História Harry Potter e as descendentes das trevas - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Argo Filch, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Barão Sangrento, Blásio Zabini, Cho Chang, Daphne Greengrass, Draco Malfoy, Ernesto Macmillan, Fílio Flitwick, Gilderoy Lockhart, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lílian Evans, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Pomona Sprout, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Sibila Trelawney, Simas Finnigan, Zacharias Smith
Exibições 95
Palavras 3.461
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Magia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O cap tá um pouco grande pois a partir do próximo a história irá ganhar um novo título, mais emocionante, mais legal, perfeito.

Não vou dar Spoiler do que acontece neste cap,pois perderia toda a emoção.

Capítulo 22 - Encontro com o Passado


Fanfic / Fanfiction Harry Potter e as descendentes das trevas - Capítulo 22 - Encontro com o Passado

Dália acabava de ouvir a conversa de Lavínia com McGonagall, decidiu voltar ao Salão de Sonserina,precisava pensar,mas antes passou no jardim de Hogwarts, onde havia uma menina sentada,em um banco,em volta dela havia alguns livros de aula,a menina tinha cabelos negros e lisos,olhos extremamente
azuis,era branca e extremamente linda,em frente da menina havia alguns alunos de Grifinória, os alunos à incomodavam   por alguma coisa,riam dela, xingavam, a chamavam de descendente das trevas, Dália percebeu que a menina era de Sonserina, e chegou perto para ver o porquê dos Grifinórios estarem lá, eles zombavam da menina por causa de seu sobrenome, a menina de olhos verdes percebeu que aquilo estava incomodando a menina sentada no banco,decidiu então chegar perto e expulsar os Grifinórios.

-Vocês não tem aula agora,vão saíam daqui, ou querem que eu der um jeito da casa de vocês perder pontos? Vocês sabem que posso fazer isso rapidinho. -Disse Dália com raiva, fazendo com que os Grifanos  voltasse para dentro da escola correndo.

Dália olhou para menina, que agora voltava a se concentrar nos livros,decidiu aproximar-se,afinal a menina era de Sonserina, entrou na escola junto com Dália, porém elas nunca haviam se falado,a moça sentada era sempre solitária, nunca participava das aulas junto com sua comunal, sempre participava junto com os lufanos ,porquê eles eram diferentes dos demais,não à julgavam pelo seu sobrenome.

-Está tudo bem?-Indagou Dália.

-Está sim. - Falou a menina.

-Eu sou Dália, Dália Prince.

- Sou Victória, Victória Riddle.Você é a filha do Professor Snape?

-Sim,sou eu mesmo. -Disse Dália

Dália percebeu então porquê os meninos zombavam da menina, ela tinha o sobrenome de Voldemort,do tão temido bruxo das trevas. Mas Dália não estava nem aí para o sobrenome de Victória,geralmente a menina de olhos verdes tinha paixão por tudo que era das trevas,e um sobrenome Riddle era fascinante. Dália então olhou para o céu, o tempo ensolarado de alguns minutos atrás,acabou,agora era nada mais do que um céu cheio de nuvens avisando que a chuva se aproximava.

-Acho que vem chuva por aí,vamos entrar?-Perguntou Dália.

-Vamos,não estou afim de me molhar.-Respondeu Victória.

As meninas então entraram na escola,em seguida a chuva caiu lá fora,água, muita água,alguns alunos olhavam Dália conversando com Victória,os corvinos e grifanos vinheram falar com Dália, dizer a ela que a menina tinha o nome dele.

-Dália.- Chamou um menino do 2° ano.

-Que?Perguntou Dália.

-Ela tem o nome dele!-Exclamou o garoto sussurrando para que Victória não o escutasse.

-Um sobrenome diz muita coisa pra você, porquê pra mim não,e se vocês, ou qualquer outro continuarem a incomodar a senhorita Riddle,por causa de seu sobrenome, eu irei até a diretoria para que ela resolva isso,e caso ela não resolva, eu sei fazer com sucesso a maldição cruciatus.-Disse Dália.

Victória e Dália estavam a caminho do Salão de Sonserina, mas a menina de olhos verdes lembrou que precisava falar com McGonagall.

-Victória te vejo depois, lembrei que tenho algo muito importante para fazer. - Falou Dalia.

