História Hafu - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Dracule Mihawk, Franky, Koshiro, Monkey D. Luffy, Nami, Nico Robin, Portgas D. Ace, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Trafalgar Law, Usopp
Tags Lemon, One Piece, Sanji, Yaoi, Zoro, Zosan
Exibições 108
Palavras 3.209
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ADIVINHEM QUEM TÁ DE FÉRIAS???
................ EXATO
NÃO SOU EU
Maaaaas minha faculdade é bugada e deu uma semana de férias antes de fazerem a semana de provas finais (vai entender né non? eu achava melhor ter essa semana com provas e dai acabar tudo de uma vez, mas ok ok eu supero)
Como eu já não preciso de nota (amém), decidi vir aqui com vocês <3
Vou atualizando as fics no decorrer da semana (e ainda postarei algumas novas de categorias diferentes hehe), então, agora sim eu prometo não sumir mais durante tanto tempo <3 a menos que eu viaje, mas ai vocês serão sempre informadxs!

Sobre o capítulo: Eu nunca fiz algo 'selvage' desse tipo, mas eu estava batendo um papo com um dos meus melhores amigos (podemos dizer que ele é bem profissional, se é que me entendem ~aquela carinha~) e ele me sugeriu fazer tudo o que ta ai
então... espero que gostem :v qualquer crítica é bem vinda, pls <3
Espero que gostem heh

Capítulo 14 - Fetiche


Fanfic / Fanfiction Hafu - Capítulo 14 - Fetiche

POV Sanji

“Estou namorando”. Essa frase não saía da minha cabeça, e não vou mentir, estou adorando isso. Nunca pensei que, algum dia, eu fosse namorar alguém. Mas aconteceu, da forma mais... Diferente possível, mas aconteceu. Zoro realmente sabia como me surpreender. Depois do pedido, os convidados voltaram a curtir a festa, aproveitando os comes e bebes. Notei que várias pessoas estavam bebendo algo que eu nunca tinha visto, então, resolvi descobrir o que era.

- Sake? - Pensei, lendo o rótulo em voz baixa. - Bom, não custa provar, né? - Coloquei um pouco em um copo, bebendo-o logo em seguida. O gosto era bem diferente de qualquer coisa que eu tinha provado, mas até que não era ruim. Enchi o copo novamente, dando outro gole, e repetindo isso mais algumas vezes.

POV Zoro

Era estranho pensar que, agora, eu estava namorando. Quem me conhece há mais tempo sabe que eu sempre fui carrancudo, então, eu nunca contrariava quando diziam coisas do tipo “assim você nunca vai namorar!”. Mas, agora, estou aqui com o Sanji. E eu não podia estar mais feliz!

Muitos vieram me parabenizar pelo ocorrido, e fiquei um bom tempo conversando com pessoas que não via há um bom tempo. Quando resolvi ir até meus amigos, notei que Sanji ria extremamente alto e contava algumas histórias sem sentido.

- Ah meu Deus, olá, meu amorzinho! - Ele me abraçou, me beijando.

- Sanji? O que você tem? - Empurrei-o de leve.

- Ora, só quero beijar o meu amor, não posso? - Ele fez bico.

- Pode, mas não é típico de você fazer isso...

- Hoje tudo é diferente, lindo! A noite é uma criança, de que adianta a vida se nós não formos capazes de revelar a nossa alma?

- … Que?

- Ai, você é tão lindo! - Ele me beijou de novo, rodopiando até a mesa de salgados logo em seguida.

- O que foi isso?

- Zoro, acho que seu homem provou algo novo e acabou viciando – Nami me mostrou uma garrafa de sake vazia.

- Como é? Ele bebeu tudo sozinho? Por que ninguém o impediu?

- Nós nem estávamos por perto! Usopp estava controlando a quantidade de carne que o Luffy comia e eu estava nos comes e bebes também. Quando me aproximei do Sanji, ele estava bem sorridente e conversava com todo mundo.

Olhei para ele que, nesse momento, conversava com uma planta, perguntando se ela era meu parente. Resolvi me aproximar.

- Vejo que você é bem parecida com Zoro. Então, são parentes? - Ele a encarava – Oh, é tímida? Ou é antipática? Sabe, vindo do Zoro, eu não duvido nada.

- Sanji...

- Ah, como sabe meu nome? - Ele a cutucou. Não vou negar, a cena até que estava engraçada.

- Sou eu. - Segurei seu rosto, forçando-o a me encarar.

