. -Pedi torcendo para que o meu pedido não fosse negado mais uma vez.

 -Que saco Jeongguk, vai logo peste. -Ela disse se levantando.

 Quem vê ela assim acha que ela gosta de me ter na casa dela, mas só parece mesmo, Jun Hee viu que eu estava entediado e ela gosta mesmo é de me causar sofrimento.

 Descemos as escadas e logo percebi que tinha alguma coisa errada, a sr. Shi -sobrenome de solteira da mãe do Tae e da Jun Hee- estava falando alto e o sr. Kim rebatia com toda sua fúria.

 -Ele não está em casa até agora, deve estar fazendo algo errado. -A mulher disse irritada.

 -Pode ter acontecido algo, precisamos ligar para a polícia. -O sr. Kim disse nervoso andando de um lado para o outro.

 -Para que? Para eles procurarem Taehyung e acabarem o levando preso quando verem o que está fazendo? -A sr. Shi rebateu.

 A olhei confuso, eu concordava com o sr. Kim, e se algo sério tivesse acontecido ao Taehyung?

 -Talvez por que nosso filho esteja desde que saiu para a escola fora de casa? Ou por que a escola já acabou faz horas? -O homem perguntou debochado.

 -Se acalma homem, para que tanta preocupação? É o Taehyung afinal, eu estou acostumada com esses desgostos que ele me dá, Taehyung é um desperdício de espaço. -Ela disse me deixando chocado.

 Mas não tive tanto quando ouvi a porta fechar e Taehyung passar como um furacão de cabeça baixa e sem olhar para ninguém. Ele havia ouvido tudo.

 -FILHO NÃO É ISSO QUE VOCÊ ACHA. -O sr. Kim gritou pelo filho mas não foi ouvido e ouvimos uma porta se fechar com força no outro andar.

 -É melhor você ir Kookie. -Jun Hee disse baixinho no meu ouvido.

 Mesmo não querendo eu saí daquela casa, e fiquei o resto da noite com o coração na mão imaginando como fazer para que Taehyung melhorasse amanhã.

 

                      **************

 

 

 

 Passo 3: Romantismo antigo.

 

 

  Bom o dia começou chuvoso e depois de tudo que aconteceu eu separei ele por nível de vergonha alheia que eu estava sentindo por mim mesmo, e quando você sente vergonha alheia de si mesmo é por que a coisa está seria.

 Então irei mostrar as tristezas acumuladas do meu dia:

 

 

 Vergonha nível 3:

 

 Estava tudo molhado e pela primeira vez eu cheguei no mesmo horário que Taehyung, Jun Hee vinha atrás dele no carro do pai dos dois.

 Quando Tae foi entrar na escola Jun Hee apontou para uma parte embarrada onde ele iria pisar se continuasse tão distraído com o celular.

 Então eu corri até ele tirando o meu casaco e coloquei a peça em cima da sujeira, Taehyung só percebeu o que eu tinha feito depois que olhou para o chão após passar.

 -Preste atenção Tae. -Falei sorrindo, e ele continuou me olhando confuso.

 -Ah, obrigada? -Ele agradeceu como se perguntasse se aquilo tinha que ser agradecido.

 Ele continuou o caminho e eu fiquei olhando suas costas -não pude evitar analisar sua bunda -que era bem gostosa por sinal- mas logo afastei esses pensamentos.

 -Qual o seu problema? -Jun Hee perguntou dando um tapa na minha cabeça.

 -Era para você avisar do barro e não tacar o casaco por cima, agora Taehyung te acha ainda mais esquisito do que quando tu vomitou nele. -Ela explicou.

 -Por favor não me lembre disso. -Falei olhando para o nada.

 Essa vergonha está no nível três por que ninguém a viu, e eu percebi que vomitar na pessoa que você quer conquistar é pior do que estender um casaco para ela.

 

 

 Vergonha nível 6:

 

 

 Depois da vergonha nível três, ouve a nível seis que foi na sala, Taehyung como sempre dormiu durante TODA a aula de matemática, e eu copiei os meus exercícios e depois copiei o para o Tae.

 Fiz os dele antes mesmo de fazer o meu e fiquei muito confuso por todos não estarem prestando atenção nos exercícios, em sua maioria estavam conversando e brincando.

