História Happiness - Imagine Jin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 22
Palavras 1.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meus bolinhos de arroz <33
Eu estava muito ansiosa para postar esse Imagine com o meu Utt e aqui está ele
Espero que gostem e BOA LEITURA!

Capítulo 1 - I - Uma nova escola


Seul, Coréia do Sul

08:17 AM.

Ser novata em uma escola é, com certeza, muito ruim. Mas, para mim, nunca foi tão ruim assim, bom, até dias atrás. Eu morava com a minha mãe e com os meus avós em São Paulo, no Brasil, mas, por causa da transferência de minha mãe, atualmente, eu moro em Seul, exatamente, eu moro na Coréia do Sul.

Claro que eu nunca quis me mudar para um lugar tão longe do Brasil como a Coréia. Não estava nos meus planos, para ser sincera nem nos planos da minha mãe. Eu moro aqui há cinco dias e já estou reclamando! Pare com isso, ____! Você não é assim.

Continuando com o assunto: “Ser novata em uma escola”. Eu nunca tive esse problema de mudanças, para falar a verdade, eu sempre amei mudanças, sempre gostei de conhecer coisas novas e, claro, pessoas novas. Mas desta vez era muito diferente, eu estou na Coréia do Sul!!! Claro que eles vão achar me achar estranha, ora! Eu sou estrangeira.

  Minha mãe está me levando no Colégio hoje. Eu até marquei essa data, pois é muito raro minha mãe me levar ou me buscar no Colégio.

– Está animada, querida?  – ouvi a voz de minha mãe perguntar. Não, mãe, não estou animada, mas estou nervosa.

– Um pouco, mãe – respondi – Estou mais nervosa do que animada.

– Você vai se sair bem, querida – ela disse – A Coréia não é como eu pensei, ____.

– É porque você sempre pensou que a Coréia do Norte e da Sul eram iguais. – ouvi um risinho vindo dela.

As ruas de Seul são bem movimentadas, chegava a me lembrar das ruas de São Paulo, que eram/e são cheias de trânsito. Uma coisa que odeio: Trânsito. Eu acho que daria um belo dez para o trânsito, muito desnecessário.

Senti o carro começar a parar. Droga! Já chegamos?

– Chegamos! – minha mãe disse. – ____? Você não me ouviu? – balancei a cabeça e dei um sorriso fraco para a minha mãe.

– Eu preciso mesmo ir? – perguntei fazendo bico e ela apenas assentiu. – Tudo bem, eu vou – ela sorriu para mim e beijou minha testa.

– Boa Sorte, querida – ela disse assim que eu sai do carro.

– Obrigada, mãe – falei e a vi fechar a janela do carro – Eu vou precisar... – murmurei assim que olhei para a entrada do Colégio. – Força, ____! É só uma nova escola, deixe de ser frescurenta, nem parece a ____ de sem...

– CUIDADO! – olhei para trás rapidamente e levei um susto. Um garoto desgovernado estava vindo em minha direção. Quando eu vi, o garoto estava no chão e seu Skate estava... Bom, estava por aí.

– Você está bem? – que pergunta idiota, ____! É claro que ele não está bem. – Deixe-me te ajudar. – nem precisei me esforçar, o garoto já estava em pé.

– Aish! Eu ainda mato aqueles dois – ele resmungou e logo notou que eu estava ali. – Me Desculpe. Desculpe. Eu não quis te “atropelar”. Eu juro. Por favor, me perdoe. – ele se curvava e falava freneticamente. Eu não queria, mas era impossível não rir de uma cena daquelas. Ele me olhou envergonhado e eu sorri.

– Não se preocupe com isso... er... – ele deu um sorriso doce.

– Jungkook.

– Não se preocupe com isso, Jungkook – falei – Ah, sim, me chamo ____.

–  Você é estrangeira? – Jungkook perguntou enquanto procurava seu Skate.

– Sim – eu disse e o vi dar um sorriso de lado – Sou brasileira.

– Que legal, ____. Eu acho o Brasil um país interessante. – ele falou – Er... bom, você tem aula agora, certo? – Havia me esquecido da aula. Assenti para ele e já ia me despedir. – Eu vou com você.