- Oi, amor! - Ele me beijou – Estava conversando com seu parente – Apontou para a planta.

- Sanji, isso é uma planta.

- Ah é? - Parecia confuso, mas logo em seguida gargalhou.

- Sanji, você não tá nada bem. Vem, eu vou te levar para o quarto.

- Quarto por queee? Eu to super bem, poxa!

- Não, você nem consegue ficar de pé. - Segurei sua mão, levando-o até meu quarto. Ao chegar lá, fechei a porta.

 

Ok, se bem me lembro, uma vez li um artigo que dizia que, se eu estou cuidando de um bêbado, a primeira coisa que devo fazer é dar um banho gelado nele. Não sei se isso é verdade, mas não custa tentar, né?

- Sanji, tire a roupa.

- Que? Você só pensa nisso, seu ninfomaníaco!

- Ninfo o que? E não é nisso que eu to pensando, eu quero te dar um banho.

- Hm... - Ele me olhou desconfiado – Se tentar algo, eu te arrebento – Ele segurou sua perna, erguendo-a até a altura do rosto. Ok, eu já sabia que ele era bem flexível, e um chute daqueles deve doer. Não é como se eu fosse tentar algo com ele contra a vontade dele.

Ele começou a se despir de forma tranquila, dando algumas cambaleadas e se segurando em mim de vez em quando. Quando estava totalmente nu, levei-o até o banheiro. Não vou negar, eu olhei para seu corpo e senti uma excitação. Mas, como falei, jamais faria algo sem que ele quisesse. Até porque já dá pra ver que ele é do tipo “bêbado sem noção que faz as coisas sem pensar”.

Ele adentrou o chuveiro, inicialmente reclamando da temperatura da água, porém se acostumando pouco tempo depois. Esfreguei suas costas e seus cabelos, tentando não demorar muito devido à temperatura. Ao terminar, ele me abraçou, me deixando um tanto sem jeito.

- Você é um bom lavador de costas, sabia?

 - Que elogio estranho, mas obrigado. - Ajudei-o a se secar, emprestando uma camiseta e uma bermuda para ele vestir. Apesar de terem ficado um tanto largas, serviram muito bem. Sem dizer nada, ele lentamente caminhou até minha cama, deitando nela e abrindo um espaço para eu deitar ao seu lado – Você já está com sono?

Ele balançou a cabeça, com um olhar manhoso, o que foi realmente fofo.

- Minha cabeça dói. Muito.

- Você também não deveria ter bebido tanto. Eu sei que sakê é bom, porém é uma bebida forte e nem todos aguentam beber tanto.

- Ora, e você aguenta?

- Se eu não aguentasse, não estaria lhe dando esse conselho – Encarei-o, vitorioso. Ele bufou.

- Hm, que seja, nem é tão bom assim. Tem coisas bem melhores.

- Tipo o que?

- Tipo... - Ele adormeceu em questão de segundos. Sorri, acariciando seus cabelos. Ficamos assim por quase uma hora, até que ele acordou. - Oh, foi rápido. - Afirmei.

- O que? Ah – Ele colocou a mão em sua cabeça – que dor da porra...

- Você se lembra do que aconteceu?

- Sim, eu bebi demais, você me deu banho e eu dormi.

- Ok, pelo menos isso. Você só está com uma ressaca.

- Tão rápido assim? Achei que ressaca só rolava no dia seguinte.

- Depende do quanto você bebeu. Você não era acostumado, bebeu demais, o efeito foi rápido.

- Certo. Então faça ela passar.

- Eu tenho cara de curandeiro?

- Rabugento do jeito que é, era mais fácil as pessoas fugirem de você do que pedir uma cura – Ele sorriu. Encarei-o sério, mas logo depois, sorri.

- Ora... Está dizendo que eu não seria capaz de curar algo? - Ele parou de rir, me encarando.

- É, mais ou menos isso – Novamente, ele sorriu, de forma desafiadora.

- Entendo... Bom, vou te mostrar uma receita muito boa para curar ressaca – Colei meus lábios nos dele, iniciando um beijo que momentaneamente foi aprofundado. Eu ainda podia sentir um leve gosto de sakê vindo da boca de Sanji, e aquilo acabou me excitando ainda mais.

- Ué, é só isso? - Ele me provocou.

- Nossa, está com vontade? Nem parece que até ontem ficava me chamando de tarado. - Sorri, notando que ele corou.

- É-É efeito da bebida...

