História Hatake Sakumo a história nunca contada - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2x2 = SHINOBUDEN
Personagens Personagens Originais
Tags Kakashi, Naruto, Sakumo
Exibições 21
Palavras 882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Super Power
Avisos: Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 26 - Hatake Sakumo


Fanfic / Fanfiction Hatake Sakumo a história nunca contada - Capítulo 26 - Hatake Sakumo

O conflito entre as vilas não cessavam, e a Vila da Pedra se tornara uma ameaça para Konoha, o Hokage tentara uma trégua de várias formas mas o Tsuchikage persistia na guerra. 

Não era uma época fácil para ninguém, mas para um pai solteiro, isso demonstrava ser ainda mais difícil. Ter que sair em longas missões e deixar seu filho de três anos sozinho em casa não deixava Sakumo tranquilo, o que dificultava a missão. 

Mesmo que a vizinha tivesse prometido ficar de olho em Kakashi, no período da missão, Sakumo sabia que o garoto ainda ficaria solitário, e mesmo se tratando de Kakashi, deixa-lo ainda o preocupava. 

- Hatake-san, algum problema? - Pergunta uma das kunoichis que o acompanhava na missão. - Você parece um pouco distraído. 

- Não é nada, estou um pouco preocupado com o meu filho, mas esta tudo bem. - A garota o olha com aqueles olhos perolados, característicos do clã Hyuga. 

- Kakashi certo? Já o vi sobre seus ombros, ele ainda é muito pequeno. Quantos anos tem?

- Três. - responde sorrindo para a moça. 

- É muito jovem, ele esta com algum parente?

- Não - respondeu angustiado - está sozinho. 

- Como? Ele não tem ninguém? - ela me olhava como se eu fosse louco, o que era compreensivo considerando que ela não conhecia Kakashi, e ele só tinha três anos.

- Não me julgue, Kakashi só tem três anos mas tem um QI de 210. - responde orgulhoso. 

- E isso te deixa mais tranquilo?

- Não mas minha vizinha prometeu cuidar dele na medida do possível. - Ela parecia mais tranquila com o fato de ter outra pessoa com ele. 

- Então não se preocupe e concentre-se na missão. 

Ela tinha razão, não havia motivo para preocupações, preocupante seria se eu me descuidasse e fossemos atacados, Kakashi poderia ficar sozinho no mundo. O melhor seria concentrar na missão era uma simples missão de reconhecimento. 

Já estavam próximos ao local insmdicado pelo Hokage, a missão estava próxima ao fim, mal podia esperar para voltar para casa. 

Eis que surge uma kunai em sua direção, instintivamente Sakumo desvia e saca sua espada, estava preparado para partir para a luta, não conseguia ver mais nada ao seu redor, tudo o que enxergava era o inimigo a sua frente, nada mais importava a não ser a vitória, o fim da missão e poder voltar a ver seu filho. 

- Se não é o Canino Branco. - diz o ninja a sua frente. 

Sakumo não diz nada, tamanha era sua fúria,  já estava em cima do inimigo e sua espada descia em direção ao peito do mesmo, seu chacra fazia a espada chiar com o som do relâmpago, mas um som se sobressai ao barulho de seus raios, um grito que o faz se virar no mesmo momento.

Um ninja segurava sua companheira pelos longos cabelos, e precionava uma kunai contra seu pescoço, sem saber o que fazer Sakumo hesita. 

- Parece que remos um impasse - pronuncia sorrindo o ninja asqueroso - É a sua amiguinha pelo meu companheiro, não gosto muitondesse inútil, mas é o que tenho, afaste-se dele ou ela morrerá. 

Era uma decisão difícil, se libertasse o inimigo fracassaria na missão, mas caso o contrario sua companheira morreria. Parte dele sabia que coisas assim aconteciam,  um ninja deve estar sempre pronto para morrer. O ninja apertou um pouco mais a kunai na garota e uma linha de sangue escorreu pelo seu pescoço alvo. 

Toque ele estava pensando, ela era apenas uma criança, não deveria ter mais de 20 anos, não poderia deixa-la morrer, conseguia ver o desespero nos olhos dela. 

Hesitante,  Sakumo solta o inimigo, mas tão rápido quanto um piscar de olhos, o ninja que segurava a garota, corta seu pescoço, sujando todo o colete da garota de sangue. 

Sakumo pode ver os olhos da garota perdendo o brilho e soube na hora que ela havia morrido,  a dor em seu peito era avassaladora, não a conhecia direito, mas ela ainda era sua companheira. 

Em fúria Sakumo se transforma em um borrão prata, faz clones e invoca seus lobos, e enquanto os clones e os lobos destruíam seus oponentes, Sakumo faz descer do céu um relâmpago em forma de lobo matando assim com um só golpe seus oponentes. 

Ainda ofegando, caminha ate a garota e a pega em seus braços, seu corpo estava frio, já não havia mãos vida naquele corpo. 

Já sabia disso, mas ter certeza só fez a dor em seu corpo aumentar, ele se lembrava do quão insignificante e fraco ele era, e de como deixara a garota morrer. Vela morrer em sua frente, impotente, o fez se lembrar da morte de sua esposa Yumi, não pode fazer nada. Ele não era nada. 

Em meio as lágrimas e do aperto em seu coração,  palavras nenhuma poderia espreçar maior verdade e sinceridade que estas: 

- Nunca mais deixarei um companheiro morrer, mesmo que isto custe a minha própria vida. 

Depois destas palavras Sakumo não seria mais o mesmo, esta decisão mudaria completamente sua historia. 

É engraçado não é? Como simples palavras podem alterar uma história tão subitamente, mas talvez seja o destino, talvez nossas histórias já surjam com um começo e um fim, e nosso final seja inevitável. Não somos nada comparados a isso. 


Notas Finais


Bom este foi o fim de mais um capitulo, espero que gostem. E prometo postar o próximo mais rápido. Talvez no sábado.
BJS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...