História Hate you, but i love you. (VKook/TaeKook) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 482
Palavras 3.692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção, Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaaaá amoras lindas da minha vida 💙
Primeiro de tudo gostaria de saber se vcs estão bem né? Pq se tem uma coisa que a Bighit e o Bangtan tá fazendo é destruir os nosso psicológico então não custa nada perguntar.
A att demorou mas chegou!
Gente estão acontecendo uns bangs comigo e eu estou escrevendo outra fic com a minha prima então demorou mesmo, mas tá aqui e espero que gostem.
Desculpem os erros e boa leitura ❣

Capítulo 14 - Capítulo 14


Fanfic / Fanfiction Hate you, but i love you. (VKook/TaeKook) - Capítulo 14 - Capítulo 14

                (POV JungKook)

O telefone toca alto me fazendo despertar com brusquidão.

Na noite anterior havia saído com Hoseok,Yoongi e Taehyung para o cinema, nosso convívio vinha melhorando bastante e se eu soubesse que as coisas poderiam se resolver tão rápido teria feito isso muito antes. Já tinha se passado dois dias depois da conversa e sempre que eu podia mandava alguma mensagem, dá mais simples à mais sacana e ele não parecia se incomodar tanto como antes.

Como havia dormido muito tarde, não consegui acordar cedo para uma reunião familiar, ou seja estou bem ferrado, já que a Sra. Jeon odeia atrasos.

Pego o celular que estava em cima do criado-mudo e atendo exitante.

- Oi, mãe. - falo sem muito ânimo.

- Jeon querido, onde você está? Eu e o seu pai estamos esperando por você já faz um bom tempo. - a voz delicada do outro lado respondia com o tom preocupado.

- Não é nada, só saí ontem e cheguei tarde então descontei no sono.

- Quantas vezes tenho que te pedir para que pare de sair tanto? - me pergunta fazendo com que eu revire os olhos pelo drama.

- Só fui ao cinema mãe… Enfim, já que ligou vou tomar uma ducha e a gente se vê daqui à algumas horas, tudo bem? - pergunto com o intuito de terminar a ligação o mais rápido.

- Okay querido, até mais.

- Até. - desligo. Com um longo suspiro me jogo na cama esperando que o sono chegue novamente, o que não funciona.

Desbloqueio o celular que tinha bloqueado há alguns minutos e procuro pelo contato que por incrível que pareça melhora o meu dia.

                         Você: Bom dia!

Espero pela resposta mesmo achando pouco provável uma imediata mas sou pego de surpresa quando o telefone vibra, sem esperar muito clico na mensagem.

                       Esquentadinho: Eu não sei se fico surpreso por você já estar acordado, ou por não falar algo pervertido.

Leio a mensagem e o sorriso automaticamente surge em meu rosto, sem demora volto à responder.

                     Você: Aceitaria um "Bom dia pra você também Kookie" mas tudo bem.

Recentemente uso a forma que Taehyung me chamou como provocação quando o mesmo estava provavelmente frustrado com nossa aproximação

                      Esquentadinho: Bom dia pra você também babaca.

           Você: Espero que já tenha mudado o nome do contato, eu não acredito que você salvou como "babaca", é bem desagradável.

                Esquentadinho: Então é o nome de contato perfeito para você!

Tae não perderia de forma alguma a tentativa de me ofender porém mal sabia ele que eram essas nossas discussões que deixavam as coisas interessantes. Não tenho grande afinidade com pessoas como Taehyung, a prova disso é a forma em que nos relacionamos mas já estou tão acostumado com sua autodefesa, se é que posso chamar assim as suas patadas, que até acho estranho quando elas não acontecem.

                   Você: Você deveria fazer algo útil como vir na minha casa deixar que eu te ensine como ser um bom garoto!

            Esquentadinho: Começou… Tchau Jeon, eu tenho mais o que fazer.

                  Você: Pense bastante em mim docinho.

Taehyung visualizou a mensagem mas não respondeu o que significa que eu mais uma vez tirei ele do sério, ao concluir isso minha manhã parece melhorar noventa e cinco por cento, bloqueio o telefone e caminho até o banheiro para fazer minha higiene básica matinal.

Tento me concentrar no banho mas ao pensar que irei encontrar meus pais depois de alguns meses sem vê-los, me causa ansiedade porém como nada na vida é fácil e agradável, alguns familiares não muito queridos por mim estarão lá e a última lembrança que eu tenho sobre essa reunião não são muito boas.