 Eu preferia não ter descoberto o motivo daquilo. Taehyung acordou e olhou curioso de mim e para o caderno dele que estava na minha mão.

 -Por que você fez isso? -Taehyung perguntou assim que raciocinou.

 -Porque você estava dormindo e eu quis te ajudar para não ficar muito pesado depois. -Expliquei sorrindo pequeno.

 -Você sabe que esses exercícios são os dá prova da semana passada né? -Ele voltou a perguntar.

 Dessa vez nossos colegas estavam nos olhando e tentando entender a situação.

 Peguei minha pasta dentro da mochila e procurei pela prova, quase pirei ao ver que estava tudo ali, todas as questões.

 -Então por que ela passou tudo no quadro? -Perguntei confuso.

 -Primeiro porque aquela menina rodou e o castigo dela vai ser reescrever tudo e fazer de novo, e segundo por que aquela professora é louca e quis copiar tudo de novo e deixar a gente sem fazer nada porque é final de semestre. -Taehyung explicou.

 Minha cara de tacho fez com que todos os alunos começassem a rir, entre eles.... Jimin o meu pior pesadelo depois de Hoseok.

 Mas eu facilmente superei o micão que paguei, só que não deu uma hora e já estava pagando dívida que tenho com o micão de novo.

 

 Vergonha nível 8:

 

 

 Logo após a vergonha seis veio o intervalo e PÁ vergonha número oito.

 Vocês notaram que todos os micões foram seguidos? Eu não estava entendendo mas achava que era uma macumba que tinham feito para mim, por que esse era o único motivo plausível.

 Eu fui para o refeitório e dessa vez Yoongi e Jun Hee estavam lá comendo bolo -que era algo que Yoongi poderia comer todo dia sem enjoar.

 -Foge Jeongguk. -Yoongi me alertou antes que eu pudesse me sentar na mesa deles.

 Infelizmente não dei ouvidos a ele e quando fui ver já era tarde demais, Jun Hee já estava na minha frente com um bolo em cima de uma bandejinha.

 -Aqui, Hoseok está afastado e Namjoon não veio, o Tae está sozinho, vá ficar com ele e o de comida. -A garota disse animada.

 -Eu ainda acho romântico antigo não tem muito a ver com o Kookie, claro que ele é todo preocupado e daria comida para o Tae se o mesmo não ameaçasse jogar na cara dele, mas mesmo assim, não parece o Jeongguk. -Yoongi comentou.

 Eu e Jun Hee o olhamos e quando eu fui comentar ela me forçou a segurar a bandeja, e eu peguei o bolo saindo.

 Finalmente alguma coisa que eu sabia que Taehyung iria gostar, ele adorava comida, quando a ganhava de graça então nem se fala.

  Fui a passos lentos até a mesa de Taehyung onde ele comia uma barrinha e tomava suco de laranja.

 -Oi. -Falei envergonhado, ele levantou o olhar do celular e me respondeu.

 -Olá. -Saudou.

 -Eu t-trouxe bola, e-espero que goste. -Disse me sentando e emburrando o alimento para o lado dele.

 -Obrigada, você foi bem legal da sua parte. -Taehyung agradeceu. -Quer?

 Ele perguntou me apontando o suco e eu não neguei a oportunidade de me sentir pelo menos um pouco íntimo de Taehyung.

 Por já ter acabado a barrinha ele pegou o bolo, e pelo canto do olho vi Jun Hee sinalizando desesperada balançando as mãos, eu tentei entender o que ela queria até que ela começou a correr na nossa direção.

 Taehyung começou a tossir do meu lado e vi que ele havia cuspido o bolo e tentava a todo curto achar algo para tomar.

 Jun Hee surgiu na nossa mesa desesperada e pegou o suco das minhas mãos dando para Taehyung tomar.

 -Você estava tentando me matar? -Ele perguntou chocado.

 -Ahn como assim? -Perguntei confuso.

 -Tinha nozes naquele bolo, eu sou alérgico. -Taehyung disse me fazendo arregalar os olhos.

 Claro que eu sabia da alergia dele mas eu achei que Jun Hee não me daria um bolo com nozes.

 -M-me desculpa. -Pedi desesperado, mas ele levantou e foi rápido para fora do refeitório.

 Olhei em volta e fiquei irritado ao ver que um dos que riam era Hoseok, quem ele pensava que era para rir de mim e do Tae?

