História Hado gakusei jidai - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Tags Luffyxnami, Luna, Magoa/conforto, Traição, Treta, Vidaescolar
Visualizações 88
Palavras 2.780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Harem, Hentai, Josei, Lemon, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui mais um capitulo e explicações nas notas finais. Boa leitura!

Capítulo 58 - Promessa!


Fanfic / Fanfiction Hado gakusei jidai - Capítulo 58 - Promessa!

   Sanji acordava pela manhã com uma pequena ressaca que incomodava um pouco, ele olhou rapidamente para os lados para tentar descobrir aonde ele estava era um quarto grande e branco com cortinas vermelhas cobrindo a janela a direita um criado mudo ao lado da cama que tinha algumas camisinhas e garrafas de bebidas a frente dele havia um banheiro com portas de vidro que dava para ver claramente do outro lado, ele também percebeu que nesse banheiro havia uma banheira que ainda estava metade cheia, a sua esquerda havia uma grande televisão que estava passando alguns filmes eróticos, nesse quarto também havia um grande número de quadros na parede, Sanji já suspeitava aonde ele supostamente estava, mas tudo ficou mais claro ao reparar no grande espelho que havia sobre sua cabeça, ali era claramente um quarto de motel, pouco a pouco as lembranças da noite anterior começava a invadir sua mente, ele havia saído mais uma vez com Zoro e Luffy em uma das baladas da vida, tinha conhecido uma garota que ele sequer lembrava o nome e tinha transado com ela nesse motel, ele olhou de relance para o espelho e percebeu que a garota ainda permanecia dormindo bem ali ao seu lado, ele deu longo suspiro sua vida havia caído nesse loop eterno de sair para festas , conhecer uma garota e transar com ela, já não havia mais amor em seu coração, seu cavalheirismo foi substituído por insaciável sede de sacanear o máximo possível de mulheres que ele pudesse, havia sobrado poucos resquícios daquele Sanji que tinha somente gentilezas para coma as mulheres, seu coração ficou mais frio, seu sorriso opaco seu brilho aos poucos estava sumindo, e tudo isso apenas para tentar enganar a dor e o vazio que Purin havia deixado em sua vida, dia após dia, noite após noite era sempre a mesa coisa, mas ele sabia melhor que ninguém que aquilo não adiantaria só o faria se sentir mais podre por dentro. Ele cortou seu próprio pensamento para se levantar da cama, se vestiu rapidamente puxou dinheiro o suficiente de sua carteira para pagar o motel e para ela pegar um taxi e jogou em cima do criado mudo junto com um bilhete agradecendo a noite e sem nem mesmo acordar a garota saiu do quarto fazendo o mínimo de barulho possível. Já fora do hotel ele acendeu um cigarro e chamou um taxi para si, o taxista chegou em questão de minutos na casa dos Vinsmokes, Sanji olhava com repugnância para aquele lugar pois ela trazia várias más lembranças. Ele pagou o homem e seguiu direto pela sala daquela casa ignorando a todos que estavam ali presente, com o canto dos olhos ele notou que Purin também estava ali, mas também a ignorou e por um minuto ele pensou ter ouvido seus meios irmãos rindo de si, ele seguiu até seu quarto, trancou e se jogou em cima da cama, apagando na mesma hora.

   Já passava das seis da tarde quando Sanji despertou, ele puxou seu celular para verificar as horas, nesse tempo em que ele dormiu chegou para ele mais de duzentas mensagens, mas ele não respondeu nenhuma delas apenas jogou seu celular para o lado e desceu para cozinha para comer alguma coisa. O loiro fez um sanduiche e pegou um suco qualquer que estava na geladeira e sentou na bancada para degustar de seu alimento, Reiju surgiu no local e sentou ao lado de seu irmão mais novo. Ela permaneceu em silencio enquanto esperava Sanji terminar seu alimento, o loiro já sabia o que ela iria falar e já foi intervindo.

   - Eu sei o que você vai falar por isso me poupe de seus sermões hoje, mana!

   - Eu não ia fazer isso Sanji, você já está muito grandinho para isso, eu só vim aqui saber se você está bem?

   - Não entendi qual é da pergunta, estou muito bem! E mesmo que não tivesse isso não seria da sua conta – Respondeu o loiro áspero, a mulher deu suspiro de frustração.

