História Hang On - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Área 51, hacker, Policia
Exibições 2
Palavras 1.173
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Escolhas


- Selina? Consegue me ouvir? Sou eu... Abby- dizia uma voz.

Aos poucos fui abrindo meus olhos e tomando a coincidência de onde eu estava.

-Selina? Você está ai? - perguntou a voz pela qual eu já estava bastante familiarizada. 

Levantei rapidamente, fazendo com que minha visão fique escura por alguns minutos, mas logo trato de empurrar a porta e cair nos braços da minha melhor amiga.

- Ho meu Deus Selina, que susto, como você está? Está bem? - perguntou enquanto me afastava e procurava pelo meu corpo alguma ferida.

- Graças a Deus Abby, estou, estou bem na medida do possível.- eu disse enquanto sentava e tentava normalizar minha respiração.

- Nunca mais faça isso Selina, é tão perigoso, não sei por quanto tempo vou conseguir te encobrir desse jeito.- ela disse se sentando ao meu lado.

Abby é minha melhor amiga desde sempre, e era a unica pessoa que eu confiava, ela sabia de tudo, e isso me preocupava, não gostava de colocar todas as minhas preocupações encima dela. Mas ela me entendia tão bem, ela mesma se ofereceu para me encobrir, disse para a minha mãe que eu ia dormir na casa dela, e como minha mãe confia muito em Abby não desconfiou de nada.

-Você sabe como eu não gosto de mentir para sua mãe, ela é tão legal comigo, mas você sabe que eu faria qualquer coisa por você não é mesmo?- ela disse com um olhar sincero- Só não abuse, ok?

Eu a abracei rindo
-Você é a melhor amiga que eu poderia ter, obrigada por tudo que faz por mim, mas vamos embora, não podemos ficar aqui por muito tempo.

Peguei em sua mão para ajuda-la a levantar e caminhei devagar em direção à porta.O prédio era de 15 andares, e o elevador não funcionava, ele realmente estava em condições precárias. Descemos as escadas em silêncio, e só quando chegamos na calçada Abby se manifestou.

-O que você vai fazer agora Selina? -ela me disse com um olhar de preocupação- Eu sei que você é a melhor e tal, mas essas caras não vão descansar até pegar você.

Eu também estava preocupada, não sabia o que fazer, e Abby estava certa, eles não vão parar até me pegarem, eu era uma ameaça muito grande para a rede de máfia deles, eles não mediriam esforços para acabar comigo.

-Eu não posso deixar que você ou minha família corram perigo por causa de um deslize meu- eu disse enquanto passava as mãos em meus cabelos, eles estavam horrives.

-Vamos para sua casa- disse Abby enquanto chamava um táxi- Lá você come e pensamos em uma solução.

Entramos no táxi e eu dei meu endereço para o taxista. Passei o caminho inteiro calada, pensando no que fazer. Eu fui muito imprudente quando mandei a mensagem tão próxima do lugar onde eles estavam, era óbvio que eles também tem um hacker, mas eu estava tão cega pensando no dinheiro.

Não podia arriscar ficar parada sem fazer nada, cedo ou tarde eles iriam descobrir mais informações sobre mim, e se algo acontecesse com Abby ou minha família eu nunca iria me perdoar.

Abby me tirou dos meus pensamentos avisando que haviamos chegados, pagamos o taxi e descemos. Minha casa nunca foi muito luxuosa, mas minha mãe sempre caprichou com o pouco que tínhamos. Na frente um pequeno jardim com diversas flores acolhia quem estava chegando. A fachada amarela deixava o lugar com aspecto claro.

Peguei a chave em meus bolsos e me fui em direção à porta, destranquei rapidamente e fui entrando.

-Meu Deus Selina, que cabelo é esse? - disse minha mãe assim que me viu, ela estava com um aventau então deduzi que estava preparando o almoço. Minha mãe não era muito diferente de mim, estatura média, cabelos pretos e olhos claros. 

- Ta realmente muito feio né tia Alice? -disse Abby enquanto fingia analizar os fios ressecados do meu cabelo. - Como Selina quer arrumar um namorado se continuar andando desse jeito?

-Cala a boca- eu disse revirando os olhos e dando um leve tapa em sua mão que estava no meu cabelo.- Eu não quero um namorado, eu não preciso disso, e se alguém não quiser namorar comigo só por causa do meu cabelo eu não vou estar perdendo nada.

- Ai ai viu, vamos desistir Abby, Selina não tem mais solução- disse minha mãe caminhando de volta pra cozinha.- Vai ficar para o almoço querida?

- Nunca cou recusar sua comida tia Alice, vou ficar sim, obrigada- disse Abby toda meiga para minha mãe, revirei os olhos, até parece que ela é essa fofura toda.

-Estamos no meu quarto mãe- disse puxando Abby comigo em direção as escadas- Qualquer coisa nos chame.

Meu quarto era simples, paredes brancas, algumas prateleiras, e uma parede só com os meus equipamentos, ou seja, uma bagunça organizada.

-Não sei como você consegue ficar no meio de tanto papel- disse Abby olhando para o meu quarto.

-Já esteve pior- eu disse dando de ombros- não é como se fosse só lixo, tenho informações importantes espalhadas por todo meu quarto, então não mexa em nada. Vou tomar banho.

Peguei roupas limpas e fui em direção ao banheiro, estava precisando de um banho e também estava precisando pensar.


Me despi e me olhei no grande espelho do meu banheiro. Eu tinha emagrecido consideravelmente. Olheras enormes quase cobriam meus olhos, eu estava tão cansada. Não sei por quanto tempo mais aguentaria isso. Tudo bem que fui eu quem escolhi tudo isso que estava acontecendo, mas o que eu faria agora?

Terminei meu banho depois de alguns minutos. Coloquei um short e uma blusa qualquer e fui para o meu quarto onde encontrei Abby esparramada na minha cama.

-Deite aqui- ela me chamou.

Me joguei na cama de casal ao seu lado e fechei os olhos e deixei que as lágrimas viessem.

- Eu fiz tudo Abby, tudo para tentar curar meu pai- eu disse- Nunca pensei que fosse chegar a esse ponto, eu fiquei um pouco louca sabe? Saber que tem olhos por todos os lugares, acesso a todos os lugares.

- Não posso dizer que te entendo Selina, mas sei que você consegue sair dessa.- ela disse enquanto mexia no meu cabelo.

- Ha Abby, queria tanto acreditar em você, mas eu ultrapassei meus limites dessa vez, eu cometi crimes. Preciso pagar pelo que eu fiz, sem contar que se eu não acabar de vez com aqueles que estam atrás de mim, eles vão acabar com a minha família.

Abby levantou num salto, abri meus olhos a tempo de ver sua expressão de desespero e surpresa.


- Você não pode fazer isso Selina, você perderá muito tempo de sua vida presa, meu Deus, eu não consigo nem pensar direito, tem que ter outra maneira. - ela disse com um desespero eminente em sua voz, ela andava de um lado para o outro, com as mãos na cabeça, tentando achar uma solução. Mas não havia outra.

-Eu vou me entregar para a CIA.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...