História Harry Potter e a Princesa das Trevas - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Astoria Greengrass, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lord Voldemort, Personagens Originais, Remo Lupin, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Dark, Harry Potter, Hogwarts, Lobisomem, Magia, Romance, Sobrenatural, Sonserina, Suspense, Vampiros
Visualizações 165
Palavras 1.728
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí serumaninhos? ✌
Gostaria muito de agradecer a todos favoritaram e comentaram na fic, isso me incentiva e muito a continuar escrevendo. Continuem assim, ok?

Também gostariam de fazer um pedido aos leitores fantasmas. Por favor, dêem sinal de vida, eu iria adorar saber a opinião de cada um de vocês. Eu não mordo, SÉRIO! Kkkk

Agora vamos ao capítulo! 👇

Capítulo 13 - Um sonho real?


Fanfic / Fanfiction Harry Potter e a Princesa das Trevas - Capítulo 13 - Um sonho real?

CAPÍTULO 13

Um sonho real?
Já poderiam ser vistos os primeiros raios de sol invadindo toda Hogwarts, em seu quarto Alvo Dumbledore já se encontrava em pé observando sua neta dormir um sono profundo. Se lembrava claramente da noite anterior, onde os dois ficaram conversando até tarde em seu quarto enquanto comiam sapos de chocolate e feijãozinhos de todos os sabores, depois de muito tempo acordados a garota acabou dormindo na cama do avô. Por nenhum momento passou pela cabeça de Dumbledore acordá-la para levá-la ao seu quarto, sabia perfeitamente da dificuldade que a garota tinha para dormir, além de ter ficado estarrecido ao vê-la dormir um sono tão tranquilo sem o auxilio de uma poção, coisa que ele nunca tinha visto acontecer. Lentamente caminhou em direção á garota lhe dando um leve beijo na testa e saiu pela porta do quarto deixando um bilhete ao lado da garota.
A porta do quarto dava diretamente para seu escritório que se encontrava no mais completo silêncio, Dumbledore rapidamente apanhou sua capa de viagem e se preparou para partir, mas seus planos foram interrompidos pela chegada de uma coruja cinza, com os olhos anormalmente brancos, sabia muito bem de quem era aquela coruja.
Suspirou pesadamente e apanhou a carta que tinha claramente o brasão do Ministério da Magia. Estava sem tempo e provavelmente aquela era só mais uma carta de Rufo pedindo para se encontrar com Harry.
-Sinto muito mas essa carta vai ter de esperar. -murmurou mais para si mesmo enquanto guardava a carta nas vestes e rumava para fora do escritório sem olhar para trás nem por um segundo.
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////
Harry caminhava lentamente por um lugar completamente escuro que lhe parecia estranhamente conhecido. Sem saber o que estava fazendo ou para onde estava indo apontou suas mãos para o nada em um ato que julgara completamente ridículo, mas logo se arrependera de pensar tal coisa já que no mesmo instante diversas tochas de acenderam iluminando assim todo o caminho.
Olhou para os lados e percebeu que estava em uma espécie de vilarejo, realmente muito pobre, suas casas eram completamente velhas e muitas pareciam prestes a cair tornando assim aquele lugar inabitável.
Sem saber para onde seus pés o estavam levando continuou á caminhar pela estrada rochosa, percebeu que alguns pingos de chuva estavam começando a cair, mas para sua surpresa os pingos de chuva não lhe molhavam de forma nenhuma. Continuou á caminhar vendo o cenário do lugar permanecer o mesmo até subitamente parar em frente a uma cabana cercada por arames e com um portão velho de madeira com estranhos símbolos cravados na madeira, símbolos que também lhe pareciam familiares.
Se pegou tocando cada um dos símbolos com uma das mãos em uma espécie de ritual que deveria ser cumprido fielmente. Assim que seus dedos deslizaram pelo último símbolo eles brilharam em uma coloração verde fazendo desaparecer assim o velho portão de madeira e a miserável cabana, dando lugar á um enorme portão negro que rapidamente se abriu perante seu toque revelando um caminho coberto por pedras negras e árvores estrondosamente grandes que pareciam o levar á uma espécie de fortaleza. Assim que adentrou na propriedade o portão se fechou instantaneamente e assim ele continuou a caminhar, sem avistar nada de novo, até se deparar com um enorme castelo, no estilo medieval, que á seus olhos lhe pareceu esplêndido, porém não conseguiu parar para apreciar a construção já continuava a andar, ainda sem controle de suas ações. Quando mais