História Hate That I Love You - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jennifer Morrison, Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cruella De Vil, Elsa, Fa Mulan, Lilith "Lily" Page, Regina Mills (Rainha Malvada), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Frozen Queen, Kristen Bauer, Meghan Ory, Morrilla, Ouat, Rebecca Mader, Red Queen, Swan Queen
Exibições 49
Palavras 3.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Once upon a time


O que foi?-Perguntei quando me virei e a vi me fuzilar com os olhos. Então lembrei da indireta da Meg sobre a sua filha ser de seu marido e a de Lana não. Dei de ombros. -- É a verdade,não é? -Lhe olhei com um pequeno sorriso,e Lana me fitou por um tempo em silêncio antes de se aproximar e perguntar.

-- É o que você pensa? - Analisei por um segundo a sua pergunta,e pensei que não tinha como responde-la,afinal eu não pensava nada,ela havia me dito e confirmado que o que nossa amiga dizia,era mais do que verdade.Então decidi lhe dizer nada mais que a verdade.--  Jen? É o que pensa? - Ela tornou a perguntar,e me sentei na cama antes de falar.

-- Bom,foi o que você me disse quando confessou que a filha do seu marido,na verdade é minha filha,não é mesmo? -Lhe olhei enquanto dizia. Lana veio ao meu encontro,também sentando-se,porém um pouco afastada de mim,em minha cama.

-- É verdade.. -Ela pareceu se dar conta e continuou,suspirando fundo antes de falar.-- Você deve estar se perguntando o que significa tudo o que eu disse essa  madrugada,não é? - Assenti com a cabeça,eu realmente queria entender tudo que ouvi,mas antes precisava falar uma coisa com ela.

-- Sim,quero! -Ela ia falar,mas não deixei. -- Mas não agora,primeiro quero lhe falar algo. - Lana me olhou confusa,mas fez que sim com a cabeça então continuei.--Você não devia ter dito aquilo - Lana me olhou parecendo não saber do que eu falava. Continuei.-- Sobre a mãe da Meghan! - Lana suspirou novamente antes de me olhar e começar a falar.

-- Eu realmente não quis dizer aquilo,mas você viu o quanto ela me provocou. -Olhei pra Lana com uma sobrancelha no alto,como que dizendo que não foi só ela quem provocou. Ela revirou os olhos.-- Tudo bem, mas eu precisava me defender. Ela me deu um tapa Jen! - Fez um biquinho adorável,mas que não me convenceu,apesar de ser contra violência,Lana bem que mereceu aquela bolacha,e eu mesma teria lhe dado,caso Meg não o fizesse. Ninguém magoava minha Meg como Lana fez.A olhei com olhos cerrados.-- Tudo bem,eu posso ter merecido um pouquinho.. -Continuei a lhe olhar. --Tudo bem, muito! -Assenti freneticamente com a cabeça, feito uma criança e Lana bufou me dando um tapinha no ombro,antes de continuar.-- Mas eu tinha certeza que esse assunto não fosse mais tão difícil pra ela,não dessa forma. -Lana deu uma pausa -Porque Jen,nós duas sabemos que a única a perder em toda essa história é a vaca da mãe dela,sendo quem seja, por ter deixado uma pessoa tão maravilhosa como a Meg. É de longe a mais linda,inteligente,especial,além da melhor e mais leal amiga que já tive. - Ela terminou e tinha lágrimas nos olhos.-- E tudo o que disse foi pra tentar me defender e quem sabe,tentar atingi-la um pouco,mas imaginava eu que ela já tivesse superado essa história. - Lana finalizou com a voz meio baixa e senti ela pôr sua cabeça em meu ombro,eu ao menos tinha visto que ela tinha se aproximado de mim.-- E sinto tanto que tenhamos nos afastado de forma tão.. Enfim,dessa forma. Todas nós!- Ao final da frase,minha amiga havia levantado sua cabeça pra me olhar de forma intensa.