Passo a mão nos cabelos escuros tirando todo o excesso de shampoo com o aroma amadeirado, poderia ligar para os meus pai e cancelar tudo porém a vontade de encontrá-los era maior do que uma discussão de merda que tive com alguns tios idiotas.

Após o banho procuro por roupas que costumo usar mesmo sabendo que essa simples escolha será motivo para comentários negativos, procuro pelo jeans novo que eu havia comprado, ele era escuro com os joelhos detonados a camisa preta e uma jaqueta de couro na mesma cor, não tinha muita escolha já que o no closet as opções eram mínimas, depois de um tempo me arrumando coloco botas pretas de cano baixo, caminho até onde guardo alguns dos meus cordões e relógio escolho algo discreto já completamente despojado e perfumado caminho até o andar de baixo.

Procuro pela chave do carro que estavam em cima do balcão e me retiro o mais rápido do local, mesmo irritado por esperar pelo elevador mostro um sorriso gentil ao me encontrar com uma vizinha, muito gostosa mas que infelizmente não faz meu tipo.

- Bom dia! - me comprimenta e ajusta o vestido deixando o decote ainda mais visível.

- Ótimo na verdade. - me refiro a sua presença e a mesma percebe.

- Ontem não te vi por aqui, não que seja normal te ver por aqui sempre, na verdade é até bem raro… - Hani tenta reformular o que havia dito mas parece se complicar a cada tentativa.

- Então quer dizer que você vem me observando? - pergunto divertido. A mesma fica constrangida com a pergunta, não que eu não soubesse que ela tinha um certo interesse em mim mas não faria mal me divertir um pouco com a situação.

- NÃO, pelo amor de Deus não pense algo assim…

- Eeeii calma - cortei o que falava e com muita força de vontade não gargalhei da sua cara de desespero. - Eu estava brincando. Ou acha mesmo que eu pensaria sequer na possibilidade de que você faria isso? Você não tem motivos para tal, ou estou errado?

- Claro que não. - coloca a mão no peito e respira aliviada. - Não mesmo!

- Então… Foi bom te ver, até a próxima. - me retiro do elevador antes mesmo de receber uma resposta.

Hani era bastante atraente mas a facilidade de levar ela para cama era três vezes mais, me chamem de abusado ou algo assim mas mulheres como ela só deitam minha cama quando não encontro uma boa diversão.

O carro estava estacionado bem próximo a saída do prédio, sigo até onde se encontrava, destravo e dou partida. Durante todo o caminho até a minha chegada o celular vibrava com mensagens aleatórios, em qualquer outra ocasião eu leria ou atenderia mas decido ignorar, a viagem estava tranquila até o carro ser tomado por uma das músicas que Taehyung não parava de escutar recentemente e esse fato me faz sentir falta da sua presença, descobri que somos bem parecidos por mais que ele insista em dizer que somos completamente diferentes.

Depois de meia hora no trânsito finalmente chego ao meu destino, estaciono o carro do lado de fora já que não perderia muito do meu tempo alí. Caminho a passos lentos até a frente da grande mansão que julgo um pouco exagerada e automaticamente os portões são abertos, nada havia mudado, tudo nas suas devidas cores e limpeza, algumas pessoas que trabalhavam na casa ficaram surpresos ao notarem minha presença, acho que no último encontro familiar as coisas realmente deram o que falar.

Alguns dos seguranças do local se curvam quando passo, não via tanta necessidade com toda aquela formalidade mas talvez meu tio tenha total razão, eu não deveria fazer parte de algo tão importante.

Foda-se os negócios da família eu não perderia meu tempo nem que isso fosse uma grande desonra ao meu pai no mundo dos negócios, ele nunca me obrigou a nada mas imagino o grande desapontamento que teve quando neguei que faria parte, a empresa da família não era tão grande como muitos outros mas eram bastante respeitados por fazerem boas ações e grandes negociações.

Depois de quase uma década de caminhada chego a grande entrada que me leva ao luxuoso hall do local, o lugar era coberto por tons dourados, creme e vermelho, todas as cores em completa harmonia, os grandes lustres de cristal que cobriam o teto davam um toque ainda mais sofisticado, finalmente haviam mudado algo já que antes do lado de dentro as cores eram bem mais escuras.

Antes que eu possa chegar na sala principa minha mãe surge no corredor que levaria até lá, parecia emocionada em me ver depois de tanto tempo, apressou os passos para me alcançar como se por algum momento eu fosse embora sem lhe dar um simples abraço, sem palavra alguma me puxou para um enquanto me agarrava forte.