-Tá, te vejo depois então. -Disse Victória.

Dália então se dirigiu para a sala da direção, era um lugar um pouco longe,bem que se transformar em um animago seria uma boa idéia,mas Dália não estava afim de sair voando por aí.

-Com licença diretora.-Disse Dália entrando na sala de Minerva.

Lavínia estava lá, de novo,mas Dália não se importou,a nova professora ainda não tinha dado nenhuma aula a Dália, pois seu horário com a turma do sétimo ano ainda não tinha sido formado,mas Lavínia e Dália já se conhecia, pois foi a menina de olhos verdes quem foi encontrar a professora em Hogsmeade.

-Ah,Lavínia, creio que já conhece a senhorita Prince?-Perguntou McGonagall.

-Sim,já nos conhecemos. Como vai?-Perguntou Lavínia sorridente.

-Bem professora.-Respondeu Dália. Diretora preciso conversar com a senhora, um assunto meio delicado.-Disse Dália olhando a diretora .

-Tudo bem querida,Lavínia já estava de saída.-Disse Minerva.

-Estava?-Indagou Lavínia sem entender.Porém Minerva olhou para ela.-Ah,sim estava.

A professora saiu da sala deixando Minerva e Dália à conversar.

-Diretora não pude deixar de notar que conversa muito com essa professora, mas não vou enrolar muito...esses dias ouvi uma conversa da senhora com ela...-Falava Dália.

-Ouvindo conversas senhorita!-Exclamou Minerva com um pequeno sorriso.

-...continuando, ouvi quando Lavínia citou um homem,era do meu pai que vocês falavam, não era??

Dália percebeu que Minerva não estava a fim de explicar, parecia ser algo bem delicado.Mas tentou ser o mais breve possível, sabia que não conseguiria mentir para Dália, de alguma forma ela sabia quando as pessoas estão mentindo.

-Falávamos de seu pai sim,a professora Schumacher gosta muito dele, pra ser sincera ela o ama.-Explicou Minerva.

-O ama?E onde ela estava quando Lílian não o perdoou? Onde ela estava?Aposto que com algum garoto esportivo, como fez a santa Lílian. -Disse Dália.

-Os garotos esportivos não fazem o tipo de Lavínia,e você não sabe o que ela passou pra julgá-la assim. -Falou Minerva.

-Acho que nada pior do que ele passou-Falou Dália.

-Entendo,mas escute,Lavínia ainda gosta muito do seu pai,e creio que se ela se esforça vai fazer com que ele goste dela também. -Disse a diretora.

-Gosta tanto,que era amiga de Lílian, e quando Lílian se afastou do meu pai ela fez o mesmo.-Continuou Dália

-Lílian se afastou do seu pai porquê ele a chamou de você sabe o que.-Disse Minerva

-Mas pediu perdão, várias vezes,e  preferiu ignorá-lo.- Falou a menina de olhos verdes.

-Ela não perdoou enquanto estudavam aqui,mas depois que saíram sim,senão você não teria nascido,agora não quero que se sinta mal com o que vou dizer,mas sua mãe estaria viva se seu pai não tivesse contado a profecia ao Voldemort.-Respondeu Minerva um pouco irritada.

-Ela não é minha mãe, e ele contou porquê estava sendo leal a quem ele servia,e ele nem sabia que se tratava dela,senão não teria falado.SE ELA MORREU NÃO FOI POR CULPA DELE, QUEM MANDOU ELA E O PERFEITO DO THIAGO CONFIAREM EM QUEM NÃO DEVIAM.

-Não sei onde quer chegar com isso!-Exclamou Minerva.

-Quero que a senhora fique sabendo, nada que diga sobre Lílian vai mudar o desprezo que sinto por ela, e quanto a essa outra perfeita,se ela acha que veio para fazer meu pai de palhaço, ou fazer o mesmo que Lílian fez,ela não sairá ilesa, pois eu sei ser gentil Diretora, mas sei ser a pior pessoa da face da Terra . -Afirmou Dália.

-Este ódio que você carrega aí dentro pode lhe causar grandes sofrimentos ? E está deixando você uma pessoa insuportável,acaba até incomodando as pessoas a sua volta, me incômoda também-Disse a Diretora.

