História Hannah Potter - A Irmã que Sobreviveu - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Draco, Grifinória, Hannah, Harry Potter, Romance, Sonserina
Exibições 85
Palavras 1.331
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello!

Eu sei que demorei para postar, mais de uma semana. E gostaria muito de explicar o porquê:

Atualmente eu estou com três projetos de fanfics:

A primeira é de uma categoria muito pouco conhecida: Truque de Mestre. Quis fazer porque só existe 12 fanfics desta categoria e eu resolvi aumentar a lista futuramente!

A segunda é de Harry Potter, mas é universo alternativo. Hinny shippers, nos vemos lá futuramente?

A terceira: Os Vingadores. LokiXOc, já aviso. Quem gostar, espero por lá também!

E eu acabei demorando muito tempo porque quero deixar vários capítulos prontos antes de postar, para depois não me complicar todinha! Além de que estou com algumas ideias para a fanfic da Hannah que eu acho que vão gostar! Além das cachorras que minha mãe adotou... A vida tá foda.

Também quero falar sobre outro assunto: Atualmente, a fanfic tem 120 favoritos. Apenas 2 comentaram.
Sei que assim como eu, todos nós temos dificuldades e nem sempre dá para comentar, entendo! Só que eu fico desmotivada, confesso que anteriormente pensei em desistir da Hannah, só que ela é foda demais pra isso então não farei.

Não quero obrigar ninguém a nada, longe disso. Só quero comentar um pouco sobre como a maioria dos escritores se sentem quando isso acontece, porque sei que não sou a única.

Eu espero que gostem do capítulo!

Boa leitura

Kisses
*3*

Capítulo 32 - Obrigado pela exposição


— Como é? — Perguntei, dando uma segunda chance para ele não falar nenhuma besteira.

— Eu disse que não vamos matá-lo. — Harry respondeu, me encarando. O.K. Ele é louco e deixou de ser no bom sentido a partir de hoje.

— Você pode não participar, mas daqui ele não sai vivo! — Retruquei, cruzando os braços.

— Sai vivo e direto para Azkaban! — O meu irmão exclamou.

Revirei os olhos e cruzei os braços, terminando com um olhar nada amigável para ele. Contudo, Harry não se abalou com isso, pelo contrário, continuou mais firme ainda em sua decisão.

— Hannah... Se Pedro for para Azkaban, Sirius será inocentado... — Daphne comentou.

Virei-me para ela, arqueando as sobrancelhas. Não havia pensado nesta hipótese, era realmente a melhor de todas. Infelizmente, eu teria que engolir o que eu acabei de falar. Ela podia ter dito isso um pouquinho antes! Não teria nenhum problema, na verdade até melhoraria a situação, já que eu não teria de engolir o meu orgulho por causa da minha fala anterior.

Me voltei para Harry. Ele sorria de uma forma presunçosa, como se soubesse o quanto iria me incomodar contar a verdade. Idiota, ele vai ter uma vingança bem merecida em breve, ou não me chamo Hannah Potter!

— Certo. — Respondi secamente. — Mas ai de você se der alguma coisa errada, escutou? — Perguntei, irritada demais para encará-lo.

Sinceramente, se ele continuar me irritando assim, pretendo socar a cara dele. Ninguém nunca consegue ser superior a mim, em qualquer questão, não importa o que seja. E não pretendo deixar alguém tentar dar uma de certinho perfeito enquanto eu fico como a má da história.

Meu irmão sorriu vitoriosamente, olhando para Remo e Sirius logo depois. Remo se aproximou para prender Pettigrew com as cordas. Em menos de dois segundos, o antigo rato estava se revirando no chão, amarrado e amordaçado.

— Caso tente se transformar, Pedro... — Sirius começou, olhando para o homem no chão — Nós o mataremos. Concordam?

— Claro... — Respondi. Harry apenas concordou com a cabeça. Aparentemente a donzela não gosta de ver mortes que são justas... Como esse idiota pode ser o meu irmão mesmo?

Remo andou até Rony, se abaixou e tocou a perna do garoto com a varinha, murmurando um feitiço para algumas ataduras se enrolarem na perna do ruivo. Astoria foi até o homem que me criou e o ajudou a levantar Rony, que conseguiu se apoiar no chão.

— Está melhor. Obrigado. — O mesmo respondeu. 

— E o professor Snape? — Hermione perguntou em um fio de voz, contemplando o professor desacordado.

— Vamos deixá-lo se foder aí, quando acordar ele se vira! — Exclamei. Olharam-me com repreensão antes de Remo responder a minha amiga.

— Ele não tem nenhum problema sério. Vocês só entusiasmaram um pouco. Continua desacordado... Talvez seja melhor o reanimarmos apenas quando chegarmos ao castelo, não será tão difícil levá-lo assim.

— Me deixa levar? — Perguntei em um tom de voz alto demais, mostrando o quanto eu gostaria de fazer isso. Quero vingança pelo que ele aprontou hoje, porque pra mim isso ainda não foi nada. 

— Não, você vai matar ele em menos de cinco minutos. — Astoria respondeu em tom de brincadeira. — Então se quiserem ele vivo...

— Vai se ferrar, Greengrass. — Murmurei.