- Meu garoto, você está tão diferente… - para e volta a olhar cada parte de mim. - Como meses podem ter feito tanta mudança? Você está tão forte… Como?

- Mãe sem exageros por favor. - seguro seus ombros, facilmente me arrancou um sorriso com toda a sua preocupação já prevista por mim. - Eu continuo o mesmo, foram só alguns meses.

- Não foram alguns meses Jeon, foram onze meses! Quase um ano, você tem noção do quanto isso foi o bastante para acabar comigo? - pergunta com os olhos marejados.

- Mãe para com isso, eu estou aqui, ou acha que eu deixaria de infernizar nossa família tão fácil assim? - pergunto irônico, ela me olha com a feição pouco chateado e quem sabe até magoada.

- Não fale assim, por favor querido… se comporte, hum? - me olha com espectativa.

- Não se preocupe. - me afasto o que lhe deixa aflita. - Não estragarei um jantar tão importante da família Jeon novamente.

- Você sabe que nada é mais importante para mim e o seu pai do que a sua presença não é? - pergunta esperançosa.

- Claro, mas é uma pena que não seja para todos presentes. - antes que ela possa me responder alguns passos nos interrompem, ao olhar para trás vejo meu pai coberto por roupas caras e bem vestido o mesmo sorriu ao perceber quem era o badboy que estava presente na casa.

- Essa era a sua melhor roupa? - pergunta ao lembrar da conversa que tivemos quando conseguiu me convencer à vir.

- Eu disse que tentaria… - deixo escapar uma das minha risadas cínicas, como assim os meninos denominaram.

- E por um acaso tentou? - se aproximou com os braços abertos.

- Como um bom pai você conhece o bom filho que tem, então sabe muito bem a resposta. - então nos abraçamos forte e meu pai passa as mãos no meu ombro, o gesto me faz voltar no tempo e o lugar não parece tão ridículo como antes.

- Senti falta da sua sinceridade. - meu pai sussurrou. - É difícil encontrar alguém como você.

- Eu sei.. - me afasto, tínhamos a mesma fisionomia e se ele não tivesse os cabelos grisalhos era possível que nos confundissem como irmãos.

- Os outros estão esperando… Vamos?! - aperta meu ombros e espera pela resposta.

- Claro.

Minha mãe se aproxima e toca minha mão timidamente, entrelaço nossos dedos para mostrar que estava tudo bem e assim caminhamos até a sala, ao passar pela porta vários dos meus familiares estavam presentes o que me fez ter uma vontade súbita de abandonar o local, todos vestiam roupas adequadas e porte fino, claro que o rebelde deveria quebrar os padrões novamente.

Os primeiros olhares que me foram lançados eram surpresos e os seguintes era divididos entre o desprezo e incômodo os que eu tanto esperava, mas se acham que eu Jeon JungKook me sentia mal com a situação é porque realmente não me conhecem, com meu melhor sorriso comprimento todos.

- Sentiram minha falta? - pergunto sínico. - Porque eu senti a de vocês. - cuspo sarcasmo para todos na sala. Minha mãe se mostra tensa enquanto meu pai parece tentar ao máximo não rir da minha atitude.

Todos na sala permaneciam calados, vários eram familiares distantes mas sabiam muito bem sobre mim, ou o que as pessoas comentavam.

- Que recepção… - comento alto sem me incomodar que escutassem.

- Jeon querido, a quanto tempo. - minha tia avó se aproximou, analisou bem minha vestimenta e foi difícil esconder o desapontamento, me curvei diante da mesma e fui recebido por um abraço. - Ao menos lembrava que seria um almoço em família e não um dos seus "rolês"… é assim que se diz não é? - sussurrou a última frase o que me fez rir de imediato.

- Quanto tempo tia… - e assim como ela baixo o tom de voz para que apenas a mesma escutasse. - A tia você sabe que eu nunca lembraria se não tivessem me ligado e sobre a roupa, essa situação toda é um porre… acha que eu me importaria? - como de se esperar ela ri escandalosamente e bate nos meus ombros levemente.

- Meu garoto! - minha mãe põe as mãos no rosto e balança a cabeça em negação, sempre disse que as nossas personalidades eram bem parecidas o que eu nunca neguei por ser verdade, talvez ela e os meus pai eram os que eu mais sentia falta.

- Acho que já podemos nos servir então… - meu pai anúncia, todos caminham até a mesa onde tudo estava posto.

- Pai, eu preciso ir no banheiro antes, com licença. - ele concorda e minha mãe o acompanha até a grande mesa.