--Bem,é a vida. -Disse retribuindo seu olhar. - Você quer..Comer alguma coisa? -Perguntei sentindo Lana acariciar minha coxa desnuda com uma mão e com a outra fazer um carinho em minha mão.--Eu estou faminta,e considerando que não tomamos  café da manhã,e já passam das.. -Olhei pro despertador que tinha em meu criado mudo e completei --10 da manhã -Disse surpresa em como o tempo havia passado rápido demais. - O que acha de prepararmos algo como um café pra nós enquanto conversamos e você me explica aquilo? - Perguntei baixinho vendo Lana assentir rapidamente com a cabeça, dei um meio sorriso e um beijo em seus cabelos, levantando da cama e chamando Lana pra fazer o mesmo.-- Então levanta essa bunda gostosa daí, que a comida não vai se fazer sozinha. Vamos gorda! - Provoquei vendo seus olhos crescerem em descrença e já me preparei pra correr, prevendo sua reação. E não deu outra,minha amiga deu um pulo da cama,me gritando pelo nome,enquanto corria atrás de mim que tentava me esquivar de seu toque. A mulher podia ser um pouco baixa e ter as pernas curtas,mas corria mais que notícia ruim. Ouvi sua voz rouca se aproximando e percebi que ela estava bem próxima e que não demoraria pra que me alcançasse. Até que senti um peso sobre o meu corpo, e em segundos que o mesmo foi ao chão,a morena tinha se jogado em cima de mim,e consequentemente tínhamos ido as duas ao chão. E lá estava duas mulheres feitas,deitadas no tapete da sala, feito crianças. Lana ainda sobre mim,teve a ousadia de me roubar um selinho,e depois levantar-se e me oferecer uma mão para fazer o mesmo,como se nada houvesse acontecido.-- Eu só não te puxo novamente pra te dar um beijo de verdade,porque não aguento mais o ronco do meu estômago -Segurei em sua mão fazendo um esforço maior que o necessário,quase lhe fazendo cair de novo.Lana fez uma careta e eu ri,antes de levantar de uma vez.-- E também porque estou em fase de crescimento e preciso comer- A morena fez um cara de quem diz "sei",não liguei e virei seu corpo de encontro à cozinha e abraçando-lhe por trás fui nos conduzindo até lá,enquanto deixava alguns beijinhos em seu pescoço cheiroso vendo seus pelinhos se arrepiarem e Lana suspirar baixinho. Sorri.

-- Será que podemos..?- Ela se desvencilhou de mim e foi de encontro ao fogão,indicando que começassemos a cozinhar algo. Ri mais ainda percebendo sua pequena fuga de meus toques -- O que foi?- Lana perguntou vendo meu sorriso. Dei de ombros,e caminhei até minha geladeira pegando duas lasanhas congeladas,já que era a única coisa que tinha pra comer ali,entreguei uma embalagem já aberta pra que ela pusesse colocar no forno já que ela estava perto do mesmo,fiz meio envergonhada pelo que ela diria.-- Ah,não acredito Jen!Você ainda come essas porcarias congeladas? - A olhei um pouco ofendida. Também não precisava falar assim.-- Só te desculpo porque lasanha é a minha predileta - Terminou com um sorrisinho cínico. Revirei os olhos,e abri novamente a geladeira pegando uma cerveja pra mim e um refri pra Lana,já que ela não era de beber.-- Mas refrigerante já é demais,hoje não é nem sexta e isso contém muito açúcar. -Novamente revirei os olhos e guardei a lata de volta,quando a ouvi dizer - Mas um dia só não faz mal. - Tornei a pegar e pus em cima da mesa com um pouco de força,olhando de cara  feia pra morena que gargalhava de mim.

-- Se decide Mulher!-Falei meio irritada,mas num tom brincalhão,o que a fez a rir mais ainda,fui me aproximando devagar e fiz uma cara que Lana já sabia o que significava a vendo arregalar seus grandes olhos em antecipação.-- Agora tu vai rir com vontade -Disse enquanto lhe cutucava as costelas num ataque de cócegas. Lana se contorcia e me pedia pra parar,mas não lhe dei ouvidos,parando apenas um tempo depois quando escutei o microondas apitar,nos avisando que nossa comida estava pronta.

-- Humm, muito tempo que não comia uma lasanha tão boa - Lana disse após dar à primeira garfada em seu prato,me olhando em seguida com um risinho irônico no rosto.

-- Debochada! -Mostrei a língua pra ela,dando um gole em minha bebida.-- Muito bem,já te dei comida,bebida,acho que agora mereço uma explicação certo? -Lhe perguntei num tom de malícia,porém sério. Ouvi Lana respirar fundo,antes de beber seu refri e começar.

