História Haneul - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags 13 Reasons Why, Hozi, Meanie, Soonhoon, Verkwan, Wooshi
Visualizações 389
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai... eu nem sei o que dizer desse capítulo. Confesso que eu tinha imaginado algo melhor, mas na hora de escrever, saiu isso. Estou decepcionada.
Eu estou sem motivação nenhuma, pois as coisas só estão dando errado.
Meu casaco rasgou (eu de seolyn), eu não consegui instalar o pacote office, então usei programas alternativos pra escrever esse capítulo, mas que não são tão bons quanto o office. Roubaram a minha conta da origin, daí consegui recuperar ligando na central de atendimento, mas agora eu sou obrigada a reinstalar tudo DE NOVO.
O meu livro do código penal e do código civil ainda não chegaram, e as minhas apostilas do tribunal de justiça estão cinquenta golpes cada, e eu preciso de duas para até o final do mês. EU TO DESESPERADA E CHORANDO HORRORES POR NÃO TER ESSE DINHEIRO. Ai, deus, nem a lojinha está me salvando, vocês não fazem noção do desespero :'(
Eu to tão triste/desesperada, que nem sei o que fazer ou por onde começar a concertar a minha vida.
Eu fiquei pensando se valia a pena escrever esse capítulo, mas lembrei das promessas que fiz para você, e não acho que seja justo largar alguém na mão quando se faz uma promessa.
Pra tentar dar uma distraída e não surtar por causa dessas duas apostilas que eu estou precisando com URGÊNCIA pra ontem, eu decidi editar algumas capas no photoshop (essa capa atual da fic NÃO É MINHA, foi uma pessoa aqui do spirit quem fez). Por causa dessas edições que eu fiz, eu acabei tendo inspiração para escrever pelo menos três fics.
Onde está Jihoon, Guerra pela justiça e O visitante. Eu só não compartilho o enredo com vocês, porque eles são segredos absolutos, mas vou ver qual fica mais fácil de desenvolver. Quando Haneul acabar, eu escolho uma dessas para postar.

Capítulo 9 - Novos amigos.


‘’ Eu costumava viver em uma guerra interna, e eu sabia que eu não seria o vencedor.

— Haneul’’  

O grupo de adolescentes estava na entrada da escola aguardando o sinal tocar para que cada um seguisse para as suas devidas aulas daquele dia.

O tempo estava bem decadente. A garoa era forte e o vento era gelado. Naquela manhã em especial, os alunos saíram com os seus melhores moletons para se proteger do frio e da garoa.

Mingyu já não se sentia tão confortável com o seu atual grupo de amigos como se se sentia antes, pois, se tinha algo que ele detestava, era que as pessoas escondessem coisas de si.

Depois de ter ido embora com Wonwoo pelo menos umas três vezes na mesma semana, Mingyu acabou descobrindo algumas coisas relacionadas a Vernon e Seungcheol. Ele descobriu que os amigos também eram responsáveis pela morte de Haneul, por isso ele se sentia ainda mais desconfortável na presença deles.

Na verdade, todo mundo da escola era responsável. Haviam pequenas exceções, mas no geral, um a um tinha a sua porcentagem de culpa.

Depois de ter descoberto aquilo, Mingyu já não conseguia mais olhar para os garotos de uma forma boa. Ele se sentia mais confortável na presença de Jihoon e Soonyoung, quando eles estavam juntos no grupo de amigos, as coisas eram mais fáceis de serem levadas, mas quando Seolyn e Jihoon estavam juntos no mesmo ambiente, Mingyu não se sentia muito bem. Talvez, ele fosse o único capaz de enxergar o clima pesado entre os colegas. Quando eles estavam juntos, Jihoon adotava uma face de raiva e ira. Soonyoung dizia que era normal, e que raramente alguém veria Jihoon sorrir para deus e o mundo, mas Mingyu sabia que não era verdade. Talvez, Soonyoung não percebesse, mas a relação de Jihoon e Seolyn provavelmente não eram das mnelhores.