- Oh, claro, vou acreditar. - O beijei novamente, usando minhas mãos para explorar seu corpo, notando que ele já estava excitado.

Eu estava bem empolgado. Hoje eu queria tentar algo... Diferente.

POV Sanji

 

Minha cabeça estava doendo pra caralho, mas Zoro era muito bom em me fazer esquecer disso. Ele logo usou suas mãos para explorar meu corpo, porém, parou pouco tempo depois, fazendo com que eu o encarasse.

- Diga-me, Sanji... Você tem algum fetiche?

- Que tipo de pergunta é essa? - Senti meu rosto esquentar.

- Bom, nós somos namorados agora. Acho que eu deveria saber disso, não é? - Para piorar, ele estava certo.

- N-Na verdade, eu nunca pensei em algo assim. Você sabe, você foi meu primeiro em tudo, então, ahn, não sei se posso dizer que tenho algo assim. - Notei que ele corou, porém retomou seu sorriso logo em seguida.

- Entendo... Então, bom, acho que você pode realizar os meus fetiches, certo?

- E-Eu posso?

- Claro... Espere um pouco. - Ele saiu do quarto, me deixando ali deitado e de pau duro. O fetiche dele era me ver assim, sério? Eu estava pronto para xingá-lo de todos os tipos de palavrões, porém desisti da ideia assim que o vi entrar por aquela porta.

Ele carregava uma embalagem de calda de chocolate e uma tigela cheia de morangos. Além disso, trouxe uma lata de chantili, sorvete e chocolate em barra. Que raios era aquilo?

- Vejamos... - Ele ainda sorria – Eu sempre quis cobrir alguém de doces e comer tudo depois. É estranho?

- Por acaso, ninguém te viu entrando aqui com isso?

- Eu sei ser discreto, ok?

- Tá certo... E aliás, você me disse que odiava doces, tá com alzheimer?

- Eu odeio doces normalmente. Mas comê-los em cima de alguém tão... Gostoso, seria bem diferente. - Corei. Ele segurou um dos meus pés, erguendo minha perna até a altura do meu rosto – Eu já te falei que adoro sua flexibilidade? - Disse, beijando minha testa. Ele abaixou minha perna sem desviar seu olhar de mim, e logo em seguida começou a retirar minha roupa. Dei graças por isso, pois já estava completamente excitado. Observei-o fazendo os mesmos com suas roupas logo em seguida e, como sempre, me senti hipnotizado ao observar aquele corpo.

Zoro segurou meu membro, estimulando-o lentamente enquanto abria a embalagem de calda. Novamente ele me encarou, sorrindo, me deixando um tanto curioso e inseguro. Em seguida, começou a derrubar a calda sobre meu membro, causando uma sensação um tanto esquisita, visto que ela estava um tanto gelada. Após despejar uma boa quantidade em meu membro, ele começou a espalhar pelo resto do meu corpo, terminando na minha boca. Eu com certeza precisaria de outro banho depois disso. Ele se afastou e me observou cuidadosamente, sorrindo com o que via.

- Pelo jeito, a cena está linda, não é? - Provoquei-o.

- Não vou negar, ela realmente está. Mas vai ficar ainda melhor... - Ele abocanhou meu membro, passando a língua lentamente por onde tinha chocolate. Vez ou outra ele me encarava, e bom, pelo sorriso que ele deu, não dava pra negar que ele adorou o que viu. E não é pra menos, pois o que ele estava fazendo estava me enlouquecendo. Quando senti que estava chegando no meu limite, ele segurou minha glande.

- Que merda é essa?

- Você já quer gozar? Eu mal comecei, meu amor. Hoje eu quero que você seja paciente. - Sorriu, segurando minhas coxas e lambendo o resto da calda em meu corpo. Ao chegar na minha boca, me beijou de forma lenta, permitindo que eu sentisse o gosto da calda. - Certo, agora venha aqui. - Me colocou em seu colo, fazendo com que minha entrada ficasse em contato com seu membro, porém sem me penetrar. Pegou um dos morangos na taça, colocando uma metade em sua boca e deixando a outra metade para fora. Logo entendi o que ele queria que eu fizesse. Abocanhei a outra metade enquanto rebolava sobre seu membro, podendo ouvir alguns gemidos vindos de Zoro. Assim que engoli o morango, tive meus lábios tomados novamente.