   - Você sabe que isso não é verdade, mas não vou te forçar a nada, por isso quando quiser conversar é só me procurar que eu sempre estarei disposta a te ouvir – Falou rosada dando um abraço caloroso no irmão e saindo da cozinha. Sanji bateu com a mão no balcão, ele sabia que tinha sido babaca com ela mesmo que não merecesse, ele abaixou a cabeça decepcionado consigo mesmo e decidiu que mais tarde iria até ao quarto dela para pedir desculpas, ele rapidamente terminou seu lanche, lavou seu prato e subiu para seu quarto, mas no caminho ele encontrou alguém que ele não queria ver.

   - Oi Sanji, faz tempo que eu não te vejo! – Falou a mulher saindo do quarto do irmão do loiro.

   - Olá Purin, faz um tempinho sim – Respondeu o loiro indiferente – como você tem passado?

   - Bem obrigada por ter perguntado – Purim pareceu querer dizer algo, mas não conseguiu pois Sanji rapidamente saiu da presença dela – já vai, não vamos colocar nossa conversa em dia?

   - Me desculpe, mas eu tenho algumas coisas para fazer – Mentiu o loiro entrando dentro do quarto e o trancando, ficar na presença daquela mulher era insuportável demais, ele pegou o celular para sumir rapidamente com as poucas lembranças desse pequeno tempo com ela, ele olhou mais uma vez aquele tanto de mensagens com certeza ele ignoraria quase todas já que a  maioria delas eram de mulheres que queriam pelo menos mais uma noite com ele, mas infelizmente para elas não teriam mais essa chance, algumas delas até mandavam fotos, outras juravam mil amores para ele de nada adiantava, do jeito que ele estava podiam até morrer de amor que ele simplesmente não iria ligar, mandou mensagens para seus amigos para saírem com ele mais uma vez a noite, Zoro foi o primeiro a responder.

- Você já quer sair de novo ero-cook, ontem não foi o suficiente?

- Deixa de frescura e só bora seu marimo de merda!

- Seu maldito, com que vai ficar o Luffy, você sabe que ele não tem condição de nos acompanhar todas as vezes!

- Tem nada não, vamos só a gente mesmo, passo aí na sua casa as 20:00!

- Mas eu ainda não concordei com nada!

- Tarde demais para voltar atrás!

   Sanji soltou seu celular antes que Zoro respondesse, ele provavelmente resmungaria muito, mas por hoje ele não ligaria. A noite veio rapidamente os dois escolheram uma boate na parte norte da cidade bem longe da casa dos Vinsmokes e dos Roronoas, eles se separaram rapidamente depois de entrar na casa de show e Sanji rapidamente partiu para caça, ele olhou para todos os lados buscando alguém que se destacava naquela multidão de corpos suados dançando. Foi quando seus olhos bateram em uma mulher de pele morena que ostentava um lindo vestido preto, uma mecha de seu lindo cabelo castanho caia por parte de seu rosto dando um destaque maior para seus belos olhos castanhos ela parecia ter vido de alguma ilha no caribe, aquela mulher certamente tinha uma beleza muito diferente da maioria das mulheres que ele conheceu no Japão, não que ele achasse ruim é claro. Sem perder tempo ele seguiu em direção a mulher. A moça que também já tinha reparado na beleza do loiro o notou se aproximando e começou a se preparar para abordagem, mas ao contrário do que ela pensava ele não a abordou ele simplesmente se sentou em um banco próximo e pediu uma bebida.

   - Cara eu adoro as bebidas desse lugar, parece que eles fazem de um jeito muito especial! – Comentou o loiro que aparentava não mostrar nenhum interesse pela mulata – você não concorda?

   - Eu ainda não tive a chance de provar as bebidas daqui – Respondeu a moça surpresa.

   - Serio? Então vamos tratar de dar um jeito nisso agora – O loiro fez o pedido e rapidamente o barman veio com a bebida a garota agradeceu e eles continuaram a conversa – nova na cidade?

   - Na verdade sim, eu cheguei aqui mês passado, aí uma prima minha me chamou para ir aqui, ela disse que seria legal – Respondeu a moça com um sorriso – Só que assim que a gente chegou ela saiu para se atracar com algum cara, me deixando sozinha – Ambos começaram a gargalhar sem motivo algum. Assim eles passaram a noite inteira conversando, o papo tinha sido tão bom que Sanji acabou esquecendo qual era a intenção dele ali.