— Eu não estou acreditando no que estou vendo. — Era uma voz feminina.

Naquele momento, todos os rostos se iluminaram ao verem quem era a dona da voz.

— Suyeon! — Os colegas de Mingyu disseram animados.

— Nossa, quanto tempo.

Acompanhado da tal Suyeon, estava um garoto, que segundos depois, Mingyu descobriu ser Jaewon.

— Caramba, onde vocês estiveram durante todo esse tempo? Eu não os vi em lugar algum. — Jihoon perguntou entusiasmado para os dois adolescentes que tinham acabado de se juntar ao grupo.

— Eu e o Jae estávamos cuidando de algumas coisas da torcida. Por causa disso, a gente nem teve tempo de aparecer. A gente passava o intervalo no ginásio, sem contar nas aulas que tivemos que faltar por causa das coisas do time de torcida. Mas, ser líder tem as suas vantagens, né? Não seremos prejudicados.

Todos riram e, pela primeira vez, Mingyu não se sentiu tão mal por estar naquele grupo.

— Há muitas pessoas inscritas para a seleção? — Soonyoung perguntou.

— Sim, todas as alunas novas que entraram, se inscreveram. Por causa dos benefícios por fazer parte do time, esse ano teve uma boa inscrição de meninos e meninas. — Jaewon explicou.

— Aliás, sentimos muito a sua falta na torcida, Seolyn. Se inscreva esse ano, temos certeza que a treinadora irá te aprovar. — Suyeon disse abraçando a amiga.

— Ah, claro. Eu também senti saudades de vocês.

— A parte boa é que agora estamos menos ocupados, e vamos voltar a passar o intervalo com vocês. — Jaewon informou animado.

Mais uma vez, os rostos se iluminaram, exceto o de Seungkwan e Mingyu que não estavam entendendo um terço do que estava acontecendo.


 

— H A N E U L —


 

Na aula de história, Seungcheol se segurava para não se estapear de raiva.

Um pouco a frente, estavam Jisoo e Jeonghan e, o mais velho se perguntava desde quando eles haviam se tornado tão próximos.

As mesas de ambos estavam juntas, e os dois ficavam trocando risadinhas enquanto conversavam sobre algo que Seungcheol julgava não ser importante.

Seungcheol conhecia Jisoo e até gostava dele. Ele era um cara bem legal e simpático, mas, por algum motivo, Seungcheol se sentia substituído.

Ele conhecia a relação do ex-namorado e do colega, mas achava que aquela relação já tinha avançado alguns passos sem ninguém perceber. Não era da conta dele, mas era impossível evitar uma pontinha de ciúmes.

Poxa, ele e Jeonghan era o melhor casal daquela escola depois de Seolyn e Jaewon e, assim como Jeonghan e Seungcheol, os outros dois também haviam terminado devido ao caso de Haneul.

Era terrível a forma como a morte de alguém poderia desestruturar todos os vínculos sociais dentro daquela instituição.

Depois do término, Seungcheol tentava a todo o custo procurar formas de retar o relacionamento com Jeonghan, mas, naquela altura, ele acreditava que já não existia mais nenhuma possibilidade de ter o seu relacionamento de volta.

O aviso de Jeonghan era bem claro: Se ele não pedisse desculpas a Haneul, não era para ele aparecer na frente do mais novo.

Seungcheol até tentou se redimir por todo o bullying praticado contra o menor, mas toda vez que ele passava por Haneul, Seungcheol se sentia totalmente envergonhado e arrependido, porém, aqueles sentimentos não bastavam para Jeonghan, afinal, como Haneul saberia que o capitão do time de basquete se sentia mal por tudo o que fez sem ouvir essa informação sair da boca próprio? Jeonghan queria que Seungcheol expressasse os seus sentimentos para Haneul, mas quando Seungcheol decidiu que era hora de pedir desculpas, veio a notícia.

Haneul estava morto.

