História Haneul - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags 13 Reasons Why, Hozi, Meanie, Soonhoon, Verkwan, Wooshi
Visualizações 453
Palavras 3.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIEEEEEEE PESSOAL. Tudo certo com vocês? Eu espero que sim hauhaua. Vocês viram com quantos favoritos nós estamos? Pois é haha. Eu estou escrevendo esse capítulo desde ontem, e hoje eu vou adiantar o capítulo onde eu explico toda a história pra vocês, no caso, o último capítulo. Eu ainda não respondi os comentários, mas daqui a pouco eu farei isso.
Gente, esse capítulo tá tão...... NOSSA, EU NEM SEI O QUE DIZER ❤
Eu fiquei orgulhosa de mim mesma, vocês nem fazem ideia.
A partir desse capítulo, eu vou parar de colocar as datas das anotações, ok? Aliás, eu estou amando todas as teorias, ok? Estou amando ler uma por uma, e o motivo pelo qual eu estou lançando mais um capítulo, é porque eu li os comentários e teorias de Vocês e me senti motivada. Então comentem muito, ok?
Preciso que vocês leiam as notas finais, ok?

Capítulo 6 - Festas


‘’ As férias foram como uma trégua. Por um momento, eu senti paz. Eu me senti livre de tudo e de todos. Senti que pela primeira vez depois de muito tempo, eu teria o meu merecido descanso.

— Haneul’’

— Que droga! Qual é o problema de vocês? — Wonwoo se debatia nos braços de Jisoo na tentativa de se soltar. — Vocês estavam pensando em fazer o que? Matar ele? — Ele questionava os garotos a sua frente, ainda se debatendo contra Joshua. O seu maior desejo era esmurrar a cara daqueles idiotas. Se não fosse Jisoo o segurando, ele certamente já teria o feito.

— Acalme-se, Wonwoo. Não vale a pena gastar a sua força com o Seungcheol. — Jeonghan tentava acalmar o outro.

O som da música era alto o suficiente para que ninguém daquela festa se distraísse com a pequena confusão que acontecia do lado de fora.

Vernon e Seungcheol estavam parados com as cabeças baixas, enquanto Jeonghan estava ao lado de um Haneul completamente desacordado na cadeira de balanço do jardim. Junhui, o dono da festa, e Jisoo, tentavam controlar toda a situação para que mais ninguém saísse machucado naquela noite.

— Vocês viram tudo e não fizeram nada? Essa droga de vídeo já está circulando nas redes sociais, seus idiotas. Vocês dois tem noção do que isso pode causa na vida do Haneul? O vídeo dele se machucando no campo de futebol não foi o suficiente para vocês? O que mais vocês querem para destruir o menino?

— Wonwoo, eu juro que eu não participei disso. O Joshua chegou alguns segundos depois de mim. Se eu visse isso, eu não teria permitido. — Seungcheol se explicava.

— Você nem pediu desculpas para ele, Seungcheol. Eu não duvido que você tenha participado dessa palhaçada. — Jeonghan dizia com raiva.

— Hannie, eu não fiz nada. —Ele dizia de cabeça baixa.

— Seungcheol hyung não estava no meio. — Hansol tentou defendê-lo.

— E não quero saber quem estava no meio ou não. Tudo isso só começou por causa de vocês dois, ok? E se vocês viram o Haneul nessa festa, porque vocês não o tiraram daqui? Porque não me ligaram? Vocês esperaram o Joshua aparecer?

Ninguém disse nada.

— Vamos embora, Wonwoo. O Joshua pode deixar o Haneul em casa. — Jeonghan disse.

— Não. A mãe do Haneul acha que ele foi para a casa do Wonwoo. — Jisoo disse.

— O que? Na minha casa?

— É, Wonwoo. O Haneul mentiu para a mãe dele. Mas não vamos culpá-lo, ok? O Haneul passou por uma série de coisas só essa semana.

Wonwoo assentiu e os três adolescentes pegaram Haneul e rumaram para o carro de Jisoo.

Quanto a Vernon e Seungcheol, a pedido de Junhui, os dois foram embora da festa junto com o restante dos garotos que embebedaram Haneul e o gravaram sendo desafiado a descer um lance de escadas completamente bêbado, o que resultou em um acidente no final das contas.