-Já me causou,foi ele que me deixou assim,foi esse ódio que me fez matar vários comensais da morte durante a batalha, sabe diretora se não fosse esse ódio nunca conseguiria executar uma maldição imperdoáveil,mas se tem alguém culpado pelo que eu sinto e Lílian, ela me abandonou.Sabe o que é morar em um orfanato, implorando por uma família, por alguém que lhe conceda um ato de carinho, o amor,esse sentimento não foi Lílian quem me deu,eu o conheci nessa escola, conheci amigos,amigas, pessoa que são minha família, conheci professores que eu amo,conheci a senhora e conheci o meu pai ,isso foi onde eu descobri o que era amor,não foi Lílian quem me mostrou isso, na verdade ela só me mostrou o quanto é egoísta, má, sem coração. E é por isso que eu digo que se Lavínia ousar machucar qualquer pessoa que eu amo eu saberei machucar de volta. E não se preocupe, não irei mais vim  procurá-la para nada,eu entendo que a incomodo,tenho a senhora como uma mãe, mas se a minha presença a perturba,não irá mais acontecer-Disse Dália levantado da cadeira.

A menina de olhos verdes saiu da sala da diretora, Minerva percebeu o que havia dito a menina,para McGonagall a menina estava se tornando um pouco chata,mas o que a diretora disse não foi legal.

A menina passava descia as escadas esbarrando em todos que passavam, parecia que a única coisa que ela queria era sair daquele local,estava tão rápido que em poucos minutos estava no térreo. Passou por um dos corredores que levava ao lado de fora da escola e viu o professor Flitwick conversando com a Professora Lavínia Schumacher, Dália nem observou o que conversavam, só queria um lugar para ficar só.
  Saía da escola,passava pelo jardim,e ía em direção a Floresta,mas não entrou nela,caiu no meio da grama verde,a fraqueza tomou conta de seu corpo,ela virou de cara pra grama  e começou a chorar.
   Ela nem perceber que alguém aproximava-se dela,sentiu apenas uma mão tocar seu ombro,não quis pegar sua varinha, naquele momento, fosse quem fosse e a quisesse matar ela agradeceria.
Dália sentiu os cabelos longos de uma pessoa tocarem seu rosto,cabelos loiros e macios.
  
-Por que está chorando?-Perguntou Lavínia.

-Por nada.Respondeu Dália percebendo quem era a pessoa que se aproximava dela.

-Creio que ninguém chora por nada,venha sente-se,e me conte o que houve.-Falou a adorável professora.

-Não gosto de falar sobre isso.-Afirmou Dália.

-Tudo bem,sabe não pude deixar de notar que você tem os olhos de uma pessoa que conheci, já faz alguns anos,mas éramos grandes amigas, seus olhos são idênticos, o mesmo brilho, o mesmo formato, a mesma cor,e seus olhos também se parecem com os olhos do filho dessa pessoa que estou falando....- Falava a professora, quando Dália a interrompeu.

-Deixe-me adivinhar,eu tenho os olhos de Lílian!-Exclamou a menina irônica.

-É, como sabe que era isso que eu ía falar?-Perguntou Lavínia curiosa.

-Talvez porquê todos falam isso.-Disse Dália.

-Nossa não pensei que todos vissem a mesma semelhança que eu vejo!-Exclamou Lavínia.

-Talvez porquê o sangue que corria nas veias dela também corre nas minhas.-Falou Dália sem perceber.

-Que?Você é parente de Lílian?-Perguntou a professora.

-Sou filha dela,infelizmente.-Disse a menina,percebendo um olhar apavorado de Lavínia.

-Não sabia que Harry tinha uma irmã!-Exclamou Lavínia sem entender nada.

-Meia-irmã.-Respondeu Dália.

-Você não é filha do Thiago?-Perguntou a professora cada vez maia confusa.

-Preferia está morta se fosse filha dele,o meu pai não é o Santo Thiago.

