História Hands All Over - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Girls' Generation, Got7, TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jackson, JB, Jennie, J-hope, Jihyo, Jisoo, Lisa, Mina, Momo, Personagens Originais, Rosé, Sana, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Tzuyu
Tags Chaeyoung, Comedia, Michaeng, Mina, Twice
Visualizações 68
Palavras 6.863
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong~

Capítulo 7 - Cap.7


Lista de desejos para o ano de 2017:

 

 

1- Ir no show da Adele

 

2- Andar de montanha russa

 

3- Ver elefantes no zoológico

 

4- Ganhar um buquê de flores

 

5- Aprender a dirigir

 

Son Chaeyoung estava relendo a lista de desejos de sua atual “namorada” pela centésima vez, reparou que um já havia sido realizado e que ganhou um desenhado uma carinha feliz na frente para simbolizar. Ela já havia decorado os desejos de traz para frente e passou a última semana maquinando como realizá-los sem que a ruiva desconfiasse que ela tinha mexido em seu diário.

 

Elefantes? O que eles fazem demais? A não ser um cocô gigante, decididamente não sei o que eles tem de tão interessante. Mas se a ruiva quer ir ver, nós vamos! E eu já sei como fazer.

 

 

A morena estava maravilhada com as coisas simples da lista e ao mesmo tempo pensativa no porque de ninguém ter feito isso por ela antes? O Zoológico não era longe, dava para elas irem andando.

 

Por que os pais dela nunca a levaram? Parece que eu não sou a única com pais problemáticos.

 

Montanha russa já iria ser um problema um pouco maior para resolver, pois a baixinha tinha pavor de altura. Quando tinha 8 anos ela foi no parque de diversões dar uma volta no camicase, quando o brinquedo começou a rodar ela gritou a plenos pulmões para que parassem, porque o garoto a seu lado estava tendo um ataque epilético. Uma mentirinha. O maquinista parou o brinquedo no susto e abriu o compartimento recebendo uma lata de refrigerante na cara. A menina correu a todo vapor e nunca mais voltou.

 

Ela podia sonhar em dar uma volta na praia, ganhar um cachorro, comer algodão doce, mas não! Tinha que ser descer uma montanha russa? Eu dou muita sorte mesmo.

 

 

O buquê de flores foi a parte que mais a irritou. Por que Mina namorara Jaebum por anos e ele nunca dera um buquê para a menina.

 

Esse eunuco filho de uma vaca! Como ele pode nunca ter dado um buquê pra ela? Matar é pecado, certo? E estrangular, também é?

 

 

Ela jogou o celular na cama e respirou fundo.

 

O que eu não faço por você, ruiva?

 

***

 

 - Tzu!

 

Tzuyu estava em seu armário retocando a maquiagem quando Mina chegou cheia de livros e com um sorriso gigantesco.

 

 - O que foi Ariel?

 

 - Você viu a Chae por aí?

 

Tzuyu fechou o armário e encarou a outra de frente.

 

 - Por acaso tenho cara de “radar de hobbit”?

 

 - Foi só uma pergunta! - Mina revirou os olhos. - Não precisa ser grossa!

 

 - Meu sobrenome é grosseria! E a sua amiginha não quis entrar no clube do coral! Você como capitã tem a obrigação de fazê-la mudar de ideia!

 

 - É um pais livre, Tzuyu. Se ela não quer ir, não vou forçá-la!

 

A taiwanesa se emburrou e chegou mais perto da japonesa para cochichar.

 

 - Eu odeio admitir isso, mas com ela no coral as chances de ganharmos as nacionais aumentam. - A taiwanesa pos as mãos na cintura. - Qual é, Myoui? Vocês vivem agarradas para cima e para baixo, é só pedir, ela não vai negar para você.

 

A ruiva pensou um pouco, a mais alta estava certa. Chaeyoung tinha um talento natural que com certeza as ajudariam nas nacionais.

 

 - Seus fracos neurônios já se decidiram? Ou vou ter que esperar até o apocalipse?

 

O rosto de Mina se torceu numa careta.

 

 - O hobbit canta bem...

 

 - Bem melhor do que você! - essa sentença veio de Chaeyoung que havia acabado de chegar perto dos armários. - Estavam falando de mim?

 

 - Claro! Você conhece algum outro Hobbit?

 

Chaeyoung tencionou os músculos, respirou fundo e se segurou para não voar no pescoço da garota de cabelos roxos.

 

 - Não! Mas eu conheço uma VACA SEM TETA!

 

As duas teriam se espancado se Mina não tivesse entrado no meio.

 

 - Chega disso! Vem Chae!

 

E puxou a morena pelo braço para o auditório. A cara de Tzuyu foi no chão quando ela reparou que Mina estava saindo com Chaeyoung e deixando-a para trás. A morena de implicância deu língua para a taiwanesa que mostrou o dedo do meio em resposta.

 

***

 

Jackson estava no banheiro masculino trocando a camiseta depois do treino, quando seu amigo Jaebum chegou andando com as pernas meio abertas e fazendo careta.

 

 - O que aconteceu, cara?

 

Jaebum se sentou no banco de costas para ele.

 

 - Aconteceu que eu tentei pegar a gostosa da Yuri e...

 

 - E? - Jackson fechou o armário e ficou de frente para o amigo.

 

 - Não funcionou!

 

Jackson levantou uma sombrancelha, não havia entendido.

 

 - O que não funcionou?

 

 - Ele... - O garoto olhou para o seu próprio short. - Não subiu!

 

Jackson caiu na gargalhada. Seu amigo tinha acabado de cometer o pior erro que os garotos cometem na vida sexual.

 

 - CARA! - Disse colocando a mão na barriga para controlar o riso. - Como que você deu um mole desses? Mole, literalmente.