— O Jeonghan deve me odiar tanto.

Seungcheol e Vernon caminhavam tranquilamente enquanto voltavam para casa.

— Você não fez nada, Seungcheol. Eu apenas assisti aquela droga e não fiz nada.

— Nós dois estamos igualmente ferrados, ok? Mesmo que não tenha sido nós dois quem demos início a essa série de ataques ao Haneul, a gente cometeu o erro de intensificar essa situação. Nós só pioramos ainda mais as coisas para ele. Ao invés de impedirmos que o pior acontecesse, nó só permitimos que as coisas rolassem e, para piorar, nós ainda participamos dela.

— Eu deveria ter ficado em casa e chamado o meu visinho para jogar vídeo game. — Hansol se lamentou.

— O Seungkwan? — Seungcheol perguntou.

— Sim. Nós já estamos mais próximos.

— Essa teria sido a melhor escolha para se fazer.

— Você tem razão.


— H A N E U L —


— Você está jogando as pedras baixo demais.

Wonwoo se assustou com a voz que soou atrás de si, virando bruscamente e se surpreendo com Mingyu ali.

Ele tinha um sorriso simpático.

— Você tem que jogar ela um pouco mais para cima. — Mingyu se referiu á pedrinha que Wonwoo tentava fzer quicar na água. — Desse jeito. —Mingyu fez uma pequena demonstração e, logo, o rosto de Wonwoo se iluminou ao ver a pedrinha pular no lago.

Então, Jeon Wonwoo sabia sorrir?

Rapidamente, o menino misterioso tentou repetir o ato do maior, e ao obter sucesso, o seu sorriso se intensificou ainda mais.

Naquele momento, Kim Mingyu soube que os sorrisos de Wonwoo eram perigosos, pois eles faziam com que um frio percorresse por sua espinha.

— Então, o que te traz aqui? — Wonwoo perguntou enquanto se sentava no gramado e observava as gotas de chuva fazerem formatos no lago.

— Eu estou andando um pouco. É ruim demais passar o dia inteiro lá dentro. — Mingyu disse enquanto se abaixava no chão para observar o lago. Seria indelicado se fosse se sentar ao lado de Wonwoo, então preferiu se acomodar no mesmo lugar que estava antes.

— É, é bem desagradável ficar lá dentro. — Wonwoo concordou. — Por mim, eu não viria nunca mais para a escola.

— Por quê? Você detesta tanto assim esse lugar?

Mingyu achou que não teria problema dar continuidade com aquele assunto, afinal, o próprio Wonwoo pareceu dar abertura para ele.

Por outro lado, Wonwoo tinha um questionamento. Mingyu estava se fazendo de besta por perguntar aquilo, ou ele realmente era tão inocente a ponto de não ter percebido as coisas?

— Eu era o melhor amigo do Haneul, por isso que o meu nome está na boca de todo mundo. Quando eu passo por algum lugar, as pessoas começam a falar de mim. Esse é um dos motivos pelo qual eu gostaria de não pisar mais aqui. É desagradável ter pessoas falando de você e de uma pessoa já falecida.

— Mas, por que eles ficam falando de você e do Haneul?

— Na vida, existem muitos motivos para certas coisas serem como são, mas, eu não acho que você tenha tempo para ouvir. Os seus amigos estão te esperando, Mingyu.

‘’Ele sabe o meu nome?’’.

Wonwoo disse apontando com a cabeça para o refeitório. Hansol, Seungcheol e Seolyn estavam do lado de fora assistindo toda aquela cena, e pedindo aos céus para que Wonwoo não dissesse nada.

— Você tem razão. — O maior disse quanto se levantava. — Bem, até qualquer dia, Wonwoo.

— Até.

Mingyu se despediu e correu até o refeitório para não se molhar muito.


— H A N E U L —


Haneul estava no balanço do parquinho dando leves impulsos com o corpo para que o balanço se mexesse bem devagarzinho.

Lágrimas grossas escorriam pela sua face enquanto ele alisava a lente rachada dos óculos. Haneul se perguntava quais eram os motivos para as perseguições caírem sobre si.