Pego meu telefone e respondo algumas mensagens do Seokjin e Namjoon, Taehyung não havia mandado nenhuma e como esse fato me incomodava decidi mandar.

                            Você: Muito ocupado?

Espero pela resposta que não volta rápido como eu imaginava. Lavo meu rosto pedindo forças para aguentar tudo que viria assim que descesse.

           Esquentadinho: Sim, estou tendo um ótimo momento e você está atrapalhando.

Enxugo o rosto e as mãos para responder rapidamente.

                   Você: não me diga que você está melhor do que eu tendo uma boa foda?

               Esquentadinho: Jeon eu sempre te digo que odeio perder meu tempo com coisas ou pessoas inúteis como você, mas parece que ainda não aprendeu. Fala logo o que você quer!

                Você: Se me disser o que está fazendo eu não te irrito mais, ao menos por hoje.

           Esquentadinho: Fazendo compras para hoje a noite.

Paro um pouco para refletir sobre a importância dessa noite.

           Você: Por acaso vai ter algo importante e eu não sei?

           Esquentadinho: A festa do Minjae.

Festa do Minjae.

Ler aquela frase sem dúvida alguma fez voltar o meu estresse que ainda não tinha esgotado.

                 Você: Não foi você que acabou de me dizer que não perde tempo com pessoas ou coisas inúteis?! Sinceramente…

            Esquentadinho: Jeon por favor não começa só me diga logo o que você quer.

                   Você: Esqueça!

Irritado bloqueio o celular e volto para o andar de baixo, não ia perder meu tempo aconselhando quem não se importava e pensar em Taehyung naquela festa com Minjae piorava meu humor.

Quando estou voltando para o andar de baixo onde todos estavam acabo me chocando com uma garota que quase caí mas eu como um bom cavalheiro seguro seus braços impedindo que tal coisa acontecesse, quando a mesma se recompõe me olha um pouco surpresa e eu não poderia estar mais arrependido de ter ajudado "A coisa".

- Gosta do que vê? - provoco.

- Até parece garoto, na verdade estou bem surpreso de você ter a cara de pau em vir aqui. - Jennie responde com certo desprezo.

- Não sei se você percebeu Jennie, provavelmente não então, essa mansão são dos meus pais então a sua resposta não fez muito sentido.

- Não, nada que eu veja em você é atraente, pelo contrário e eu nunca ficaria com alguém de má reputação como a sua. Assim está bom pra você? - pergunta com ironia.

- Na verdade eu até aceitaria essa se você não tivesse incluído a má reputação já que eu não estava com uma vida aqui - apontei para minha barriga. - E não sabia quem era o pai. - se o lance é jogar baixo então é comigo.

- Eu não estava grávida! - responde enfurecida e um pouco abalada.

- Huum, então foi alarme falso? Que bom para o pai e a criança que não existia. - respondo pensativo.

- Imbecil! - caminha com passos duros até o banheiro.

- Se apresse por favor, não vai querer perder um encontro tão importante como esse. - Antes que eu possa virar e seguir o caminho de antes ela me levanta o longo dedo do meio.

Ao chegar minha mãe me indica onde sentar, meu pai estava na ponta e eu estava ao seu lado de frente a ela, todos tentavam manter uma conversa tranquila e descontraída sem muitos assuntos envolvendo a empresa, era perceptível que meu pai havia falado para não falassem, Jennie se juntou a todos na mesa e ignorou minha presença, se bem que eu estava tão calado e "comportado" o que não era do meu feitio, que não mudou muito alí. Estava tudo indo bem até demais até meu tio que até agora havia falado o necessário começar a realmente me provocar.

- Johny vem conseguindo bastante destaque na mídia por causa do seu cargo na empresa. - enaltecia o filho e irmão da Jennie.

- Isso é ótimo. - meu pai comentava enquanto bebia um gole do seu vinho. - Está recebendo o reconhecimento que merece!

- Obrigado tio. - Johny se curva ainda sentado. Ignoro o assunto e pego meu celular que vibra, na tela anunciava que Yoongi tinha me mandado mensagens.

Yoongi: Está em casa?

Estranho Yoongi está me mandando mensagem ainda mais me fazendo uma pergunta como essa.

Você: Não. Algum problema?

Yoongi: Não, só falar que hoje não teremos a social de sempre. Namjoon levará Seokjin para um jantar em família, eu e Hoseok programamos algo e como você provavelmente sabe o Tae vai para festa que o Sr.Forçado organizou. Não sei bem os planos do Jimin mas ele também não estará por aqui hoje!

