História Happy Ending - Capítulo 14


Escrita por: ~

Exibições 77
Palavras 2.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Então, pessoinhas, demorei mas cheguei. Já lhes aviso de antemão que não estou podendo morrer, ok?? Ameaças serão tratadas diretamente com meu advogado na Alemanha hein. hahahaahahaaha Espero que gostem. Beijos e até a próxima.

Capítulo 14 - Capítulo: 14 - Wide Awake


Fanfic / Fanfiction Happy Ending - Capítulo 14 - Capítulo: 14 - Wide Awake

No dia seguinte quando voltaram ao sítio já passavam das sete da manhã, ou seja, as crianças já haviam ido para a escola. Jennifer usava uma camiseta de Colin, que lhe cobria somente até um pouco abaixo das nádegas, já que seu vestido tinha sido arruinado na noite anterior. Colin achou um pouco estranho o fato do carro de Ginny estar na entrada do sítio mas imaginou que eles também tinham tido uma boa noite e que haviam retornado por agora também. A loira saiu do jipe deixando seu vestido e sapatos no mesmo e quando percebeu já estava sendo pressionada a porta traseira sendo beijada apaixonadamente. Após um tempo se beijando ela se separou e foi caminhando em direção a porta de entrada da casa sendo seguida por Colin. Quando abriram a porta veio a surpresa ... estavam de pé na sala, Con, Mogli, Rose, Ginny e Josh enquanto Alice estava sentada calmamente e na televisão rodava um filme bastante conhecido de Jen. A loira sentiu seu ar faltar, o desespero subia dos seus pés até os fios de cabelo em sua cabeça. Josh foi o primeiro a virar-se em direção a porta, era visível a decepção dele e estava misturado com algo que a governanta temia ser raiva. Rose e Ginny se viraram praticamente juntas com olhar de pena e vergonha. Mogli escolheu não olhar para ninguém, talvez assim pudesse ajudar de alguma maneira. E Con olhou primeiro para Colin e depois olhou para Jen, seu semblante era tranquilo e seu olhar tentava fazer ela entender que estava tudo bem. Mas não estava nada bem. Alice levantou-se da cadeira observando cada expressão, mas deleitou-se mesmo com a cara de Jen, com o olhar desesperado de Colin. A morena se sentia vitoriosa. Jen num impulso se aproximou dela e lhe deu um tapa no rosto, com uma força tal que obrigou Alice a virar o rosto. A bofetada havia sido forte e ela sentia se rosto arder como nunca sentira antes mas mesmo assim escolheu manter sua pose vitoriosa.

Jen: Eu não devia ter feito isso. Desculpe-me! (disse a loira friamente, respirando o mais pausadamente que conseguia. Ela sentia os olhares de pena vindos de Ginny e de Rose, sentia a decepção vinda de Josh, sentia até o que Mogli tentava fingir não estar sentindo mas a vergonha e a raiva começavam a se fazer presentes mais e mais em seu corpo. Ela encarou a todos, sem deixar que seu olhar demonstrasse algum desespero, se dirigiu até o aparelho de bluray, retirou o dvd e quebrou diante dos olhos atentos de todos) Eu tenho muita pena de você. Muita pena. (Alice a olhava atentamente tentando mostrar que nada do que a loira lhe dizia lhe afetava) Você só consegue que o Colin lhe dê um pouco de atenção destruindo alguém. (ela colocou o cd quebrado nas mãos de Alice) Você se acha tão pouca coisa que precisa de esmolas de atenção para viver? ( a morena nada disse mas era notório como as palavras de Jen haviam sido certeiras. A governanta balançou a cabeça e foi em direção ao quarto de Colin. Ao entrar e subir as escadas reparou que Evan estava sentado no berço com seu patinho nas mãos mas que os olhinhos dele estavam arregalados como se percebesse que estava sozinho e isso lhe deixasse apreensivo. Ele a viu e o olhar dele na mesma hora ficou mais aliviado) Vem comigo, meu amor. (ela o tirou do berço e o sentou na cama segurando o patinho enquanto brincava com ele, fazendo a voz do patinho e lhe fazendo cosquinhas. Ela começou a sentir um cheiro não muito agradável) Hum ... parece que alguém precisa urgentemente de um banho hein, amigão. (ele riu para ela como se soubesse exatamente do que ela dizia. Ela deixou o patinho sobre a cama, pegou o menino no colo e desceu com ele as escadas indo em direção parte do quarto que era dedicada de certa maneira a Evan, onde tinha um trocador e uma pequena banheira. Ela o deitou no trocador, lhe tirou a roupa e a fralda que estava suja, o limpou. Pegou o menininho nu no colo enquanto levava a banheira vazia para o andar de cima, onde a colocou para encher na banheira grande enquanto separava uma muda de roupa para que ele vestisse após o banho, pegou uma fralda limpa, uma pomada para assaduras e foi com o menino para o banheiro, colocou sua mão na água para medir a temperatura e o colocou lá dentro com alguns patinhos de borracha. Ele adorava tomar banho na banheira, jogava água para tudo quanto era canto enquanto Jennifer tentava, em vão, lhe passar sabonete. Ela tirou a blusa que já estava molhada e colocou uma espécie de top e shortinho preto, prendeu o cabelo num coque no alto da cabeça e voltou a passar o sabonete nele mesmo que ele jogasse água para todos os lados. Após terminar de dar banho no menino, ela o secou dando um patinho pra ele se distrair, passou a pomada de assadura e colocou a fralda o sentando na cama, penteou seu cabelo com uma escova de bebês, colocou sua roupa. E Colin entrou no quarto justamente na hora que ela o colocava num tapete colorido que as vezes era montado no andar de baixo para que ele pudesse brincar.