Eu não sabia realmente se queria saber de tudo,mas estava bem curiosa pra entender pelo menos o lance do divórcio. Lana me contou que na verdade era seu marido quem estava querendo separar-se,justamente por estar doente e ter descoberto estar num estágio bastante avançado do câncer, e ao saber que teria pouco tempo de vida,aparentemente não queria ser esse peso na vida da morena,que claramente estava bem abalada com tudo isso. E por isso tinha aproveitado o hiatus na série que gravava pra dar um pulinho aqui e pensar calmamente no que faria. Em toda sua história o que mais notei foi o quanto ela amava esse homem. Ela realmente o amava,dava pra ver em como seus olhos brilhavam quando falava nele ou o quanto a ideia de ter que deixa-lo claramente  lhe abalava. E pensar nisso,me deu um aperto no coração,não que eu não amasse ela o suficiente pra querer sua felicidade independente de tudo,mas a realidade de ela ter me deixado pra ficar com ele,ser mais que pura aventura,começava a me atingir. Afinal de contas,ela não me amou tanto quanto eu a amei e ainda amo? Eu não tinha sido o suficiente pra  ela? Eram perguntas que me rondavam a cabeça enquanto a ouvia falar e falar sobre o homem de quem amava e com quem estava. Isso. Ela estava com ele,não comigo. Isso já deveria ser uma resposta mais que suficiente pros meus questionamentos. Senti meus olhos se encherem d'água e vi que não demoraria pra que essa água transbordasse pelos mesmos,e nunca que eu ficaria novamente tão exposta,tão vulnerável pra mulher em minha frente,então decidi que estava na hora dessa visita acabar,já tinha passado da hora até. Então com a voz mais ríspida e grossa que consegui, e ainda no meio de sua história pedi que ela fosse embora.

--Mas Jen.. -A interrompi.

-- Por favor Lana - Eu sentia que não seguraria por mais tempo.-- Estou pedindo.. - Abaixei meus olhos,evitando olhar-lhe ou eu quebraria naquele momento,ouvi a cadeira mover,indicando que ela se levantava. Andou um pouco,ainda parando em minha frente.

-- Se você quer assim,tudo bem.. Te ligo pra falarmos sobre nossa filha. -Eu apenas consegui assentir lentamente com a cabeça enquanto ainda olhava pro chão. -- Adeus Jennifer! - Lana disse e pelo canto do olho,vi ela se dirigir a porta,e bater a mesma com um pouco de força. E só então me permiti chorar.


Faziam algumas horas que Lana havia ido embora,meu choro também.Após o que pareceu uma eternidade em que passei chorando em meu sofá me dei conta do que fazia,e no mesmo instante repreendi-me por tal coisa.Eu não sofria por aquela mulher fazia anos,e não seria agora que eu voltaria a faze-lo,não iria deixar que ela desgraçasse minha cabeça de novo,outra vez não. Há 10 anos ela já havia feito isso,de uma forma em que pensei que nunca mais conseguiria voltar a ser o que era antes,mas eu consegui e não estragaria minha vida novamente por causa dela.Com esse pensamento,levantei do sofá de um só vez,tendo em mente que eu viveria minha vida sem nada em meu caminho,nada de passado ou coisas assim,somente o presente.Ouvi meu celular tocar em meu quarto,e subi as escadas correndo,lembrando que não tinha retornado a ligação de Jen,e que minha secretária deveria estar preocupada.

-- Sim? -Perguntei ao pegar o aparelho e levá-lo ao ouvido. Eu sabia quem era,tinha visto no identificador,mas preferi fingir que não.

-- Sim? É tudo que você tem a dizer Jennifer Morrison? - Escutei minh secretária esbravejar no telefone e soube que eu a irritara de verdade,pois Jen raramente ficava estressada dessa forma.

-- Olha,Jen.. Me desculpa. -Ela me interrompeu.

-- Não tem Jen não,Marie! -Disse e a ouvi suspirar longamente. --Você sabe quantas crianças estavam marcadas pra hoje? 10 Jennifer! - Fiquei surpresa,realmente não esperava que fosse tanto.-- Sim,10. todas agendaram uma consulta com a psicóloga Morrison,e a Doutora ao menos ligou-me pra avisar que não viria. - Completou Jen dizendo meu título com muito sarcasmo na voz.

-- Ei -Chamei quando perecebi ela ficar em silêncio.-- Realmente sinto muito,eu acabei tendo um imprevisto e quase não dormi a noite, a verdade é que essa madrugada e o início de manhã foi bem agitado e.. confuso? - Saiu como uma pergunta,mas estava mais pra afirmação.-- Mas eu deveria ter ligado,só que com toda a.. - Dei uma pausa,não sabendo o que dizer.--..toda a situação,acabei esquecendo,mais uma vez,desculpe. -Pedi e ouvi Jen suspirar mais uma vez antes de me responder.