Após Snape ser erguido pela varinha de Remo, Sirius decidiu que dois de nós deveria ser acorrentado ao rato, para garantir que ele não tentasse fugir da gente. No final, Rony e Remo se ofereceram. Fiquei contente ao ver que a dor já não atrapalhava mais o meu amigo. Pelo menos não por agora, afinal parecia ter levado a verdadeira identidade de Perebas como algo pessoal. Bichento saltou da cama e saiu do quarto a passos curtos. 

Provavelmente esse é o grupo mais estranho já feito. Bichento andava na frente, Rony, Pedro e Remo andavam logo atrás com Snape acima dos três, com Sirius o erguendo. Harry e Hermione seguiam logo atrás. Eu, Astoria e Daphne estamos logo atrás. 

— Precisamos conversar, Daphne... — Astoria murmurou. — E você também vai participar, Hannah. 

Engoli um seco. Esqueci-me totalmente do que Snape havia feito com Daphne na frente de todos. Ele praticamente havia revelado sobre sua sexualidade, com a intenção de feri-la. Bem, o plano deu muito errado, pelo menos até agora, se Astoria não reagir bem a isso... Daphne ficará completamente arrasada. 

— Não é o melhor momento... — Daphne respondeu no mesmo tom de voz que a irmã mais nova. 

— Também não era o melhor momento para eu saber que a minha irmã gosta de garotas, mas ainda assim eu descobri! — Astoria exclamou.

Demorou um pouco para ela perceber que o tom de voz não fora o mais agradável, e que ainda por cima todos os outros a escutaram. Daphne bufou antes de responder, parecia irritada. 

— Obrigado pela exposição, eu realmente precisava disso...

Antes que pudéssemos dizer alguma coisa, a loira acelerou os passos e ultrapassou até mesmo bichento. Comecei a andar atrás dela, não poderia deixá-la naquele estado, ela precisava de apoio. Porém, Harry me segurou pelo braço.

— Deixa ela sozinha um pouco... — Aconselhou — Ela não gosta de se expor, e de repente todos nós sabemos algo pessoal dela...

— M- Mas... — Comecei. Por fim, percebi que ele novamente estava certo. Respirei fundo e assenti com a cabeça, concordando com o mesmo. — Certo.

Um tempo depois, Sirius disse que poderíamos ir morar com ele quando todo esse problema acabar. Era a melhor proposta que eu havia escutado há muito tempo, e ao mesmo tempo a pior. Eu teria que deixar Remo, mas moraria com Sirius e junto com Harry... Era uma decisão complicada, afinal os dois se preocupam muito comigo. Entretanto, Harry precisa de mim com ele. 

— Claro que quero! — Harry exclamou, sorrindo de orelha. O mesmo se voltou na minha direção. — E você?

— Quero também... — Respondi — É que... Remo sempre viveu apenas comigo e agora... Não sei se ele ficará bem... Mas eu quero, muito. — Terminei. Creio que eu tenha parecido mais nervosa do que deveria. 

Sirius sorriu verdadeiramente ao ouvir as respostas positivas. A diferença era espantosa! Parecia que uma pessoa dez anos mais nova havia se projetado junto com a máscara de fome. Espero que nunca mais veja o Sirius que vi pela primeira vez. 

Não nos falamos mais até chegarmos ao fim do túnel. Daphne estava afastada do salgueiro lutador, provavelmente com medo de levar alguma coisa. Percebi que seus olhos brilhavam, ela tentava segurar o choro. Andei em sua direção a passos firmes, parando a sua frente. 

— Não precisava ter vindo aqui... — Sussurrou. Revirei os olhos, não era possível que teria de ouvir isso dela.

— Precisava sim. — Retruquei. — Não ligue para esse tipo de pessoa como Snape... Elas se importam mais em estragarem a felicidade dos outros do que encontrar a sua própria.

— Eu sei, mas... E se eles não me aceitarem?Acabaram... De desconhecidos para amigos e talvez... Talvez volte para desconhecidos novamente...

— Confio neles, O.K? Não vão fazer isso, jamais. — Respondi, tocando em seu ombro.

Os jardins estavam muito escuros agora; as únicas luzes vinham do castelo ao longe. Sem ninguém dizer uma palavra, começamos a andar na direção do castelo. Pedro continuou a arquejar e choramingar, com medo do seu futuro. Quanto mais nos aproximávamos, mais as luzes cresciam. Meu coração estava acelerado, eu torcia para que todos vejam quem é o verdadeiro culpado, queria ver Snape ter de engolir aquele orgulho ridículo dele.

Tudo parecia perfeito. E o único problema foi exatamente esse: Enquanto pensávamos que tudo estava perfeito, o problema estava começando a acontecer.

Uma nuvem se mexeu. Inesperadamente surgiram sombras escuras no chão, as nossas sombras. O grupo mais esquisito de todos os tempos foi banhado pela luz da lua-cheia.

Snape se chocou contra Lupin, Pedro e Rony, que pararam de andar abruptamente. Congelei ao notar o que estava prestes a acontecer, e aparentemente Sirius também percebeu, pois fez sinal para Harry, Hermione e Astoria pararem de andar.

— Não me diga que... — Interrompi a loira. 

— Sim. 

O nosso professor enrijecera. Senti minhas pernas bambearem ao perceber o perigo que estaríamos correndo. Lupin iria se transformar em lobisomem justo agora. 

 


Notas Finais


O que acharam? Comentem!

Até o próximo, guys!

Kisses
*3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...