Colin: Seminua e molhada? Aí já é demais, princesa. (disse o moreno brincando)

Jen: (revirou os olhos) Será possível que você só pensa em sexo? (ele pegou Evan no colo e lhe deu um beijo fazendo o menino rir. Jen os observava com carinha de boba)

Colin: O Evan vai pro hospital comigo hoje. (disse ele fazendo cócegas no menininho que se retorcia em colo entre gargalhadas)

Jen: Porque?

Colin: Ele vai tomar vacina. (ele se aproximou dela e lhe deu um beijo na bochecha) Vou levá-lo para o meu pai para que a gente possa tomar banho.

Jen: (arqueou uma sobrancelha) A gente é?

Colin: (assente sorrindo e sai do quarto. Quando ele retornou alguns minutos depois ela estava no andar de cima terminando de arrumar a bagunça que fizera com Evan, ele a abraçou por trás e lhe deu um beijo no pescoço) Você está bem? Eu pergunto isso devido ao que aconteceu na sala agora a pouco.

Jen: Estou bem ... eu acho. (ele a abraçou com mais força fazendo ela dar um triste sorriso. Ela conseguia resolver seus problemas sozinha mas estava feliz por não precisar fazê-lo, estava gostando do apoio que Colin lhe dava, isso era bem importante para ela) Josh me odeia com certeza agora. (seus olhos encheram-se d'água e ela mordeu o lábio inferior para impedir qualquer ruído vindo de seu pranto)

Colin: (a virou para ele deixando que suas mãos corressem delicadamente pelo rosto de Jen) Ele está chateado porque você nunca lhe contou do ocorrido pelo que pude notar. Contou? (ela negou com cabeça e então escondeu seu rosto no peito do moreno, e ficou impressionada como tudo neles se encaixava perfeitamente) Amor, o Josh não te odeia. Mais cedo ou mais tarde ele vai vir conversar com você, tenho certeza. Agora ... (a aproximou mais de seu corpo) você podia ir comigo e com o Evan ao hospital, não?

Jen: (o encarou de maneira suspeita) É? Porque? (perguntou intrigada) Você não pretende fazer sexo comigo na sala de equipamentos do hospital, não é? (ela perguntou de maneira séria e ele achou muita graça)

Colin: Essa é definitivamente uma boa ideia. (ele riu as gargalhadas e ela revirou os olhos. Era incrível que mesmo em momentos onde ela estava triste ele fosse capaz de fazê-la sorrir, de fazê-la revirar os olhos por ele dizer bobagens. Ela amava isso nele, ela o amava. Já não haviam mais dúvidas) Na verdade é porque vai ser a primeira vez que Evan tomará uma vacina com agulha. (disse num tom preocupado) E eu pensei que talvez, com você por perto, ele ficasse mais calmo. (ela assentiu e eles se dirigiram ao banheiro onde ele olhava besta ela se despir lentamente, como se o fizesse para provocá-lo, até ficar completamente livre de sua roupa)

Jen: É só banho, ok? Sem sexo. (disse a loira virando-se para ele completamente nua)

Colin: Sem sexo? (ele mordeu o lábio inferior e a olhou de cima a baixo) Nem um pouquinho? (fez cara de cachorro de cai da mudança)

Jen: Não, amor. Mais tarde quando as crianças estiverem dormindo ... (piscou o olho para ele e entrou dentro do box, ligou o chuveiro e esperou a água esquentar. Colin se despiu e logo entrou e se aproximou dela a beijando) O que eu disse?

