História Half human, Half demon - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), HyunA
Personagens HyunA, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Namjin
Exibições 13
Palavras 1.686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi oi!! De volta! Bom o capítulo está um tanto pobrezinho mas o próximo será melhor hehehe. Espero que gostem e nos vemos nas notas finais.

Capítulo 3 - Pesadelo


Fanfic / Fanfiction Half human, Half demon - Capítulo 3 - Pesadelo

-Você tem de sair daqui- falei entrando em pânico. Ouvi alguém bater na porta novamente.  

-Vamos esperar que vão embora- Jimin falou calmamente como se não fosse nada de mais.  

-Me dê a chave- ordenei.  

-Não- Jimin falou e logo sorriu maliciosamente. Ele tirou a chave do bolso e abanou-a - Venha buscá-la, meu anjo- falou de forma desafiadora. Avancei até ele e deferi uma joelhada no seu ponto fraco. Jimin nem se moveu- O que é que estava a tentar fazer?-perguntou seriamente. Por momentos me senti intimidada. 

-Recuperar a chave- encarei-o. Jimin aproximou-se mais e ficou próximo demais do meu rosto. Ele roçou o nariz em minha pele e foi descendo até meu pescoço. Porquê que o seu toque era tão único? Eu não devia permitir isto- Me dê a chave, Jimin. 

-Você não sabe a vontade que eu tenho de possuir você- ele sussurrou ao meu ouvido. Meu corpo aqueceu. Meu Deus, o que estou eu fazendo?- Me deixe possuir você, só por uma noite- sussurrou novamente. Mordi o lábio com força. Porquê que eu estava desejando um homem que não era meu namorado? Sentia-me tão mal. 

-Eu não vou ser mais uma no seu jogo- falei com dificuldade. Jimin afastou-se e encarou-me. 

-Nunca conheci ninguém tão resistente- ele me olhou fascinado- Mas não me faça ter de usar a força- ele falou de forma assustadora- Eu não quero abusar de você contra a sua vontade, eu sinto o medo que você tem de ser mal tratada. Mas acredite...-ele aproximou-se de meu ouvido e sussurrou-...comigo você aprenderia a amar a dor.  

-Você é louco- tentei me afastar mas Jimin agarrou em minha cintura com força- Deixe-me sair daqui- falei empurrando seu peito. Jimin não se moveu. Bufei.  

Senti suas mãos escorregarem mais para baixo. Jimin me encarava intensamente. Suas mãos pararam no meu rabo. Apertou ali. Dei-lhe um estalo com força. Jimin me olhou surpreso e afastou-se.  

-Já chega- ele aproximou-se rapidamente e levou sua mão até meus cabelos os agarrando com força. Senti meu corpo ser virado. Fiquei de costas para Jimin. O mesmo enrolou meu cabelo e o puxou para trás me magoando- Eu estou tendo muito paciência com você, mas você está me irritando Vanessa- ele sussurrou em meu ouvido. Sua mão foi até minha barriga- Eu sei que você também me deseja- sua mão subiu até meu peito.  

-Você ainda não percebeu que não me pode ter?-perguntei com dificuldade devido à dor causada pelo seu amarro- Eu tenho namorado, você tem namorada, é impossível- ouvi Jimin rir levemente atrás de mim. Sua mão soltou meu cabelo. Suspirei. 

-Você acha que ele faz justiça ao seu corpo?- ele baixou meu vestido revelando o sutiã. Senti-me corar. Sua mão passou levemente por meu peito. Minha respiração acelerou- Olhe só para o seu corpo- Jimin me fitava pelo espelho- Me dê apenas uma noite. 

Eu tinha de me manter firme. 

-Me dê a chave- falei levando minha mão até ao vestido e puxando o mesmo para cima. Virei-me de frente para Jimin.  

-Você vai comigo, seu namorado não se importa, ele vai ficar feliz- ele me fitava de uma forma assustadora. Seu olhar prendeu o meu- Agora vamos- ele agarrou em minha mão e me puxou.  