 -Tinha nozes no bolo? -Perguntei inconformado para Jun Hee.

 -Aquele era do Yoon, só que ele se confundiu e pegou o que era para o Tae. Isso que eu tentei te avisar. -Ela explicou.

 -Tudo bem, mas agora chega de vergonha. -Falei decidido.

 

 Vergonha nível 10:

 

 Essa nem tinha nada a ver com o plano, eu não estava tentando ser fofo, nem romântico. Mas quando eu estava passando pela escola no horário da tarde tentando fugir da aula de química vi a piscina do clube de natação.

 Olhei pelas portas de vidro e vi o momento em que Taehyung de roupa caiu para dentro da piscina, e só um pensamento passou pela minha cabeça....

 ... eu não podia deixar Taehyung morrer afogado, não podia e não deixaria.

 Corri para dentro do local e me atirei dentro da piscina, mas então eu lembrei que eu não sabia nadar, e enquanto me debatia tentei achar o corpo de Taehyung.

 Teve momentos em que eu fiquei completamente submerso e achei que fosse morrer, mas então senti mãos passarem pela minha cintura e me puxarem para cima.

 Com agilidade fui colocado no piso ao lado da piscina, mas não conseguia abrir os olhos, senti que faziam massagem cardíaca em mim, até que colocaram a mão na minha cabeça e abriram minha boca.

 Alguém estava fazendo respiração boca a boca em mim e eu tinha vergonha de abrir os olhos e dizer para a pessoa que não precisava daquilo, mas assim que o fiz queria fechar os olhos de novo e aproveitar o momento.

 Kim Taehyung estava com a boca grudada na minha tentando me salvar.

 -Graças a Deus você está vivo. -Taehyung disse se separando de mim assim que viu os meus olhos abertos.

 -E-eu você também. -Falei entre tossidas me sentando.

 -O QUE DEU EM VOCÊ EM? Se jogar assim do nada em uma piscina funda sem saber nadar. -Ele disse acusador e eu encolhi os meus ombros.

 -Eu achei que você ia se afogar, te vi caindo e vim te salvar. -Expliquei envergonhado e ele soltou uma risada desacreditada.

 -Eu sou capitão do time de natação, você me observa tanto achei que sabia. -Taehyung disse e me senti um idiota completo por não ter lembrado.

 -Mas você estava de roupa. -Falei acusador.

 -É que eu estava tentando nadar com peso e ver minha marcação de tempo com isso, temos um campeonato por perto e tenho que treinar, ontem mesmo quase perdi minha cor nessa piscina, fiquei bastante tempo aqui depois da escola. -Ele falou e eu assenti.

 Então era isso que ele estava fazendo ontem, a sr. Shi estava errada em o chamar de desperdício de espaço, mas era bom ver que ela estava também errada em relação ao atraso de Taehyung para chegar em casa.

 

 

                                    ************

 

 

  Hoje dei um jeito de fugir dos passos do Guia de Como Conquistar Kim Taehyung. Desde que aquilo havia começado eu só havia passado vergonha e mesmo com os avanços sentia que Taehyung me via cada vez mais como um completo idiota.

 Ele ainda estava separado de Hoseok e em nenhum dia eu o vi perto do Jung e isso me deixava muito bem, mas mesmo que parecesse idiotice não queria Hoseok andando tanto com o Jin, pois sabia que isso magoava muito Taehyung cada vez que ele via.

 Mas algo que o distraia era o clube de natação, ele passava bastante tempo lá, e descobri que Jimin e Jin faziam parte do clube também. Comecei a ir visitar mais aquela piscina depois do incidente da sexta passada.

 

Yoongi

Onde você está? Jun Hee está te procurando como uma louca.

 

Li a mensagem de Yoongi, mas simplesmente ignorei e coloquei o meu celular no bolso novamente, voltando a andar até a sala de música que estava vazia e trancada a esse horário, mas como eu tinha a chave que o professor me deu abri a sala com facilidade.

 A primeira coisa que fiz foi abrir as janelas e ir pegar um dos violões que tinha lá.

 Eu tinha uma música em mente já, ela não saia da minha cabeça e eu a amava muito, então comecei a dedilhar suas notas e deixei que a atmosfera leve guiasse a letra.

