História Hate can be love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 11
Palavras 1.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Please, don't leave me.


Fanfic / Fanfiction Hate can be love - Capítulo 4 - Please, don't leave me.

                                                                           P.O.V  Ian Somerhalder

Dirigia atrás de Paul que sumirá da estrada, não consegui parar de pensar no pior, ele estava nervoso e tomara que nada o acontecerá.Parei em um grande movimento perto de uma rua e fui até lá, me aproximei de uma mulher e perguntei delicadamente.

-Desculpe incomodar, mas, o que aconteceu aqui?

-Parece que um garoto bateu com a moto de frente com o carro!--Meu corpo paralisou por inteiro naquele momento, não conseguia parar de pensar que poderia ser Paul, corri até os policiais que conversavam uns com os outros.

-Desculpe, senhor policial, mas estou procurando meu amigo, que saiu de moto e tenho medo que seja a vítima do acidente, pode me dizer o nome?--Suava frio, estralando meus dedos enquanto observava ele mexer em sua prancheta.

-Claro, o nome da vítima é Pawel Tomasz Wasileski.--Agradeci a ele e sai em direção ao carro sentindo meus olhos se umidecerem, dirigi para o hospital o mais rápido que pude.

(...)

Conversei com o médico que conhecia muito bem, que  era tio da Nina, ele disse que era melhor esperarmos para mais notícias, decidi que era melhor avisar Nina para que ela tranquilizasse Candice e Julianne.

                                                                         P.O.V  Nina Dobrev

Candice não para de chorar, tentava tranquiliza-la, mas, como iria fazer se nem eu mesma estava tranquila?Senti meu celular vibrar no bolso e me afastei das meninas atendendo sabendo que era Ian.

N:Alô?Ian?Achou ele?Estão voltando?

I:Em primeiro lugar, respira fundo porque não tenho boas notícias, na verdade, são péssimas.--Ouvi sua voz, que parecia estar trancando o choro, um milhão de coisas se passaram a minha mente e logo senti meus olhos marejarem.

N:Ian, o que aconteceu?Ian, me fala!

I:Paul sofreu um acidente terrível.

N:O que?Aonde vocês estão?

I:No hospital que seu tio Derek trabalha, tenta se acalmar e acalmar a Candice!Ta?--Apenas desliguei o celular, não conseguia falar uma palavra, olhei Candice e vi o quão mal ela estava.

-Candy, não tenho boas notícias e...--Ela me olhava esperando a má notícia, abri a boca uma, duas, três vezes e nada saía, então simplesmente me levantei e caminhei até a porta.--Tenho que sair.--Caminhei até o estacionamento e sai da escola com o carro em direção ao hospital.

(...)

Entrei desesperadamente pela recepção e fui até o balcão.

-Pawel Tomasz Waslileski, o mais rápido possível.--A recepcionista começou a olhar algo no computador e então ouvi uma voz rouca atrás de mim e me virei vendo que era Ian e caminhei apressadamente até ele.

-O que aconteceu?Me explica direito que estou com a cabeça a mil.--Ele suspirou e me olhou.

-Parece que ele estava em alta velocidade e o carro também, não conseguiu fazer a curva e bateram de frente, não foi muito legal!

-Wow, temos que ver ele!

-Não dá, eu já tentei, seu tio disse que podemos fazer mal a ele, não entendi direito!--Ele parecia confuso, provavelmente, o fato do melhor amigo estar quase morrendo, e eu entendia a dor dele.No momento não sabia o que fazer, vi o mesmo querendo chorar o que era tão raro de se ver; por algum motivo, odiava vê-lo assim, vê-lo chorando ou triste, preferia o Ian irritante e alegre de sempre.

-Vamos tomar um café?O café daqui é horrível!--Estava perdida em pensamentos, mal entendia ou ouvia o que ele dizia.--Nina?Terra chamando Nikolina!

Ele voltou!

-Ah oi?Claro, vamos sim!--Saímos do hospital indo para a cafeteria em frente ao hospital.

(...)

Estávamos ali a uns 10 minutos, em um silencio apenas comendo, me distraía aos pensamentos de como Paul realmente estava ou como ficaria depois de tudo.