-Eu não vou a lado nenhum com você- falei parando de andar e puxando minha mão. Jimin me olhou confuso, como se não entendesse o que se estava a passar. Ele aproximou-se rápido e me fitou daquela maneira novamente.  

-Você me ama- ele falou. 

-Não- falei firmemente.  

-Você me deseja- ele falou rapidamente sempre me fitando.  

-Não- menti. Jimin era muito bonito e atraente e isso eu não podia negar a mim mesma. Ele me deixava confusa e dividida porque uma parte de mim o desejava, a outra dizia-me para me afastar dele. 

-Não está funcionando- ele rosnou- Olhe bem em meus olhos- sua voz engrossou, me assustando.  

-Você quer ir comigo esta noite, você está ansiosa para estar em meus lençóis- ele continuava me fitando. Não percebia o que ele estava tentando fazer. 

-Eu só quero sair daqui, Jimin. Me dê a chave- falei um pouco cansada da situação. Jimin afastou-se e entregou-me as chave. Pensei que ele fosse resistir mais mas felizmente não o fez. 

Fui até á porta abrindo a mesma. Uma senhora estava ali me olhando de alto a baixo. Pensei que ela já tivesse ido embora. Olhei para trás e surpreendi-me ao ver que Jimin já não estava ali.  

Onde é que ele se meteu? 

-Peço desculpa- falei um pouco desnorteada. Voltei para a mesa. Assim que me sentei notei que estava completamente ofegante. Reparei que a namorada de Jimin também já não estava ali. 

-Você está bem?- Hoseok perguntou preocupado. 

-Podemos ir embora?-perguntei rapidamente.  

-Sim, se você não sente bem é melhor irmos- ele falou seriamente. Sinto que o magoei. Suspirei e levantei-me. Hoseok deixou o dinheiro sobre a mesa e levantou-se- Vamos- agarrou em minha mão e fomos embora.  

Assim que chegámos a minha casa, Hoseok me levou á porta.  

-Desculpe pela noite de hoje- suspirei e olhei para o chão. Hoseok ergueu meu rosto e sorriu. 

-Você não tem de se desculpar, nem todos os dias podem ser bons- ele acariciou meu rosto e aproximou-se selando nossos lábios. Lembrei-me do beijo com Jimin. Hoseok tentou aprofundar o beijo mas eu não deixei e afastei-me. 

-É melhor eu entrar- falei sem jeito. 

-Tá, nos vemos amanhã- ele sorriu e beijou minha testa- Te amo.  

-Também o amo- falei sentindo meus olhos marejarem. Virei-me rapidamente e entrei dentro de casa. Suspirei e encostei-me na porta. Deixei meu corpo escorregar pela mesma até estar sentada no chão. 

Sentia-me tão culpada. Eu não devia ter permitido tudo aquilo que aconteceu naquele banheiro. Hoseok não merecia. 

Uma lágrima escorreu pelo meu rosto. Olhei para cima tentando parar de chorar. Funguei. Porquê que estava tão difícil de controlar minhas emoções?  

Não sei como, mas acabei adormecendo ali. 

××× 

Estava sozinha em uma casa fria e escura. Uma brisa fresca chocava contra o meu rosto.  

Ouvi um barulho vindo da cozinha. Fui até á mesma e tentei ligar a luz mas não funcionava. Felizmente havia uma porta de vidro que ia dar ao jardim. A mesma iluminava o local. 

-Quem é que está aí?-perguntei. Minha voz ecoou.  

-Vanessa...-ouvi uma voz que não me era estranha- Me fale de você...- ouvi a mesma voz  mais próxima- Quem são seus pais? 

-Onde está?-perguntei olhando em redor. 

-Responde-me- sua voz ficou mais grossa.  

-Eu só vivo com minha mãe- falei andando pela cozinha, era enorme. 

-Ela é humana?-ouvi mesmo atrás de mim. Virei-me. 

-S-sim- falei sentindo a adrenalina percorrer meu corpo.  

