História Guided Forth Anew (Fanfic Larry Stylinson) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dissidia: Final Fantasy, Final Fantasy, Final Fantasy IV, One Direction
Personagens Bahamut, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Ficção, Final Fantasy, Final Fantasy Iv, Harry, Harry Styles, Larry, Larry Stylinson, Liam, Liam Payne, Louis, Louis Tomlinson, Magia, Niall, Niall Horan, Niam, One Direction, Rpg, Sobrenatural, Zayn, Zayn Malik
Exibições 32
Palavras 2.188
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Fabul


Fanfic / Fanfiction Guided Forth Anew (Fanfic Larry Stylinson) - Capítulo 11 - Fabul

Os muros do Castelo de Fabul abrigam toda uma população e a protegem como um manto. Um rio com águas cristalinas circunda todo o local, e, por isso, há duas pontes pequenas posicionadas em cada lado do Castelo. A fortaleza é feita de uma pedra num tom marrom, e o teto, revestido com um material na cor roxa.

Simplesmente extraordinário.

O grupo se apressa em atravessar a ponte de mármore, logo pedindo uma audiência com o Rei, afirmando que o assunto era de extrema importância. Os monges de Fabul cumprimentam Marina, perguntando como foi o treinamento. Ainda abalada pela morte de seus aprendizes, ela responde com um simples aceno de cabeça, por fim decidindo que iria falar sobre as... novidades quando tudo estivesse mais calmo, e, é claro, quando a ameaça de bombardeio pudesse finalmente ser suspensa.

Marina é a primeira a entrar na Sala do Trono, imediatamente se ajoelhando em reverência ao Rei.

— Ah, Marina! — O Rei exclama. — Você finalmente retornou a Fabul.

— Sua Majestade... — Ela suspira.—temo em dizer que retorno com notícias urgentes: um homem chamado Golbez está vindo para cá com todo o exército de Baron, a fim de roubar o nosso Cristal.

— O que?! Como tens tanta certeza disso?

— Essas pessoas que vieram comigo, — Marina explica. — elas estão aqui porque querem te avisar sobre isso.

— E por que eu confiaria neles? — O Rei levanta do trono, desconfiado, logo cruzando o olhar com Harry. — Esse homem, ele está vestido em uma armadura negra, símbolo dos Cavaleiros de Baron. Como saberei se isso é verdade?

— Bem...

— É um prazer poder te rever, Sua Majestade, mesmo que as circunstâncias sejam essas as apresentadas. — Princesa Cara finalmente decide entrar na conversa, não querendo que Fabul terminasse como Damcyan por conta da desconfiança do Rei. Seria inaceitável deixar algo do tipo acontecer.

— Se não é a Princesa Cara! — O Rei exclama com animação, levantando do trono. — Como anda Damcyan?

Pelo amor dos Cristais, Cara pensa. Será que ele não podia andar logo com isso? Golbez definitivamente não iria esperar.

— É por isso que viemos aqui: o meu Reino, ele caiu. — A mulher de cabelos loiros profere. — Roubaram o Cristal de Fogo. Também perdi minha mãe e meu pai... e até mesmo a minha amada Kendall.

— Me desculpem por ter duvidado de vocês, então. — O homem enuncia, com suas palavras sinceras ressonando pelo local. — É que é difícil de acreditar.

— Nosso exército de monges está muito pequeno. — Ele aponta. — Eu gostaria que vocês nos ajudassem a lutar.

O grupo se entreolha, discutindo silenciosamente.

— Claro.

— Há alguém que conheça feitiços de magia branca por aqui? Acho que seria um bom reforço para os nossos curandeiros.

— Louis. — Harry diz, olhando nos olhos do namorado, sabendo que o mesmo iria querer lutar. — Acho melhor você os ajudar.

— Você ficou louco?! — O homem de olhos azuis berra. — Eu não vou deixar você ir sozinho!

— Por favor, não discute. — O Cavaleiro pede.

Louis encara os olhos de Harry por alguns míseros segundos, azul no verde, verde no azul, rapidamente marchando até a frente do namorado.

Ele puxa o rosto do Harry para mais perto do seu, bocas a centímetro uma das outras, logo tomando os lábios do namorado para si, dando um beijo rápido e cheio de raiva no mesmo.

— Se você morrer lá fora, — Louis sussurra com os olhos fechados, raspando seus dentes nos lábios do outro. — juro que lanço um feitiço tão, mais tão forte de revitalização, que você vai ressuscitar só para eu te matar com as minhas próprias mãos, ouviu bem?

Harry assente com pequeno sorriso brincando em seus lábios, todo bobo.

Ele nunca entenderia o porque de ter um namorado tão maravilhoso quanto Louis.

Nunca.

— Niall, cuide de Louis para mim, okay? — O Cavaleiro ri, sabendo que aquele pedido o traria problemas depois.