 

 - A CULPA É DAQUELA PUTA QUE ANDA COM A MYOUI! - Jaebum cuspia fogo pelos olhos. - MAS ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM!

 

***

 

Mina estava carregando Chaeyoung pelo braço até o auditório. A ruiva abriu a porta, viu que não tinha ninguém e jogou a morena lá dentro.

 

 - Quando você e a Tzuyu vão parar de brigar?

 

Por que a culpa é sempre minha?

 

Chaeyoung arregalou os olhos e bateu o pé no chão.

 

 - Ela começou!

 

 - E você deu continuidade! - Mina levou as mãos aos fios vermelhos e respirou fundo. - Vocês parecem duas crianças!

 

 - Criança? - Chaeyoung encenou uma cara surpresa. - Então quer dizer que você é pedófila?

 

 

Já que você vivi aos pegas comigo!

 

 

Chaeyoung riu da própria piadinha. Mina revirou os olhos e riu.

 

 - Você não tem jeito, Son Chaeyoung!

 

 - Concordo! - Chaeyoung se aproximou lentamente dela. - Talvez você possa me dar um jeito?

 

Os olhos de Mina brilharam e seu coração disparou descontrolado. Ela sentiu as mãos pequenas da morena enlaçarem sua cintura, a trazendo para perto, e depois os lábios. Chaeyoung capturou o lábio inferior da ruiva, chupando-o com luxuria. Mina sempre começava os beijos meio acanhada mas a medida em que elas iam se beijando o medo e a segurança iam embora junto com sua consciência.

 

 - Ainda está zangada comigo? - perguntou a morena se afastando milimetricamente dos lábios de Mina.

 

 - Furiosa! - respondeu a ruiva.

 

Chaeyoung escorregou a face até a orelha dela e mordeu o lóbulo, ouviu a maior soltar um gemido inconsciente e depois depositou um beijo molhado na mandíbula.

 

 - E agora? - perguntou a morena.

 

 - Hum? - A japonesa mal conseguia raciocinar.

 

 - Foi o que pensei!

 

Ela encaminhou Mina até a parede e prensou-a lá. Começaram uma série de beijos nada inocentes. A morena apertou com mais força o corpo da namorada contra si, enquanto dominava a língua da mesma com a sua. O calor já estava ficando insuportável, quando de repente a porta do auditório se escancarou.

 

Puta merda! Na melhor parte? Por quê?

 

***

 

O telefone de Tiffany tocou insistentemente e ela se levantou de um sono pesado para atender. Havia tirado a semana de folga por causa da discussão com a filha. Ela não teve forças para dar aula.

 

 - ALÔ?

 

 - Tiffany!

 

Ela sorriu. Fazia tempo que não ouvia aquela voz.

 

 - Olá, Taeyang! Como tem passado?

 

 - Bem! E você?

 

 - Bem também! - mentiu ela.

 

 - E a Chaeyoung?

 

Tiffany respirou fundo e contou da briga que tiveram.

 

 - Sinto muito! Mas acho que isso foi até bom, agora ela colocou a raiva para fora! As coisas tendem a melhorar!

 

A cantora sorriu involuntariamente.

 

 - Você tem razão!

 

 - Eu preciso desligar! Cuide-se e cuide bem da nossa filha!

 

 - Pode deixar!

 

***

 

A sorte da baixinha é que sua namorada era extremamente rápida. Mina pegou Chaeyoung pelo ombro ainda a beijando e jogou-a no canto mais escuro da sala. Ambas prenderam a respiração, tentando não fazer o mínimo ruído.

 

 - O PARK É UM JUMENTO! POR QUE NÃO ME DÁ A MALDITA SALA DO CORAL? EU IRIA TRANSFORMÁ-LÁ NUM BELO SALÃO DE GINASTICA! E FINALMENE ELA TERIA UTILIDADE!

 

A treinadora Ahn passava pelo auditório desferindo palavrões com o telefone nas mãos. Ela atravessou o palco e sumiu de vista.

 

 - Essa foi por pouco! - Mina soltou Chaeyoung e levou as mãos ao coração.

 

 - É, ainda bem que eu fui rápida! - Falou a morena na maior cara de pau.

 

Mina estreitou os olhos.

 

 - Sei! Eu vi sua rapidez! - falou cheia de sarcasmo.

 

 - Brava de novo? Eu posso dar um jeito nisso.

 

Chaeyoung se aproximou para beijá-la, mas Mina a afastou com uma mão.

 

 - Não! Quase fomos pegas! Estamos sendo muito imprudentes, não podemos ficar nos encontrando onde todo mundo passa.

 

A baixinha fez um bico de descontentamento e cruzou os braços.

 

 - Ok! Então, onde vamos nos encontrar?

 

A ruiva pensou por um instante. Um lugar onde ninguém se atreveria a passar? E a ideia veio na forma de um clarão.

 

 - Vem comigo!

 

***

 

 - Você só pode estar brincando! - falou a baixinha encostada na pilastra. - Aqui?

 

Mina sorriu e vasculhou o lugar com os olhos.

 

 - Sim! É perfeito!

 

Perfeito? Para nos pegarem no flagra! Só se for!

 

 

 - Mina, é sério, esse lugar todo aberto é muito mais perigoso que o auditório!

 

A mais alta balançou a cabeça contrariando-a.

 

 - Ninguém vem aqui, desde que as BP dominavam esse lugar. Elas foram banidas, mas duvido que tenham contado para alguém da surra que demos nelas. Então ninguém sabe que o lugar está vazio! Confie em mim, Chae!

 

A japonesa estava certa. Ninguém se atreveria a passar por debaixo das arquibancadas e ninguém as veria depois do treino, já que o campo ficava vazio.

 

 - Ninguém? Eu passava por aqui sempre. - rebateu a baixinha teimosa.

 

 - Bom...ninguém com a cabeça no lugar passava aqui, você é meio maluca!

