História Você é uma ilha - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bangtan Boys, Bts, Coréia Do Sul, Drama, Fanfic, Fanfiction, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Kpop, Min Yoongi, Mistério, Park Jimin, Poesia, Rap Monster, Romance, Sexo, Smut, Suga, Suspense
Exibições 35
Palavras 1.835
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Idas


Fanfic / Fanfiction Você é uma ilha - Capítulo 12 - Idas

 "A liberdade só existe quando todos os nossos actos concordam com todo o nosso pensamento." - Agostinho da Silva (Mulher de Loth)

Suspiro mais uma vez. 

Esquece, não vou conseguir. 

Estou perfeitamente esticada na cama, o edredom não está amassado porque mal me mexi e meus olhos estão pregados no teto branco e reto, ainda estranho para mim. 

Me sento e olho ao redor, as paredes brancas, a enorme janela, o armário alto com portas de correr...

Desde que meu pai se mudou e minha mãe se foi, me mudei para o antigo quarto deles porque os gêmeos ainda não estão completamente acostumados a dormir sozinhos e Louisa as vezes tem pesadelos. 

É horrível. 

Tentei me convencer de que agora esse é o meu quarto e preciso me contentar com ele, que acabaram paredes cheias de posters, música no ultimo volume e o isolamento do sótão mas eu não consigo dormir direito aqui... Tenho a constante sensação de que estou invadindo o quarto dos meus pais e fuçando as gavetas, que a qualquer momento alguém entrará aqui e me pegará do pulo. 

Dai me lembro de que não tem ninguém para entrar aqui. 

Mas não hoje.

Hoje o que me incomoda não são os barulhos da noite, os galhos se movendo, os carros passando ou a madeira rangendo, não são as crianças chorando ou rastejando para perto de mim na cama, não é a constante sensação de não pertencer, é o garoto no andar de baixo.

Jogo o edredom pesado para o lado e jogo as pernas pra fora da cama, o chão é gelado debaixo dos meus pés descalços e estou prestes a cometer um erro enorme mas não consigo, simplesmente não consigo fechar os olhos e dormir. 

Atravesso o corredor nas pontas dos pés e depois a escada, no caminho tento me convencer de que será só uma olhada, é isso. 

"Vou checar se está tudo bem, voltar pro quarto e dormir." 

Chego ao primeiro andar e as cortinas estão abertas e permitem que a luz da lua ilumine todo o cômodo e um dos lados do garoto sentado com a postura perfeita no sofá. 

Considero me virar e subir as escadas mas estou congelada. 

Por que estou tão receosa? 

Por que não consigo ignora-lo? 

Por que não pedi que fosse embora assim que apareceu? 

"Jungkook?" -Eu sussurro, talvez na esperança de que ele esteja dormindo. 

Ele se vira pra mim, metade de seu rosto iluminado com a luz prateada, o cabelo todo bagunçado. 

"Tess..." 

Meu peito esta doendo porque sei que não deveria me aproximar dele, sei que é um erro tê-lo na minha casa, tão perto dos meus sentimentos. 

Me sento no sofá ao seu lado, ele se vira e ficamos um de frente pro outro. 

"Não consegue dormir?" -Ele nega com a cabeça e encolhe ainda mais as pernas contra o próprio peito. 

"E você?"

"Não, meu quarto era no sótão e agora eu fico no quarto dos meus pais..."

"É estranho não é?" -Concordo com a cabeça. 

Depois de tanto tempo separados, me esqueci de como ele é, de como não importa quanto tempo tenha passado ou quantas coisas mudaram, ele sempre vai saber o que dizer, não importa se será uma confissão dolorosa ou um comentário sarcástico. 

"Por que você foi embora Jungkook?"

Eu não queria perguntar a ele quando nos encontramos, se eu perguntasse, ele explicaria e eu tentaria entende-lo, eu o perdoaria e ele voltaria pra minha vida tão de repente quanto saiu. 

Mas realmente, que diferença isso faz agora? Estou mentindo pra mim mesma se insistir em me dizer que ele não está de volta em minha vida mesmo que esteja aqui agora, sentado no meu sofá. 

"Você quer a verdade? Porque ela vai soar como uma mentira..."

"Quero alguma coisa... Mesmo que seja mentira."

"Bom, quando fugimos pra praia eu me senti livre, eu senti que poderia fazer qualquer coisa mas então eu olhei pra você e... Você estava mentindo pra si mesma. Você parecia tão feliz e livre mas no fundo sabia que não poderia viver assim, que você teria que voltar, lá no fundo você ainda estava presa mas estava se enganando com a liberdade de fugir." 

Estou em silêncio, a rua está em silêncio, a noite inteira esta em silêncio. 

"Mais do que nunca eu quis agarrar você e fugir de verdade, ir pra algum lugar onde nunca nos achariam, onde não houvesse família, escola e que não precisássemos voltar nunca mais e eu me senti um louco por querer isso, você mal me conhecia, eu mal a conhecia..." 

Ele esta me olhando nos olhos, como consegue fazer isso? Eu quase me dobro sobre o seu olhar, encara-lo é difícil e ele o faz com tanta facilidade...

"E ai você sumiu na água e eu senti muito medo, fiquei apavorado com as ideias que tive sobre fugir, fiquei apavorado porque eu pensei que você era como a Young Hee e ai pensei que o medo que senti de me apaixonar por você fosse maior do que o meu medo de voltar."

Me sinto uma criança outra vez, sussurrando segredos no escuro. 