-Não pretende passar a noite no hospital, não é?Quer dizer, eu vou ficar, mas é desconfortável, é melhor você voltar para a escola, lá vai ficar com suas amigas e essas coisas.--Ian cortou o silêncio.

-Tudo bem, não sou essas garotas frescas, não!--Ele riu e bebi mais um pouco do café.--E além do mais, não vou sair do lado do Paul, ele faria o mesmo por mim.

-É, ele faria!Me lembro quando meus pais morreram e Paul não saiu do meu lado, bom, vocês dois...--Suas palavras me traziam recordações de como foi horrível ver eles partirem, todos perdemos duas pessoas incríveis e agora perdemos mais duas pessoas, a questão era que crescemos todos juntos, os pais de Ian eram como pais para mim, e vice versa, quando crianças costumávamos brincar que tenhamos vários pais.--O que aconteceu?

-O que aconteceu com quem?--Perguntei confusa por sua pergunta incompleta.

-Com você!--Ele me olhou com seus olhos azuis que mais pareciam dois oceanos.--Eramos amigos, quase melhores amigos, depois que eles morrera, esperou o luto passar e depois você virou outra pessoa, começou a me odiar e não conseguíamos mais ficar um minuto sem brigar!O que aconteceu?Por que nunca me deu uma explicação?--Suas palavras me sufocaram, o que dera nele agora para perguntas?Como iria explicar algo que prometi a sua mãe que esperaria para contar?

-Eu não sei, Ian!Depois que eles morreram não fui eu que mudei, foi você quem mudou, só não me importei!E você virou um idiota, e tentei nunca mais falar com você!--Menti, por sorte o mesmo não percebeu, quando vi que iria fazer mas perguntas me antecipei.--Mas, vamos voltar!Quero saber se tem novidades sobre o Paul!  

(...)

Estávamos no hospital, Ian estava sentado na cadeira da recepção e eu olhava Paul pelo grande vidro que mostrava seu quarto.Derek chegou e me cutucou pelo braço, me virei rapidamente achando que era Ian e já ia xinga-lo quando vi ele e sorri.

-Oi tio Derek, pensei que era o Ian!

-Oi Nina!Ian é?O que está acontecendo entre vocês dois?--Respirei fundo me controlando para não gritar dizendo ''NADA!NÃO ESTÁ ACONTECENDO NADA".

-Eu e Ian?Nada, só estamos preocupados com Paul, e falando em Paul, como ele está?--Perguntei tendo medo da resposta, não gostaria que dissesse que ele  morreria ou qualquer coisa do tipo.

-Sinceramente, nada bem!Foi um acidente feio e ele corre sérios riscos de que uma parte do cérebro dele morra.--Foi uma not´cia e anto, não conseguia imaginar como Paul ficaria, e muito menos como Ian ficaria pós soubesse disso.

-Caramba!--Pensei um pouco ao ouvir o mesmo me perguntar se queria que ele dissesse a Ian ou eu iria dizer.--Não, não fala nada para ele!Pelo menos não agora, deixa ele raciocinar tudo o que aconteceu primeiro.--Vi que ele ia me responder quando a pequena luz vermelha no teto começou a piscar e ouvimos um sinal de alerta vindo do quarto de Paul, Derek saiu correndo até lá e Ian veio atrás de nós.Paramos na frente do vidro observando todos os médicos dando um ''tipo'' de choque em Paul, não conseguia acreditar que Paul estava tendo uma parada cardíaca!

Eles tentaram várias vezes, Derek não queria desistir dele porque sabia o que isso causaria em nós, e então, largaram os aparelhos, e Derek me olhou pelo vidro e pude ler em seus olhos que não havia mas nada a fazer, senti lágrimas grossas escorrerem pelo meu rosto enquanto vi Ian saindo chorando do hospital.

 


Notas Finais


Alguém ai chorando???Sim, eu tinha que acabar o capítulo na parte mais importante para deixar aquele arzinho de curiosidade kakakka Mas relaxem, respirem fundo, bebam água, não chora, e vai para o próximo capítulo que tem muita história pra contar ainda!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...