 

O queixo de Chaeyoung caiu. Mina começou a rir da cara dela.

 

 - ESTOU INDO EMBORA! - gritou Chaeyoung já se virando.

 

Mas foi impedida por mãos firmes.

 

 - Zangada comigo?

 

Essa ruiva ta me zoando?

 

 

 - Eu posso dar um jeito nisso! - falou Mina imitando o tom de voz de Chaeyoung.

 

Que falta de criatividade, usando minhas táticas!

 

A japonesa colou os lábios nos de Chaeyoung, que tentou se livrar nos primeiros cinco segundos, mas depois se deu por vencida. A baixinha a puxou pela cintura, colando seus corpos.

 

***

 

Depois da sessão de beijos, Chaeyoung foi para a aula e Mina para o treino. A morena dormiu na carteira que era dupla e babou sobre o fichário da menina ao seu lado, ouviu alguns resmungos quando o sinal bateu.

 

 - Eca! Que nojo!

 

 - Prefere que eu jogue ele no vaso junto com a sua cabeça? - perguntou a morena malcriada.

 

A menina passou a primeira e sumiu da sala.

 

Foi o que pensei!

 

 

Chaeyoung saiu da sala logo depois, a procura de Hoseok, precisaria da colaboração dele para que o plano desse certo. Encontrou-o no armário, jogando lacke no cabelo.

 

Nada de banho de lacke dessa vez! Da última meu cabelo ficou duro por uma semana!

 

 

A morena esperou ele guardar o vidro e chegou por trás com todo o cuidado.

 

 - Hope!

 

O menino levou um susto tão grande que lançou o vidro de perfume que tinha nas mãos na boca de Chaeyoung.

 

Merda!

 

 

 - Chaeyoung?

 

*** 

 

Hoseok levou Chaeyoung para o banheiro feminino. Carregava nas mãos um vidro de enxaguante bucal que deu a morena para ela lavar a boca. Assim ela fez. Depois de tirar o gosto horrível de perfume da boca, ela se virou na direção do garoto.

 

 - Você pode entrar no banheiro feminino?

 

 - Se VOCÊ pode, eu também posso! - ele deu uma risadinha.

 

Você e a Myoui estão dois piadistas essa semana!

 

 

 - Ok! Eu preciso da sua ajuda!

 

O garoto assentiu.

 

 - Eu quero que você fale para a Mina que vamos fazer um trabalho de ciências no zoológico e que seria bom se ela viesse conosco para ajudar! Só que só vamos eu e ela!

 

A reação de Hoseok foi a menos esperada possível.

 

 - Ok!

 

Chaeyoung levantou uma sobrancelha involuntariamente.

 

Bosta! Abaixa isso, Son! Peguei o maldito tique!

 

 

 - Você não vai me perguntar por quê?

 

 - Você tem seus motivos para não dizer! E quando se trata da Mina eu tenho certeza que são os melhores!

 

A morena se surpreendeu da maneira mais positiva possível com aquela reação. Hoseok havia acabado de dar uma prova irrefutável de que era seu amigo e disso ela não esqueceria.

 

 - Obrigada!

 

***

 

Jung Hoseok saiu pelo gramado à procura de Mina. Achou-a encostada numa pilastra do campo, tomando fôlego depois do treino.

 

 - Mina!

 

Um sorriso largo se pintou no rosto dela.

 

 - Olá, Hobi!

 

 - Vim falar com você sobre o trabalho de ciências do professor Yugyeom!

 

***

 

Tudo havia saído como planejado. Mina estava em casa esperando os outros dois passarem para pegarem o caminho do zoológico. Só que apenas a morena apareceu na soleira da sua porta.

 

 - Oi!

 

 - Oi, ruiva!

 

Mina a abraçou e olhou ao redor unindo as sombrancelhas.

 

 - Cadê o Hobi?

 

 - Ele está gripado e com febre, não vai poder vir!

 

Eu to odiando ter que mentir pra ela! Viu? A ruiva está despertando a minha consciência!

 

 

 - Coitado!

 

 - Pois é! - falou a morena fazendo a melhor cara de triste que pode. - Somos só eu e você! Pegou a câmera?

 

 - Uhum!

 

 - Vamos?

 

***

 

O zoológico de Yongin ficava a 20 quarteirões da mansão Myoui. O lugar era imenso, suportava vários animais de variadas espécies. Muitas crianças visitavam o lugar todos os dias. Hoje não era diferente, estava lotado.

 

- NOSSA...eu...pensei...que...fosse...mais...perto. - A morena estava arfando, exausta.

 

 - Eu já disse para você parar de fumar e começar a se exercitar!

 

 - Ok, omma! - disse ela se apoiando nos joelhos. - Eu vou!

 

 - Sério? - Mina a encarou cética. - Você vai parar mesmo?

 

 - Sim, ruiva chata! - ela olhou de relance para Mina que sorria bobamente. - Eu vou parar de fumar, começar a fazer exercícios e no final do ano vamos apostar uma corrida e você vai comer a minha poeira para largar de ser metida.

 

O que o amor não faz na cabeça de uma pessoa? Chaeyoung estava sendo sincera, na verdade ela já não sentia necessidade de fumar. Os beijos de Mina eram sua nova droga.

 

 - Aposto que eu te ganho! - falou a ruiva abraçando a pequena com vontade.

 

 - Veremos!

 

Depois dessa pequena aposta. As duas caminharam lado a lado. Hora conversavam, hora observavam os animais.

 

Chegaram até a jaula dos babuínos. Mina estava tirando fotos e Chaeyoung intrigada com o bumbum dos bichos.

 

O coração deles fica na bunda? Sério, a bunda tem formato de coração!

 

 - São lindos, né? - perguntou Mina maravilhada.

 

Na verdade esse coração na bunda é uma grande vantagem! Se você estiver sofrendo de amor é só sentar!

