História Harry Potter - (Hentai Games) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esquadrão Suicida, Harry Potter
Personagens Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Harry Potter
Tags Arlequina, Hentai, Hentai Games, Porn, Sexo, Wtf
Exibições 216
Palavras 2.779
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Harry Potter x Arlequina
Pedido de @Nizefics
Apoiado por @CassyEvil
O pedido era que ambos caíssem em um portal e ficassem juntos, sendo Harry aproximadamente da idade de Harley. Eu meio que dei uma mudada na ideia, mas o geral é esse ;)

Deixem seus pedidos aí embaixo, independente de quais sejam ;D

Obs.: Eu dei uma alternada na ordem da lista pra não ficarem dois Caps. de Lol em sequência.

Capítulo 1 - Uma Estranha Mulher (38)


Fanfic / Fanfiction Harry Potter - (Hentai Games) - Capítulo 1 - Uma Estranha Mulher (38)

Aquilo era um caos. Harry não tinha ideia do que tinha acontecido naquela parte da cidade, mas era seu trabalho descobrir. Dezenas de trouxas cercavam aquela pequena explosão no centro da cidade, tirando fotos, postando em seus celulares. Ele caminhou para lá, rapidamente abrindo caminho para aquela área destruída no meio de Londres. A história jogada para os trouxas era de um explosão de gás, e é claro que eles compraram, mas Harry sabia que não fora isso. Havia magia envolvida ali, e como um auror, era seu trabalho descobrir.

Harry Potter fez seu caminho pela cratera, observando a tudo detalhadamente. Para os trouxas em volta, tudo aquilo era vazio, a magia obscurecendo sua visão, mas ele via tudo perfeitamente. Principalmente, ele via a mulher inconsciente no meio da explosão, vestindo roupas peculiares, não mágicas, muito provavelmente americanas. Ele precisa descobrir o que ela sabia, se ajoelhando ao lado da mulher e aparatando para um cômodo mais privado no ministério da magia. Ele tinha outros aurores por perto para seguir o rastro arcano deixado enquanto ele interrogava a mulher. Olhando por cima, ela não parecia machucada nem sobre efeito permanente de algum encantamento. Ele envolveu os braços ao redor dela, e ambos desapareceram, seu corpo se comprimindo no espaço.

Quando ressurgiram, eles estavam em um modesto escritório, onde Harry a sentou sobre uma poltrona vermelha. Harry Potter examinou melhor a mulher, seu cabelo multicolorido, sua aparência feminina, suas pequenas tatuagens. Não conseguia saber o que esperar dela. E com um movimento de pulso, ele apontou a varinha para a mulher, fazendo com que ela acordasse imediatamente, com um olhar assustado.

- Ahhh! – Ela grita, olhando para os lados – Quem é você? Onde está o meu pudinzinho?

- Eu não sei do que você está falando. Mas me chamo Harry. Poderia me explicar o que aconteceu? – Ele calmamente perguntou para a agitada mulher, mantendo-se em pé.

- Eu não sei! – Ela se levanta em um pulo – Eu estava com meu coringa e... E chegou aquela vadia de cartola, Zatanna. E eu acordei aqui. Me manda de volta – Ela avança, segurando Harry pela gola de seu manto. Ele sente imediatamente que a mulher é mais forte que seu corpo demonstra. – Me manda de volta para meu pudinzinho! E me dá meu martelo!

- Eu preciso de mais informações antes de poder fazer algo... – Responde Harry, afastando-se dela. – Qual o seu nome, senhorita?

- Harley Quinn. E qual é o caso com todo esse sotaque inglês? Onde eu estou?

- Londres.

- Londres! – Ela grita, seu rosto cheio de surpresa. – Então a bruxa me teleportou para fora! Me manda de volta pra Gothan agora!

- Eu... Eu nunca ouvi falar de nenhuma Gothan. – Harry se sentia ligeiramente intimidado pela energia da mulher, que agora caminhava de um lado para o outro, examinando o escritório. Ela tinha um ar de insanidade ao redor dela, meio que o que ele sentia em Bellatrix Lestrange. Ela o deixava desconfortável. – Mas nós iremos pesquisar.

- Olha só óculos, eu não tenho muito tempo para perder, então me manda agora ou eu vou ter de ouvir meus instintos e começar a bater em você!