Você: Okay, obrigado por falar!

Novamente o lance do Taehyung ir na festa do Minjae me incomoda, sinto alguém tocar meu braços, meu pai assim como todos da mesa me encaravam.

- O que foi? - pergunto automaticamente.

- Se você está se sentindo bem, parece nervoso. - minha mãe comenta um pouco preocupada.

- Claro que estou bem, não precisa se preocupar.

- Ótimo. - meu tio solta os talheres no prato. - Então voltando ao que eu perguntava, como vai sua faculdade JungKook?

- Ela vai ótima, obrigada por perguntar. - respondo superficial.

- Que bom pra você não é? E o que tem feito? Está trabalhando… - corto o mesmo sem muita educação e paciência.

- Isso é importante ou você só quer me mostrar o quão bom o seu filho é para dirigir a empresa que eu recusei? - pergunto​ enquanto viro a taça de vidro com o vinho engolindo o líquido facilmente.

Meu pai toca minhas mãos como um pedido para que me acalmasse.

- Na verdade era uma pergunta simples. Como seu tio eu me preocupo…

- Não, por favor. Isso não combina com você, chega a ser ridículo, não tente esse tipo de drama! - me levanto da mesa e automaticamente meus pais fazem o mesmo. - Mãe e pai eu preciso ir!

- Mas já querido, você nem ao menos comeu direito. - responde enquanto aponta para meu prato.

- Não se preocupe me falta apetite no momento. - olho na direção do meu tio que arquea a sobrancelha.

- Fique só mais algumas horas filho?! - meu pai tenta me convencer a permanecer, mas se eu ficasse naquele lugar recebendo aquelas provocações que parecem pequenas era provável que eu perdesse a cabeça e mandaria todos naquela mesa se foder.

- Pai eu adoraria ficar mas preciso ir, prometo voltar no próximo final de semana. - os dois fazem menção de me acompanhar mas nego no mesmo instante.

- Não se incomodem. - caminho até minha mãe e beijo sua testa. - Não se preocupe, eu volto logo! - sussurro, ela apenas acente inconformada.

- Tchau. - aceno para meu pai que retribue o gesto e saio do local.

Não tinha como permanecer naquela casa, mas como o prometido eu viria logo. Com passos lentos alcanço os portões que são abertos quando estou próximo, entro no carro e faço caminho até meu apartamento que em apenas algumas horas distante me faz falta.

O caminho estava tranquilo pelo horário, ligo o som e me deixo levar pela música calma e lenta que invadiam meus ouvidos, o celular passa a tocar na melhor parte do refrão e eu até ignoraria se o nome do contato não tivesse me chamado atenção.

- Yoona… que surpresa!

- Sim, já faz uns dias que não nos vemos mas decidi te chamar para sair.

- Claro, para onde quiser…

- Minjae me convidou para festa que ele vai dar então decidi te chamar para me acompanhar, o que acha?

Fico alguns segundos calado sem saber como despensar o convite.

- JungKook?

- Sim..

- Vai me acompanhar ou não?

Antes que eu possa responder tenho uma boa idéia de como aproveitar bem essa saída.

- Claro, que horas eu passo pra te pegar aí docinho?

Uso o duplo sentido ao mencionar o "pegar" e posso escutar Yoona rindo no outro lado da linha.

- Depende… mas se estiver se referindo a festa pode passar às doze.

- Okay então, nos vemos às doze!

- Até!

Desligo o telefone e me sinto mais leve por saber que Yoona não tinha se chateado como eu imaginava mas o que melhorou mais foi confirmar a minha ida naquela festa fodida, porque assim eu ficaria de olho no Kim caso Minjae viesse de gracinha o que era óbvio, sempre percebi os olhares que eram lançados ao Tae e que obviamente não eram correspondidos, então a melhor forma que ele tinha de conseguir o Tae para si era na festa e eu Jeon JungKook não permitiria isso.

Não permitiria que me roubassem a chance de mostrar para ele…

O que eu estava começando a sentir!


Notas Finais


Espero que o capítulo não tenha ficado chato e com muitos erros💙


Sobre a fic que eu e a minha prima estamos fazendo é sobre Taegi e tem muita gente que não shippa mas eu gosto. Eu vou apenas ajudar em algumas coisas e queria "divulgar" aqui já que alguém possa se sentir interessado, ainda não publicamos mas deixarei o link quando estiver pronto!

Até a próxima 💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...