História Hate Love & Revenge - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), T-ara
Personagens Eunjung, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Imagine Jungkook, Passado, Vingança
Exibições 73
Palavras 1.736
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo III


Onze anos depois.


Já tinha se passado três horas e eu ainda estava correndo na trilha que tinha no meio da floresta, eu estava cansada e com sede, mas o Chul é um pé no saco e não deixa eu parar um pouco.

E ele ainda diz que é uma punição, por eu ter comido a torta de amora dele, até por coisa boba ele me pune. Eu acho que vou morrer antes mesmo de fazer a minha vingança, por causa desses treinos

Você pesquisou sobre o Sr. Jeon?- ele perguntou me fazendo parar de correr.

Sim- eu disse colocando as minhas mãos no joelho com a respiração ofegante.

O que você sabe sobre ele?- ele cruzou os braços parando do meu lado- e pode continuar correndo.

Eu revirei os olhos e comecei a correr de novo, só que em uma velocidade que ele me alcançasse (é a mesma velocidade de antes).

Ele tem dois filhos, Jeon JungHyung que é o filho mais velho, e Jeon Jungkook, que é o mais novo- eu responde ofegante, virando uma curva que a trilha tinha.

Emprego do Sr. Jeon?- ele estava com as mãos nos bolsos da jaqueta e andava olhando pra mim e para o chão.

Candidato à prefeito de Seul- eu sentia o suor escorrer pela minha testa.

E da esposa dele?- ainda olhava pra mim com calma.

Estilista- eu fiquei olhando pra frente.

Moradia?- ele levantou uma sobrancelha.

Mansão, que nem parece uma mansão, pra falar a verdade- eu parei de correr, porque o relógio dele apitou.

Idade dos filhos?- ele ficou na minha frente, com o rosto sério.

O mais velho tem 23 anos ( idade inventada), e o mais novo 18 anos- agora a gente estava andando de volta pra casa.

Pesquise mais sobre ele, saiba a fraqueza dele e o que deixa ele mais forte- ele fez alguns gestos com a mão direita dele- como ele está sendo candidato à prefeito, vamos ter que descobrir tudo o que ele faz pra poder cumprir o que ele promete.

Se ele continuar cumprindo tudo que promete, ele vai vencer- eu olhei pra ele e depois para o chão, pensando em algo pra fazer o plano-.

Isso não vai acontecer- ele disse frio, olhando para o chão, e em alguns segundos eu fiquei confusa.

Como assim?- eu perguntei segurando o braço dele e olhando nos olhos dele.

Daqui uma semana, eu vou te levar para conhecer uma amiga minha- ele continuou andando- ela vai mudar o seu visual, vai te deixar parecido uma adolescente normal, depois de mais uma semana, você vai se mudar para o colégio do filho mais novo dele.

O que?- eu corri até ficar do lado dele.

Você vai se aproximar do filho mais novo dele, vai fazer o filho dele se apoixonar por você, enquanto isso você vai investigar sobre tudo da eleição do Sr. Jeon- ele olhou nos meus olhos sério.

E quando eu vou poder matar ele?- eu comecei a ficar brava, porque ele não chegava na parte que eu queria.

Depois que você revelar a verdade sobre ele, ele vai perder tudo que tem e vai ficar no buraco- ele ficou de frente pra mim e deu um sorriso que eu conheço bem- vai ser aí que você vai pegar ele, torturar e depois matar ele.

Agora você tá falando a minha língua- eu dei um sorriso de orelha à orelha.

Depois a gente foi pra casa, eu comi bastante sanduíches de frango e bebi bastante suco de limão, depois eu fui tomar um banho e fui dormir.

Uma semana depois.


Depois de uma semana treinando bastante, infelizmente chegou o dia em que o Chul me leva para a casa da amiga dele, pra eu mudar o meu visual.


Nossa querida, você cuida desse cabelo?- ela me perguntou mechendo no meu cabelo.


Eu só lavo ele, as vezes- eu dei de ombro sem ligar pra isso.


Apartir de hoje você vai ter que cuidar bastante dele viu?- ele começou a mexer no meu cabelo.


E depois de horas, com ela mechendo no meu cabelo, nas minhas unhas, com ela dando dicas de roupas que eu podia e não podia usar, e depois de ela ter passado maquiagem em mim e ter dito como se usa.


Eu finalmente pude me olhar no espelho e ver o que ela fez comigo.


Nossa- eu disse surpresa, vendo o meu novo reflexo no espelho que tinha ali.


Eu olhei para o meu pescoço e vi que a maquiagem que ela tinha feito em cima da minha cicatriz, tinha feito a mesma sumir, como se não tivesse cicatriz nenhuma ali.


Essa não sou eu- eu continuei me olhando no espelho.


Não é mesmo- o Chul apareceu, me fazendo virar e ver que ele também tinha mudado.


Você também?- eu dei um sorriso indo até ele.


É- ele ficou olhando para as roupas que ele estava usando- agora eu sou o seu pai, me nome é Lee Chul e você é a minha única filha, Lee Yang Mi- ele pegou no meu ombro e foi comigo até o espelho.