- Estupefata. – O movimento de Harry foi instantâneo, derrubando a mulher no chão, inconsciente novamente. Ela não seria de muita ajuda, não até ele ter mais informações.

Os próximos dias foram gastos buscando informações sobre aquela tal Zatanna, sobre qualquer coisa que comprovasse as palavras de Harley Quinn. Acharam traços de transporte mágico na explosão, mas não foi possível rastrear. Não havia maga conhecida como Zatanna em nenhum de seus arquivos. A maioria dos aurores começava a desconsiderar a loira como simplesmente louca, e Harry não podia negar que havia um toque de insanidade nela, mas ele sentia confiança no que ela falava. Ele conversava com ela quase diariamente, e as histórias que ela contava sobre aquela tal Gotham eram insanas, completamente fora do comum. E do mesmo jeito, ela não parecia saber nada do mundo bruxo, mesmo sendo capaz de ver tudo.  Era como se ela viesse de outro universo.

Infelizmente, as respostas não se mostravam. As palavras de Arlequina não convenciam nenhuma autoridade do ministério da magia, e lentamente as acusações da explosão caiam sobre ela, todos a julgando insana. Harry não acreditava que a louca você culpada, e não aceitava de modo algum a prisão dela em Azkaban.

Uma semana após a captura, com o ministério da magia certo em sua decisão, Harry seguiu para uma última conversa com a mulher, uma última tentativa, encontrando-a em sua cela. Ela se sentava num canto, encolhida, rindo. Harry sentia pena da mulher.

- Harley... – Ele disse, se aproximando das barras – Eu sinto muito. Ninguém consegue rastrear de onde você vem. Ninguém acredita em suas histórias.

- Que droga! – Ela grita, se levantando em um pulo, batendo o corpo contra as grades, prendendo suas mãos nas barras. – Como vocês não acreditam nisso? Batman, Super-homem, vocês devem conhecer! Zatanna me mandou para o espaço, ou outra dimensão, ou uma merda assim! Você acredita em mim, não é, óculos?

- Bem, sim. Nenhuma poção da verdade mudou suas palavras. E eu não acho que você seja tão louca quanto pareça.

- Então me tira daqui! – Ela grita, a plenos pulmões – Estou cansada de prisões! Eu quero meu pudim de volta... – E ela se senta no chão desolado, a beira das lágrimas, a raiva e a tristeza se alternando muito rapidamente.

Harry morde os lábios. Não era certo deixá-la a mercê dos dementadores de Azkaban. Ele tinha quase certeza que a garota fora transportada de uma dimensão paralela, onde haviam magos muito mais poderosos que em seu mundo. Parecia uma hipótese ridícula, mas fazia sentido. Ele já vira muitas coisas estranhas pelo mundo para duvidar de nada.

- Ok, eu vou te tirar daqui. – Ele sussurra baixinho. Os olhos de Harley brilham quando ela se aproxima da grade. Harry sabia que não entraria em muitos problemas com o ministério. Como um auror, ele tinha autoridade para coisas assim, para passar por cima de algumas decisões corporativas. Ele só teria que levar Arlequina com ele e dar um jeito de enviá-la para casa. Ela não parava de saltitar enquanto ele retirava as proteções mágicas da cela, lentamente libertando-a. Quando livre, a loira se jogou contra ele alegre, abraçando e rindo. Ligeiramente desconfortável pelas inapropriadas vestes da mulher, Harry aparatou para longe, levando-a com sigo, para segurança, para um local onde pudessem encontrar respostas.

A casa para onde Harry levou Arlequina estava vazia há muito tempo, e lhe trazia diversas recordações. A mansão que seu tio Sirius lhe deixara fizera parte dos anos mais complicados de sua vida, e de algumas de suas melhores lembranças. Ele e Gina não vivam lá, mas Harry mantinha a casa em ordem, sempre. E em situações como aquela, era um bom ponto de parada. A garota louca saiu andando empolgada pela casa, observando tudo. Harry apenas sorriu, e se foi a lareira contatar sua esposa, explicar a situação. Gina o apoiava como sempre, e a conversa foi curta. Ele estava prestes a chamar Hermione, buscar por ajuda com a situação quando Harley Quinn voltou, sentando-se ao lado dele, roçando seus cabelos em seu rosto.