 

A morena riu da própria piada.

 

 - Do que você está rindo?

 

 - Nada, ruiva! - passou os dedos nos olhos para secá-los. - Que tal irmos ver os macacos?

 

Elas chegaram à jaula do macaco mais esperto do zoológico. O bicho ficava dando cambalhotas a pedido do público. Chaeyoung, ao contrário de todos os outros, não achou isso nada impressionante.

 

Até eu sei dar cambalhota! Fala sério!

 

 - Que bonitinho! - deixou escapar Mina que se divertia vendo o bicho pulando de um lado para o outro.

 

O macaco olhou para a ruiva e trouxe uma rosa deixada em sua jaula, entregando para a menina.

 

 - Que lindo,obrigada!

 

Chaeyoung observava tudo de queixo caído.

 

Que macaco safado! Está tentando roubar a minha namorada!

 

 

A morena chegou perto da jaula e bateu com os nós dos dedos no ferro, afim de chamar a atenção do bicho e conseguiu.

 

- Você não faz nada de impressionante, seu mané!

 

A morena estava enganada. Fatalmente! O macaco sabia entregar rosas, mas também sabia jogar coisas, coisas nada cheirosas. Foi aí que ele pegou um montinho do seu próprio dejeto e lançou contra a morena, acertando-a no joelho.

 

 - Ora seu...

 

 - Chaeyoung! - Mina ficou de frente para ela e tapou sua boca, sufocando os palavrões. - Vamos até o banheiro!

 

A morena se lavou como pode. O cheiro era forte e Mina estava torcendo o nariz.

 

Aquele filho da mãe, deu uma rosa pra ela e me jogou cocô pra ela não chegar perto! Que ódio!

 

 

 - Chae! Já acabou? - a menina mantinha os dedos no nariz.

 

 - JÁ! EU VOU MATAR AQUELE MACACO!

 

 - Não vai nada! - Isso foi uma ordem. - Vamos, falta pouco, já estamos acabando.

 

Elas saíram do banheiro. Mina se manteve longe de Chaeyoung por questões óbvias, as pessoas que passavam estavam torcendo o nariz para ela. O fedor estava intenso. Depois de muito andar, chegaram às jaulas dos elefantes. Mina parou estagnada, enfeitiçada, maravilhada com a visão do gigante cor cinza.

 

 - Eles são tão...

 

Grandes? Cinzas? Entediantes? Pode escolher!

 

 - Lindos! - disse a japonesa por fim.

 

A morena não pode deixar de sorrir. Ver a felicidade estampada no rosto de uma pessoa pela qual ela retinha um sentimento tão bonito, foi impagável. Foi nesse momento que ela percebeu que não importava quanto custasse ela veria e faria todo o possível para vê-la naquele estado.

 

 - Olha, Chae! Eles estão balançando as orelhas!

 

Depois eu é que sou a criança!

 

 

Mina disparou várias fotos. Se afastou um pouco da morena para pegar um ângulo melhor. Chaeyoung ficou parada bufando indiferente para o bicho a sua frente, que a olhava curioso.

 

 - Perdeu alguma coisa aqui, Dumbo?

 

A baixinha não aprendia mesmo. O elefante se virou para a moita de palha que tinha do seu lado, pegou um bolo com a tromba e soltou tudo por cima da jaula, acertando a morena em cheio.

 

Eu não acredito! DUMBOOOO!

 

 

 - Chaeyoung! - Mina estava voltando, olhando as fotos, distraída. - Olha, eu acho que já está... - e parou quando viu a morena cheia de palha.

 

A ruiva rolou de rir da baixinha. Chaeyoung estava parecendo a versão feminina do espantalho do mágico de Oz.

 

 - Vamos embora! - disse Chaeyoung por fim.

 

E o monte de palha ambulante saiu andando seguida por Mina, que não conseguia parar de rir.

 

***

 

A morena se livrou da maioria da palha no caminho da casa da líder de torcida. Ambas subiram pela escada da janela da ruiva, para não chamar a atenção dos pais.

 

 - Esse foi o melhor passeio da minha vida! - disse a japonesa prendendo o riso.

 

 - Sinto não poder dizer o mesmo.

 

 - Ah, que isso! Você ficou linda com toda essa palha no cabelo!

 

Chaeyoung descruzou os braços e se aproximou sugestivamente da outra.

 

 - Fiquei, é? - falou bem próxima. - Sinal de que eu mereço um beijo!

 

Mina deu 10 passos para trás quando sentiu o cheiro de bosta vindo da namorada.

 

 - Pensando melhor! - falou ela se afastando. - É melhor você tomar um banho!

 

A baixinha abriu um sorrido sacana de orelha a orelha.

 

 - Pensando melhor, eu vou querer o meu beijo agora!

 

 - Não se atreva! - disse Mina fazendo uma careta.

 

 - Se prepare, Myoui!

 

Chaeyoung avançou em cima da ruiva, mas Mina foi mais rápida e desviou, indo de encontro ao outro canto do quarto.

 

 - Chae, é sério! Esse cheiro ta...

 

A baixinha voou nela, aprisionando-a.

 

 - Nããããããoooo! - a ruiva soltou um fino gritinho.

 

 - Siiiiim! - rebateu a morena no mesmo tom.

 

E beijou a outra. O beijo foi rápido, era só de implicância mesmo.

 

 - Nossa, eu estou... - Mina fez uma careta. - Fedendo muito!

 

 - Também acho! É melhor você ir tomar um banho, sua porquinha!

 

A ruiva deu um tapa no braço de Chaeyoung, que saiu pela janela, rumo a seu próprio chuveiro.

 

***

 

Uma semana se passou depois do passeio ao zoológico e Chaeyoung decidiu que já era hora de realizar mais um desejo da ruiva: Andar de montanha russa. Ela estava odiando essa ideia, mas pela maior, ela faria.

