História Haneul - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags 13 Reasons Why, Hozi, Meanie, Soonhoon, Verkwan, Wooshi
Visualizações 427
Palavras 1.665
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, fiz essa rede social chamada Twitter.
O neu user é: @tia_benoit. Eu espero que vocês me sigam para tricotarmos sobre Haneul hauhauahua
Bem, eu preciso dizer algumas coisas antes de começarmos, ok?
Haneul já está chegando no meio, e eu estou muito feliz com a quantidade de comentários e favoritos.
Essa é a primeira vez na minha vida que eu faço uma atualização por dia, e recebo mais de quatro comentários por capítulo. Isso deixa bem claro pra mim que vocês estão participando da história, e estão expressando o carinho de Vocês através dessa fic.
Quando Haneul acabar, eu pretendo escrever outra fic do seventeen, pois é a primeira vez na vida que eu sinto que a minha história significa algo para alguém. Muito obrigada, sério ❤
Outra coisa: muito obrigada a quem me avisou dos errinhos que apareceram no decorrer da história. Para quem não sabe, eu estou sem computador desde quando eu comecei a escrever a fic, e por causa disso, eu estou tendo que usar um computador que ficou parado por quase dois anos aqui em casa.
Eu costumo escrever a fic durante a noite, como vocês podem ver pelos horários de atualização. Eu sempre começo escrever a meia noite, e para que a minha mãe não brigue comigo por eu estar indo dormir tarde, eu apago a luz para ela não perceber heuheuehe.
Daí, eu tenho que escrever no escuro kkkk. Como não tem nenhuma iluminação descente, eu acabo digitando muita coisa errada, e na hora de revisar, geralmente eu estou capotando de sono.
Consequências? Alguns erros ficam para trás sem eu perceber. Se vocês puderem apontar onde exatamente estão os erros, façam isso, ok?
Quero deixar tudo bonitinho :3
Outra coisa: Alguns personagens vão ser excluídos por eu não ter achado nenhuma função para eles.
Eu juro que vou tentar procurar, mas caso eu nao ache, eu vou ter que deletar eles :(
Hoje eu escrevi a carta do Haneul para o Wonwoo, mas eu ainda pretendo completar ela. Ficou muito vaga as coisas escritas kkk.
Nesse capítulo eu espero esclarecer algumas coisas para vocês, ok?
Lá pros cinco últimos capítulos, pode ser que vocês já descubram as coisas, pois elas vão começar a se revelarem 100% por lá, e por causa disso, as coisas vão esquentar ao ponto de gerar brigas entre os personagens. Nada preocupante, é apenas para criar a tensão.
Para finalizar, deixem as teorias e comentários, ok?
Amanhã eu tentarei responder todos os comentários huahaua. ❤❤❤

Capítulo 7 - Basta (Parte 1)


‘’ Eu acho que já basta. Eu realmente estou cansado disso tudo. Pra mim já chega

— Haneul’’

— E foi assim que eu me machuquei, mãe. —Haneul explicava para a mãe o motivo do pulso e do tornozelo fraturado.

—Você acordou de madrugada para ir atrás do Wonwoo e tropeçou nas escadas?

— Sim. Ele tinha ido comer alguma coisa, daí eu acordei e fui atrás dele. Como todas as luzes estavam apagadas, eu acabei me machucando.

— A mãe dele não acordou?

— Não. Eu só fui começar a sentir dor hoje de manhã.

— Você precisa ser mais cuidadoso, Haneul. Eu realmente fiquei preocupada quando você chegou aqui. O medico mandou você repousar e tomar os remédios, ok? Eu preciso fazer algumas coisas na cidade, então fique aqui. Qualquer coisa você me liga ou liga para o Wonwoo, ok?

— Ok. Pode ficar despreocupada.


— H A N E U L —


— Você veio da cidade? — Wonwoo perguntou para Mingyu, que fazia a gentileza de segurar o guarda-chuva, levando em consideração que ele era mais alto e poderia muito bem acomodar os dois debaixo do objeto sem que alguém saísse molhado.

— Sim.

— Por qual motivo?

— Meus pais queriam um lugar mais tranqüilo para viver. Eles achavam que eu estava ansioso demais na cidade, e que precisava de um lugar para relaxar.

— E vocês escolheram morar logo nessa ilha? — O menor perguntou em tom de deboche.

