História Hackers - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Andrei Soares "Spok" Alves, Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Douglas "Rato Borrachudo", Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Malena "Malena0202" Nunes, Marco Tulio "AuthenticGames", Maria Luiza Ramos (MoonKase), Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Ricardo Lisita (AmbuPlay), TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Andrei Soares "Spok" Alves, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, MoonKase, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rato Borrachudo, Ricardo Lisita, Thiago Elias "Calango"
Exibições 50
Palavras 589
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Presos como ratos


P.D.V. Cellbit

Posicionado no portão leste,fiquei apenas esperando algo acontecer. Não demorou até dois caras começarem a discutir. O presidiários formaram uma roda no centro do pátio. Os dois começaram a brigar chamando a atenção dos guardas. Mas os mesmo só resolverem estrar no meio e acabar com o transtorno quando terceiros se envolveram. Logo o pátio foi tomado por um pandemônio sem fim. De repente,surgiram no portão dois caras. Um reconheci imediatamente por ser Ricardo. Já o outro eu tinha um palpite.

_Você é o Mikhael Tonwey?-falei.

_Sim e você é...?-perguntou o moreno.

_Rafal. Um amigo do seu primo.-falei.

_Troquem figurinhas outra hora. Temos que sair daqui...!-disse Alan.

Assentindo,corremos pelo corredor derrubando qualquer um que víamos. Já do lado de fora da prisão,Jonny nos aguardava no barco.

_"Cellbit,os outros estão precisando de suporte. Parece que a fechadura eletrônica da porta está sendo muito difícil de abrir. Vão ter que improvisar."-disse Pac

_Ok,me diz o caminho...-falei.

_Vou com você.-disse Alan.

_Onde vão?-disse Ricardo

_Ajudar os outros.-falei.

_Tem mais?-disse o Tonwey.

_Mais quarto. Eles foram pegar o documento que você falou. -falei.

________________________

O corredor estava um tanto escuro. O silêncio só não era absoluto por que havia o som dos meu passos um tanto apressados misturado com o dos outros dois que seguiam atras de mim. Nossas respirações também eram audíveis. Sons quase mínimos que ecoavam como se a sola dos nossos sapatos fossem de ferro e estivessem se chocando com força contra piso.

_"No próximo corredor virem a esquerda,mas tomem cuidado. Esse lugar tem tantos guardas quanto tem prisoneiros."-disse Mike.

Depois de verificar o corredor e comprovar que estava vazio,c corremos por ele. No final dele eu já podia ver três montando guarda e um enchendo na tranca da porta. Entreguei minha arma para o Tonwey,que havia insistido em vir conosco e fui até Calando que estava mexendo na fechadura.

_O que aconteceu?-falei.

_Essa porcaria tá codificada e eu não consigo acessar.-respondru aflito.

_Me deixa ver isso.-falei pegando o tablet da mão do mesmo e analisando.

Era preciso digitar um código de dez dígitos. Comecei um chip infectado com um vírus poderosíssimo e a porta foi finalmente destrancada.

_Como fez isso?-perguntou incrédulo.

_Um vírus que eu criei. Agora vamos nao temos tempo a perder.-falei abrindo a porta e avisando os outros.

_Vão vocês dois. Nós cuidamos da porta.-disse Musy.

As sentimos entrando logo depois. Descíamos uma enorme escada em espiral. No fim da escada tinha um porta que parecia estar lá a décadas por estava enferrujada e suas dobradiças rangiam alto. A sala não tinha nada além de uma mesa e uma estante.

_Olha a mesa que eu olho a estante.-falei.

Calango concordou indo logo investigar a mesa de madeira maciça.

_Achei...-disse calando sério.

_Entao vamos sair daqui logo... Não tenho um bom pressentimento quanto a esta sala.

_Concordo. Esse lugar esquisito tá cheio de coisas loucas. Quem em sã consciência colocaria um cano no meio do chão? Quem construiu isso era um babaca.

_Eu que o diga... Tem canos em algumas partes das paredes também.-assim que terminei de falar,começou a jorrar água de todos os canos.-QUE MERDA É ESSA?!-falei

_SEI LA CARA VAMOS SAI DESSE INFERNO!!!-respondeu.

_Por que a porta não abre?!-gritei.

_Por que ela tá fechada se só tem a gente aqui e nós não fechamos?-disse ele.

Nós entreolhamos confusos e assustados. Corremos até a porta batendo e tentando abri-la desesperadamente. Nada adiantou. Comecei a gritar a plenos pulmões pedindo por ajuda,mas duvido que possam me ouvir. A água ia tomando conta do local. Já estava a bater em nossos joelhos enquanto ainda tentávamos abrir a maldita porta.  Estávamos presos com os ratos prestes a morrer afogados. A sorte me abandonou. 


Notas Finais


Tá curtinho hoje mas é isso aí nos vemos no próximo capítulo e dêem uma olhada nas minhas outras fica garanto que são legais (ou não né,vai saber)
Bjs da maluca aqui o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...