- Obrigada! – Ela disse rindo, envolvendo-o com os braços – Eu não aguentava mais aquela cela horrível! Finalmente um pouco de diversão!

- He, ainda temos muito trabalho pela frente para te mandar pra casa.

- Por favor... – Ela fala, lentamente – Eu não gosto de trabalho. Eu quero brincar...

Harry parou de sorrir ele lentamente passou a língua em sua bochecha, quando ela levou a mão entre suas pernas, roçando sua área intíma. O bruxo se levantou imediatamente, quase sem voz. – Eu... eu sou casado. Vamos parar com isso, certo?

- Porque? – Ela fala, com voz pidona. Ele olha atordoado enquanto a loira levanta sua indecente blusa branca com uma mão, revelando um lado do seu sutiã vermelho. – Você não gosta de mim? – Ela continua, como se implorasse por algum carinho.

- Claro que gosto! – Ele se vira de costas, evitando olhar para ela. – Mas... mas não é apropriado! – Harry nunca tivera pensamentos como aqueles. Sua primeira noite foi com sua esposa Gina, e ele nunca tivera nenhuma outra mulher.  Ele afastava os pensamentos sexuais, e parecia funcionar, até ele sentir dois braços se enrolando em seu pescoço, o abraçando por trás.

- Eu estou a muito tempo sem meu pudinzinho... – Ele suava frio, sentindo aqueles dois firmes seios comprimidos contra suas costas, aqueles lábios que quase tocavam seu ouvido enquanto ela falava – Você bem que podia me divertir, óculos...

Harry se afasta um pouco e se vira para encará-la, tentar fazer a razão funcionar com ela, mas ele emudece ao vê-la. No tempo que ele passara de costas, Harley já tinha se livrado de ambas camisa e sutiã, seus dois deliciosos seios visíveis, não muito grandes, mas empinados e suculentos, com um pequeno piercing em seu mamilo direito. Seu cérebro travava, incapaz de manda-la parar como planejava. E antes dele retomar o controle, aquela loira gostosa o empurrou de costas no chão.

Harry aterrissou com um grito de dor, sempre se esquecendo da força absurda daquela mulher, sentindo seu corpo esparramado no carpete, olhando para o teto. E ele sentiu mãos habilidosas puxando suas calças para baixo. Levantando seu pescoço, ele viu Arlequina debruçada sobre ele, segurando seu pau ereto pelas bolas, apertando com força.

- Hummm... – Ela sorri – Esse aqui parece gostar de me ver...

- Harley, nãOoohhh – Ele não resisti ao gemido quando ela o coloca pra dentro da boca, e começa a chupar com vontade. A boca dela se fechava ao redor do membro do bruxo enquanto ela apertava suas bolas, movendo-se para frente e para baixo, babando todinho. Harry fechou os olhos, percebendo a habilidade com que ela fazia aquilo, indo ao delírio, gemendo prazerosamente. Ele sentia seu corpo inteiro tremer, e olhava imobilizado para a loira que lhe proporcionava o melhor boquete de sua vida. Ele já não sabia o que fazer. Harry não queria ter que atordoa-la com magia novamente. Harry não queria trair sua amada esposa. Mas ele também não queria que aquela jovem louca parasse de chupar seu pau.

Harley parou, jogando seus cabelos loiros para trás com um movimento de pescoço, estendendo sua coluna com agilidade, deixando que o membro de Harry pulsasse, saliva escorrendo pela lateral dele.

- Quer parar? – Ela perguntou, apertando seus próprios seios. Harry confirmou com a cabeça lentamente, usando de toda sua força de vontade. A loira deu uma risadinha, e engatinhou pra cima dele. Harry sentiu que ela sentava sobre seu pau, que era apertado entre o shorts jeans dela e seu abdômen, numa dor deliciosa. Ela se curvou encima dele, passando a língua por sua cicatriz, segurando seu rosto com as mãos. Ele se encheu de calafrios, imóvel.

- Olha! – Arlequina ri, tirando os óculos do rosto dele, colocando nela mesma. Harry piscou, sua visão borrada. – Eu sou os óculos agora, haha. Do que eu vou te chamar, Senhor bruxo?

