História Gunê Código Virtual - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Malhação
Tags Benê, Brunogadiol, Casal, Daphnebozaski, Drama, Ficção, Gune, Guto, Malhação, Novela, Virtual
Visualizações 141
Palavras 796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Drogas, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!!!

Capítulo 11 - Bruno X Diretora


Fanfic / Fanfiction Gunê Código Virtual - Capítulo 11 - Bruno X Diretora

Código Virtual

parte: 11

 

 

Bruno P.O.V

 

- Eu sei diretora Elisa – disse tranquilo – Acho ate que é certo deixar claro a todos aqui na escola que e proibido o envolvimento entre os funcionarios e alunos. – ela colocou o cabelo pra tras da orelha e voltou a olhar pra mim

- Ainda bem que esta ciente do que e certo e o que e errado. – assenti e franzi a testa não entendo o que ela quis dizer com aquilo. Na verdade eu ate tinha entendido, mas gostaria de ouvir da boca dela

- Sim eu estou. A única coisa que eu não entendo e porque a senhora esta me falou isso de uma forma… fria? – olhei pra ela ainda pasmo e a mesma cruzou os bracos

- Bem, a Daphne e a Sabrina nunca se deram bem. Eu sou ciente de que a minha filha e um pouco rebelde, enfim… – ela suspirou – Elas nunca agiram dessa forma com nenhum professor.

- A senhora poderia ser mais clara por favor? – pedir e ela assentiu

- Eu espero que você não seja o real motivo da… – a interrompi no mesmo momento

- Oh, tudo bem diretora, eu ja entendi. Para tirar as suas duvidas eu não dei e nem darei a liberdade de ambas ficarem com gracinha com a minha pessoa. Eu sou o professor delas e sei o meu lugar, diretora.

- Eu se… – a interrompi novamente

- Desde o momento em que cheguei aqui nessa escola percebo uns olhares estranhos direcionado a mim. So queria deixar claro que não posso ser julgado por todos só porque sou um professor novo. Se eu sou um professor deveria ser julgado pelo meu trabalho, certo? – ela assentiu

- Ok, Bruno. Acho que agora deixamos as coisas bem claras.

- Sim, deixamos. Agora se me der licenca ...

 

(...)

 

- Entao quer dizer que voce esta sendo paquerado pelas suas alunas na escola? – Gabriel, meu irmao, me perguntou assim que contei a todos ( meu pai, minha mae, e a ele) o que tinha se passado mais cedo na escola

- Para com isso, Gabriel, o assunto e serio. – meu pai disse entrando na sala – Bruno, eu acho que voce agiu certo, mas tambem tem que colocar os limites em suas alunas. Inclusive nessa tal de … Sabrina? – perguntou e eu assenti – Voce pode ate se dar mal por causa dela. – meu pai me alertou e eu suspirei

- Concordo com seu pai Bruno, ate porque la e escola e se por acaso tivesse de acontecer algo o melhor seria fora da escola. – minha mae falou fazendo todos rirem

- Achei que o pai falaria isso, mae – Gabriel brincou e ela riu

- Mas ai onde e ta mae, eu nao quero me envolver e nem to envolvido com nenhuma delas. A unica coisa que eu quero é que elas me vejam como professor e me respeite so isso – disse suspirando

- Mas pelo que voce nos contou, a filha da diretora é rebelde e seu problema e mais com a outra a Sabrina nao é? – ela perguntou cruzando os brancos

- Isso mesmo. Ela vive se jogando pra cima de mim o tempo todo, fora que nas aulas ela fala coisas que me deixam bem constrangido. Espero não ganhar um problema por causa dela.

- Ignore, e ela com toda certeza ira parar com esse comportamento – me pai disse

- Espero pai. Agora eu vou subir para meu quarto – me levantei do sofa

- Tudo bem… – meu pai disse voltando a sua atençao para TV

 

 

 

Chegando no quarto respirei fundo, sentei na cama e olhei para os lados encontrando meu notebook na mesinha onde ele ficava. Sorri ao me lembrar da pessoinha que conseguia me acalmar com apenas um minuto de conversa.

 

Daphne P.O.V

 

O meu pai so faltou me jogar do carro na volta. Ele falou um monte de coisa. Eu achei que o assunto acabaria ali na escola, mas não foi o que aconteceu. Depois de algumas horas lendo algum livro para tentar me livrar daquela raiva que eu estava sentindo da Sabrina, me lembrei que eu ainda nao tinha falado com o BrunoG, entao joguei o livro longe e fui ligando o computador louca pra falar com meu amigo virtual. Entrei na rede social, pela qual tinha criado so para falar com ele, e ele fez o mesmo. Porem assim que eu entrei vi que ele estava off. Se passaram minutos, horas… E nada dele. Eu ate pensei na hipotese de um suposto imprevisto, mas mesmo assim ele teria ao menos deixado uma mensagem, ja que ele vivia me dizendo que eu sou como se fosse uma amiga de infancia dele.

Encostei as costas na cadeira e suspirei frustrada.

- Otimo, mais um que me abandonou.


                                                                    continua..


Notas Finais


Como prometi, vou postar mais dois capitulos agora.Preparadas para o proximo capitulo??? Preparem pq ja vai ter uma coisita legal '-', haha

link da fanfic: https://www.youtube.com/watch?v=MAz231z19TQ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...