– Não precisa se incomodar tanto, Jungkook – falei e ele sorriu.

– Vamos logo, ____. – ele começou a me puxar pela mão para dentro do Colégio.

Ficamos conversando durante o caminho até a minha sala. Estou tão feliz! Acabei de chegar na escola e consegui um amigo. Parece que não foi tão ruim essa mudança. Mas depois de saber que sou, apenas, duas semanas mais velha que ele, ele não para de me chamar de Noona. Espera! Eu pesquisei sobre esse jeito “estranho” deles falarem. Aaaah. Agora eu entendi.

– Sua sala é essa, Noona. – ele disse – A minha fica lá embaixo.

– Obrigada, Jungkook. – me aproximei de Jungkook e o abracei, sempre faço isso com as pessoas. Demorou um pouco para ele retribuir, mas depois que me abraçou não quis soltar mais. – Nos vemos depois, então. – ele assentiu com a cabeça.

– Eu tenho ensaio hoje, Noona. – ele disse. Ensaio? Ele faz dança? Teatro? Que legal. – Se quiser ir comigo...

– Não sei se vou poder, Jungkook. Mas que ensaio? Você faz Teatro? Você dança? – ele mostrou aqueles dentes de coelhinho enquanto sorria. Esse menino é um amor.

– Eu faço parte de um grupo, Noona. – ele disse e eu sorri – Bangtan Sonyeondan ou BTS. Já ouviu falar? – BTS? Pera, como assim? Como eu não reconheci ele? S/A(sua amiga), minha melhor amiga do Brasil é fã desses carinhas.

– Conheço sim, Jungkook. Não consigo entender como não te reconheci antes. – Eu sou muito burra.

– Seria legal se você fosse ver um dos nossos ensaios. – ele disse ficando vermelho. Por que ele está com vergonha? – Tenho certeza que os garotos vão gostar de você assim como eu gostei. – dei um sorriso e ele retribuiu. 

– Vou entrar, Jungkook. – falei – Até daqui a pouco.

– Até daqui a pouco, ____. – Jungkook disse e saiu.Okay, respira, ____. Não vai ser tão ruim assim... eu acho...

Entrei na sala e sentei no primeiro assento que vi, na terceira carteira perto da porta. Eu odeio sentar atrás, prefiro ficar no meio ou na frente. Tinha vários alunos ali, não vi nenhum olhar feio para mim ou, simplesmente, notar minha presença. O professor ainda não havia chegado, então, procurei me distrair com alguma coisa. Peguei meu caderno e comecei a fazer o que eu mais amo. Desenhar

– Er... poderia me emprestar a borracha? Por favor? – uma garota, que estava na minha frente, se virou para mim. – Ah, olá! Você é a aluna estrangeira, né? Eu me chamo Kyra, prazer. – ela disse e eu sorri. – Mas, é sério, pode me emprestar a borracha? 

– Claro. – falei e lhe entreguei a borracha.

– Como você se chama? E de qual lugar você é? – ela perguntou assim que se virou novamente. Bem elétrica, não?

– Me chamo ____. – falei e ela fez uma cara confusa, deu uma risada com isso. – Eu sou Brasileira. – a expressão dela mudou e logo deu um longo “Ataaaa”.

– Minha bisavó é Brasileira também. O Brasil é um lugar bonito. – ela sorriu – E quente!

– Sim, muito quente. – falei – Você não é coreana, é? – ela negou com a cabeça.

– Eu sou Japonesa. Estou morando aqui já faz uns quatro anos. – ela disse.

Conversamos até ouvirmos o sinal tocar e o professor entrar. Ele tinha uma expressão séria. Era baixo e gordinho, usando roupas casuais. Pensei que os professores daqui só usavam ternos e outras roupas bem formais. Logo sua expressão séria foi embora, dando lugar a um largo sorriso.

– Bom Dia turma! – ele exclamou alegre

Parece que não vai ser tão ruim ficar aqui


Notas Finais


Acabooou! Gostaram?
Espero que tenham gostado
Críticas construtivas serão muito bem vindas.
Bia Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...