Seungcheol se lembrava perfeitamente da cena. Se lembrava de vê-lo na água. Ele estava pálido, os lábios estavam em um tom roxo, quase preto. Não sabia se era por causa do frio ou pelo fato dele estar sem vida, mas, por algum motivo, Seungcheol enxergava a paz pousada no garoto.

Toda vez que Seungcheol se lembrava, um frio percorria pelo seu corpo. Era como se aquela sensação fosse uma punição ao se lembrar de todas as vezes em que teria sido falho com Haneul. Era uma punição por não ter se desculpado, uma punição por ter feito tudo o que fez.

Seungcheol sentia como se o fantasma de Haneul o seguisse diariamente, fazendo com que ele se lembrasse do monstro que era.

 

— H A N E U L —


 

A última aula antes do intervalo teria sido vaga, e como Wonwoo não tinha saco algum para ficar enfurnado na sala de aula com aquele monte de gente que considerava serem seus inimigos, ele decidiu adiantar o seu intervalo e sair para andar um pouco pela escola.

Mingyu não tardou em segui-lo e, quando menos esperaram, os dois já estavam no pátio, sentados um de frente para o outro em uma das várias mesinhas que tinha ali.

— Pergunte. — Wonwoo disse olhando nos olhos do maior.

— O que? — Mingyu respondeu como se não tivesse entendido a ordem de Wonwoo e, na verdade, ele realmente não tinha entendido.

— Você só me procura quando quer saber algo de alguém dessa escola, então, pergunte.

Mingyu respirou fundo e apenas deixou as palavras saírem.

— Quem são Suyeon e Jaewon? — Perguntou.

— Hm. — Wonwoo se ajeitou no banco e cruzou os braçoes, pensava que era algo importante, mas, no final das contas, não era. — Eles fazem parte do time de torcida da escola. Toda vez que algum time vai competir, eles dois organizam a torcida.

— Tipo líderes de torcida? — Mingyu perguntou.

— É exatamente isso que eles são, líderes de torcida.

— Mas, além de fazerem parte da torcida, o que mais eles são?

— Pessoas? — Wonwoo respondeu como se aquilo fosse óbvio.

Então, Mingyu suspirou. Ele teria mesmo que mencionar um episódio triste toda vez que fosse perguntar de alguém para Wonwoo?

— Você sabe, Wonwoo. Eles possuem alguma relação? — Mingyu perguntou se referindo a morte de Haneul. Queria saber se aqueles dois também teriam algum tipo de culpa.

— Não. Embora o Jaewon seja um ex-caso da Seolyn, ele nunca fez nada para o Haneul. Nunca o perseguiu e nem disse coisas maldosas. A Suyeon sempre foi legal e gentil com todos, ela e a Seolyn são melhores amigas, então pode ser que você os veja elas grudadas vinte e quatro horas por dia.

— Ah, claro.

Os dois ficaram em silêncio para apreciar o som da chuva, até Wonwoo interromper o momento.

— Mingyu?

— Hm?

— Eles nunca disseram nada por você se aproximar de mim com frequência?

— Não. E mesmo se disserem, eu vou ignorar.

— Porque?

— Porque eu gosto da sua companhia, mesmo que você prefira não dizer nada na maioria das vezes.

E então, Wonwoo sorriu. Depois de um tempo, Mingyu teve a oportunidade de ver o sorriso do mais velho novamente. Só ele sabia o quanto teria aguardado novamente por aquele momento.


 

— H A N E U L —


 

Faltando cerca de cinco minutos para o intervalo, Hansol tinha acabado de receber uma mensagem de Seungkwan, pedindo para que ele fosse ao seu encontro o mais rápido possível. Hansol não era capaz de ver Seungkwan, mas pelas palavras na mensagem de texto, ele sabia que alguma coisa ruim poderia ter acontecido.


 

BabyBoo: Eu preciso de você agora. Me encontre na arquibancada da quadra de vólei.


Notas Finais


Visitem a minha lojinha, ok?
www.samirastore.com.br


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...