 

Please, don’t see

Por favor, não veja

Just a boy caught up in dreams and fantasies

Apenas um garoto preso em sonhos e fantasias

Please, see me

Por favor, me veja

Reaching out for someone I can´t see

Procurando por alguém que não consigo ver

 

 

Take my hand

Pegue minha mão

Let´s see where we wake up tomorrow

Vamos ver onde acordaremos amanhã

Best lald plans

Os melhores planos

Sometimes are just a one night stand

Ás vezes são só uma noite sem compromisso

I´II be damned

Eu serei condenado

Cupid´s demanding back his arrow

O cúpido está pedindo sua flecha de volta

So let´s get drunk on our tears

Então vamos ficar bêbados em nossas lágrimas

 

 

-Wow você canta bem.

 Tomei um susto ao ver Taehyung em pé logo atrás de mim, o olhei chocado demais para poder falar algo.

 -Me desculpe por ter te atrapalhado, nem deixei você terminar a música, já a ouvi, você estava no começo. Mas é que bem... você me impressionou. -Ele disse envergonhado.

 -Obrigado pelo elogio. -Falei da mesma forma que ele.

 -Você toca outra coisa além de violão? -Taehyung perguntou andando pela sala.

 Música era uma matéria adicional, na verdade era um clube de música e Taehyung não participava dele.

 -Toco violino, e você toca algo? -Perguntei educado.

 -Bateria, mas eu gosto de vários instrumentos, eu amo música. -Ele disse algo que eu já sabia a muito tempo.

 -Por que não faz parte do clube? -Indaguei.

 Isso nunca fez muito sentido para mim, ele gostava de música, mas não fazia parte do clube, e nem demostrava grande vontade de fazer.

 -Ah não, o clube de música é no mesmo horário que o de natação, eu tive que escolher e sou muito feliz com minha escolha. -Taehyung disse se sentando.

 Assenti e abaixei o olhar o fixando nos meus tênis, depois de alguns minutos de silêncio Taehyung suspirou e começou a falar.

 -Olha Jeongguk, eu não te odeio, não tenho nada contra você, é só que me termino com o Hobi foi recente entende? E eu sou apaixonado por ele -Ele disse hesitante me fazendo olhar para cima.

 Fiquei em transe pensando no que o dizer, é claro que eu sabia que ele era apaixonado por Hoseok, mas ouvir.... bem, era outra realidade.

 -Entendo. -Soltei.

 Mas eu queria era gritar, dizer que realmente não entendia, que Hoseok não o merecia e eu faria de tudo para o ver feliz ao contrário daquele de lá.

 -Bom Jeongguk, nós poderíamos ser amigos, e você poderia me ajudar a mostrar a Jun Hee que o melhor para mim e para ela é ficarmos afastados. -Ele disse com um sorrisinho.

 Ele queria afastar Jun Hee dele? Por mais que ela me irritasse eu sabia que não havia pessoa mais doce e querida do que a mesma.

 -Não entendo o porquê de você não quer ficar próximo dela. Jun Hee é a melhor pessoa que eu já conheci, ela está sempre disposta a ajudar os outros. -Contei e ele revirou os olhos.

 -Já imaginava que você não fosse entender. -Taehyung disse se levantando -Eu já vou indo Jeongguk.

  E com isso ele saiu sem que eu pudesse falar mais nada, e eu fiquei confuso sobre o que havia acabado de acontecer.

 

 

                                   ***********

 

 

 No outro dia não tive como escapar, Jun Hee veio para cima de mim com mais alguma coisa que queria fazer, me senti mais mal por fazer aquilo, estava começando a achar que não seria daquela forma que conquistaria Taehyung, mas Jun Hee insistia em achar que se eu me portasse de formas diferente iria o conquistar.

 

 Passo 4: Bad Boy.

 

 Estávamos na sala de Yoongi e Jun Hee que estava vazia, conversando sobre o que exatamente seria o passo “Bad Boy”.

 -Olha Jeongguk, eu acho que esse é um dos que mais vai funcionar, acho que combina muito, você só deve ignorar o Taehyung, ele não é acostumado com sua falta de atenção isso vai funcionar. -Jun Hee me dizia.

 Yoongi parecia extremamente cansado de ficar ali ouvindo aquele tipo de coisa, tinha ciência que ele achava todo caderno que Jun havia feito uma grande baboseira.