Ainda com a cabeça baixa, Haneul se surpreendeu quando uma mão que segurava um pirulito apareceu repentinamente em sua frente. Haneul levantou a cabeça e notou Jisoo, o capitão do time de baseball.

Ele tinha um sorriso reconfortante, e não parecia estar ali para fazer mal a ele.

— Pegue. Você se sentirá melhor. — Joshua disse chacoalhando o doce para que Haneul o pegasse.

— Obrigado. — O menor agradeceu.

— Quando eu era criança, eu adorava vir nesse parquinho nas minhas férias de verão. — O mais velho disse enquanto se acomodava no balanço ao lado. — Mas, eu estou surpreso por encontrar alguém aqui no outono.

— Joshua hyung? — Haneul o chamou, agora olhando em seus olhos.

— Sim? — O mais velho perguntou enquanto se balançava com leveza.

— O que fizeram comigo ontem à noite? — Haneul se referia à festa onde alguns jogadores do time de futebol e do time de basquete o embebedaram.

Na mesma hora, Jisoo congelou. Os seus músculos enrijeceram e ele jurou que o coração parou de bater junto com o ar que não entrava de jeito nenhum nos seus pulmões.

— Eu não tive coragem de assistir o vídeo. Eu acordei na casa do Wonwoo hyung e peguei o meu celular para ver que horas eram. Quando eu vi que tinha inúmeras notificações de mensagens e marcações no facebook, eu me lembrei de algumas coisas, mas... — Haneul pausou, sentindo as lágrimas virem em peso — eu não me lembro de muita coisa. Eu só sei que sinto dores no meu corpo que eu nunca senti antes. Meu pulso está inchado, e o meu tornozelo também. — Haneul disse enquanto levantava a manga do moletom. O que fizeram comigo, Jisoo Hyung?

Para Joshua, ver Haneul naquele estado era como um tiro no peito. O menino era uma pessoa tão boa que nunca tinha feito nada de errado e, de repente, ver a forma como as pessoas da escola o tratavam por causa de algo tão fútil, chegava a machucar Jisoo, mesmo que ele não tivesse nenhuma ligação com o pequeno.

Ver o seu corpo machucado causava dores e raiva em Jisoo. Era evidente que o pulso do menor tinha sido fraturado. Aquilo estava inchado e roxo.

— Eles não fizeram nada pior porque eu apareci, Haneul. Mas, eles te embebedaram e gravaram vários vídeos constrangedores de você. A gente vai dar um jeito de tirar eles da internet, Haneul. Não se preocupe.

— Mas, porque o meu corpo dói?

Joshua não queria dizer o motivo para Haneul. Não via motivos para machucar mais ainda o garoto que claramente já estava destruído fisicamente e emocionalmente, mas era direito de Haneul saber o que as pessoas tinham feito com ele em um momento de vulnerabilidade onde, infelizmente, ele não respondia pelos atos.

— Haneul, você sabe que todos os anos o Junhui da algumas festas de despedidas, certo? Mas, infelizmente, é comum que alguns exagerem na bebida e nas brincadeiras. Eles sempre pegam os mais vulneráveis para encher de bebidas e fazer desafios toscos. Infelizmente, você foi mais uma vítima deles. Eles só aproveitaram da sua situação para colocar coisas na sua bebida e, quanto você já não respondia mais, eles te desafiaram a descer as escadas. Eles tiraram os seus óculos, colocaram no bolso, e te desafiaram a descer.

Haneul não se lembrava com clareza, mas, alguns flashbacks borrados vieram à mente do menor, fazendo com que ele se sentisse ainda mais inútil.

— Vocês estavam em um lugar isolado da festa. Quando eu fui ao banheiro, eu passei por vocês e, quando eu te vi no chão, eu rapidamente chamei pelo Jeonghan que estava ali perto. Quando ele chegou, ele correu chamar o Jun para que a gente fizesse alguma coisa. Naquela mesma hora, eu me lembrei do Wowoo, por isso que você acordou na casa dele. Nós te levamos até lá, e ele disse que cuidaria de você.

Haneul não dizia mais nada, só chorava com mais intensidade. Jisoo queria abraçá-lo, mas teve medo de estar invadindo o espaço do menor. Então, Jisoo pousou uma das mãos no ombro de Haneul fazendo uma leve massagem ali.

