História Hanahaki Não Tem Cura - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Hanahaki, Romance, Shoujo, Songfic
Exibições 5
Palavras 521
Terminada Sim
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi lá, leitores!
Eu sei q deveria estar terminando o próximo cap de DayDream Romance - aliás, tá quase pronto -, mas deu um bloqueio tão forte que eu decidi parar um pouquinho, mas já tô terminando
*Respira*😪
Essa OS eu fiz por puro desencarno de consciência, pq eu já tava querendo fazer uma Hanahaki há algum tempo
Na vdd, 'Hanahaki Não Tem Cura' ia ser uma longfic, só que, ontem de tarde me deu uma inspiração dos deuses e surgiu isso😁
Escrevi isso usando como inspiração a música Cold Rain do 4Minute, pq sim (Where my 4nias at?)
Espero de verdade que gostem, até eu achei que não tava tão ruim quanto o primeiro rascunho😂
Okaaaay, agora a magia
Aproveitem com moderação~

Capítulo 1 - Quando as flores caem


Fanfic / Fanfiction Hanahaki Não Tem Cura - Capítulo 1 - Quando as flores caem

Ao contrário do que pensei, meu amor por você só cresceu quando você saiu por aquela porta. Não sabia o que era sentir isso até te conhecer, eu só acrefitava no que as pessoas diziam.

O pecado que eu cometi - que nós cometemos - naquela noite já obteve seu castigo. A primeira pétala veio com um susto, assistindo sozinha a um filme de terror qualquer de madrugada, depois de uma tosse intensa, a qual nem mesmo estranhei, já estava doentede qualquer forma. O filme já estava quase no fim quando finalmente percebi a pequena e achatada pétala de Snapdragon* grudada em minha perna direita. Uma surpresa tão fria quanto a chuva forte que caia lá fora. Lembro-me bem de ter corrido para fechar todas as janelas da casa, até mesmo as do andar superior.


Na semana seguinte, a minha situação só piorou. Depois de te ver de mãos dadas com outra, a tosse intensa volimas saindo de meus olhos. Estava sufocando. Porém, tão rápido quanto veio, a sensação de sufoco foi embora de repente.

Então, eu vi.

A pequena pétala deengan,ragon em minha mão me trouxe desespero. "Isso saiu mesmo de dentro de mim?", foi o que me perguntei.

... Hanahaki, não é?

Já tinha lido sobre isso, uma vez, num livro de lendas que uma prima me forçou a ler. Mas era só uma lenda, não era para ser real...

Não é?


Tudo se tornou tão mais difícil quanfo você foi embora, sem nem ao menos se despedir. Sempre que pensava em você, aquela maldita tosse quase tuberculosa voltava para me assombrar.

Com o tempo, a freqüência e a quantidade de pétalas foi crescendo e, em alguns meses, eu já estava vomitando flores inteiras.

Ah, Hanahaki...

A paz que o momento me proporcionava calmamente já se foi, assim como a saúde e a sanidade que um dia habitaram meu corpo.

Sinceramente, você não poderia gostar de flores menores? Nessa época eu já temia pelo último estágio da doença.


Foi numa tarde ensolarada de domingo que uma amiga descobriu a mnha doença. Eu te vi passar, tão lindo... e a outra estava a seu lado. Seus dedos estavam entrelaçados, e isso foi o suficiente para a Hanahaki "atacar" novamente. Bang In Ha me segurava pelos ombros enquanto eu vomitava snapdragons atrás de uma moita. Obviamente, depois disso tudo, eu tive que explicar essa loucura toda para ela.

Falando em Bang In Ha, foi ela mesma que sugeriu que eu fizesse a cirurgia. No começo, tive medo. Imagine só! Não ter mais sentimentos! Achava que devia ser muito cruel.

Porém, In Ha não queria me ver morrer, se dizia egoísta demais para tal.


Sabia que existem pessoas que não esquecem o que viveram antes da cirurgia? Se não me engano, têm 0,000001℅ de chance de acontecer - mas acontece. E eu faço parte dessa porcentagem. Infelizmente.

Eu não esqueci quando saí com minha melhor amiga do hospital clandestino. Eu te reconheci quando você passou por mim na rua, no dia seguinte, olhando-me temeroso. Talvez In Ha tivesse confessado minha situação, como um pecador se confessa para um padre - afinal, não conseguia manter a boca fechada quando sentia-se aflita.


Eu não esqueci você, meu nobre amor. E nunca esquecerei.


Notas Finais


Snapdragon* - "Flor-crânio-do-Dragão, o que recebe o nome de flor, na verdade, é a vagem da planta após a morte da flor que passa a se assemelhar com uma caveira, daí o apelido fazendo referência ao crânio."

Segunda do dia!!!!!
Tô com medo
Mas ok(●__●)
Até a próxima👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...