 

Será que eu tenho plano de saúde? Depois desse passeio, eu vou precisar!

 

 

A morena havia guardado uma cartilha do parque na mochila. Já tinha tudo arquitetado na cabeça. Ia fazer parecer acidental a decisão de ir ao parque. Precisava ser bem discreta para que a outra não desconfiasse.

 

Iria se encontrar com a líder depois da aula. No antigo território da BP.

 

***

 

 - MYOUI! ARRASTE ESSA BUNDA BRANCA ATÉ AQUI, AGORA!

 

Isso foi uma ordem bem “sutil” vinda da treinadora Ahn Hye Jin, que 365 dias do ano se apresentava de mal humor.

 

 - Sim, Treinadora! - Mina colocou as mãos nos quadris buscando apoio para aliviar o cansaço.

 

 - O que está acontecendo com você?

 

A menor uniu as sombrancelhas em desentendimento.

 

 - Perdão?

 

 - Não me peça perdão, eu não sou o papa! E quero saber por que você tem chegado atrasada nas últimas semanas? Você nunca se atrasa.

 

Um suor frio desceu-lhe a espinha e ela respirou fundo antes de formular a mentira.

 

 - Estamos no meio do ano! Eu estou tendo que lhe dar com os ensaios do coral, os treinos e problemas em casa...

 

 - Ok, cale a boca!

 

A menina enrijeceu e se preparou para o pior.

 

 - Não me interessa saber que você tem que treinar aquele bando de perdedores do clube do coral e nem da sua vida pessoal. Vou lhe avisar Mina, se você não levar os treinos mais a sério, vou passar a sua vaga para a Hirai!

 

Mina engoliu em seco, sentiu a saliva bater no estômago como se fosse uma pedra.

 

 - AGORA MEXA-SE! 10 VOLTAS EM TORNO DO CAMPO PELOS ATRASOS E SEM SUAR!

 

***

 

A morena mais atrapalhada de Yongin estava embaixo das arquibancadas esperando sua companhia habitual. Tinha escondido o folheto atrás de uma das pilastras, com um pedacinho de chiclete voltado para cima. Ela daria um jeito da japonesa pisar lá.

 

Mas será possível, ruiva? 25 minutos de atraso! Será que te sequestraram?

 

 

Foi no meio desse pensamento que o corpo da sua namorada se materializou nas arquibancadas. Indo em sua direção.

 

 - Chae! Desculpa o atraso!

 

 - O que aconteceu?

 

Mina colocou a bolsa em um degrau próximo se sentando no mesmo e respirou o máximo de oxigênio que seu corpo permitiu.

 

 - A treinadora anda me pressionando de forma assustadora! Eu tive que correr várias vezes em volta do campo! Estou exausta!

 

Essa velha ruiva, filha de uma mãe! Fica gastando toda a energia dela, aí não sobra nada pra mim!

 

 - Acho que você precisa relaxar! - Chaeyoung se aproximou dela e sentou as suas costas passando uma perna de cada lado.

 

 - Chae o que você está fazendo?

 

A morena passou as mãos nos ombros da maior e começou uma massagem calma, sentiu a tensão se esvaindo aos poucos dos ombros da líder.

 

 - Melhor? - perguntou no ouvido dela.

 

 - Muito melhor! - respondeu Mina com os olhos fechados.

 

Então a morena virou os ombros dela, colocando seus corpos na mesma direção e a beijou na boca. No começo foi só um encostar de lábios, mas depois a morena a puxou pela nuca enquanto a mesma emaranhava os dedos nos cabelos da pequena, aprofundando o beijo. A língua quente de Chaeyoung estava dançando com a de Mina, a ruiva não conseguiu reprimir um gemido que saiu de sua garganta, a morena riu no beijo.

 

 - Mina...

 

A ruiva se levantou ainda beijando Chaeyoung e a empurrou de encontro à pilastra. Já havia perdido o medo e o controle de beijar a pequena desse jeito. A morena encostou no ferro gelado e sentiu seu pé grudar em alguma coisa.

 

É claro que tinha que dar errado. O azar me adora!

 

 

 - Ei! - Chaeyoung a muito custo, quebrou o beijo. Hora de botar o plano em ação. - O que é isso?

 

Se abaixou e recolheu o folheto do parque de diversões.

 

 - É o parque aqui da cidade! - falou a japonesa abrindo-o. - Eu sempre quis ir!

 

 - Então, vamos!

 

Os olhos escuros a encararam por um longo tempo. Um sorriso de rasgar os lábios a alcançou.

 

 - Mas é tão longe! Não podemos ir andando!

 

O cérebro da baixinha teve outra ideia brilhante.

 

 - Vamos de carro! Eu dirijo!

 

Na verdade quem vai dirigir é você, mas você não precisa saber disso agora!

 

 

A ruiva a abraçou apertado. E sussurrou um obrigada.

 

De nada, minha linda!

 

***

 

Chaeyoung se amaldiçoou até a sala da própria casa. Onde estava com a cabeça quando decidiu levar a ruiva de carro até o parque. Onde ela arrumaria um carro? A sua única esperança era a menos provável de dar certo.

 

Vou ter que perder meu tempo pedindo a Tiffany!

 

 

Ela relaxou os ombros, sabia que não adiantaria de nada pedir a Tiffany. Mas mesmo assim iria tentar. Chegou e viu a morena mais velha jogada no sofá assistindo à um programa de culinária.

 

Tomara que assim você aprenda alguma coisa na cozinha! Antes que eu morra desnutrida!

 

 

 - Urum... - a pequena coçou a garganta para se apresentar.

 

Tiffany desligou a TV e a encarou, esperando as palavras.

 

 - Bom...eu, queria te pedir...o carro emprestado! Para ia ao parque com a Mina!