   Após aquela noite Violet deu seu número a Sanji e ambos passaram a conversar bastante por mensagens, de vez em quando eles marcavam de sair para curtir um Shopping ou um cinema e as vezes rolava algo a mais, depois de um bom tempo Sanji começou a perceber que ele olhava aquela garota de modo diferente quase igual a Purin, e por isso ele achou que seria a hora de pôr as cartas na mesa e descobrir se aquilo iria para frente ou não.

   - Violet-chan eu preciso falar com você – Disse o moreno se sentando na cama.

   - Aconteceu alguma coisa Sanji-san? – Perguntou a mulata que estava terminando de colocar seu sutiã.

   - Você aceitaria namorar comigo? – A pergunta pegou a mulher de surpresa, que desviou um pouco o olhar, ela parecia estar triste.

   - Me desculpe Sanji-san, mas eu não posso no momento, estou enrolada com muitas coisas no momento – A cada palavra dita parecia que uma faca passava pelo o coração da mulata, Sanji percebeu ele não iria perguntar o porquê pois parecia que era bem doloroso para ela e por isso ele decidiu intervir.

   - Não precisa dizer mais nada Violet-chan, eu entendo – Respondeu Sanji esticando o braço e acariciando o rosto da mulher que deitou o rosto sobre mão do loiro para tentar aproveitar o máximo do carinho que o loiro estava lhe proporcionando ela bem baixinho respondeu um singelo “obrigada! ”. Viola não sabia em qual momento, ele havia começado a lhe chamar por aquele apelido, mas ela gostava muito de ouvir e internamente ela torcia muito para que ele nunca a deixasse de chama-la assim – Nesse caso eu tenho outra proposta então. Eu já estou terminando o colégio, no fim do ano que vem para ser mais exato, se até lá a gente continuar se falando, você aceitaria namorar comigo? – A mulata deu uma gargalhada, ele era realmente muito insistente, mas por algum motivo ela amava isso!

   - Claro, com todo o prazer do mundo – Respondeu a mulata, sem dar tempo de reação a ela Sanji pulou em cima dela arrancando mais uma vez suas roupas – Você já quer fazer de novo? – Perguntou ela em um tom irônico, já que ela sabia qual era a resposta.

   - Claro que sim, que eu quero fazer isso contigo o máximo que eu puder, pelo o resto da minha vida – Respondeu o loiro com sinceridade, a mulher corou bastante, Sanji sorriu e a puxou para um longo beijo.

____,____

Fim do Flashback

   Ichiji puxou o gatilho de sua arma, e apontou para a cabeça do loiro que abaixou a cabeça esperando a sua iminente morte, Viola que ainda estava amarrada começou a se debater e gritar em desespero, enquanto que o ruivo apenas sorria disso tudo. Inesperadamente a energia do galpão retornou, com tamanha força que fez algumas lâmpadas daquele quarto explodirem o que acabou assustando um pouco Ichiji que fechou os olhos por causa da claridade, Sanji aproveitou a oportunidade para chutar Ichiji bem no queixo o fazendo cair completamente desnorteado, o loiro pegou a arma do irmão e a jogou para longe e deu mais um chute no homem para garantir que ele não levantasse por um bom tempo, logo após Sanji caiu sentado no chão foi quando veio à tona o que havia acabado de acontecer ele começou a suar frio, o simples pensamento de que ele poderia ter morrido ali o fez tremer, ele sabia que seus irmãos, com exceção de Reiju, o odiavam, mas não ao ponto de querer mata-lo aquilo era o extremo o máximo que ele podia chegar em m relação a tolerância com sua família, ele não sabia o que poderia acontecer com ele falou pra frente, mas de uma coisa ele tinha certeza quando tudo isso terminasse ele trataria de arrumar a suas malas para sumir para sempre da vida daqueles que se diziam sua família, sua única tristeza era o fato de ter que deixar sua mãe e sua irmã para traz, mas ele pensaria no que fazer depois, pois, ele havia sido tirado de seus pensamentos ao ouvir o choro de Viola.