-Você é?- alguém tocou em meu cabelo. Meu coração acelerou.  

-Que tipo de pergunta é essa? Claro que sim- andei mais um pouco. Vi uma sombra lá fora. Assim que ia sair para ver, sinto alguém puxar meus cabelos com força. Gemi devido á dor. 

-E seu pai?-perguntou. 

-O que tem?-perguntei confusa. 

-Você alguma vez o viu? 

-Eu só o conheci ontem, por favor me solte- falei sentindo imensa dor em minha cabeça.  

-Como ele era? Você gostou dele?-perguntou. 

-Não- gemi de dor- Ele era estranho e assustador- lembrei-me da forma como ele conseguiu mover o móvel e abrir a porta- Até parecia ter poderes, principalmente o poder de assustar minha mãe- ele diminui a força. 

-Hmm...-ele me soltou- Acho que já entendi o que se está a passar- ouvi seu riso e imediatamente lembrei-me de Jimin- Você é filha de um caído... 

-O quê?- virei-me para trás e vi apenas um vulto com asas negras, as asas pareciam ser de um morcego só que muito maiores. Queria fugir mas minhas pernas pareciam não se querer mover. 

-Você é uma Nefilim, faz sentido. Quer dizer, ainda não é completamente, você está se transformando...-o vulto desapareceu. Senti alguém passar a mão pelo meu braço. Olhei para o mesmo mas não via nada- Isto vai ser divertido- ele sussurrou ao meu ouvido. 

-O que é que você é?- perguntei assustada.  

-O seu pior pesadelo- vi o vulto preto mesmo á minha frente e gritei com toda a força que conseguia. 

××× 

Acordei assustada. Eu estava gritando tal como em meu sonho. Vi as luzes se acenderem. Minha mãe apareceu no topo das escadas. 

-Vanessa, o que se passa?- desceu preocupada. Levantei-me e comecei a olhar para todo o lado. Vi uma sombra no cimo das escadas, a mesma desapareceu rapidamente. Estava completamente em pânico- Vanessa?!- minha mãe tentou chamar minha atenção mas eu estava focada  na Tv da sala. Haviam duas machas vermelhas na mesma. Pareciam olhos. Mas que raio estava acontecendo? Fechei os olhos com força e ouvi um estrondo  que me assustou. Abri os olhos e vi a Tv no outro lado da sala completamente destruída. 

-O que foi aquilo?-vi Melanie no cimo das escadas- A televisão foi contra a parede sozinha?- ela desceu rapidamente. Sentia seu medo. 

-Vanessa- minha mãe pegou em meu rosto e me fez encara-la- O que é que se passa?-perguntou com a voz serena. Suspirei tentando me acalmar.  

-Eu adormeci aqui e tive um pesadelo- falei ofegante. 

-Você tem de ir descansar- ela passou o braço pelos meus ombros e começou a subir as escadas comigo. 

-Fui só eu que vi uma Tv ir contra a parede?- olhei para trás e vi a Tv no chão. Será que fui eu?  

Quando cheguei no quarto, minha mãe me ajudou a vestir o pijama como se fosse uma criança e depois me aconchegou.  

-Você tem sempre de acreditar no melhor que existe em si- ela falou acariciando meus cabelos. Seus olhos marejavam. Porquê que ela estava assim? 

-O que é um caído?-perguntei me lembrando de meu sonho. 

-O quê?-ela me olhou surpresa. 

-Um caído, o que é? 

-Não sei, porquê?- perguntou um pouco nervosa. Isso levava-me a pensar que ela estaria a mentir. 

-Nada, esqueça- aconcheguei-me- Até amanhã. 

-Até... 

Quando minha mãe saiu do quarto senti-me desprotegida. Aquele pesadelo foi tão real que me assustou. Ainda por cima coisas estranhas não paravam de acontecer.  

Principalmente desde que meu pai e Jimin entraram em minha vida.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Nos vemos no próximo capítulo! Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...