História Hanahaki de Min Yoongi - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Doença, Jimin, Park, Suga, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 39
Palavras 1.175
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Quem diria que eu estaria sofrendo por um amor impossível, que este amor que eu cuidei e cultivei seria minha ruína.

Cá estou eu, sendo sufocado por flores, as flores preferidas do meu amor. Hanahaki, doença literária, aliás, nem tão literária assim já que estou sofrendo por ela.

A doença do amor não correspondido, uma doença que tem seu inicio de forma bela e seu final trágico, pelo menos no meu caso. Há apenas três formas de cura para esta doença.

Primeira: se confessar e ser correspondido pela pessoa amada;

Segunda: retirar as flores do coração e do pulmão por meio de uma cirurgia- que pode causar a morte por ser delicada- mas perdendo as lembranças da pessoa amada; 

Terceira: a morte.

O dia que descobri a doença ainda está vivo em minha memória, todas as noites minhas memórias fazem questão de me lembrar.

"Estava passando mal de novo, já era a terceira vez na semana que tinha falta de ar e sentia dor na região do coração. Por este motivo tinha acabado de fazer vários exames, e por este motivo estou sentado na frente de um médico com uma cara séria. Assim que ele começou a falar senti meu mundo desabar. Saí da sala sem deixar o médico terminar de falar.

Quando cheguei em casa me desatei a chorar como uma criança que se perdeu dos pais, aliás, eu estava perdido, estava desesperado, desolado.”.

Depois de algumas semanas resolvi voltar ao médico para ver se havia alguma cura, ele me contou sobre as três opções.

Sim, a melhor opção é a primeira, mas é a opção, mas impossível para minha pessoa... Como poderia falar para meu melhor amigo que sou apaixonado por ele? Como eu, Min Yoongi poderia dizer para Park Jimin que eu estava o amando e que este amor estava sendo minha ruína? Como poderia me confessar sabendo que o mesmo estava feliz nos braços de outro, que se entrega de corpo em alma para outro alguém que não sou eu e que acima de tudo, que ele estava feliz com sua vida. Seus olhos transbordavam felicidade apenas de falar sobre seu noivo. Sim, noivo.

Lembro até hoje do dia em que Jimin veio todo animado me contar como fora o pedido, de como seu namora -agora noivo- o levou um parque e em meio a um piquenique debaixo de árvores floridas, retirou uma anel do bolso e lhe fez uma linda e sincera declaração- fiquei sabendo de todas as palavras ditas- e ao final pediu para que construíssem um futuro juntos... Eu juro que tentei ficar feliz, juro que queria poder ser sincero com todo meu coração, a única coisa que fiz foi lhe desejar felicidades e assim que o mesmo saiu de casa me desatei a chorar em um desespero amedrontador. Foram semanas desta forma. Depois dessa notícia minha doença piorou, na verdade, algumas semanas depois os sintomas se agravaram.

É irônico como um sentimento tão bom pode se transformar em algo ruim, algo que te destrói por dentro e por fora, que vai te consumindo aos poucos até não sobrar nada, te esgotando por completo.

A notícia do noivado foi o estopim para minha alma, Mesmo com o namoro, no fundo do meu coração ainda mantinha esperanças que um dia Park poderia corresponder aos meus sentimentos, mas como podemos perceber, não foi isto que ocorreu.

Poderia optar pela segunda opção, fazer a cirurgia, mas esqueceria de todas minhas lembranças com meu amado, esqueceria de todos os momentos felizes que passei ao seu lado, toda vez que nos divertimos, o motivo de eu o amar, esqueceria de sua amizade, esqueceria de todos os momentos que passei ao seu lado, dos tristes aos felizes. Eu não me arrependo desse amor, eu não me arrependo de ter provado a sensação de amar alguém, de sentir nervosismo, vergonha, carinho, instinto de proteção. Não me arrependo de me sentir mais vivo do que nunca, não me arrependo de sofrer de uma forma bonita e trágica ao mesmo tempo. 

De certa forma, sobra a terceira e última opção que é possível para minha pessoa. A única coisa que eu poderia fazer é morrer com este sentimento, ir embora com este amor cravado em meu coração, escondido a sete chaves em meu coração e em minha alma.

Mesmo eu tendo prometido que iria ao casamento do garoto de bochechas cheinhas, dentinhos tortinhos que lhe davam um charme, dentinhos tortinhos que lhe davam um charme, de seus olhinhos que se transformavam em dois risquinhos enquanto sorria seguido, na maioria das vezes, por uma risada agradável e gostosa de ouvir. Eu fiz uma promessa que não poderia cumprir, eu menti e como consequência acabei quebrando outra promessa, a de nunca mentir, a de ter uma amizade sincera.

"-Você vai né Suga? Diz que vai, você é meu melhor amigo...

 -Já disse que vou Jimin- solto um suspiro longo- É importante para você, então eu irei.

 -Vai ser tão incrível, ah, eu tô tão nervoso e animado ao mesmo tempo.

 -Claro que vai ser incrível- não consegui completar, pois saí correndo para o banheiro e me trancando; as flores queriam sair-. 

 -Yoongi, tá tudo bem? Abre a porta.

Algumas pétalas saíam juntas, estava morrendo mais rápido do que o esperado será que a felicidade extrema de Jimin piorou a doença? 

 -Yoongi!!

 -Calma- disse abrindo a porta- Já estou melhor.

 -O que você tem?

 -Nada demais, só um mal estar.

 -Mesmo? 

 -Mesmo- dei um sorriso- Não se preocupe.”.

Espero que um dia ele possa me perdoar por isso, por lhe esconder minha dor, mesmo jurando que contaria todas minhas angustias e felicidades, aguentando tudo sozinho e andando com uma máscara que transbordava felicidade, mas quando retirada, podia se ver meu desespero e tristeza.

Por este motivo, estou deitando na minha cama sendo sufocado pelas flores que provam meu amor, meu amor puro por Park Jimin. O ar de meus pulões já rarefeito, a dor na região torácica é insuportável, sinto meu coração parando aos poucos, as flores preferidas de Park estavam querendo sair, eu estava sendo sufocado por vários hibiscos-da-síria, minha garganta estava se fechando. Minha consciência a cada momento vai se perdendo ainda mais, meu nariz sangrava e do nada algumas lembranças importantes e preciosas da minha vida se fizeram presente, os momentos que passei com meus pais, minha primeira vez na escola, minha formatura no colegial, meus primeiros amigos, meus aniversários, minhas aulas de piano, as músicas que compus com meus melhores amigos que considerava como parte da minha família, meus sonhos realizados e por último, a face de Jimin sorrindo com seu eye smile em minha direção. E com esta última imagem, sinto todos meus sentidos se esvaindo, minha respiração parando e a única coisa que fiz, foi fechar meus olhos, para ir em paz.

Ir em paz sabendo que morri por conta de meu amor, por conta de Park Jimin, que nem sabia desta doença, assim como não sabia desse amor.

E de forma sincera, espero que todos possam me perdoar por ter abandonado esse mundo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...