Harry mal conseguia distinguir algo além do borrão azul que eram os olhos sedentos dela, sua visão embaçada. Mas era excitação demais para resistir, seu membro pulsando, apertado por ela. Ele amava Gina, mas aquela Harley Quinn era maluca. E era dizer comum para não enfiar seu pau em malucas. Mas ele estava achando que talvez valesse a pena.

- Harry será o suficiente. – Ele diz ao se sentar, ao puxar ela para junto de si, ao se deliciar nos lábios da mulher enquanto ela sentava em seu colo. O beijo sensual era ótimo, mas não se comparava com os seios durinhos que raspavam seu peito, ou com seu pau sendo apertado pelo corpo dela. Harry beijou seu pescoço, sentindo seu cheiro sexual. Subitamente ele a empurrou para trás, Arlequina rindo empolgada. Ele pegou sua varinha, afastado dela, e apontou para a mulher. A loira apenas esperou, olhos brilhantes seios a mostra.

Harry não demorou para tomar uma decisão, gritando dois comandos rápidos apontando para a mulher deitada.

- Alohomora! – As pernas dela se abriram e seu shorts praticamente explodiu no meio, revelando sua boceta totalmente molhada. Para sua surpresa havia uma pequena pelugem triangular acima de sua entrada, tingida igual as pontas de seus cabelos: Metade rosa, metade azul. Harry sorriu empolgado enquanto a mulher apenas ria.

- Accio! – E com esse último movimento de varinha, o corpo dela foi puxado em sua direção, Arlequina gargalhando. Quando se aproximou o suficiente, Harry segurou suas coxas e a guiou na direção certa, seu pau a penetrando com tudo.

- Ohhh, Harry... Isso... Me mostra como os bruxos daqui fodem, vai... Ahhhh... – Ele se movia rapidamente, extasiado, enfiando seu pau fundo dentro daquela mulher, vendo o borrão se mover rapidamente. Ele se curva sobre ela, pegando seus óculos e colocando no rosto, desejando vê-la perfeitamente.

Ela gemia e ria, alternando entre os dois, deitada no chão, acariciando seus próprios seios em tesão. Harry segurava suas coxas firmes e batia com força em sua vagina, sentindo o calor melado lá de dentro.

- Oh, isso é bom... – Ele deixa escapar, fodendo-a com vontade – Harley, você é uma delícia!

- Viu como é bom? – Ela ri, nunca parando de rir, sempre se divertindo – Você precisa se divertir mais Sr. Bruxo!

Ela se moveu com flexibilidade surpreendente, enrolando os braços no pescoço dele, lambendo seu rosto. Harry levou suas mãos para sua macia bunda, abrindo com vontade enquanto ela cavalgava no pau. Harley se tornava mais rápida, rebolando sobre ele, subindo e descendo enquanto Harry só apreciava a disposição dela, deliciado, seu membro totalmente duro.

Ela talvez fosse insana, ele pensou enquanto ela seguia sua cicatriz com a língua. Mas era inegável o quão gostosa era ela, e ele tinha certeza que iria até o final. Todo homem tem direito a uma noite dessas, ele se garantia.

- Sai daí, Harley – Ele riu, contaminado com a alegria dela – Eu quero te comer por trás. – Ele falava sem rodeios, completamente selvagem, de um modo que nunca se imaginara fazendo. E ela simplesmente gargalhou, rolando para fora dele.

Harry parou por um segundo, vendo a mulher empinar sua bunda para ele, de quatro no chão. Ele sorriu, pegou seu membro na mão, acariciando-se, e andou até ela.

Segurando Arlquina pelas tranças, ele lentamente começou a enviar seu ereto membro reto pra dentro de sua vagina. Ela gemeu ao sentir a primeira entrada, e ele só foi mais fundo. Seu quadril se movia rápido, sua pelve batendo contra a bundinha dela coberta pelos restos do shorts. Os lisos cabelos dela eram puxados por suas mãos, forçando a cabeça dela pra trás, dominando-a com vontade. Ele continuava suas estocadas, arrancando gemidos após gemidos da mulher.

Harley se mantinha de quatro, peitos balançando, gemendo e gargalhando, sem emitir nenhuma palavra com sentido. Ela não sentia falta de seu pudinzinho naquele momento. O Sr. Bruxo cuidaria bem dela até que ela voltasse pra casa. Ela tinha certeza disso. Ele sabia como usar aquela varinha dele. Não tão “inha”, na verdade.