 -Mas Jun Hee não é assim, mesmo se funcionar Taehyung não vai se apaixonar pelo Jeongguk e sim por um personagem. -Yoongi disse deitando a cabeça na mesa.

 -Eu também não gostei desse Jun Hee, não gostaria de tratar Taehyung mal. -Argumentei.

 Mas ela não gostou muito de ouvir outras opiniões.

 -Vocês estão ficando loucos, e você só vai tratar o Tae mal hoje Jeongguk. É por um bom motivo. -Ela disse sorrindo.

 Yoongi me olhou reprovador, mas eu o ignorei e olhei para Jun Hee assentindo.

 Sai daquela sala me sentindo um saco cheio de pedras de tão pesado, Taehyung olhou para a porta e a sala estava em dupla, ele estava sozinho como sempre, e eu me sentaria com ele como em todas as aulas que haviam dupla.

 -Eu não quero me sentar com o Kim. -Falei alto para a professora para que Taehyung pudesse ouvir, ele levantou os olhos observando o que estava acontecendo quando seu nome foi citado.

 -O que é isso sr. Jeon? O senhor nunca teve problemas em se sentar com o sr. Kim. -A professora perguntou confusa.

 -Eu só não quero sentar com ele, vou ser obrigado? -Indaguei grosso.

 -Não será, mas saiba que rejeito sua atitude. -A mulher disse -Troque de dubla com a srta. Bang.

 Fui até o novo lugar e simplesmente fechei os olhos e coloquei minha cabeça sobre meus braços tentando dormir, o que achei muito difícil porque meu cérebro a todo instante tentava me lembrar que eu estava em sala de aula.

 Mas por algum milagre no segundo período eu dormi, acordando somente na hora do intervalo, tomei um susto ao ver que Taehyung já estava saindo da sala, nesse horário eu estava o acordando.

 O que significava que ele não havia dormido nessa aula, e eu que já estava culpado me senti mais ainda pensando que tinha tirado até sua vontade insaciável de dormir.

-Por que não quis sentar comigo hoje? -Taehyung indagou me parando na porta assim que sai da sala.

 Olhei atentamente em seus olhos e engoli as palavras, se eu dissesse algo entregaria a desgraça do Passo 4, então só o ignorei e voltei a andar.

 Não fui para o refeitório, não conseguiria ficar lá como se nada tivesse acontecido, vendo Taehyung e conversando com Jun Hee -eu estava um pouco chateado com ela por não me escutar e tentar fazer eu ser outra pessoa.

 Então fui para o pátio e fiquei lá até que bateu o sinal, quando ia sair recebi uma mensagem.

 

 

Ana Júlia/Jun Hee

Fique aí onde está, o Taehyung está te procurando, ele perguntou ao Yoongi onde você estava, logo ele vai aparecer aí.

 

 

 Me senti nervoso com a mensagem, não queria ver Taehyung, não queria o tratar mal.

 Pensando nisso resolvi apelar, se tinha uma coisa que eu sabia que Taehyung não suportava era cigarro, então assim que o vi se aproximando peguei um dos cigarros que Jun Hee havia me entregado mais cedo e o coloquei em minha boca.

 -O que está fazendo? -Taehyung perguntou assim que eu ia acender o cigarro.

 -Vou fumar não está vendo? -Perguntei grosso.

 -Estou, mas você não fuma, e está na hora de irmos para a aula. -Ele argumentou.

 -Se está na hora porque você não está lá? -Vi seu rosto ficar vermelho com minha resposta.

 -Queria conversar com você. Jeongguk você está muito esquisito hoje. -Taehyung acusou cruzando os braços.

 Tirei o cigarro da boca para poder falar com mais liberdade.

 -Só porque eu não estou correndo atrás de você como normalmente? -Perguntei sentindo o gosto amargo de verdade que aquela acusação tinha.

 -Claro que não.  -Ele disse ofendido -Eu não sou desse jeito, só achei que algo ruim poderia ter acontecido com você.

 Taehyung havia conseguido me deixar sem fala, recoloquei o cigarro na minha boca envergonhado, e peguei o isqueiro o acendendo.

 Foi a primeira vez que fumei, e só Deus sabe o quanto me arrependo, tive que me segurar para não tossir na frente de Taehyung.