-É quem é então? Indagou Lavínia

Dália não estava afim de responder,sabia que seria algo chocante para Lavínia, ainda mais se ela realmente gostasse de Snape,então para sorte de Dália, Pansy e Dafne chegaram a chamando para irem a Hogsmeade.Dália levantou de onde estava sentada na grama e despediu-se de Lavínia, deixando uma professora curiosa e aflita.
   As meninas estavam a caminho de Hogsmeade,passaram o dia todo por lá, Dália estava se divertindo muito, até esqueceu que havia tido uma conversa desagradável com uma das pessoas que ela mais gosta,Minerva McGonagall.
   Mas já estava ficando tarde,tinham que voltar antes que passassem do horário, apesar de Dália ser monitora-chefe,ela não podia ficar andando por aí.Chegaram na escola bem a tempo para o jantar,assim que ele acabou,todos foram para seus salões, menos Dália, pois tinha que fazer uma ronda noturna, encontrou a professora McGonagall, mas não olhou para ela, muito menos deu boa noite,algo que sempre fazia ao encontrar a diretora.
  A diretora percebeu que a menina estava realmente chateada,e essa cena repetiu-se várias vezes, durante várias semanas, a menina de olhos verdes não falava e não olhava mais a diretora, para Dália estava sendo chato isso,mas não esquecia do que a diretoria lhe disse.
   Hoje seria a reunião dos monitores das casas e a diretora,Dália sabia que tinha que ir,porém sentou bem longe da diretora,durante a reunião não falou nada,não opinou em nada,muito menos sorriu para ninguém.
A reunião acabou,todos os monitores estavam saindo da sala e McGonagall disse:

-Dália espere.

-Desculpe diretora, mas não quero incomodar nenhum minuto à mais.-Disse a menina e saiu da sala

Dália foi em direção as masmorras, tinha aula de DCAT em 15 minutos e queria falar com seu pai antes disso.
  Chegou na sala do diretor de Sonserina, bateu na porta e ouviu a voz do diretor dando permissão para que ela entrasse.

-Oi.-Disse ela.

-Ainda bem que veio até aqui,preciso mesmo falar com você.-Falou ele.

-Deixe-me adivinhar, a diretora lhe falou que ando agindo estranho com ela?-Indagou Dália.

-Sim,mas não à culpo se quer saber,até entendo você.-Respondeu ele.-Só não quero que isso atrapalhe suas aulas, entendeu?

-Sim, senhor-  Respondeu a menina.-Pai, eu queria que me desse algo para dormir à noite.

-Anda tendo pesadelos outra vez?-Perguntou Severo.

-Não sei o que é, mas parece muito real,eu não vejo nada,apenas escuto,escuto uma voz,a voz não tenta se comunicar comigo,tenta com outra pessoa, mas não seu porquê eu a escuto.-Falou a menina.

-Tenta se comunicar com quem?-Perguntou Snape.

-Com Harry,é uma mulher, ela o chama,mas parece que ele não responde eu posso ouvi-la,mas não posso responder.-Disse Dália.O que  que é?

-Depois eu lhe entrego a poção, eu tenho uma idéia do que possa ser,isso não afeta Potter porquê ele sabe Oclumência, algo que você não sabe muito bem...

Minerva surgiu na porta interrompendo o que Snape ia dizer, a diretora vinha avisar que o ministro estava na escola, e iria fazer uma reunião com os professores, por causa disso as aulas de hoje seriam canceladas, a diretora entrou na sala,o que fez Dália sair da mesma rapidamente.
  

-Ela ainda está chateada comigo?-Perguntou Minerva

-O que você acha?Indagou Snape.

A menina andava no corredor da escola, de repente a mesma voz invadia sua cabeça, a voz agora dizia o seguinte:

-Harry,me encontre na Floresta Proibida,hoje as seis horas da noite,Harry preciso que venha,é importante, não posso dizer quem sou,pois mais alguém pode está em contato com nosso sangue, por favor venha.

Dália ficou completamente imóvel após ouvir isso,procurou se sentar em um banco próximo, estava passando mal,a menina já tinha lido sobre a magia do contato do sangue,uma magia rara,usada apenas por bruxos das trevas, e apenas alguns poderia ouvir,nem todos os bruxos eram capazes de produzir tal magia.
   Lavínia viu a menina sentada em um banco,com a mão sobre o peito,ela apertava como se estivesse tentando reprimir algo, como dor e sofrimento.

-Dália, você está bem? -Perguntou a professora.

-Professora, sim estou bem-Disse a menina.-Me responde uma coisa,como era sua amizade com Lílian?