 Aproveitei para masturbá-lo também, afinal, eu também queria arrancar gemidos vindos daquele homem. Eu friccionava minha entrada em seu membro, pois já estava louco de desejo e queria aquele cara dentro de mim agora mesmo. Porém, não ia admitir isso em voz alta. Contudo, ele separou nossos lábios, voltando a rir.

- Vejo que está cheio de desejos, hein? Ok, vou atender o seu pedido, porém preciso te preparar dessa vez. - Ele sorriu, pegando o chantili.

Eu não sabia se deveria ficar contente ou preocupado. Só sei que agora já não tinha mais volta.

Zoro colocou minhas pernas em seus ombros, afastando-as um pouco e depositando um pouco de chantili. Peguei seu travesseiro e coloquei em cima do meu rosto, pois estava sentindo uma mistura de prazer e de vergonha. Não queria que ele visse meu rosto, assim como queria evitar gemidos, visto que a casa dele estava cheia. Porém logo tive o travesseiro retirado e atirado para longe.

- Nem pense em esconder seu rosto, Sanji. E não se preocupe com seus gritos. A porta está trancada e o pessoal lá fora está conversando em voz alta. Ninguém vai te ouvir. - Ele me deu um selinho – E se ouvirem, foda-se. Não é minha culpa se eles não transam.

Zoro continuou depositando o chantili e, quando achou a quantia boa, passou a chupar o local. Eu não sei o que ele fez desde a última vez que transamos, mas ele estava muito mais habilidoso. Ele me penetrava com sua língua enquanto apertava meu quadril, o que me fazia gritar, enquanto me masturbava com a sua outra mão. Eu perdi as contas de quantas vezes ejaculei com esses atos.

Ao terminar de lamber todo o chantili, Zoro colocou um pouco em seus dedos e começou a me penetrar, inicialmente com dois deles. A sensação era bem estranha, porém prazerosa. Com certeza era muito melhor do que só enfiar um pau ali. Não sei o que deu em mim naquele dia, mas acredito que eu nunca vá sentir uma dor tão grande quanto aquela.

- Z-Zoro, a-ah... - Eu gemia em voz alta, conforme Zoro adicionava mais um dedo na preparação. Enquanto me penetrava, ele usou sua boca para morder e chupar meus mamilos, sorrindo ao ouvir meus gemidos.

- Acho que agora você está preparado... - Ele retirou os dedos, abrindo uma pequena embalagem, que eu identifiquei como sendo uma camisinha. Encaixando-se no meu corpo e me penetrando lentamente. Ainda doía, porém nem se comparava às dores que tive na primeira vez. Ok, eu sei que eu fui bem burro, mas eu tava com vontade. Pelo menos eu sei que aquilo não se repete mais.

Soltei um gemido mais alto ao sentir que Zoro estava completamente dentro de mim, o que era bem prazeroso. Eu podia sentir seu membro pulsando dentro de mim, e aquilo foi meu limite. Comecei a rebolar lentamente, sentindo as mãos de Zoro em meus ombros, que logo começou a se mover lentamente.

Ele me encarava o tempo todo, beijando meus lábios de leve vez ou outra. Quando começou a acelerar, tomei seus lábios em um beijo sensual, sem cessar os movimentos por nenhum momento. Zoro ainda apertava meus quadris, vez ou outra com mais força, e eu sabia que isso deixaria certas marcas.

- C-Cook... A-Ah... - Ouvir sua voz gemendo meu nome era prazeroso. Em seguida, ele me puxou, fazendo com que eu me sentasse em seu colo, sem se retirar de dentro de mim. Sorriu, me beijando lentamente e, ao se afastar, sussurrou. - Dança pra mim, Sanji.

Corei, porém sorri. Passei minhas mãos em seu peitoral, apertando os mamilos com certa força. Aquilo me deu uma ideia...

- Antes de dançar, é a minha vez de “comer” você. - Empurrei-o, fazendo com que ele deitasse. Peguei o pote de sorvete ao lado, pegando uma pequena quantidade e depositando em seu peitoral, especificamente em seus mamilos, podendo ouvir gemidos vindos dele. - Sua expressão está maravilhosa, viu? - Ele corou. Por um momento, me senti o ativo da relação, o que estava sendo bem... Interessante. Sorri, fechando o pote de sorvete e lambendo os locais onde o coloquei, enquanto rebolava meu quadril com seu membro dentro. Zoro soltava gemidos altos e incríveis, a voz daquele homem era perfeita. Ao chegar nos mamilos, aproveitei para, não só lamber, como também abocanhar. Logo comecei a quicar em seu colo, aumentando a intensidade das mordidas e dos chupões. Levei meu rosto até o dele, segurando seu cabelo e beijando-o novamente, sentindo suas mãos apertarem e estapearem meu quadril. Caralho, essa sensação era maravilhosa! Não que eu fosse masoquista, até porque os tapas não eram tão fortes, mas não posso negar que eram muito prazerosos.