Colin: Nada de sexo. (olhou pra ela inconformado) Nem beijo pode? (ela suspirou e assentiu. Estando ali completamente nu diante da mulher que fazia ele suar as vezes sem perceber, seria uma árdua tarefa não ceder as desejos da carne. Jen pegou o sabonete e o mesmo escorregou de sua mão, ela se abaixou para pegar deixando que sua bunda roçasse em uma parte de Colin que fez ele estremecer) Isso é sacanagem! (ele a agarrou pela cintura a puxando para si, apoiando uma de suas mãos em sua barriga e lhe tomou o sabonete. Deslizou o sabonete com cheiro de lavanda entre as pernas dela e ela deu um cálido gemido) Isso é bom?

Jen: Huhum. (disse ela tentando não ceder, afinal ela deixou bem claro que não fariam sexo) Co-Colin ... (ele deixou propositalmente o sabonete cair e continuou acariciando enquanto a água quente rolava por seus corpos) Hum ... eu sei ... (engoliu em seco) que eu disse sem sexo ... huuum ... mas não para por favor. (ela colocou suas mãos nos ombros largos do homem e jogou sua cabeça para trás deixando que a água caísse em seus seios nus, levando ele completamente a loucura. Mas ela havia dito "SÓ BANHO. SEM SEXO" e ele faria exatamente isso. Agradeceu por estar embaixo d'água assim teria menos dificuldade em se controlar. Ele manipulou o clitóris dela até perceber que ela estava perto de gozar e então parou pegando novamente o sabonete e passando no próprio corpo) Seu filho da puta! (ele a pressionou contra o vidro transparente do box, lhe mordeu a orelha e lhe chupou o pescoço até ficar uma vívida marca vermelha)

Colin: De noite você não me escapa. (eles se ensaboaram entre gemidos e beijos ardentes, chupões e mordidas mas não passou disso. Infelizmente para ambos, aquele ainda não era o momento)

Ginny deu uma carona para Josh até a praça, ele não queria estar no mesmo carro que Jen. Ainda estava bastante chateado com o ocorrido. Alice foi expulsa do sítio por Con, ele já não gostava dela e todas as vezes que ela aparecia era para causar, ou tentar, a discórdia. Mogli foi para o seu quarto descansar um pouco após se despedir de Rose com um beijo no rosto, o que fez a loira corar diante de Colin e Jen. Con resolveu que passaria a manhã lendo já que as crianças estavam na escola e almoçariam fora com seu pai e Evan estaria longe também. Alguns minutos depois, já na praça, Rose desceu apressadamente do carro de Colin, pois sabia que seu pai poderia estar vigiando a hora de seu retorno e ele estava. Jen desceu com Evan no colo e entrou quase que na mesma hora no hospital. Parecia até que Evan estava sentindo o porquê de estarem no hospital e já estava choroso no colo de Jen. Colin mal colocou os pés para fora do carro e já havia um homem com um terno negro e uma cara de poucos amigos esperando por ele. Rose nem teve tempo de entrar em casa e Michael já a esperava, juntamente com a moça ele se dirigiu em direção ao carro de Colin, ele queria saber que fez sua filha ficar tanto tempo fora de casa sem dar notícia. Colin levou um susto com a presença do homem mas logo percebeu quem era, Raymond. O conhecera a muito anos, foram muito amigos, ainda o eram mas a distância fez com que já não fossem tão íntimos. Os homens se abraçaram e somente após alguns minutos, já contando de sua vida, da perda de Helen que Colin entendeu o que estava acontecendo ali, entendera a ligação que seu amigo de anos tinha com Rose e consequentemente a ligação que ele tinha com Jen. Aquilo parecia uma cruel piada do destino, demasiadamente cruel. Um de seus melhores era o causador de tantas lágrimas e sofrimento na mulher que ele amava. Como lidaria com isso? Como contaria a Jennifer algo assim? Rose os olhava e sua ficha também demorou bastante a cair. Pairava no ar a felicidade e a tensão. Colin respirou fundo e se despediu dizendo que tinha muito a fazer no hospital. E Rose impediu, fingindo se sentir mal, que Michael acompanhasse Colin até as dependências do mesmo. Quando o moreno entrou no hospital estava pálido e gelado, Jen se aproximou dele com Evan choramingando no colo.