-Era maravilhosa!-Exclamou Lavínia.-Queria que ela estivesse viva?

Dália nunca falava com ninguém a respeito do que realmente sentia por Lílian,a pergunta de Lavínia a deixou ser ação, não sabia o que responder, afinal o seu sentimento por Lílian era algo que ela mesma não sabia, não tinha certeza se a odiava, ou se a amava.

-Não precisa responder se não quiser.-Falou Lavínia.

-Nunca falo dela com ninguém, acho que ninguém iria me compreender,se é que me entende.-Disse Dália.

-Eu entendo você, bem a minha mãe não morreu,mas não somos muito amigas sabe,por causa que fui para Corvinal.-Falou Lavínia.

-Como assim?O que tem de errado?-Perguntou Dália.

-Toda a família Schumacher foi de Sonserina,porém eu fui a exceção, depois do dia em que o chapéu seletor me colocou na Corvinal meus pais passaram a me desprezar,e não tinha muitos amigos na época, na verdade não tinha nenhum.-Contou Lavínia

-E como conheceu...-Falava Dália.

-Por causa do Severo, ele nos apresentou.-Disse Schumacher.

-E como conheceu ele?-Perguntou a menina curiosa.

-Eu o conheci na aula de poções,eu era um desastre, já ele muito talentoso,um talento que supera até o professor Slughorn.Você quer que eu continue?-Indagou Lavínia.

-Sim,quero que continue sim.-Afirmou Dália.

-OK,como eu ia dizendo, ele era bem talentoso e eu era uma espécie de Simas Finnegan, explodia tudo,então o professor Slughorn passou um trabalho em dupla, e sorteou as duplas,e eu fiquei com Severo, pela primeira vez consegui colocar algo em um caldeirão sem explodir....-Falava Lavínia.

Dália agora dava um sorriso,e tentava imaginar as cenas contadas por Lavínia.

-...então a partir desse dia começamos a se falar,foi aí que ele me apresentou Lílian, e viramos grandes amigas,eu contava tudo para ela,assim como ela para mim.Nossa adolescência foi algo complicado,eu confessei a Lílian que gostava do Snape, sabia que ele não sentia nada por mim,mas isso não impediu que eu me apaixonasse,porém meus planos foram estragados por causa de um erro dele.Ele chamou ela de sangue-ruim,pediu perdão várias vezes e ela nunca o perdoou....-Dizia Lavínia antes de Dália interromper.

-Por que você se afastou dele?-Perguntou Dália.

-Eu sabia que ele amava Lílian, poderia ter ficado ao lado dele sim,mas ele jamais iria me aceitar como o que eu queria ser.-Falou Lavínia.

-Ainda o ama?-Perguntou Dália.

-Nunca o deixei de amar.-Afirmou Lavínia.

-Você pode terminar de contar o que eu interrompi  ?-Indagou a menina.

-Claro,em seguida Lílian começou a namorar com Thiago e Snape foi definitivamente para o Lado das Trevas, quando saímos da escola ele desapareceu e eu nunca mais o encontrei,só agora.-Falou Lavínia.

-Você não casou com ninguém, depois que saiu da escola?-Indagou Dália.

-Eu namorei,mas ninguém consegue me tirar ele daqui.-Disse Lavínia colocando a mão sobre o peito.

-E depois que você saiu da escola, o que houve com você e a....e a Lílian?-Perguntou Dália.

-Depois que saímos da escola, eu fui lecionar na escola Francesa e pedia Lílian quase todas as semanas para que se soubesse algo dele me avisasse, me dissesse, eu queria saber como ele estava,mas nunca recebi notícias dele.-Disse Lavínia.-Só que ela nunca me contou que havia brigado com o Thiago,nem me contou sobre você. -Afirmou Lavínia.

-É porquê ela nunca terminou com ele,ela o traiu!-Exclamou Dália.

-Você sabe quem é o seu pai?-Perguntou Lavínia.

-Sim,mas me responde uma coisa,você confiava em Lílian?-Indagou Dália.

-Cegamente.-Afirmou Lavínia.

-Então você não à conhecia, ela mentiu pra você mentiu sobre muitas coisas.-Disse Dália.

-Acho que você não à conhecia, ela jamais mentiria para mim.-Afirmou Lavínia.