 Novamente ele sentou-se, colocando meus pés em seus ombros, deixando a penetração mais profunda. Suas investidas eram fortes e profundas, e novamente, eu ejaculava. Zoro aproveitou para atacar meu pescoço e peitoral, deixando marcas piores do que as da última vez. Eu com certeza precisaria usar roupas longas, mas quem liga?

Após abandonar meu peitoral, ele voltou para os meus lábios, segurando meus cabelos de forma que minha cabeça ficasse forçada para trás. Ele não só me beijava como também mordia meus lábios, ele sabia que eu adorava isso.

Depois de várias investidas, Zoro anunciou seu ápice. Eu não pude sentir ele se desfazer dentro de mim, visto que usava um preservativo. Mas eu não ligo, pois sei que ele fez isso para amenizar minha dor. Dá até pra dizer que ele foi um amor, não? Ao se desfazer, ele me abraçou, caindo sobre meu corpo.

- V-Você é pesado...

- Azar é seu, 'guenta ai.

- Grosso.

- Não só de personalidade, não é?

- É... - Sorri – Nisso eu devo concordar.

Ele me beijou, dessa vez, de forma carinhosa. Levei minhas mãos até seus cabelos, acariciando-os. Quando se afastou, pude sentir nossos corpos grudarem.

- Olha só, estou todo grudento por culpa sua.

- Eu? Você encheu meu peito de sorvete.

- Isso porque você encheu o meu de chocolate. - Sorri, vitorioso.

- Hm, e vai dizer que não gostou? - Corei.

- Ué, eu nunca disse isso.

- Oh, por falar em chocolate... - Ele se retirou de dentro de mim, pegando a barra que estava próxima de si e quebrando um pedaço – Eu sempre quis fazer isso.

- Ah não, você não vai esfregar isso no meu cu, vai?

- Que? De onde tirou isso? Gostou tanto do chantili, é?

- Uh, o foco não foi esse... - Desviei o olhar, o que fez ele sorrir.

- De qualquer forma, não é isso. Ele colocou o chocolate em sua boca, vindo em minha direção e colando seus lábios nos meus novamente. O beijo era calmo e lento, e nós trocávamos o chocolate entre as bocas, o que me causou uma sensação muito boa. Zoro acariciava meus cabelos, enquanto eu passava minhas unhas pelas suas costas levemente. Quando o chocolate derreteu por complete, nos afastamos.

- Ora... Até que você tem um lado fofo.

- Seu namorado é completo, não é? - Ele sorriu.

- Não porque ele não me dá banho após me sujar de doces. - Ergui meus braços em sua direção .

- Que coisa de criança... Mas ok, eu te devo essa. - Zoro me ergueu, me levando até o banheiro. Ao me colocar no chão, ainda senti um desconforto no quadril, porém nada comparado ao que senti antes. Pelo menos, eu podia andar.

Num geral, o banho foi bom. Zoro tentou certas coisas, porém eu o evitei, recebendo um olhar de reprovação do marimo rabugento. Por favor, minha bunda também precisa descansar!

Após o banho, nos vestimos novamente. Deitei em sua cama, sendo abraçado por trás e notei que ele dormiu quase que instantaneamente. Quanto a minha ressaca, posso dizer que ela foi curada.

E, quanto à nossa próxima vez, posso dizer que pretendo mudar algumas coisas.

 


Notas Finais


então, o que acharam? <3 Se for aprovado, prometo me esforçar pra fazer mais ~selvagerias~
e aceito sugestões também, viu? Mas pls, nada muito sado-maso porque eu não imagino algo tããão assim entre eles HUEAHUEHU (tipo envolvendo chicotes e tal. Mas nada impede que role algemas, risos)
Por fim, acho que o próximo capítulo ou o próximo do próximo (?) terá o twister LawLu ~aquela carinha~
prometo não demorar, viu? <3
E quero agradecer à todxs vocês por sempre serem pacientes com o meu ano corrido. Nessas férias eu prometo que vou compensar muuuito com mil fics, viu? HEHEH
amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...