 -Você não pode fumar na escola. -Taehyung protestou com posse de mãe irritada.

-Ok, então eu vou para fora. -Falei achando graça de sua reação.

 Para o provocar peguei impulso e subi no muro, mas não desci, fiquei em cima do mesmo.

 -Desce daí você não pode fumar. -Ele disse subindo irritado no muro.

 Ao sentar do meu lado ele arrancou o cigarro dos meus lábios e o jogou fora, ficamos nos olhando por alguns segundos e eu aproveitei para admirar Taehyung de perto.

 -Então vocês dois queriam fugir? Desçam já aqui, a diretoria os espera. -O professor que nós teríamos aula apareceu nos olhando irritado.

 

 

 Realmente fomos para a diretoria, e ainda por cima chamaram nossos pais, nunca vi minha mãe tão irritada.

 -Irei falar com Jeongguk em casa, pode ter certeza que ele jamais tentará fugir da escola. -Ela disse me olhando pelo canto do olho de forma ameaçadora.

 -Eu também irei falar com o Tae. -O sr. Kim parecia muito mais calmo que minha mãe.

 -Ótimo, fico mais tranquilo assim, não sei o que aconteceu, Kim Taehyung tem uma das melhores notas dessa instituição e Jeon Jeongguk é o aluno mais bem falado entre os professores, tanto que nunca os tive na minha sala antes. -A velha dramática da diretora disse me deixando entediado.

 Depois de mais algumas besteiras da parte dela, e promessas minhas e de Taehyung de que aquilo não iria mais acontecer fomos liberados.

 -Eu quero te matar. -Minha mãe disse me dando um tapa na cabeça assim que saímos da escola.

 A diretora havia nos mandado ir para casa mais cedo, o que para mim foi mais como um presente do que castigo.

 -Aí mãe, desculpa. -Pedi mesmo sabendo que não iria adiantar.

 Ela foi buscar o carro e eu fiquei observando Taehyung e o sr. Kim conversando.

 -Por que você queria sair da escola meu filho? -O sr. Kim perguntou brando, mas Taehyung só o olhou debochado e riu alto.

 -Não tente se fazer de bom pai agora. Eu queria sair por motivos pessoais. -Taehyung só disse isso.

 -Filho por favor, eu só quero saber o que acontece com você. -O mais velho insistiu.

 -Não aja como se você se importasse, deveria me perguntar o que estava acontecendo quando foi para o Brasil se tornar mais rico e me deixou em uma vida tão miserável como a de um rato. -Taehyung explodiu.

 -Eu errei indo, mas nunca te deixei desamparado. -O sr. Kim insistiu firme.

 -Como pode ser tão falso? -Taehyung disse surpreso -Quer saber, deixa que eu vou sozinho.

  O mais novo foi para dentro da escola e depois de alguns minutos minha mãe estacionou me fazendo entrar dentro do carro, e vi antes do mesmo dar a partido Taehyung sair da escola em cima do skate, antes de finalmente sumir de vista Tae me olhou risonho e me lançou uma piscadela.

 Aquele garoto não tinha jeito mesmo.

 

 

 

                                ***********

 

 

 Passo 5: tensão sexual

 

 

 Esse sem dúvidas foi o passo mais gostoso, o objetivo dele era simplesmente criar o máximo possível de tensão sexual entre mim e o Taehyung, e para isso acontecer eu tive que ser o mais autoconfiante o possível.

 -Jeongguk o que aconteceu com você? -Taehyung perguntou confuso.

 Taehyung não estava dormindo tanto nas aulas, e como estávamos em inglês ele não dormiria mesmo.

 -Acontecendo o que? -Perguntei tentando parecer sensual.

 -Você está fazendo os exercícios errados. -Ele disse engolindo em seco.

 -Tae, inglês não importa agora, tenho coisas mais interessantes para fazer. -Falei desviando meu olhar do seu e apoiando meus cotovelos na mesa.

 -Como o que por exemplo? -Ele perguntou ofendido.

 Tinha me esquecido que só a menção a reclamação sobre a matéria favorita do principezinho ele ficava revoltado, mas isso me ajudaria a realizar meu primeiro objetivo.... Fazer Taehyung fugir.

 -Brincar. -Ditei simples levando minha mão até sua coxa e a apertando perto da virilha, sem deixar de analisar sua expressão.