perto chegava do castelo, mais grande ele lhe parecia, agora poderia dizer com toda certeza que era quase do tamanho do castelo de Hogwarts, porém lhe parecia muito mais sombrio. Parou somente quando estava em frente á uma enorme porta negra com duas cobras entrelaçadas talhadas na porta e com os olhos contendo enormes esmeraldas. Instantaneamente Harry se assustou, aquele era exatamente a mesma coisa que estava cravada na entrada da Câmara Secreta. Com toda certeza tinha de sair dali, tentou com todas as forças, mas não conseguia, era como se seu corpo tivesse vida própria. E assim passou a contornar as cobras com a mão levando logo em seguida as mãos á cabeça retirando assim seu capuz. Só naquele instante percebeu a sombria roupa que vestia, era uma calça e uma camisa simples e preta coberta por uma capa se possível ainda mais negra. Apontou sua mão direita para a porta e disse emitindo uma ordem:
-Abra as portas para o Herdeiro.
Não precisou muito para perceber que estava falando em língua de cobra. Mas o que era aquilo de Herdeiro? Não pode pensar muito nisso, instantaneamente as duas cobras começaram a se mexer, como se tivessem vida própria e as esmeraldas de seus olhos brilharam intensamente enquanto a enorme porta se abria revelando um lugar nada mais nada menos que esplêndido. As paredes eram todas feitas de pedras e o lugar era coberto de coisas que ele julgara ao mesmo tempo estranhas e familiares. Haviam archotes flamejantes iluminando todo o local ao mesmo tempo lhe dando um aspecto ainda mais sombrio.
Percebeu que haviam dois caminhos, mais não pode observar o da direita por muito tempo já que novamente suas pernas pareceram criar vida e assim caminhou lentamente para a esquerda revelando uma espécie de sala de visitas completamente luxuosa contendo uma pequena quantidade de poltronas e sofás, todos da cor preta e com detalhes em prata, também contendo alguns objetos de decoração que ele infelizmente não conseguiu identificar pois logo voltou a andar parando em frente a uma lareira que a seus olhos parecia comum, a não ser pelo fato de ser toda feita de pedras e contornada de esmeraldas.
Para seu espanto sua mão foi em direção ao fogo que crepitava na lareira, fazendo-o pensar que iria se queimar, mas isso espantosamente não aconteceu, a única coisa que mudou foram as chamas que ficaram completamente azuis e pareceram crepitar com ainda mais força. Mas para seu novo ataque de pânico seu corpo simplesmente adentrou na lareira deixando as chamas ainda mais vivas. Suspirou aliviado, provavelmente iria usar a rede de Flu, mas aonde estava o Pó de Flu? E por que as chamas estavam azuis ao invés de verdes? Realmente não sabia, e no instante seguinte não estava mais lá, esperou a sensação de estar sendo sugado e enjôo vir como normalmente aconteceria quando se utiliza lareiras para transporte, mas a sensação não veio, só sentiu seus pés pararem de tocar o chão e segundos depois voltarem á tocá-lo.
Olhou para os lados, e não demorou muito para identificar onde estava, o espanto foi total, só não caíra para trás porque não tinha controle sob seu corpo.
Lá estava ele, em Hogwarts, mais precisamente no banheiro feminino, o banheiro da Murta- Que- Geme. Sua cabeça fervilhava tentando encontrar uma explicação para aquilo, mas seus pensamentos não duraram muito tempo, logo recomeçou a andar caminhando em direção á uma pia, que aos olhos de muitas pessoas seria comum, mas ele sabia muito bem que não era.
-Abra. -ordenou em língua de cobra, fazendo assim  a torneira brilhar com uma luz branca e começar a girar. No segundo seguinte, a pia sumiu de vista, deixando um grande cano exposto, um cano largo o suficiente para um homem escorregar por dentro dele. Harry não sabia muito bem o que estava acontecendo, mas sabia perfeitamente para onde o cano dava, apesar de só ter ido ali uma única vez. Se pegou completamente ansioso para entrar lá novamente, mas isso não aconteceu, logo, toda a sala se dissolveu e Harry sentiu leves bicadas em seu rosto.
-Ei pare, pare. -ordenou Harry assim que viu uma coruja marrom com algumas penas brancas e completamente desconhecida lhe bicando incessantemente.
A coruja parou no mesmo instante e ele retirou a carta que estava presa em sua pata. Assim que o fez a coruja foi embora e ele apanhou seus óculos e abriu a carta ainda com a lembrança de como tinha sido seu... sonho.
Não pode evitar seu sorriso, ao ver o pequeno símbolo do Ministério da Magia estampado na carta.