 

Ok, não precisa me olhar com essa cara de espanto! Diga não logo para eu poder ir me deitar!

 

 - Ok! Pode pegá-lo!

 

Eu ouvi direito?

 

 

 - Ta! - respondeu sem muita convicção. - Valeu, Tiffany!

 

***

 

O dia no colégio passou rápido. A morena saiu apressada, foi para casa, tomou banho e ficou pronta as 16:00 em ponto. Pegou o carro e rumou para a casa da sua acompanhante.

 

Jesus, Maria e Josué! Por que eu sempre erro essa porcaria?! Certamente não sou cristã!

 

 

Mina saiu de casa com um vestido curto, branco de alças. As pernas totalmente amostra e os cabelos caindo nos ombros como cascatas. A morena engoliu em seco.

 

 - Oi! - entrou no carro e se ajeitou.

 

 - Já vi que vou ter muito trabalho hoje! - falou a morena olhando para a estrada.

 

 - Por quê?

 

 - Porque vou ter que socar todos os homens e mulheres que derem em cima de você!

 

 - Larga de ser boba, Chae!

 

 - Será que seu pai me empresta a espingarda dele?

 

A ruiva deu um tapa no braço de Chaeyoung que riu e deu a partida. A viagem estava incrivelmente agradável. Mina ligara o rádio baixinho de onde podia se ouvir a melodia de Say what you need to say acompanhando a música com sua voz doce.

 

Um dos seus desejos é aprender a dirigir certo? Então vamos lá!

 

 

E Chaeyoung num movimento brusco e preciso jogou o carro no acostamento e levou as mãos ao pé, fazendo uma careta de dor.

 

 - AIEEEEEEEEEE!

 

 - Chae, o que foi? - falou Mina preocupada.

 

 - CAIIIIMBRAAA!

 

Ela era uma boa atriz.

 

 - Deixa eu ver! Me dá seu pé!

 

A japonesa num movimento astuto pegou o pé de Chaeyoung e esticou com tudo, o que gerou uma dor verdadeira na morena.

 

 - TA DOENDO, RUIVA! PARA!

 

 - Não senhora, tem que ficar assim, já vai passar!

 

Eu só me ferro!

 

 

 - Ok, ok! Já passou!

 

Mina a soltou e ela sentiu um alívio instantâneo.

 

 - Vem pro meu lugar! - pediu a morena abrindo a porta do motorista.

 

Os olhos da maior viraram grandes glóbulos pretos de descrença.

 

 - O quê?

 

 - Eu não posso dirigir com câimbras! Na próxima vez é capaz da gente perder o controle do carro e bater.

 

 - Eu não tenho carteira!

 

 - Nem eu. - ela deu uma piscadinha.

 

A morena foi parar do lado do passageiro enquanto a ruiva, a muito a contra gosto, se posicionou na cadeira do motorista.

 

 - Isso é loucura! Eu nunca dirigi.

 

 - Relaxa e me ouve! Liga o carro, passa a primeira e acelera devagar tirando o pé da embreagem. É fácil.

 

Assim foi feito. O carro morreu três vezes antes da japonesa conseguir colocá-lo em movimento. Mas no restante do percurso ela se saiu bem. Não atropelou ninguém e estacionou razoavelmente bem.

 

 - Como foi? A sensação de dirigir?

 

A maior abriu um sorriso infinito.

 

 - Muito boa!

 

Elas andaram no parque, visitaram todos os brinquedos. Nenhum era realmente perigoso ou alto como a montanha russa, que a morena preferiu deixar para o final, na tentativa inútil de se acalmar.

 

 - Olha Chae, só falta a montanha russa!

 

Chaeyoung olhou para o brinquedo que se estendia imponente a sua frente.

 

NOSSA SENHORA! O bicho é um monstro! Desmaia Chaeyoung, desmaia antes que seja tarde!

 

 

Ela não estava exagerando, a montanha russa era mesmo gigante, equipada com 2 carrinhos e 5 lupes. A ruiva a puxou de encontro aquele terror de ferro. De longe dava para ouvir o grito das pessoas nos carrinhos. De repente ela se lembrou do filme premonição 3 e seu estômago embrulhou.

 

 - Vou comprar os ingressos, segura a pipoca!

 

E deixou a pipoca nas mãos trêmulas da morena. Mina foi num pé e voltou no outro.

 

 - Vamos? Chaeyoung, ta tudo bem?

 

 - Claro! - A voz dela tremeu um pouco, mas a maior não percebeu.

 

Elas seriam as próximas da fila. Os carrinhos foram esvaziados aos poucos. Chaeyoung estava apertando a pipoca com uma força desnecessária, sua acompanhante percebeu.

 

 - Chae! - e passou um braço por seu ombro. - Está tudo bem, eu estou aqui!

 

O tremor passou na hora. E Chaeyoung conseguiu sorrir.

 

É claro, eu estou com você! Tudo vai ficar bem! E nós vamos na ultima fileira, para a minha alegria.

 

Pobre Son Chaeyoung, como você estava enganada.

 

As portas que davam acesso aos carrinhos se abriram. As pessoas saíram se acotovelando até os acentos. Chaeyoung correu para os de trás, mas todos já tinham sido ocupados. Voltou para os da frente e já era tarde. Só sobraram dois, um na quinta fileira e um na segunda. Mina se aproximou dela.

 

 - Chaeyoung! Vamos ter que ir separadas, eu vou nesse e você no da frente!

 

 - Eu...eu

 

 - Você está com medo?

 

O orgulho falou mais alto.

 

 - Medo? Eu? Até parece.

 

E foi se sentar na segunda fileira. O maquinista passou checando as travas de segurança e parou alguns segundos olhando a morena.

 

 - Você me é familiar! De onde te conheço?

 

A morena o encarou sem saber.

 

 - Não faço nem ideia! Liga esse negócio logo!