Ele podia ver o sorriso no rosto dela enquanto ele a dominava, como se ela adorasse ser usada daquele jeito. Harry puxava suas tranças com força pra trás, e batia seu membro com vontade em sua bunda. Ele estava extasiado, levando seu físico ao extremo.

- Porra, Harley! Eu vou gozar! – Ele geme, saindo de dentro dela, erguendo-se em pé, segurando seu membro em sua mão direita. – Trás esse seu rosto pra cá!

Harley obedeceu na hora, ajoelhada em baixo dele, olhando para cima, boquinha aberta. Harry resistiu por poucos segundos, atirando um jato quente de porra branca no rosto dela, acertado primeiro na testa, e descendo pelo nariz delicado até a boca. Harley fechou os olhos enquanto esperma escorria por sua cara, levando sua língua para fora, lambendo a cabeça do pau de Harry, pegando as últimas gotas de esperma, engolindo o que escorria para sua boca, gargalhando feliz.

- Tão gostoso, Sr. Bruxo!

Harry se afastou, sentando-se em uma poltrona, respirando pesado. – Gostosa é você. Faz tempo que eu não me divirto desse jeito, Harley.

- Viu os benefícios de ajudar as pessoas? Obrigadinha por me tirar da cadeia.

- Sem dúvida o prazer foi meu. Agora, como faremos para te enviar para casa?

- Não temos pressa! – Ela grita – Eu quero dormir agora! Tem algum quarto aqui para mim?

- Claro – Fala Harry, ainda ajustando sua respiração. Ele precisaria de ajuda para enviar a loira para casa. Chamaria Hermione em breve para ajuda-lo a desenvolver um método. Mas caso demorasse a conseguir manda-la, ele não se importaria em transar novamente com ela. Ele tinha certeza que faria apenas bem.


Notas Finais


Well, isso aconteceu ¯\_(ツ)_/¯
Aleatório, mas foi divertido de escrever. Harley merece mais alguma coisa no futuro, com certeza.

Para os novatos aqui, vocês podem pedir o que bem quiserem, e eu posto em dezenas de fics (hentai) diferentes, de diversos temas. Sintam-se livres para fazer observar meu perfil e subir seu pedido na lista sempre comentando quando eu lançar um capítulozinho novo ;D

Essa é a última oportunidade de vocês votarem no capítulo 40: http://www.strawpoll.me/11365422
Capítulo seguinte eu posto o resultado, mas pelo que parece lolzinho vai ganhar ;)

Abaixo, segue a lista de pedidos. Fiquem a vontade para subir qualquer um deles ou pedir algo diferente:


Nocturne x Lux
Yuffie x Vincent
Kat x Mf Pt.2
Reiji x Yui
Draven x Sona
May x Drew
Sonic x Amy x Tails x Cream
Elena Fisher x Sully
Homem de Ferro x Ms. Marvel
Batgirl x Asa Noturna
Docete x Rosalya
Vampira x Deadpool
Nath x Castiel x Docete
Yui x Ayato
Estelar x Robbin
Master Chef x Cortana
Tidus x Lulu Pt.2
Ash x Dawn
Wolverine × Mística
Naruto x Ahri
Katarina x Talon
Max x Warren
Vergil x Kat
Ashe x Sejuani
Ravena x Robbin
Erza Escarlet x Jellal
Pantera Negra x Viúva negra
Neji x Hinata
Blanche x Candela
Illaoi x Karma
Alphys x Undyne
Marinett x Andrien x Nathaniel
Yui x Subaru
Jake x Sherry
Katarina x Garen
Elsa x Jack Frost
Riven x Yasuo
Red x Yellow x Blue x Green x Ruby x Sapphire x Gold x Crystal X Silver x Diamond x Pearl x Platinum x Black x White
Brock x Enfermeira Joy
Castiel x Rosa x Docete X Alexi X Kentin x Nath
Rengar x Nidalee
Laito x Yui
Kitana x Milena x Sonya
Sona x Draven x Kat x Talon
Docete x Faraize
Kat x Draven
Chris x Jill
Connor x Aveline
Kennen x Poppy Pt.2
Tifa x Cloud Pt.2
Nathaniel x Ambre
Dake x Docete
Shiryu x Ikki x Saori
Ezarel x Guardiã
Frisk x Chara
Sans x Toriel


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...