"Quando fui pra casa, todos os meus medos me atacaram de uma vez. Minha irmã estava assustada e precisando de mim, minha mãe chorava ao telefone, o meu pai... E o fantasma da garota que eu amei um dia."

"Por isso foi embora? Por medo?"

"Não, foi ainda mais complexo do que isso. Meu pai estava instável e num impulso ele me prometeu que se eu não fosse com eles para a Coréia ele me deserdaria. Por mais que esse fosse o meu desejo quando criança, sei que se ele fizesse isso eu nunca mais poderia conversar com a minha família, minha mãe e minha irmã..."

"Você foi embora pela sua família?" -Quase engasgo quando as palavras saem, tenho um sorriso nos lábios mas meus olhos estão cheios de lágrimas e não consigo respirar direito. 

Ele se sacrificou a uma vida que nunca desejou ter, assim como eu e por quase dois anos eu o odiei sem saber que ele se foi pelo mesmo motivo que fiquei. 

 "Sim... Enquanto meu pai se preparava pra se mudar eu mal pude sair ou conversar com alguém, eu queria muito conversar com você, eu tinha muitas coisas pra dizer mas não podia então publiquei as fotos, vendi a foto da ilha porque eu sabia que, por mais que ela fosse modificada, você a veria e eu ainda estaria aqui de alguma forma." 

"Por que não respondeu as mensagens?" 

"Sinceramente? Eu estava envergonhado. Fui grosseiro com você por medo e estava prestes a ir embora, não podia te dar a ilusão de que ainda estava presente.

"Você é um idiota" -Eu rio, meu rosto está molhado e inchado, ele sorri também e pega uma das minhas mãos, a dele é muito maior e cobre a minha. 

"Você deixou isso bem claro nas ultimas mensagens" -Rimos um puco e ficamos em silêncio, ele puxa o ar pesadamente pra continuar. 

"Alguns dias antes do ano novo eu estava na nossa praia, mas eu estava sozinho e sabia disso. Eu fui até aquela ilha, a da foto e ela era linda. Eu pensei que não me incomodaria de morar ali pra sempre porque a beleza dela compensaria por tudo... Mas apesar de linda, ela era sozinha, isolada e incompleta. Como você." 

"Por isso que você disse que eu era uma ilha..." 

"Não, quando eu sai da ilha eu ainda a achava perfeita mas eu mesmo estava solitário... Eu voltei pra casa e no ano novo eu precisava de você porque eu estava prestes a ir embora e não poderia ir me sentindo tão incompleto assim. Eu não consegui te achar em lugar nenhum dai perguntei pra Sienna onde você estava. Quando eu cheguei lá eu descobri que você estava tão incompleta quanto eu e aquela ilha, foi só ai que eu percebi que a ilha não era perfeita e por isso eu disse que você era uma ilha."

"Você não sabe o quanto eu te odiei por dizer aquilo... Acho que fiquei com tanta raiva porque eu sabia que você estava certo."

"Então você esta ferrada por que eu sempre estou certo." 

Reviro os olhos, ele ri um pouco mais alto e eu ponho o indicador contra os lábios fazendo "Shhh" pra que ele não fale muito alto. 

"Desculpe, quer que eu continue?"

Concordo com a cabeça, ele me puxa pra mais perto. 

"Dai você me chamou pra uma ultima conversa no dia do meu voo e eu não podia dizer não porque eu queria me despedir. Quando eu cheguei lá eu te vi com o seu ex namorado e ai pensei que deveria ir embora mas você o deixou de lado e correu até mim. Eu quis desesperadamente voltar pro chalé com você, quis me deixar apaixonar mas... Foi ainda mais difícil porque eu sabia que iria embora então eu precisava quebrar seu coração, precisava ter a certeza de que você não sentiria minha falta."

"Bom, você errou. Eu não amava você mas é bem verdade que eu queria amar. Tudo o que me disse... Nada daquilo quebrou meu coração mas me fez sentir traída, traída e enganada. Você continuou repetindo que eu era uma ilha e que era como Young Hee, eu não sou como ela."

"Eu sei que não é, mas na época eu acreditava que era. Achei que assim como ela, me apaixonar por você seria perigoso e destrutivo, eu não quis aceitar que era eu a pessoa que estava partindo, que eu era a pessoa a ser evitada e não você. Sinto muito"

"Por algum motivo eu sempre quis ouvi-lo dizer isso... Achei que me sentiria vitoriosa mas eu me sinto triste..."

Estou sendo sincera com ele, estou sendo mais sincera do que sou com qualquer um a um bom tempo.

"Eu tenho esse talento de fazer todo mundo infeliz" -Ele ri e me puxa para o peito dele, meu ouvido esta onde seu coração bate e os braços dele estão ao meu redor. 

"Eu realmente poderia dormir agora."

"Eu sou tão entediante assim?"

Bato levemente com a mão em seu peito, ele se encolhe e murmura como se eu realmente o tivesse machucado, depois ri e bagunça meu cabelo. 

"Eu acho que passei muito tempo preocupada com todos, acho que eu não tenho uma boa noite de sono a algum tempo e ai você chegou e pensar que a unica figura do meu passado estava bem aqui e eu não sabia dos detalhes do que aconteceu... Isso estava me deixando maluca, mas agora eu sei, eu realmente poderia dormir agora."

Ele concorda levemente e se deita, deixando que eu me deite encima dele no sofá, suas mãos acariciam minhas costas com calma e eu sei que o sol vai nascer logo mas não me importo. 

Jungkook se estica e sussurra, a voz grossa de sono, contra o meu ouvido.  

"Com esse cenário, agora e com você, eu também poderia me apaixonar".



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...