Jen: Está tudo bem? (perguntou ela após se aproximar dele. Ele apenas assentiu e pegou o menino no colo tentando fazer ele ficar mais calmo, o que foi completamente em vão, pois Evan ficou ainda mais nervoso devido ao nervosismo de seu pai e começou a chorar escandalosamente. Jen suspirou e pegou novamente o menininho e fez com que ele se acalmasse. Uma enfermeira com um jaleco com detalhes florais se aproximou e a encaminhou para uma pequena sala onde seria dada a vacina em Evan, que estava ainda mais agarrado a Jen) Amor, é só uma picadinha, ok? (ele fez um biquinho e escondeu sua carinha no peito da loira. A enfermeira abaixou um pouco a bermudinha que Evan usava, afastou sua fralda, passou um algodão com álcool e deu a vacina. Ele não chorou e ainda ganhou um band-aid azul e um pirulito) Viu? Já acabou. (ele ficou contente ao ver o pirulito. A verdade é que não estava acostumado com essas coisas mas o papel que envolvia o pirulito era bem colorido e lhe chamou bastante a atenção)

Na casa de Robert estava tudo uma grande correria, ele contratara uma equipe com garçons, barmans para que seu cocktail saísse perfeito. Sua cozinheira preparou todos os quitutes com a ajuda de uma moça contratada para que as tarefas não ficassem menos pesadas para a cozinheira. Haviam momentos em que ele pensava que havia contratado uma governanta exatamente para não ter que lidar sozinho com momentos como esse porém o que importava era que já não faltava tanto para o retorno de Jennifer a seu posto de governanta. A casa estava extremamente limpa, com toalha importadas em todas as mesas, orquídeas espalhadas em vasos feitos de cristal. O grande lustre estava mais brilhante que nunca. Em um dos quartos na ala de empregados, haviam vários uniformes passados sobre a cama, sapatos bem lustrados. Jen voltaria na manhã seguinte, o vestido que Robert comprara para ela já estava em seu quarto, delicadamente pendurado. Tamanha a dedicação a esse cocktail que nada poderia dar errado. Exceto por um fato, o convidado de honra declinou ao convite e avisou que mandaria uma representante, o que deixou Robert furioso porém ele se acalmou após lhe ser dito que a representante se tratava da filha de Michael.

"O respeito dá abertura para segredos porém não para mentiras." Essa frase ficava martelando na cabeça de Colin todo o tempo. Porque ele sabia que somente ao dizer que estava bem ele já estava mentindo, estava fazendo exatamente o que prometera não fazer. Como poderia olhar para Jen sabendo que ele estava mentindo? Ele queria protegê-la e talvez para fazer isso tivesse que mentir e esconder que Michael era seu amigo a muito tempo. Porém ao mesmo tempo que pensava que a mentira seria para proteger a mulher que amava ele sentia que seria somente uma maneira de afastá-la dele. Se ele pensava em lutar pelo sentia por ela, como dissera várias vezes, ele precisava respeitar a promessa feita. Teria que dizer a verdade, toda a verdade, inclusive as escondidas no mais profundo de seu ser.

Colin: (se aproximou de Jen e de Evan que estava contente carregando seu pirulito, olhando fascinado as cores que o envolviam) Jen, eu ... (um dos enfermeiros se aproximou deles e chamou Colin para revisar uma paciente que reclamava de dores nas costas. Ele bufou) Momento perfeito. Já estou indo. (olhou para a loira que olhava como Evan se divertia tentando abrir o papel do pirulito) Jen, quando eu voltar a gente precisa conversar. (ela estranhou o tom na voz mas assentiu. Ele foi até a paciente e lhe prestou o devido atendimento, mas quando voltou Jen já não estava lá esperando por ele, nem Evan, nem o jipe. Colin na pressa havia estacionado em um local não muito recomendado e Jen foi colocá-lo no estacionamento do hospital. Ela estacionou o jipe na vaga dos médicos, retirou Evan da cadeirinha o pegando no colo, trancou o carro e se encaminhou novamente para o hospital. Ela caminhava calmamente com Evan que não largara seu pirulito ainda embalado quando alguém lhe deu um encontrão fazendo o divertimento do menininho ir de encontro ao chão. O pedido de desculpas veio quase que na mesma hora porém a voz lhe arrepiou a espinha, um arrepio bastante característico. Seus olhos automaticamente se encheram de água, seu corpo começou a tremer e sua respiração ficou aflita. Ela deu alguns passos para trás e ouviu-se: Mamá, piuito! O homem parecia se refazer do "susto" em câmera lenta, pegara o pirulito do chão e quando permitiu que seus olhos se encontrassem com o da governanta, seu olhar refletia uma misto de alegria, alívio e surpresa) 


Notas Finais


Boa leitura!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...