 

O cara a olhou como se tivesse se lembrado de quem ela era, mas não falou nada, com um sorriso presunçoso foi até o botão de ligar e apertou.

 

O carrinho foi subindo bem devagar para dar mais emoção.

 

Jesus, Maria e José! É muito, muito alto! Pera... EU ACERTEI!!

 

 

Ele chegou ao pico e deu uma parada.

 

Ok, não é tão ruim assim!

 

 

E passou de 1km para 100Km. Desceu a toda velocidade. O vento batia com tanta força na cabeça das pessoas que as empurrava para cima, se tornando quase impossível respirar.

 

SOCOROOOOOOO! ALGUÉM PARE ESSE MALDITO BRINQUEDO!

 

 - Abre os olhos, levanta as mão! - isso veio de um cara ao lado de Chaeyoung.

 

Vou abrir sim, abrir a sua trava de segurança se você não calar a boca!

 

O carrinho chegou ao primeiro lupe e o corpo da pequena levantou milimetricamente da cadeira, devido a sua estatura.

 

Puta que pariu! Eu vou morrer! Eu vou morrer!

 

 

O carrinho ficou dois minutos de puro terror rodando. Foi diminuindo a velocidade à medida que se aproximava da plataforma de desembarque. Chaeyoung tinha os cabelos esvoaçados e respirava fundo.

 

 

O cara das travas estava de volta.

 

 - Então baixinha! Você por um acaso não teria uma lata de refrigerante escondida aí, teria?

 

Chaeyoung se lembrou, era o cara do camicase, do parque onde ela fora quando tinha oito anos. Ele finalmente teve sua vingança.

 

 - Ora seu filho de uma...

 

 - Chaeyoung!

 

Mina havia acabado de chegar para salvar a pátria.

 

 - Vamos?

 

***

 

Mina dirigia em silêncio. Seu rosto estava iluminado pelos últimos feixes de sol que brotavam no horizonte. E claro, ela não conseguia parar de sorrir, não sabia como, mas aquela baixinha adorável havia realizado vários dos seus sonhos. Como era possível?

 

 - Chae!

 

 - Sim? - a morena saiu de seus devaneios.

 

 - Senti-se melhor?

 

 - Claro! Quando você vai aprender que eu sempre estou bem? - disse a morena brincando.

 

A ruiva jogou a toalhinha de limpar o vidro na cara dela.

 

 - Sua grossa!

 

 - Mas você me adora! - a morena riu, tirou o cinto e depositou um beijo molhando no canto da boca de Mina, que cometeu o erro fatal de fechar os olhos. A curva veio junto com um caminhão que entrou na contramão.

 

 - MINA!

 

***

 

O telefone de Tiffany apitava inquieto e ela correu para atende-lo. Na tela apareceu um número desconhecido, mas ela resolveu atender.

 

 - Alô!

 

 - Esse é o telefone de Tiffany Hwang?

 

Ela não havia reconhecido a voz, mas respondeu.

 

 - Sim! Quem deseja?

 

 - Aqui é Mark Tuan! A sua filha se chama Chaeyoung?

 

A morena não estava gostando do ritmo daquela conversa.

 

 - Sim! Por quê?

 

 - Por que ela bateu o carro contra uma árvore!

 

 - A CHAEYOUNG O QUÊ?

 

***

 

Flashback on

 

O reflexo de Mina era invejável. A japonesa rodou o volante com tudo e jogou o carro no acostamento, escapando por pouco do caminhão. Chaeyoung que estava sem cinto bateu a cabeça no porta-luvas,mas não foi nada grave, só um arranhão.

 

 - Ruiva! Você quase nos matou! - falou Chaeyoung colocando a mão na cabeça.

 

 - Eu? Claro, porque você é que estava dirigindo e eu tirando sua atenção! - falou cheia de sarcasmo.

 

A morena reparou que a lateral do carro estava toda amassada, pois tinha colidido contra uma árvore.

 

 - A Tiffany vai comer o meu fígado!

 

A noite caiu. Mina estava do lado de fora tentando conseguir sinal para ligar para emergência, mas nada até agora.

 

 - Mina! Vem aqui pra dentro! Não adianta, não tem sinal aqui!

 

Vencida pelo cansaço ela entrou no veículo.

 

 - Tirando esse pequeno incidente? Como você classificaria o restante do dia? - Chaeyoung tinha um sorriso contido na face.

 

 - Nós acabamos de brigar! Esqueceu?

 

A morena subiu no colo de Mina e passou uma perna de cada lado da mesma. Depois a beijou com urgência, um pedido silencioso de desculpas.

 

 - Fizemos as pazes? - perguntou a morena perto da orelha dela.

 

 - Ok, você venceu! E o dia foi perfeito! Tudo é perfeito quando estou com você!

 

Aquela declaração atiçou os nervos da morena, que voltou a beijar a boca da maior com mais vontade. A excitação cresceu dentro dela e ela encaminhou Mina até o banco de trás. Subiu por cima da maior e reiniciou a sessão de amassos. Chaeyoung passou as mãos por trás das cochas fartas da japonesa sem nunca desgrudar de sua boca, ganhou um gemido em reposta. Levou a boca até o pescoço dela e chupou o local, na intenção de marcá-lo, o calor estava ficando insuportável. A morena pegou a barra do vestido da namorada e começou a levantá-lo devagar roçando as mãos na pele descoberta.

 

 - Chae... - Mina pegou as mãos dela, afastado-as. - Eu não estou pronta!

 

Chaeyoung saiu de cima dela e sentou no banco, tentando se recompor.

 

 - Quer dizer que você é...virgem?

 

Mina abaixou a cabeça e assentiu.

 

 - Ei! - Chaeyoung pegou no queixo dela e levantou para que seus olhos se encontrassem. - Não tem nada do que se envergonhar. Eu nunca faria nada que você não quisesse. Eu espero o tempo que for preciso. Não se preocupe com isso!