-Ela mentiu pra você, sobre muitas coisas.-Disse Dália.

-Me diz uma mentira então!-Exclamou Lavínia.

-Sobre ele,assim que você se foi, ela sabia onde ele estava,nunca te contou nada.-Disse Dália.

-Por que Lílian faria isso?-Perguntou Lavínia.

-Por quê queria ele também.-Respodeu Dália.

-Não, ela não o queria, ela estava feliz com o Thiago.-Disse Lavínia nervosa.

-Você acha que eu teria nascido se ela não tivesse mentido pra você, acha mesmo?-Indagou Dália.

-Você é filha deles?-Indagou Lavínia.

Dália apenas confirmou com a cabeça, parecia que o mundo havia desmoronado abaixo de Lavínia, como se toda sua vida tivesse sido prejudicada por a pessoa em quem ela mais confiou. E realmente foi.Pansy e Victória vinham chamar Dália para irem treinar feitiços,já que não haveria aula hoje,mas Dália não queria deixar Lavínia só, estava achando que não deveria ter contado isso.

-Me desculpe,acho que não deveria ter te contado.-Disse Dália.

-Não se preocupe, eu ía acabar sabendo,foi melhor assim, agora pode ir com suas amigas,eu estou bem.-Disse Lavínia.

Dália então saiu com suas amigas, deixando Lavínia só, sentada em um banco,pensando em como sentia ódio de sí mesma,por não ter percebido nada,por te sido tão idiota,de não ter percebido que espécie de pessoa era Lílian.
   A professora levantou-se e foi a sala de Minerva,  mas a diretora ainda estava em reunião  com o ministro e alguns professores.
  Lavínia então decidiu ir para seu quarto,ela sabia o que iria fazer lá, chorar bastante. Já estava lá à basicamente duas horas,decidiu sair,pois precisava tomar um ar,respirar.
  Saiu de seu quarto,desceu para o Salão Principal,havia alguns alunos  lá, lendo seus livros,conversando,enfim.
   A professora saiu para fora da escola, viu que Dália já havia chegado,e estava saindo da escola por outro lugar,decidiu segui-la,entrou de volta na escola, percebeu que faltava alguns minutos para seis horas da noite,Lavínia esbarrou em alguém, uma pessoa que tinha um perfume maravilhoso, Lavínia o olhou fixamente nos olhos dele e pediu desculpas,ela queria realmente era beijá-lo,mas naquele momento muitos alunos os veriam,e se ele não quisesse como ela ficaria.Ela então saiu da frente dele e continuou o que ia fazer, seguir Dália.
   A menina ia correndo para Floresta Proibida,avistou Victória Riddle conversando com Hagrid,sobre criaturas mágicas,pois Victória adora dragões.
    Victória olhou e percebeu que Lavínia vinha logo atrás de Dália,não muito perto, mas a professora corria para acompanhar a menina.
      Victória decidiu acompanhar as duas, que agora entravam na Floresta Proibida, entravam rápido e correndo.

-Espere.-Gritou Lavínia

Dália parou e esperou,a menina ofegava,já estavam no centro  floresta, mas a menina de olhos verdes sabia o que estava fazendo,ou não.Continuaram andando,Dália estava procurando uma cachoeira que havia no meio da floresta, há algumas horas atrás, em Hogsmeade, a voz avisou a menina que estaria na cachoeira que fica no centro da floresta, e foi o que Dália fez,veio imediatamente.

-Dália você sabe pra onde está indo?-Perguntou Lavínia.

-Sim e não.-Falou Dália.

De repente um grupo de Dementadores avistaram elas e atacaram,sem chance de que nenhuma das três, Victória, Lavínia e Dália pudessem se defender. Mas Dália ouviu uma voz,a mesma voz que falava com ela a semanas dizer:

-EXPECTO PATRONUM.

Os dementadores foram embora, deixando as três um pouco tontas no chão, mas Dália imediatamente pegou sua varinha e mirou para mulher.
  Lavínia fez o mesmo,quando a mulher veio um pouco mas para luz Dália não acreditou,não podia ser .A menina de olhos verdes então disse:

-você!!!


Notas Finais


Aposto que todos já sabem quem é, a partir de agora muita coisa vai mudar😮😮,quem sabe pra melhor???
Quem sabe pra pior???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...