E eu- nós dois nos viramos e vimos a amiga dele, também bem mudada- sou a sua mãe, Lee Mi-cha.


Ela também vai nos ajudar com o plano- ele apontou pra ela, olhando pra mim.


Eu estou devendo muita coisa para o Chul- ela deu um sorriso e olhou pra ele com um olhar diferente- então para que nós fiquemos quites- ela andou até mim- eu descide ajudar vocês.


Obrigada por isso- eu dei um sorriso sem os dentes.


Não é nada de mais- ela deu de ombros e sorriu ainda mais.


Depois disso, o Chul explicou pra mim e pra Mi-cha o plano que ele tinha feito.


Mi-cha era uma maquiadora bem conhecida em Busan, e ele era um advogado bem rico, enquanto eu só era a filha normal deles que ganhou uma bolsa de estudos na escola onde o filho do Sr. Jeon estuda. Nós morávamos em Busan, mas por causa dos empregos dos meus "pais" e por causa da minha bolsa de estudos, nós nos mudamos para Seul.


E graças à um amigo do Chul, que era bem rico, nós conseguimos uma "mansão" na mesma rua que o Sr. Jeon mora, e daqui uma semana, como o Chul disse, nós vamos nos mudar pra lá.


Por isso que nesse momento eu estou preparando as minhas malas, com as roupas que a Mi-cha comprou pra mim e com algumas minhas que eu gosto de usar.


Está ansiosa?- eu me virei e vi o Chul encostado no batente da porta, com os braços cruzados.


Muito- eu dei um sorriso de lado e me virei de frente pra ele- e você?


Eu sempre estive, deis de que ele matou a minha família- ele parou e olhou pra baixo- eu sempre quis matar aquele cara.


Mas ele não vai reconhecer a gente?- eu perguntei um pouco preocupada.


Você mudou bastante nesses últimos onze anos- ele deu de ombros- tanto físicamente quanto mentalmente, eu não ficaria preocupado.


Mas é você, você não mudou quase nada- eu apontei pra ele com a cabeça.


Na última vez que ele me viu, eu era mais jovem que isso- ele apontou pra si mesmo- ele não vai me reconhecer.


Que bom- eu disse baixo, mas parece que ele ouviu.


É melhor você ir dormir, amanhã temos muita coisa pra fazer- ele se virou e andou até o seu quarto- como a sua carteira de identidade- ele gritou a última coisa, me fazendo soltar uma risada.


Depois de eu ter colocado as minhas malas no chão, eu fechei a porta do meu quarto, apaguei as luzes e deitei na minha cama.


Espere por mim Sr. Jeon- eu dei um sorriso de lado- porque eu estou indo atrás de você.


Depois de dizer isso, eu virei de lado e fechei os meus olhos, pegando no sono logo em seguida.


Mais uma semana depois.


Com a identidade feita, com as malas prontas e com a casa no bairro onde o Sr. Jeon mora, também pronta, nós finalmente estamos dentro do carro que o amigo do Chul comprou pra ele, indo para o bairro.


Vocês estão prontas?- o Chul perguntou olhando pra Mi-Cha e pra mim.


Estou pronta- eu sorri de leve, e depois olhei para a vista que eu estava vendo da janela do carro.


Um pouco ansiosa, mas pronta- Mi-cha disse animada, fazendo eu e o Chul soltarmos uma risada.


E você Chul?- eu olhei pelo retrovisor pra ele.


Já nasci pronto- ele deu um sorriso de orelha à orelha.


Depois a gente ficou relembrando do nosso plano, até que o Chul fez o carro perder a velocidade e estacionou o mesmo na frente de uma casa enorme e bonita.


É essa casa?- eu sai do carro como eles também saíram.


É linda não é?- a Mi-Cha diz vindo para o meu lado, animada.


Muito- eu e ela ficamos olhando pra casa uma do lado da outra, mas diferente de mim ela estava mais animada e com um sorriso maior que o meu.


Olha, eu também gostei bastante da casa- nós duas olhamos pra trás e vimos o Chul tirando as malas do carro- mas não é só as minhas malas que estão aqui não.


Vamos- eu bati de leve no ombro da Mi-Cha sorrindo e depois fui até o carro e comecei a pegar as malas e levar até a casa.


E depois de alguns minutos carregando as malas e levando pra dentro da casa, eu fui pra dentro do quarto que o Chul disse que seria meu e comecei a arrumar tudo.


Até que eu olhei pra janela do quarto e vi que eu tinha um vizinho de janela, e comecei a escutar uma voz bem suave e depois o som de um violão sendo tocado.


Quando eu olhei direito, eu dei um sorriso de lado e cruzei os braços, porque quem era o meu vizinho de janela, era ninguém menos que o filho do Sr. Jeon.... Jeon Jungkook.


Eu pensei que seria melhor nós sermos vizinhos deles- eu olhei pra trás e vi o Chul vindo até mim.


Ótimo idéia Chul- eu virei o meu olhar para a janela de novo- olá Jeon Jungkook- eu disse só pra mim e pro Chul ouvirmos e dei um sorriso de lado, digamos assim... Maligno.


"Quando a gente menos espera, a vingança começa".




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...