Louis, que já estava a caminho da enfermaria, se vira rapidamente para encarar os olhos do namorado de novo, o dando um olhar mortal.

É, Harry estava definitivamente ferrado. Isto é, se ele sobrevivesse.

X

O primeiro grupo de guardas é rápido a chegar nas barreiras do Castelo, onde Harry, Marina e Cara estão junto a alguns monges, preparados para os ataques.

Os monges são rápidos em levar os generais ao chão, logo se assustando por conta das bombas que começam a ser atiradas no Castelo.

— Nós iremos morrer como cachorros se ficarmos aqui fora! — Marina vocifera. — Se retirem para o Castelo, repito, se retirem para o Castelo!

X

— Me desculpem, eu trouxe vocês para uma batalha perdida! — A mulher de cabelos curtos profere enquanto soca os monstros, já no corredor de interseção entre o pátio e a Sala do Trono.

O pequeno cômodo já estava totalmente destruido por conta dos chutes, socos, golpes e flechas do grupo, algo que só enfatizava o desastre que acontecia. Tapetes rasgados, paredes quebradas... tudo isso havia se tornado parte da paisagem.

— Eu já te disse, — Harry golpeia um dos guardas com sua espada, uma vez que o homem vindo de Baron havia se distraído. — essa luta é tão sua quanto nossa.

— Eles estão quebrando os portões! — Princesa Cara avisa. — Não iremos conseguiremos segura–los aqui, é melhor irmos para outra sala!

— Mas não é onde fica o Cristal?

— Não! O Cristal está em outro lugar. — Marina nega, abrindo a passagem para a Sala do Trono. — Vamos, rápido!

A mulher de cabelos pretos tranca a porta após todos entrarem, logo sendo atacada por um dos monges.

— O que você está fazendo?

O monge se transforma em um monstro, revelando sua verdadeira identidade.

Harry, Cara e Marina são rápidos em matar a besta, a deixando caída no chão.

Mais monstros invadem a Sala, tornando o objetivo de conte–los simplesmente impossível. Era demais para somente três pessoas. Eles se retiram para a Sala do Cristal e se posicionam na frente do mesmo a fim de protege–lo, por mais que parecesse ser algo totalmente inviável de se realizar.

Ouve–se um clicar de botas de metal no chão, e um homem trajado em uma armadura azul escura e muito bem conhecido por Harry se posiciona na frente dos três.

Ele quase não conseguia acreditar no que estava vendo.

— Há quanto tempo não nos vemos, Harry.

— Zayn! — O homem de olhos verdes exclama, dando dois passos a frente. — Você está vivo! Eu achei que–

— É claro que estou. — O homem de cabelos pretos ri baixo, o interrompendo. 

— Então você vai lutar?

— Ah, sim. Foi por isso mesmo que vim. — Ele confirma, sorrindo de canto. — Mas, Harry... a pessoa com quem vou lutar será você. — Zayn profere, firmando sua lança no chão de Cristal da sala.

— Zayn?!

— Um duelo, Harry! — Os olhos do homem são como fogo, chamuscando de raiva e excitação.

— Como assim?

— Anda, saque a sua espada: vamos lutar!

Harry, sem escolha, faz o que lhe foi mandado, embarcando num duelo contra Zayn. O homem de olhos castanhos estava bem mais forte comparado a última vez que vira Harry, não fraquejando em seus ataques uma vez sequer. Harry, obviamente, é o primeiro a cair na superfície feita de Cristal, com o som de sua armadura fazendo um clique contra o chão.

— Zayn... até você?

— Deixe que eu alivie o seu sofrimento. — O homem de cabelos pretos levanta sua lança, preparado para dar o golpe final.

— Você não vai fazer nada! — Marina vocifera, logo se pondo a pular em cima da lança de Zayn para impedi–lo. O ataque é bloqueado pelos instintos ágeis de Zayn, quase cortando o pé da mulher de cabelos negros.

De repente, duas pessoas abrem uma das portas da sala, entrando correndo no local.

— Para com isso! — Louis berra, se apressando para ficar na frente de Harry e protege-lo. Se Zayn realmente quisesse matar o homem de olhos verdes, teria que passar por cima de sua pessoa primeiro.

— Por favor, Zayn, me diga que você não virou um traidor!

— Louis! — O homem de cabelos negros exclama, colocando as mãos na cabeça para tentar bloquear a súbita dor de cabeça que começara a sentir. — Não... não olhe para mim!

Zayn firma sua lança no chão, tamanha fraqueza que de repente o possui.

Uma voz grossa e profunda ressona pelo local, fazendo que todos se virem para encontrar o dono da voz. O som de botas pesadas é alto quando se encontram com o chão, quase como uma trilha sonora própria para o homem na armadura tão escura quanto a noite.

— Zayn... por que você agora hesita em fazer o que quer?

— Você é Golbez – o usurpador! — Cara aponta, colocando uma das mãos sobre a boca em puro horror. Não era medo, pena ou tristeza... era nojo.