— Há algo de errado com ela?

— Tirando o fato de que uma pessoa se suicidou por causa das pessoas que vivem aqui, não há nada de errado. Pelo menos o ar daqui é puro e a água do mar é morna. — Wonwoo disse se referindo ao ar e ao mar como as únicas coisas boas da pequena ilha que viviam.

— Entendo.

Os dois ficaram quietos e voltavam a caminhar tranquilamente de volta para casa.

— Wonwoo? — Mingyu chamou o mais velho.

— Sim?

— Poderíamos continuar a conversa que tivemos na hora do intervalo? — O maior pediu.

— Eu pensei que você já soubesse de tudo.

— Quando eu cheguei, eu notei os pequenos memoriais espalhados pelo corredor. Ninguém tinha me dito nada, mas o diretor percebeu a minha cara de confusão e me explicou por cima o que tinha acontecido.

— O que ele te disse?

— Ele disse que vocês perderam um aluno muito querido devido a uma depressão que ele tinha.

— Ah é? Ele disse isso?

— Sim. Depois disso, ninguém me disse mais nada.

—O Haneul nunca foi ninguém, Mingyu. Ele era um completo anônimo até ele cometer um deslize por causa dos próprios desejos. Bastou uma simples troca de palavras do Haneul com outra pessoa, que tudo desmoronou para ele e para essa pessoa. Eles não te disseram nada sobre o Haneul por puro medo, Mingyu.

— Como assim? O que exatamente fez com que ele tirasse a própria vida? — Mingyu perguntou confuso.

— É verdade que o Haneul se suicidou, mas isso não tem haver com depressão.

— Tem haver com o que?

— Eu pensei que os seus amigos tinham dito algo para você, Mingyu

— Ninguém me disse nada. Você foi o único a tocar nesse assunto até agora.

— O Haneul sofreu bullying, Mingyu. Ele gostava de uma pessoa e queria dizer para ela. — Wonwoo dizia cabisbaixo — Então, ele veio me pedir conselhos. Ele me perguntou se era arriscado ele dizer isso para a pessoa que ele gostava, e eu disse que não havia problemas, que estava tudo bem abrir o coração dele para uma pessoa, porém, se essa pessoa não sentisse o mesmo por ele, ele teria que seguir outro caminho. — Wonwoo suspirou. — Ele contou para essa pessoa o que sentia por ela, só que ele cometeu um erro.

— Um erro?

— Sim. O erro do Haneul foi se declaram na frente da escola inteira. Ele foi até a pessoa e, de repente, todos ficaram em silêncio para saber o que estava acontecendo entre eles. Alguns jogadores do time de futebol pegaram o celular e começaram a gravar e, depois dele se declarar, não teve tempo dele e nem da pessoa dizer alguma coisa. Quando eles foram ver, a escola inteirinha já estava fazendo piadas.

— Nossa.

— Depois desse dia, a vida do Haneul nunca mais foi a mesma. Ele sentia como se tivesse cometido um crime, pois por onde ele andava, as pessoas falavam dele. As pessoas riam da cara dele e faziam piadas. Foram inúmeras às vezes em que ele abria o armário dele e lá dentro tinham centenas de bilhetes escritos as coisas que ele disse no dia da declaração.

Depois de um tempo, o Haneul parecia determinado a mostrar para as pessoas que ele não era um completo bobo como diziam por aí. Ele estava determinado a mudar a imagem dele e se tornar popular. Infelizmente, o Haneul estava em busca da aprovação dos outros. Tudo o que ele queria, era parar de ser perseguido e viver uma vida normal de estudante.

Por causa disso, ele começou a fazer testes para os times da escola e para alguns clubes, mas, infelizmente, ele falhou em todos. Para piorar a situação, algumas pessoas fizeram questão de gravar alguns testes dele para terem motivos para ridicularizarem ele ainda mais. Não demorou muito para que os vídeos estivessem na internet.

No dia dezessete de dezembro, o Junhui fez uma festa para comemorar o inicio das férias. Ele costuma dar essa festa todos os anos para todos os alunos, pois a casa dele é uma das maiores da ilha. Como a festa era aberta para todos os alunos, o Haneul achou que era bem vindo. Lá, ele encontrou alguns caras do terceiro ano, que fizeram questão de colocar coisas na bebida dele e gravar vídeos ridículos onde ele era humilhado.