 

Prezado Sr° Potter,
Venho, por meio dessa carta informar a V. Sª que por decisão do Ministério da Magia, á partir do dia de hoje, o senhor está livre do Decreto de Restrição à Prática de Magia por Menores, permitindo assim que possa utilizar magia fora da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts sem ter completado a maior idade, devido a questões que remetem a vossa segurança e a segurança de sua família.
Fazemos votos que esteja bem, 
Atenciosamente, 
Rufo Scrimgeour,
Ministro da Magia
.

 

Mal pode conter a felicidade, ali em sua mão continha sua liberdade, finalmente poderia fazer todas as coisas que estava planejando desde que voltara para a Rua dos Alfeneiros. Pulou da cama e apanhou sua varinha que estava postada cuidadosamente atrás de uma pequena e velha estante de livros. A sensação foi maravilhosa, havia muito tempo que nem sequer tocava na varinha, mais precisamente, desde que voltara para a casa dos tios. A sensação foi tão maravilhosa chegou até a assustá-lo.
-Reparo -disse ele apontando a varinha para uma cadeira quebrada que estava em seu quarto. No mesmo instante a cadeira fora concertada e ele sorriu triunfante.
Porém sua felicidade não durou muito, já que logo a lembrança de como tinha sido seu sonho lhe invadiu a mente.
Sentou-se na cama enquanto imagens de como tinha sido seu sonho passavam como um filme em sua cabeça, se repetindo várias e várias vezes.
Sua cabeça fervilhava para tentar elaborar uma teoria para o significado daquele sonho.
"Mas será que aquilo tinha sido só um sonho mesmo? Parecia tão real -pensou ele enquanto puxava os fios de seu cabelo. -Era tudo tão estranho e ao mesmo tempo tão familiar. Por que estava indo á Câmara Secreta?
Pelo menos sabia que aquilo não tinha nada a ver com Voldemort, já que sua cicatriz não doía e ele não sentia a presença de Voldemort em sua cabeça.
Decidiu tirar aquilo de sua cabeça por um tempo já que não conseguia achar nenhuma explicação, só sabia que tinha algum significado e que iria descobrir qual era.
Mas aquela não era hora para isso, estava com sua varinha em mãos e finalmente poderia testar cada uma das coisas que tinha lido em seus livros e era exatamente isso que ele iria fazer.


Notas Finais


Dumbledore decidiu ignorar a carta do Ministro. Não sei não mas acho que ele vai acabar se arrependendo disso, e vocês?

E esse sonho do Harry em? Mais uma vez aparece a palavra Herdeiro. O que acham que tudo isso significa?
Pelo menos dessa vez o Harry coseguiu se lembrar do sonho depois de acordar, coitadinho, não está entendendo nada! Kkkk

E finalmente o Harry vai poder usar magia fora de Hogwarts, o que acham que ele vai aprontar em?

Estou esperando vocês nos comentários. E repito QUERO A OPINIÃO DOS LEITORES FANTASMAS! (É claro, dod leitores que sempre comentam também!)

Pra mim é importante saber o que vocês estão achando, então, façam essa humilde autora feliz! 😀🙏🙏🙏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...