História Há muito tempo, numa galáxia muito muito distante... - Capítulo 5


Escrita por: ~

Exibições 13
Palavras 820
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Este capítulo ainda não tem teorias... 😔
Musicas nas notas finais... 😊
Boa leitura!

Capítulo 5 - Ataque a Joku


( 1 )

Rúben, Finn, Sara e os dois primeiros setores da resistência estavam cada um em suas naves. Os generais estavam na torre a darem as orientações... E os restantes setores foram por terra para defender a população de Joku...

Snoke, o irmão do mestre Yoda, havia enviado centenas de naves para se despenharem em Joku sem ninguém lá dentro.

Muitas pessoas já haviam morrido quando as naves sairam da cidade das núvens...

Mas... O que iríamos fazer?

Rúben disse para todas as naves por via intercomunicador:

Rúben- Antenção a todas as naves! Vamos fazer o seguinte: Disparem com os mísseis contra as naves enviadas por Snoke!

Ao ouvirem aquilo, todos começaram a disparar...

Lá em baixo, na população, apenas se via o céu laranja, com um grande espetáculo de fogo e cinzas caindo suavemente do céu...

As naves continuavam vindo, mas a resistência e os Jedis não as deixavam passar para baixo...

Finalmente terminou...

Mais ou menos 100 pessoas morreram, outras tantas ficaram feridas e foram enviadas para o hospital na cidade das núvens.

( 2 )

Rúben chamou Finn, Sara e os generais para irem até à sala de reuniões. Ao chegarem lá, todos se sentaram à volta da grande mesa excepto Rúben, que começou a falar:

Rúben- Joku foi atacado por Snoke... Enquanto as naves se despenhavam, pude reparar que elas não eram atuais... Na verdade, as naves pareciam ser bem antigas... O que eu acho? Aquelas naves foram enviadas para aqui mesmo para serem destruídas... Ou seja, Snoke não precisava mais daquelas naves e então decidiu destruí-las em forma de ataque a nós...

Sara- Isso significa que ele poderá estar sem naves!

Rúben- Sim, ou então, ficou sem espaço para naves...

Finn- É tudo ou nada! Nós temos de descubrir onde ele tem a sua base!

Rúben- Sim! Eu já enviei o primeiro e o segundo setor da resistência para irem a todos os planetas da galáxia para tentarem descobrir onde é a base de Snoke... Daqui a uma semana, se tudo correr bem, eles estarão de volta...

Finn- E se não encontrarem?

Rúben- Nesse caso vai ser mais complicado...

Sara- Sabem? Eu já li muito sobre o Snoke... Ele NUNCA iria ter uma base num planeta...

Rúben- O que queres dizer com isso?

Finn- Acho que já entendi... Ele construiu a sua base...

Sara- Sim!

Rúben- Como descubrimos assim a base?

( 3 )

Sara- Eu tenho uma ideia... Em tanto tempo de existência nós não conhecemos nada para além da nossa galáxia! A minha proposta é criar uma nave...

(Imaginem o tempo a passar e a continuação da fala de Sara agora em um discurso para todo Joku)

"...cujo nome vai ser Enterprise, para que, numa missão de 20 anos, explorar novos mundos, pesquisar novas vidas, novas civilizações, audaciosamente indo, onde nenhum homem jamais esteve! Para além disso, iremos proteger planetas em guerra e encontrar a base onde está Snoke!"

Aplausos se ouviram em todo Joku...

Então, assim foi: uma nave começou a ser construída... Nave essa que seria tão grande como a cidade das núvens! Mas ainda demoraria algum tempo para a construir...

Uma semana se passou... Esta era a semana que centenas de naves chegariam de França e outros planetas com novos soldados, médicos, enfermeiros, técnicos, professores...

Joku estava se tornando cada vez maior!

Para além disso, o primeiro e segundo setor da resistência chegariam da sua missão de procurar pela base onde Snoke estava. Quando eles chegaram, Rúben, Sara e Finn foram ter com eles:

Rúben- Encontraram? Encontraram algo?

Membro da resistência- *acena negativamente com a cabeça* Não senhor! Não encontramos nada!

Rúben- OK, obrigado... Estão dispensados!

( 4 )

Rúben vai para o seu quarto, pega uma cadeira e se senta ao lado da janela. Minutos mais tarde, alguém bate à porta. Rúben não abriu...Bateram novemente... Rúben continuou sem abrir até que se ouve a voz de Sara do outro lado da porta:

Sara- Rúben, eu sei que estás aí!

Rúben, ao ouvir Sara se levanta rapidamente, vai a correr até à porta e abre:

Rúben- Ah! Sara!? *cora* Não sabia que eras tu...

Sara- *ri* Posso entrar?

Rúben- Sim, claro...

Rúben vai buscar mais uma cadeira para ao pé da janela e se senta com Sara:

Sara- Bem, ouvi dizer que hoje fazes 17 anos...

Rúben- Ah... sim, é verdade...

Sara- Estás a ficar velho! Hm...É por isso que estás triste?

Rúben- Ah, não... É que... Joku me trás muitas memórias... Foi aqui que...

Sara- Sim eu sei... O Finn me contou... lamento...Eu também perdi meus pais por causa do Snoke...

Rúben- Ah... lamento...

Sara agarrou a nuca de Rúben e o puxou para seus lábios. Primeiro, Rúben se assustou, mas depois ele fechou seus olhos e correspondeu ao beijo. Quando ambos ficaram sem ar se abraçaram, envergonhados. Rúben, sussurrando diz:

Rúben- Sara, eu te amo!

Sara- Eu também te amo!

Rúben- Esta... obviamente... é a melhor prenda que me poderiam dar!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...