— Você precisa ir ao médico para ver o estado do seu corpo, Haneul. N essa hora, o Wonwoo deve estar preocupado com você. Ele provavelmente já deve ter acordado e está preocupado por não ter te encontrado lá

— Ele me ligou algumas vezes, mas eu não tive coragem de atender.

— Ele prometeu que guardaria o seu segredo da sua mãe, então ligue para ele antes que ele ligue na sua casa e a sua mãe descubra as coisas, ok?

Haneul assentiu e se levantou do balanço.

— Joshua, você me promete uma coisa?

Independente do que Haneul pedisse, Jisoo daria o melhor de si para cumprir.

— Sim, Haneul.

— Você promete que vai tirar toda essa vergonha da internet?

— Eu prometo.

Quando Haneul começou a desaparecer da vista de Jisoo, ele rapidamente pegou o celular para mandar uma mensagem para Wonwoo.

Shua Hyung: Eu encontrei ele, e ele disse que ligaria para você. O Haneul está com o pulso e o tornozelo fraturado, Wonwoo, Leve ele ao hospital e tente convencê-lo de contar para a mãe dele o que está acontecendo. 

WONIE: Obrigado, Hyung. Eu vou dar um jeito nisso. Muito obrigado por ter me ajudado a encontrar ele. Eu imaginei um milhão de coisas ruins que ele poderia ter feito ou que poderiam ter acontecido com ele. 

Shua Hyung: Não precisa agradecer. Só cuide dele. Ele precisa de você, ok?

Mesmo depois da morte de Haneul, Jisoo cumpriu com a promessa dele. Tudo o que era relacionado a Haneul, já não circulava mais pela internet.



— No que você pensa tanto? — Jeonghan perguntou ao americano que tinha o olhar fixo na mesa da biblioteca.

— Hannie, se a gente levar todos os vídeos que gravaram do Haneul desde o princípio, será que todos aqueles que fizeram mal a ele vão pagar pelo crime?

— Shua, você lembra o que o Jihoon disse para nós?

— Sobre a investigação?

— Sim.

—Lembro.

— Ele tentou reverter essa situação, mas ninguém deus ouvidos ao Jihoon. Ele apresentou alguns argumentos para o pai dele, e implorou para que ele reabrisse o caso. O único que poderia fazer isso era o pai dele, pois, ele que era responsável pelo caso do Haneul, mas ele negou. — O mais velho explicou. — Da mesma forma que eles não atenderam ao pedido do Jihoon, o filho do detetive, eles não vou atender ao nosso pedido, ok?

— Todos os dias eu me lembro da ultima conversa que eu tive com ele. Se eu tivesse acolhido ele, certamente ele teria motivos para repensar e, quem sabe, ele estaria aqui conosco.

—Não se culpe. De todos, você foi um dos poucos que tentou ajudar. A culpa não é sua e nem do Wonwoo, ok? Vocês dois precisam se libertar dessa culpa que não pertence á vocês. A culpa é de quem sabotou as esperanças do Haneul de recomeçar. A culpa é daqueles que começaram tudo, desde o dia e que ele se declarou no corredor da escola até o dia da festa do Jun e as piadas que fizeram com ele na internet depois desse dia. Por favor, Joshua, não se culpe.

— Você lembra o que o Seungcheol disse na festa do Jun?

— Vamos deixar ele para trás, ok? O Seungcheol contribuiu para isso, eu realmente não quero pensar nele.

— Tudo bem. Mas, eu acho que ele quer falar com você, Hannie. Eu não quero ser inconveniente e te irritar, ok?

— O que? Por qual motivo você acha isso?

— Ele passou o intervalo inteirinho olhando para a nossa mesa.

— Isso é besteira, Jisoo. Vamos focar nisso aqui, ok? — O mais velho disse apontando para o livro de literatura.

— Sim, senhor. Vamos fazer isso.

Os dois sorriram e voltaram ao dever.


— H A N E U L —


— Jihoonie, eu tenho uma piada para contar. — Soonyoung disse empolgado e rindo antes mesmo de contar a piada.

— Não é legal ouvir as suas piadas, Soonyoung. Você fica rindo o tempo inteiro e elas perdem a graça.