 Fiquei com muito medo de ser desrespeitoso e Taehyung me dar um tapa na cara, mas eu nunca saberia se aquilo não o incomodaria sem antes testar.

 Sua reação foi melhor do que imaginei, Taehyung deu um pulinho na cadeira e olhou para os lados com as bochechas ruborizadas, soltei uma risadinha e se possível ele ficou ainda mais vermelho

 -E-eu vou no banheiro. -Ele disse saindo rápido da sala sem nem avisar o professor.

 O homem era tão lesado que nem notou que um aluno saiu da sala, e eu me aproveitei isso.

 -Professor, eu preciso ir no banheiro. -Pedi e ele somente assentiu e eu sai.

  Passei pelo corredor quase como um jato, e desci as escadas igualmente rápido fazendo um barulho desnecessário e quase caindo, mas assim que abri a porta do banheiro masculino Taehyung, que estava com as mãos apoiadas na pia se virou me encarando.

 -Te achei. -Falei sorrindo.

 -O que aconteceu com você Jeongguk? -Ele perguntou respirando rápido.

 -Para de perguntar o que aconteceu comigo. Perguntei o que vai acontecer. -Pedi.

 Me aproximei dele lentamente, e a cada centímetro que estávamos mais perto um do outro sentia meu amago se revirar.

-Eu só quero te mostrar o que eu poderia te dar TaeTae. -Expliquei de forma erótica.

 -C-como? -Taehyung perguntou gaguejando.

 Antes que ele me mandasse sair peguei em sua cintura e o emburrei o prensando contra a pia.

 -Assim.

 Guiei minha boca diretamente para seu pescoço atacando a região com sua pele dourada a marcando e ouvindo seus arfares, Taehyung emprenhou seus dedos nos meus cabelos de forma automática.

 -J-Jeongguk não. -Ele disse de olhos fechados quanto coloquei meu joelho no meio de suas pernas.

 -Por que? -Perguntei tentando me segurar para não perder o controle ao inalar o gostoso cheiro de sua pele livre de qualquer perfume.

 -E-eu n-não p-posso fazer i-isso. -Taehyung disse agindo rapidamente.

 Ele se abaixou fugindo de minha boca e passou pelo espaço entre mim e a pia, não pude nem falar nada e ele já havia saído da sala de forma atrapalhada.

 -Uau. -Falei para mim mesmo.

 Tirei o meu casaco sentindo um calor infernal pelo meu corpo, nunca imaginei que chegaria a esse ponto com Taehyung.

 Sai do banheiro e fui correndo atrás de Jun Hee e Yoongi. Quando os vi peguei Jun Hee no meu colo e rodei feliz com elas em meus braços.

 -Deu certo? -Ela perguntou rindo alto junto comigo.

 -Maravilhosamente certo, o Taehyung é tão.... Ahn. -Falei sem saber que adjetivo usar para o definir, quente? Gostoso? Cheiroso?

 -Que bom que pelo menos alguém está se divertindo com esse plano maluco para conquistar o Taehyung. -Yoongi disse grosso.

 Nos últimos dias ele estava assim, criticando tudo no nosso plano e sempre mal-humorado, sem falar que se irritava toda vez que eu chegava perto dos dois para contar algo novo.

 -Deixa o Yoongi de lado Kookie. Vocês querem ir lá em casa hoje? -Ela perguntou fazendo sinal para que eu não olhasse para Yoongi.

 -Não sei, você sabe que meus pais vão viajar por um mês. Se eu não estiver em casa hoje para me despedir eles podem ficar irados. -Lembrei.

 Chegava a ter vontade de morrer quando lembrava que teria que ficar um mês sem os meus pais, eu não era nem de longe o garoto que mais prezava privacidade e independência, tanto que amava minha mãe fazendo comida e meu pai lavando minhas roupas.

 -Está tudo bem, eu conversei com eles ontem, sobre outro assunto e creio que eles não vão se importar. -Jun Hee disse sorrindo largo.

 -Sobre o que? -Perguntei desconfiado e até mesmo Yoongi a olhou sem entender.

 -Uma surpresa, você vai saber se for lá em casa hoje. -Ela disse chantagista e eu revirei os olhos, não poderia esperar outra coisa dela.

 -Ok eu vou. -Cedi.