   - Graças a Deus! Graças a Deus! - Repetia a mulata em meio a prantos, o loiro se levantou e caminhou em direção a ela e a pegou no colo - Graças a Deus acabou tudo bem com você Sanji-san, eu não sei o que eu faria se aquele homem tivesse te matado, ainda bem - Continuou a mulher enquanto mais lágrimas escorriam por seu rosto, o loiro a olhou com ternura e começou a retirar as cordas dos braços e pernas com todo o cuidado para não a machucar mais, secou suas lágrimas com o polegar.

   - Me desculpe por ter feito você se preocupar tanto, mas não precisa mais chorar porque tudo vai ficar bem agora, Violet-chan - Falou o loiro dando a moça um belo sorriso, sem perceber ele havia começado a chamar ela mais uma vez por aquele apelido carinhoso que ela gostava tanto de ouvir, sem dar chance para reação e uma possível bronca do loiro Viola juntou o que lhe sobrava de força para pular no pescoço do rapaz o abraçando com toda a força que ela possuía naquele momento, Sanji teve uma agradável surpresa ele sorriu de orelha a orelha e a abraçou de modo delicado já que ela ainda estava machucada só que foi um abraço que demonstrou a mulher toda a paixão que o loiro sentia por ela.

   - Sabe, eu estava lembrando, o dia em que a gente se conheceu, e percebi que já faz exatamente um ano hoje que a gente se encontrou pela primeira vez! - Falou a mulher olhando nos olhos do loiro - você se lembra como foi?

   - E como poderia esquecer, foi quando eu conheci a melhor coisa que já me aconteceu - Respondeu o loiro sorridente, embora ele não lembrasse da data em específico - então, qual vai ser sua reposta?   - Os olhos da garota brilharam em emoção o rapaz tinha se lembrado até disso, mas logo ela ficou triste de novo por se lembrar de algo importante.

   - Mas Sanji-san, você tem namorada não seria certo...

   - Sim ou não Violet-chan? - Perguntou o loiro com um tom firme interrompendo a moça - Você só precisa se preocupar com isso, o resto deixa comigo!

   - Sim, Sanji-san eu aceito seu pedido de namoro - Respondeu a mulata visivelmente emocionada, Sanji lhe ofereceu mais um sorriso antes de colocar sua mão no rosto da moça e a puxar para um longo beijo apaixonado, eles se separaram por falta de ar e Sanji encostou sua testa na dela - eu te amo, Violet-chan! - Era primeira vez em anos que ele dizia aquilo com tamanha sinceridade, lágrimas podiam ser vistas descendo pelo o rosto da mulher só que eram lágrimas de alegrias. O loiro sabia que o que ele estava fazendo com Nami não era certo, mas depois ele se resolveria com ela!

____,____

 

   Franky e Brook

   A dupla tinha ficado encarregado de ir até a sala em que ficavam as câmeras para caso ocorresse de as luzes voltarem não ter o perigo de o pessoal daquela sala os entregarem, rapidamente eles acabaram com aquela tarefa e voltaram correndo para o galpão principal, afinal Franky estava muito preocupado com Robin.

   - Eu sei que você está preocupado Franky-san, mas seja cauteloso senão você pode acabar morrendo.

   - Tudo bem Brook, me desculpe!

   - Não precisa se preocupar afinal eu também estou preocupado com todos eles – Respondeu o homem quando eles alcançaram o salão principal – Muito bem a gente vai se separar aqui Franky-san será mais fácil procurar assim – O Azulado concordou com a cabeça e escolheu qualquer porta em aleatório, na sala em que ele escolheu para começar procurando tinha um homem que ele conhecia bem.

   - Que coincidência, logo você veio parar aqui Franky – Falou o homem se levantando da cadeira e deixando seu copo de Whisky em cima da mesa, a sala em que ele se encontrava estava mal iluminada apenas por uma vela.

   - De fato, você era a última pessoa que eu queria encontrar aqui, Pink

 

  

 

 


Notas Finais


Antes de mais nada, peço desculpas a demora pra postar capitulo, aconteceram muitas coisas nessa ultima semana inclusive a morte de uma prima que eu gostava muito, por isso eu estava sem emocional para escrever qualquer coisa( e por isso já peço desculpas também, caso o capitulo não esteja com a qualidade boa), enfim continuando, sera que aqui já é um casal definitivo para historia? Quem sabe, particularmente eu curti muito escrever as cenas do Sanji são relativamente fáceis se comparado com as do Luffy por exemplo, talvez eu escreva mais futuramente uma historia só dele(é pode ser que der certo). Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...