— Eu vou me esforçar, ok? — Ele disse enquanto ria mais um pouco.

— Não vai prestar. — O menor disse se virando para Soonyoung. — Ande logo antes que eu desista.

— O que o ‘’mmc’’ estava fazendo na ponta da escada? — O mais velho perguntou entre risos.

— Eu não sei. O que? — Jihoon perguntou sério.

— Ele estava esperando ‘’MDC’’, entendeu? O ‘’m’’ descer.

Soonyoung começou a rir, só que dessa vez era uma risada mais escandalosa.

— Isso é sério? — O menor perguntou se levantando da cadeira. — Eu nem sei por que eu namoro você.

— Isso é amor, Jihoon-ah. Pode ser o mais sem noção do mundo, quando é amor, ele supera as babaquices, ok?

Ao terminar, o sinal que indicava o fim das aulas tocou.

— Ok, humorista. Sabe o que esse sinal significa? Jihoon perguntou.

— Não sei. O que?

— Que ta na hora de você pegar as suas coisas para irmos pra casa, ok?

— Nós podemos tomar sorvete hoje?

— Está frio, Soonyoung. Eu vou ficar doente de tanto sorvete que você me faz tomar.

— Jihoon-ah, eu prometo te amar e cuidar de você na saúde e na doença, ok?

Soonyoung poderia ser meio ‘’palhaço’’ e ‘’sem noção’’ na maior parte do tempo, mas era por essas e outras razões que Jihoon escolheu ele. O menor sabia que outro Kwon Soonyoung na face da terra não existia, e por essa causa, ele reconhecia que deveria prezar a companhia do mais velho, porque uma coisa era fato, mesmo que Soonyoung fosse irritante às vezes, ele sabia que não sobreviveria sem esses momentos inconvenientes do mais velho. E, o pior, ele sabia que não viveria sem o maior.


— H A N E U L —


Mingyu observava todos os alunos abrirem os seus guarda-chuvas e descerem a escadaria dos portões da frente da escola. A chuva estava realmente muito forte, e ele tinha se esquecido do guarda-chuva.

— Droga! — Murmurou.

Pelo visto, a chuva não ia passar tão rápido. Ele tinha duas opções: Ir debaixo da chuva, ou esperar dar o horário de seu pai ou da sua mãe sair do trabalho pra que ele ligasse e pedisse socorro para um deles. Mas isso só aconteceria ás oito horas da noite, logo, ele ficaria prezo na escola até a noite cair.

— Esqueceu o guarda-chuva?

Aquela voz.

— Wonwoo? — Mingyu se virou para encará-lo.

— Aqui embaixo tem muito espaço. Se a sua casa for próxima da minha, eu posso te levar até lá.

— Essa cidade é um ovo, é meio óbvio que a sua casa seja próxima da minha.

— É. Você tem razão. Vamos?

Mingyu não precisou pensar pela segunda vez, em segundos ele já estava debaixo do guarda-chuva de Wonwoo para irem juntos para casa.


Notas Finais


OLHA A GLICOSE COM ESSE SOONHOON.
Se fosse verkwan, os dois iam rir dessa piadinha tosca hwuehwhe.
Mas, falando sério... Verkwan ainda não teve a sua visibilidade, mas eles vão aparecer em breve e com muito amor.
O que acharam desse meanie? O que vocês acham que vai acontecer na volta para casa?
São tantas dúvidas, né?
Gente... Eu to amando escrever essa história, principalmente quando vocês elogiam ela. Gente, eu sinto vontade de gritar quando vocês elogiam a qualidade do enredo e da escrita, pois eu estava absurdamente insegura. Saber que a fic agradou vocês me enche de alegria. Vocês não fazem ideia.
Recentemente, eu fui mandada embora do meu emprego. Fez uma semana nessa sexta-feira, e a fanfic foi a forma que eu encontrei de ocupar a minha mente e não enlouquecer de preocupação. Ver que essa fic está cumprindo o proposito de me distrair, me ajuda DEMAIS, e tudo isso eu devo a vocês. Se não fosse pelos leitores, eu nem estaria escrevendo ela.
Eu só tenho que agradecer. Muito obrigada por darem atenção para essa história ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...