 

 

 

 Os mais pessimistas dirão que algo deu errado e eu me arrependi de ir até lá, mas por incrível que pareça eu não podia ter feito melhor escolha.

 A sra. Shi não estava, mas tanto o sr. Kim quanto o Taehyung estavam, e assim que chegamos Yoongi foi apresentado ao pai da Jun e do Tae e logo depois subimos para o quarto dela.

 Até ali não podia ter nada mais chato, ficamos lá olhando para cara um do outro e jogando vídeo game.

 -Jeongguk, vai pegar salgadinhos. -Jun Hee pediu.

 -Por que eu? -Perguntei indignado.

 -Porque eu pedi. -Ela disse simples.

 -Levanta a bunda Ana Júlia. -Falei correndo até a porta e fugindo da almofada que foi jogada na minha direção.

 Quando me vi sozinho foi inevitável não ter minha atenção levada até a porta entreaberta do quarto do Taehyung, como se tivesse um imã me puxando fui entrando discretamente.

 O quarto por dentro era diferente do que eu imaginava, era bem claro e organizado, as paredes eram azul turquesa e tinha um mural de fotos do Taehyung com o Namjoon e o Hoseok, algumas até mesmo dele e do Jimin e todas me deixaram enciumado.

 Me aproximei de sua mesa de estudo, e percebi que todos os livros era gastos, nunca tinha realmente observado isso, mas tudo que o Tae usava parecia realmente gasto e velho e isso me deu um aperto, não gostava de o imaginar passando privações.

 -O que você está fazendo no meu quarto? -Ouvi a voz de Taehyung vinda da porta.

  Prendi minha respiração, Taehyung com certeza estava irritado por me ver mexendo em suas coisas, e eu fiquei com medo de virar, o olhar e ser expulso a vassouradas de sua casa.

 -Eu... -Perdi minha fala e minha mente apagou assim que finalmente virei e tive a visão de um Taehyung recém-saído do banho.

 Ele estava com um short que parecia de pijama e sem camisa, seu cabelo pingava e algumas gostas faziam um caminho tentador até seu short.

 -Você? -Taehyung perguntou sério.

 E eu sorri malicioso ao decidir mudar o rumo de nossa conversa.

 -.... Eu vim finalizar o que começamos no banheiro. -Falei.

 Dessa vez ele não escaparia, fui a passos rápidos até ele e segurei em seus quadris grudando seu corpo no meu, e gemendo baixinho assim como ele quando nossos membros se chocaram.

 -Jeongguk o Hoseok.... -Ele tentou dizer.

 Sabia o que Taehyung falaria “eu ainda sou apaixonado e não posso fazer isso com Hoseok”, mesmo que Hoseok fizesse ainda pior sem ele saber.

 -Esquece ele por favor. -Pedi segurando seu rosto em minhas mãos.

 Entorpecido Taehyung apenas assentiu e eu juntei nossos lábios pela primeira vez, uma sensação de explosão dominou meu corpo, e eu sentia que queimaria quando senti as mãos de Taehyung adentrando minha blusa.

 Sem perder tempo o larguei sobre sua cama e fiquei por cima dele enquanto nossas línguas dançavam de forma erótica, deixei minhas mãos irem até aquele maldito short e o tirei.

 Taehyung separou nosso beijo para soltar um gemido um tanto alto quando apertei seu membro, ele se levantou e me ajudou a tirar minha blusa de forma afobada, logo nos deitamos novamente e eu comecei a beijar seu corpo.

  A pele dele que estava consideravelmente gelada após seu banho ia ardendo por onde minha mão e minha boca trilhavam caminho, e eu aproveitei sua fragilidade para puxar suas pernas e me colocar no meio delas.

 -Eu n-não sei o que e-está acontecendo, m-mas não pare. -Taehyung pediu manhoso e eu soltei uma risada nasalada de seu comportamento.

 -Não vou. -Garanti.

 Eu deveria ter tido “a menos que alguém me pare”, assim segundos depois quando a porta foi aberta com brutalidade eu não teria sido tão contrariado.

 -Tae você viu o.... MEU DEUS QUE PORRA É ESSA? -Jun Hee gritou assim que abriu a porta. 


Notas Finais


Esperam que tenham gostado do primeiro capítulo e que tenham amado a Jun Hee tanto quanto eu 💙💙.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...