-- Tudo bem,Jen!Na verdade Meg me ligou contando sobre o ocorrido. - Disse e na mesma  hora,gelei.-- Ela não explicou muito bem,só disse que você hava tido uma noite ruim e que ia me ligar,mas você demorou,então.. - Terminou e soltei a respiração que eu nem percebi ter prendido. Eu não sabia realmente se queria contar a Jen sobre o que tinha acontecido de verdade,pois se Meg havia reagido daquela forma,eu sabia que com ela não seria nada diferente,talvez fosse até pior.Eu conhecia bem as amigas que tinha e Lana não era bem uma pessoa que elas gostassem muito no momento. Respondi minha amiga,dizendo que isso não se repetiria, ela ainda me falou sobre as inúmeras consultas que eu teria amanhã por conta de não ter faltado hoje,desligamos comigo garantindo que eu só faltaria amanhã se estivesse morta e Jen disse que até desse jeito eu teria que estar presente,agradeci seu afeto,de forma irônica e minha amiga e secretária finalmente encerrou a ligação mandando um beijo e dizendo que me amava. Disse que também lhe amava e desliguei meu celular,me jogando em minha cama em seguida, eu precisava dormir. Precisava muito.


Acordei um tempo depois com o barulho do meu celular apitando,notificando que eu havia recebido uma mensagem,esfreguei as vistas tentando lembrar-me em que lugar estava,olhei ao redor percebendo ainda estar no meu quarto.Olhei pro lado pegando meu celular sobre a mesinha de cabeceira o desbloqueando pra me deparar com uma mensagem de um número desconhecido. Franzi a testa tentando me recordar de alguém que eu conhecia que tivesse esse número,mas ninguém me veio a cabeça,resolvi olhar o conteúdo pra ver se achava uma pista de quem pudesse ser.

"Desculpa te incomodar,mas precisava falar com você e tinha certeza de que não iria querer me ver, mas eu queria dizer que estou voltando pra Vancouver essa madrugada e pensei que talvez pudéssemos marcar algo..Se quiser, liga pra esse número, já estou com saudades!" -Lana Parrilla

Li e reli inúmeras vezes e só consegui sentir  mais raiva a cada palavra.Queria realmente entender o que se passava na cabeça dessa mulher pra me fazer um convite desses ,o que ela pensava? Que nós havíamos voltado apenas porque eu a tinha acolhido em minha casa uma noite e porque trocamos alguns beijos? Se fosse isso,Lana estava bem enganada. Porque mais do que nunca eu não lhe queria por perto, nem mesmo como amiga,que dirá algo mais, e se ela achava que mesmo estando com seu marido,poderia me ter a hora que bem entendesse, mais uma vez,estava redondamente enganada. Não faria o papel de sua amante, e nem serviria de consolo pra quando ela não pudesse estar com seu marido,não mesmo. Olhei a hora em meu celular e vi que havia dormido bastante,pois já passava das 20hs da noite.
Ainda deitada,resolvi fuçar minhas redes sociais,vi alguns tweets relacionados às divulgações da próxima temporada de Once Upon  a Time que prometia vir com tudo,eu apesar de toda desavença com uma das protagonistas,gostava muito da série,mais que isso era uma Oncer assumida,e admito também Evil Regal,que eram como eram chamados os fãs da Regina/Evil Queen,personagem da Lana. Eu realmente adorava sua atuação,independente de tudo,a maldita era uma puta atriz,e de certa forma eu me orgulhava da ótima profissional que ela havia se tornado.Também pensava que não  devia ser nada difícil interpretar alguém tão cruel,frio e má como Regina Mills,já que se assemelhava bastante com o que Lana Parrilla era na realidade e algumas vezes eu me pegava desejando que ela continuasse sofrendo como vinha fazendo em praticamente todas as temporadas como algumas vezes também quase chorava apenas por ver minha ex-amiga-namorada chorar. Zapeando o feed,ainda no twitter vi algumas fotos de algumas convenções que Lana havia participado divulgando a nova temporada,e algumas entrevistas que havia feito.Dei play em um vídeo que ela tinha postado em seu perfil,falando sobre o que aconteceria com Regina agora que sua amada,Emma havia sacrificado-se por ela, virando a nova Senhora das trevas,como ficaria a relação entre as duas,se ela salvaria a salvadora, e tal.Lana apenas respondia a tudo simpática com um sorriso no rosto,mas sem dar muitos spoilers obviamente, eu sorria apenas por ve-la sorrir e me chutei mentalmente por talvez nunca consegui deixar de amar essa mulher.Em todas as suas fotos,sozinha ou com fãs,ela tinha um sorriso lindo,o meu sorriso,o sorriso que eu amo e agora talvez o mundo também amasse,pois Lana sempre fora assim,por onde passava cativava a todos ao seu redor, com seu carisma,bom humor e também por seu grande otimismo e sua ótima capacidade de conseguir ver o lado bom em tudo fosse de algo ou alguém.Eu simplesmente amava seu jeitinho de ser,cada mínima partezinha daquela morena que deixava qualquer um babando,por onde passasse,até mesmo seu jeitinho grosso  de ser, adorava quando ela ficava brava pois conseguia ficar ainda mais linda,se é que era possível,sendo por uma bobagem ou até por algo realmente sério,adorava suas caras e bocas,o modo que gesticulava ao relatar alguma história,e ainda quando brigávamos e  ela me xingava e me mandava pro inferno,ainda sim eu conseguia ama-la infinitamente mais,pois a maioria de nossas discussões sempre terminava com Lana gemendo meu nome,ou algo do gênero.
Eu costumava lhe dizer que ela podia até ser de câncer,mas que tinha ascendência em escorpião,isso era fato.Eu até mesmo tinha uma frase típica de uma escorpiana que definia totalmente minha morena que era algo como"É só olhar e ver,um verdadeiro enigma,não queira conhecer" era basicamente como Lana era e ainda é.Sem tirar nem pôr.Às vezes me ocorre de pensar no dia em que nos conhecemos e desejar que eu nunca tivesse saído de casa,que eu não tivesse insistido tanto pra que mamãe me levasse ao parque aquela tarde e daí então penso que talvez minha vida não fosse a mesma, e que talvez eu tivesse seguido rumos totalmente diferentes,se nunca houvesse conhecido Lana Parrila e que talvez,só talvez a minha vida não tivesse sentindo nenhum,mas quem pode dizer-me o que teria acontecido? Ninguém.