— Então, você é o Harry. — Golbez se vira para o homem de olhos verdes, sorrindo de canto e formando uma bola de energia em sua mão.

— Deixe que eu te dê um presente, para sempre lhe lembrar do momento em que finalmente nos conhecemos. — Ele lança o feitiço contra o homem a sua frente, o deixando mais debilitado do que já estava.

— Deixe–me passar! — Marina e Cara correm para ficar ao lado de Harry, a fim de protege–lo.

— Eu não vim aqui para lutar com minhocas! — Ele atira outro feitiço, lançando as duas contra a parede.

— Zayn. — O homem na armadura negra profere, voltando sua atenção para o homem na armadura azul escura. — Chega dessa baboseira. Me dê logo esse Cristal.

— Meu Lorde. — Zayn acena com a cabeça, obedecendo as ordens.

— Não faça isso, Z! — Louis pede, se colocando na frente da pequena escada que dava acesso ao Cristal, o que faz com que o outro homem arqueje ao não saber o que fazer.

— Louis, deixe ele ir! — Harry suplica com a voz fraca. Por que ele tinha que ser tão teimoso?!

— Ah, então quer dizer que você se preocupa com esse aqui? — Golbez encara o rosto de Harry, logo caminhando para perto do homem de olhos azuis. Ele envolve Louis com sua capa, o fazendo desaparecer em segundos. — Então deixe que eu o leve comigo... o deixarei em segurança até que tenhamos a chance de nos encontrar de novo.

— Vamos, Zayn.

O homem de cabelos negros finalmente coloca as mãos no Cristal, o guardando em seu bolso. No último segundo antes de sair, se vira para encarar o ex–amigo, proferindo um último adeus.

— Parece que sua vida será poupada... por agora.

X

Depois de alguns minutos, Niall se encontra sozinho na Sala do Cristal. Bem, não exatamente sozinho, mas pode–se dizer que ele é a única pessoa acordada por ali. Ele logo fecha os olhos com força, reunindo forças para lançar um feitiço forte o suficiente para curar os três amigos, que no momento se encontravam caídos no chão.

— Vocês estão bem? — Niall indaga, avaliando os ferimentos dos três.

— Não importa... — Marina sacode a cabeça para os lados em negação. — eles pegaram o Cristal, e não conseguimos nem ao menos defende–lo.

— E agora eles tem o Louis. — Harry murmura com o peito apertado. Não gostava nem de pensar no que poderia acontecer com o namorado.

O grupo caí em um súbito silêncio, cada um amargamente refletindo sobre os acontecimentos recentes.

— Qual o problema de vocês? — De repente, Niall vocifera. Será que ele era a única pessoa sã ali? — Eles pegaram o Louis, mas não o feriram! Apenas temos que arranjar um jeito de salva–lo!

— E o Cristal – nós podemos consegui–lo de volta também!— Adiciona.

— O Niall tem razão. — Cara aponta, surpresa ao ver tamanha maturidade.

— É a minha vez de ajuda–lo, Harry. — Marina diz. — Vamos descansar e pensar num jeito de resgatar Louis.

X

No dia seguinte, os três exploram o Castelo com a ajuda de Marina. Eles conhecem o marido da mulher, que conversa com eles animadamente, contando como havia se defendido dos monstros: usando a sua frigideira como arma.

Antes que Harry possa perceber, os três se encontram em outra audiência com o Rei, a fim de formular um plano.

— Se quisermos atacar Golbez, precisaremos de um dirigível. — O homem de olhos verdes aponta. — Mas o único homem que sabe construir um mora em Baron.

— Não há outro jeito de chegar lá? — Cara indaga.

— O exército marítimo de Baron é fraco. Se nós realmente formos, é melhor irmos pelo mar.

— Então nós precisamos de um barco. — Niall profere.

— Eu posso ajudar vocês com isso. — Sua Majestade diz. — É um pedido simples, comparado a tudo que vocês fizeram para o meu reino.

— Aquele Dragoon, — Marina murmura. — quem era?

— O nome dele é Zayn... ele é meu amigo. Ou melhor dizendo, era.

— Entendo. Sinto muito por você.

— Vamos. É melhor descansarmos. — A Barda profere. — Amanhã será um dia bem puxado.

X

— Harry. — São as palavras de despedida do Rei. — Quero que leve com você essa espada. Seu nome é Deathbringer, e pertencia a um Cavaleiro Negro que um dia visitou essas terras. Porém, você deve sempre se lembrar de que uma espada de magia negra nunca te protegerá contra o verdadeiro mau. Afinal, é uma espada que pertence a escuridão.

— Por favor, impeçam Golbez, e tomem cuidado na viagem de volta.

Os grupo parte de Fabul, levantando as âncoras a destino de Baron.

 


Notas Finais


(Não me matem por causa do zayn)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...