História Halves - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Novela
Exibições 31
Palavras 818
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Justin


Estava quase dormindo com as suas carícias no meu cabelo, quando chega Olívia gritando e nos assustando.
-Que merda, Olívia! - Natalie estava com a mão no peito e respirando fortemente. -Um dia você me mata, o que houve? - ajeitou a minha cabeça no seu colo e voltou a fazer carícias.

-Você vai em um encontro duplo comigo. - disse rapidamente enquanto pulava pela sala, a encarei incrédulo com o que disse. -Se arruma, só não fica muito arrumada.

-Ei, ela não vai em encontro duplo algum. Estamos namorando e ela não vai sair com outro homem. - parou e ficou me encarando e começou a rir da minha cara.

-Você vai ser o par dela. - explicou se jogando na poltrona. -Eu vou com o Shaun, e vocês dois.

-E para onde vamos? - Natalie perguntou.

-Zoologico. - gritou batendo palmas.

-Não creio! - Natalie levantou se rapidamente e acabei batendo a cabeça no sofá. -Desculpa, machucou? - perguntou passando a mão por toda a minha cabeça e distribuindo beijos por toda a extensão.

-Tá tudo bem. - respondi me sentando no sofá.

-Vão logo, vocês tem 45 minutos. - Olívia se levantou indo pra cozinha.

-Vem. - Natalie me puxou escadas a cima.

-Vocês estão prontos? - Olívia gritava impaciente.

-Pede pra gazela calar a boca. - Natalie pediu do banheiro.

-Olívia. - a chamei e a mesma colocou a cabeça entre a porta. -É pra você calar a boca.

-Anda logo. - disse antes de bater a porta, Natalie saiu do banheiro e estava linda.

-Coloca um tênis. - falei e ela assentiu voltando com calçado no pé e a sua bolsa. Me levantei e aproximei dela, deu me um selinho e abriu a porta pegando a minha mão.

-Eu devo ser do signo de sanitários, só faço merda.- reclamou Olívia.

-Ele é um otário por te dar um bolo. - Natalie a abraçou a sua prima. -Vamos ver os bichinhos e fica alegre. - As duas sairam correndo quando viram os elefantes.

-Que linda! - Olívia saiu correndo para me mostrar a foto que tirou da Natalie com o elefante.

-Me passa. - pedi e ela me enviou. A publiquei na minha conta e coloquei o celular no silencioso em seguida. -Vamos ver os leões. - puxei Natalie pela cintura e nos distraimos com os animais.

-Cadê a Liv? - olhou para os lados e a encontramos conversando com um rapaz, ela nos viu e fez um tchau com a mão saindo sem seguida. -Que vaca. - resmungou.

-Podemos fazer algo melhor. - sussurrei sem eu ouvido e me puxou para o estacionamento entrando no carro e me esperou, fiz o mesmo e ela pulou para o meu colo. -Você quer fazer aqui? - perguntei a encarando.

-Sendo com você não importa o lugar. - a beijei como se necessitasse disso para viver. Passou a mão pelo meu pescoço e o celular tocou. -Atende. - disse enquanto me dava beijos e peguei o celular o atendendo.

-Alô.

-Justin, estou com saudades. - Natalie me encarou e sussurrei que era minha mãe e coloquei no viva-voz. -Quando você vem me ver? - perguntou.

-Logo, vou ver semana que vem se tem como.

-Ok, e traz a sua namorada para eu a conhecer. - Natalie ficou paralisada com isso.

-Claro mãe, ela até concordou. - ela movimentava a cabeça em sinal de não. -Ela ficou até feliz com o se convite, mãe. Foi até arrumar a mala. - recebi uma mordida no ombro como resposta, mordi os lábios para não gritar.

-Que ótimo, bebê. - eu vou ter que desligar tenho algumas coisas a fazer. -Eu te amo, se cuide e mande um beijo pra sua namorada.

-Também te amo, mando sim. - desliguei a ligação.

-Você tinha que me perguntar se eu queria ir. - disse emburrada voltando para o banco.

-Ela não perguntou se você quer ir, falou que é pra ir. - tentei jogar a culpa na minha mãe. -E eu já conheci a sua família, agora você vai conhecer a minha. - ela foi o caminho inteiro quieta.

-E se ela não gostar de mim? - perguntou quando parei no semáforo, a encarei e ri do seu desespero. -Não tem graça.

-Ela vai te amar, o bebê dela está feliz. E não tem como não te amar. - peguei sua mão e depositei um beijo na mesma.

-Mas. - a interrompi.

-Cala a boca, baby. Se preocupa comigo agora. - disse e ela tentou se acalmar. -Eu não fiquei desesperado quando conheci a sua família, tive uma aula de como usar camisinha e não reclamei nem nada.

-Culpa da boca aberta da Olívia. - disse. -Ela sempre me mete em roubada, não sei como ainda não a matei.

-Por que você a ama, e são como almas gêmeas duas loucas. - ri e recebi um tapa na coxa.

-Nossa que engraçado.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...