Passei rapidamente por mais algumas fotos,e decidi que estava na hora de realmente parar de sofrer. Coloquei meu celular de volta onde estava antes,e peguei o controle da TV ligando no site da Netflix, como tinha dormido bastante a tarde,resolvi pedir uma pizza,enquanto colcocava a primeira temporada de Oaut pra rodar no televisor. Se estava sendo trouxa? Sim,estava. Porém,de certa forma não seria exatamente Lana Parrilla  quem eu veria e sim Regina Mills,que por sinal ficava bem sexy naqueles trajes de Rainha,e uma Rainha Má então, conseguia ser mais sexy ainda. Se ela soubesse a quantidade de fantasias que eu tinha com ela,a Regina obviamente.Com meia hora de série,ouvi batidas na porta e deduzi que fosse o entregador,já que eu havia pedido pelo ifood,que era bem prático e o melhor de tudo não havia interação humana,que era o que eu menos desejava no momento,e por ser bem rápido todas as vezes em que já pedi levantei,pegando o dinheiro,pausando a série exatamente na cena em que a Rainha Má invadia o casamento da Branca de neve ameaçando seu reino e a felicidade de todos,o foco estava todo em seu rosto e boca,que se encontrava entreaberta já que ela estava prestes a dizer seu famoso bordão. Desci correndo e abri minha porta do mesmo jeito,vendo Meghan parada em minha frente,segurando minha pizza enorme. Tinha pedido uma tamanho família já que estava com a fome de uma.Minha amiga sorria,me entregando a caixa e pegando o dinheiro que eu daria pro entregador de minha mão,ainda sorrindo pôs o mesmo no meio de seus peitos.

-- Porque o frete né de graça né loira? -Falou de forma debochada mas com um sorriso malicioso se formando em seu rosto.-- Mas.. Se quiser - Apontou pro sutiã onde tinha posto a nota. -- Pode vir pegar! - Disse piscando e me empurrando pra dentro do meu apartamento pelos ombros, fechando a porta,e me prensando na mesma em seguida. -- Então..? - Meg sussurou em desafio, respirando perto da minha orelha. Deu um beijo em meu pescoço,e se afastou pegando a caixa de minha mão e indo em direção a cozinha rindo debochada. -- Você nunca resiste né loira? - Gritou de lá enquanto que eu ainda meu encontrava parada,feito boba.


Notas Finais


SIM!

Pq se não tem SQ,nós faz ter SIM u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...