— Essas pessoas não foram punidas? — Mingyu parou de caminhar para olhar nos olhos de Wonwoo. Aquela história era horrível demais.

— Não. A investigação durou quinze dias e, durante a véspera do natal e o natal, os detetives estiveram em casa passando o feriado com suas famílias e, enquanto isso, a mãe do Haneul estava enterrando o corpo do filho. Ninguém parecia interessado em investigar, e por causa disso, os detetives concluíram que ele só interrompeu a vida porque ele tinha depressão e estava devastado pelo divórcio dos pais deles. Ninguém levou em consideração o bullying que ele sofreu, eles só disseram que as anotações no diário dele eram coisas aleatórias e que não tinha muita ligação com o suicidio. — Wonwoo fez menção para continuarem a caminhar. —Após terem tratado o caso do Haneul com tanto descaso, a mãe dele saiu da cidade. Ela arrumou as coisas dela, chamou o caminhão da mudança pela madrugada, e foi embora. Ela nem mesmo deixou uma carta. — Wonwoo lamentou. — Meus pais tentaram falar com ela, mas ela nunca nos atendeu.

O maior suspirou após ouvir toda aquela história. Ele não conseguia imaginar as coisas pelas quais o Haneul tinha passado. Aquilo era demais para a cabeça dele.

— Wonwoo? — Mingyu chamou novamente.

— Sim.

— Como aconteceu?

— O que?

— O... Você sabe... — Mingyu não queria dizer aquela palavra.

— O que? Eu não sei o que você quer dizer.

— A forma que o Haneul...

— Como ele se matou? — Interrompeu o mior.

— Isso.

— É simples. Olhe em volta, Mingyu.

Então o maior atendeu ao pedido de Wonwoo.

—Olhei.

— Nós moramos em uma ilha, certo?

— Certo.

— O que mais tem aqui, são penhascos, não é?

— Sim.

— Você já deve imaginar o que aconteceu.

Mingyu parou de andar novamente. Ele estava assustado e ao mesmo tempo indignado com aquela informação.

— Ele foi encontrado duas horas depois boiando na costa, pois não sabia nadar — Wonwoo explicou. — Mas, algumas coisas me intrigam sobre isso.

— O que?

— Acho que não convém entrar em detalhes, Você queria saber o que aconteceu, certo?

— Sim.

— Suas dúvidas já foram sanadas?

— Eu acho que sim.

— Bem, chegamos. Essa é a minha casa. — Wonwoo parou de andar e apontou para uma simpática casinha de dois andares com uma cerca branca bem baixinha.

— Sério? A minha fica depois desse cruzamento. Umas cinco casas da calçada esquerda. — O maior explicou.

— Bem, já que é logo ali, eu posso te levar.

Mingyu aceitou, e os dois caminharam juntos até a casa do mais novo.


— H A N E U L —


— Oi, Haneul. Quanto tempo, não é mesmo? — A garota disse se ajeitando em frente ao túmulo de Haneul. — Há tantas coisas que eu gostaria de dizer e compartilhar com você. A noona não apareceu quando completou dois meses porque as aulas tinham começado bem nesse dia, e os meus pais não sabem que eu venho aqui todos os meses deixar flores para você.

Ela suspirou.

— Haneul, o meu coração esteve tão pesado de culpa durante esse tempo que passou. Você não faz idéia de como eu me sinto mal por guardar esse segredo, mas eu espero que você entenda que esse é um mal necessário.

Há tantas coisas que eu gostaria de fazer para você. Teríamos nos tornado bons amigos, você não acha? — Ela sorriu. — Eu realmente espero que um dia as coisas se resolvam, e espero que você possa me perdoar até lá.

Hoje, eu trouxe rosas azuis, pois elas me lembram o mar. Embora você deteste o oceano, saiba que ele possui um significado muito importante para mim, pois eu estive observando ele depois de tudo o que aconteceu. Essa era a forma de eu me lembrar de você.

Bem, eu preciso ir agora, pois a chuva só está piorando e os meus pais estão esperando por mim. Até o próximo mês, Haneul.


Notas Finais


Quero convidá-los para visitar a minha loja.
www.samirastore.com.br

O que acharam? Já formularam teorias??????
Deixem tudo aqui nos comentários hahaha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...