História Happy End - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Happy End
Exibições 8
Palavras 309
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Amor Verdadeiro


  Foram aqueles olhos azuis.

  A voz suave que ouvia todos os dias pertencia ao seu amor, um bom amigo mas que nunca a percebeu.

  Tentou muitas vezes, mas tinha receio de não poder ver aquele sorriso de novo, não se declarava, mas não importava enquanto ainda pudesse mexer naqueles fios loiros.

  Abraços e apertos eram comuns para crianças, mas quase adultos ele começou a estranhá-la, ela era uma mulher, as brincadeiras inocentes tiveram que acabar.

  Um dia decidiu que devia arriscar, já via ele com mais do que carinho, era desejo, e o rosto corado quando mandava indiretas eram um sinal positivo.

  Jovens e apressados, selaram o amor na mais íntima experiência, largaram-se entre os lençóis, com crescente vontade de conhecerem um ao outro.

  Vieram os enjôos.

  Desesperada correu até seu cúmplice, mas ele não sorria mais para ela, ao contrário, passou a evitá-la com um olhar de medo.

  Odiou os nove meses que se seguiram, até que no pior momento de dor surgiu em sua frente...

  Aqueles olhos azuis.

  Seu novo amor não era mais um desejo de mulher, se mostrava em um corpinho minúsculo e frágil, foi com seus pais que decidiu o nome do seu novo motivo de viver.

  Balançando suavemente em seu colo enquanto exercia sua função de mãe, perguntou-se como podia ter odiado tal criaturinha inocente durante nove meses, que não teve culpa de nada.

  A família acolheu o novo membro de braços abertos, marcaram no calendário mais um dia para se comemorar, nunca se sentiu tão feliz como no primeiro aniversário dele.

  Conseguiu retomar os estudos, incentivada pelos pais acabou fazendo medicina, e quando sentia um desânimo, seu filho, quase que por telepatia, fazia outro desenho abstrato com giz de cera para animá-la.

  O pai? Ele não tinha, mesmo depois de anos nunca perguntou, ele não precisava de um, e ela também não.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...