 

Ambas sorriram juntas.

 

 - Você é incrível, Chaeyoung!

 

 - Ué, e só agora você percebeu?

 

Deram um selinho e se separaram, pois ouviram um carro se aproximando. Um homem vestido de preto saiu e foi até a janela delas.

 

 - Precisam de uma ajuda?

 

Flashback Off

 

***

 

As meninas se ajeitaram no carro de Mark e sua esposa, eles estavam levando as duas para casa. Quando o celular deu sinal ligaram para o reboque que iria no local do “acidente” buscar o carro.

 

 - Acho que você vai ficar viúva, Mina!

 

 - O quê? - falou torcendo as sombrancelhas.

 

 - A Tiffany vai arrancar a minha cabeça!

 

A maior entrelaçou suas mãos e deu um beijo discreto no dorso moreno.

 

 

 - Vai dar tudo certo! Confie em mim!

 

Não tinha como não sorrir, podia ser uma situação caótica, mas Mina sempre sabia o que dizer.

 

 - A propósito, eu tenho uma proposta para você!

 

Lá vem!

 

 

 - Estou te convidando formalmente para se juntar ao clube do coral! O que você acha?

 

 - Bom, o que exatamente eu vou ganhar com isso?

 

Mina pensou um pouco antes de dar a resposta.

 

 - Você vai ganhar pontos no seu currículo para a faculdade que escolher fazer, vai poder jogar na cara da Tzuyu que canta melhor que ela e...vai passar mais tempo comigo! Então, topa?

 

 - Vou poder esfregar na cara da vad...quero dizer sua amiga, que eu sou mais sinistra que ela? To dentro!

 

 - Você só ouviu essa parte?

 

 - Você falou mais alguma coisa?

 

A ruiva deu um soco no braço da outra. Chaeyoung riu.

 

 - Se bem que seria maravilhoso passar um mais tempo perto de você!

 

***

 

Elas chegaram na frente da casa de Chaeyoung. A morena avistou Tiffany escancarar a porta com violência exagerada e andar a passos firmes para a rua.

 

 - Mina, feche os olhos, não quero que você veja isso!

 

 - Relaxa, Chae!

 

Claro, não é a sua cabeça que vai rolar.

 

 

A morena saiu do carro e foi de encontro à outra. Parou no meio da calçada e esperou Tiffany chegar até ela.

 

 - CHAEYOUNG...

 

 

É agora! Começa a rezar, Son!

 

 

A morena fechou os olhos, esperando no mínimo um soco bem nada no meu da cara, mas isso não aconteceu. Tiffany a envolveu nos braços, num abraço desesperado e molhado de lágrimas.

 

 

 - Chaeyoung, meu Deus, eu fiquei com tanto medo de acontecer alguma coisa com você!

 

O coração de Chaeyoung deu uma guinada, ela não conseguia acreditar, mas Tiffany estava se importando com ela. Não falara nada do carro. Pela primeira vez ela sentiu uma vontade louca de chorar e de retribuir o abraço, mas não o fez, a mágoa ainda era muito grande. Então ela ficou parada e esperou.

 

 - Você está bem?  - perguntou Tiffany, olhando diretamente nos olhos chocolate.

 

 - Estou!

 

Mina que até agora olhava a cena de longe havia acabado de chegar ao local onde mãe abraçava a filha.

 

 - Mina... - Tiffany soltou a morena e abraçou brevemente a outra. - Você está bem?

 

 - Sim, senhora Hwang!

 

 - Me chame de Tiffany, por favor!

 

 - Ok, Tiffany!

 

 

 - Me esperem aqui! Vou falar com o senhor que ajudou vocês!

 

E saiu, deixando-as sozinhas.

 

 - Eu não esperava por essa! - falou a morena meio desconcertada.

 

 - A sua mãe é uma boa pessoa! Eu não sei o que aconteceu entre vocês, mas acho que você deveria dar uma chance a ela.

 

 - Vamos ver...

 

A ruiva balançou a cabeça e a abraçou.

 

 - Boa noite, Chae! E muito obrigada por tudo!

 

Chaeyoung absorveu o perfume dos cabelos dela, antes de se soltarem.

 

 - Deixa eu te levar em casa?

 

 - Imagina! Está tarde, vá descansar! Dê um boa noite para a sua mãe por mim! Até amanhã!

 

 - Até amanhã! - respondeu Chaeyoung, vendo-a desaparecer na escuridão da noite.

 

***

 

O dia amanheceu com o sol reinando solitário no céu, não havia uma nuvem para contar história. A morena estava na sua moto, dando uma volta antes de ir para a escola. Pilotar a ajudava a pensar, nas atitudes inusitadas de Tiffany e no presente final de Mina: Um buquê de flores.

 

Era uma coisa tão simples, mas havia um problema: Mina não havia especificado os tipos de flores queria.

 

A morena parou a beira do rio, no exato lugar onde ela e Mina tinham dado seu primeiro beijo “oficial”, claro que elas já tinham se beijado antes, mas ali foi quando a ruiva tomou a iniciativa sem ajuda do álcool, foi quando elas começaram a se relacionar sem mentiras. Era um lugar lindo e calmo. Só precisava ser capinado, para tirar o excesso de mato, mas tirando isso...

 

E ela teve a ideia brilhante de unir o útil ao agradável.

 

Que tal incrementar o seu último presente?

 

 

O último presente de Mina seria o mais trabalhoso e seria entregue daqui a alguns meses. Mas valeria a pena, com certeza.


Notas Finais


Música que aparece no capítulo

https://youtu.be/nSS0wtjrm1U

----------------------------//------------------------

Aí gente, eu quero a Chae pra mim! Melhor namorada do mundo mano!

Vou tentar atualizar toda sexta ou sábado ou domingo ok?

Chu~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...