História Haters of Love (Imagine Jimin) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 291
Palavras 1.408
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Coloquem seus coletes à prova de balas, os tiros estão por vir!



Boa leitura!

Capítulo 16 - Namorados? É isso mesmo? Pt1


Fanfic / Fanfiction Haters of Love (Imagine Jimin) - Capítulo 16 - Namorados? É isso mesmo? Pt1



Os outros dias que se seguiram foram do mesmo jeito, eu conversava com Yuna sobre o que acontecia, sobre o que eu sentia. Saia algumas vezes com Jimin, e até mesmo com Jihyun, mas, acredite, não era nem um pouco legal ter os dois por perto ao mesmo tempo. Percebi que, por mais que morasse com eles, nunca dava atenção suficiente aos meus primos e nem conversava muito com meus tios, então me dediquei mais a isso, ajudava Sook e Taeyang com os estudos e até ia a lugares com eles, também perguntava mais sobre o trabalho do meu tio e falar alguns assuntos com minha tia, procurando ao máximo possível que o clima ficasse mais agradável em casa.

Quando não estava fazendo nada disso, ficava em meu quarto, ora olhando a janela, ora estudando ou lendo, até mesmo falando ao telefone com alguém.

Nesses dias, se é que é possível, Yuna e YoonGi ficaram ainda mais próximo - de novo, se é que é possível -, temo que eles estão namorando e não nos disseram nada, embora soubesse que se isso acontecesse de verdade Yuna me falaria em primeira mão.

Para resumir tudo que aconteceu nesse último mês: Yuna e YoonGi estavam avançando, eu virei uma pessoa mais sociável em casa, meus estudos melhoraram em 45℅, consegui ler quase todos os livros da minha estante, apesar do tempo curto, apareci muitas vezes em jornais com Jimin, comemorando por até agora nenhum fotógrafo ter nos pego em situações constrangedoras e tirado as próprias conclusões. Afinal não tínhamos nada mesmo, apenas beijos, troca de carícias... Nada oficial.

Estava cada vez mais difícil, e, para meu azar, o tempo passava lentamente.


-____? - Minha tia abriu a porta. - Vamos sair, só voltaremos a noite, quer vir?

Pensei sobre a ideia. Mas não era de meu agrado ficar tanto tempo fora de casa, ainda mais agora, que estava em meu refúgio, pensando.

- Não... Acho que prefiro ficar e fazer algo por aqui mesmo - falei por fim.

Ela assentiu e saiu.

Fiquei em meu quarto, fazendo o que faço sempre: escutando música. Mas dessa vez decidi inovar, ao invés de desenhar resolvi escrever; escrevi sobre a bagunça que estava sendo tudo, um conto sobre mim mas eu não fazia parte dele.

"Remember the way you made

me feel

Such young love but

Something in me knew that it

was real

Frozen in my head

Pictures I’m living through for

now

Trying to remember all the good

times

Our life was cutting through so

loud

Memories are playing in my dull

mind

I hate this part paper hearts

And I’ll hold a piece of yours

Don’t think I would just forget about it about it

Hoping that you won’t forget

about it

Everything is gray under these

skies

Wet mascara

Hiding every cloud under a

smile

When there’s cameras

And I just can’t reach out to tell you

That I always wonder what

you’re up to

Pictures I’m living through for

now

Trying to remember all the good

times

Our life was cutting through so loud

Memories are playing in my dull

mind

I hate this part paper hearts

And I’ll hold a piece of yours

Don’t think I would just forget about it

Hoping that you won’t forget

I live through pictures as if I

was right there by your side

But you’ll be good without me

and if I could just give it some

time

I’ll be alright

Goodbye, love, you flew right by love

Pictures I’m living through for now

Trying to remember all the good times

Our life was cutting through so loud

Memories are playing in my dull mind

I hate this part paper hearts

And I’ll hold a piece of yours

Don’t think I would just forget about it

Hoping that you won’t forget..." - paper hearts.


Escuto batidas fortes na porta, quando a música para. Imaginei que talvez, quem estivesse lá, estaria batendo a algum tempo, já que eu estava com os fones no máximo.

Desci as escadas, indo até a porta, não me importando com o fato de estar usando meias coloridas, short de pijama e um moletom cinza. Abro a porta, dando de cara com o carma que me segue desde que o conheci.

- Seja lá o que você quer, eu não posso ir com você. Estou sozinha em casa e tirei o dia apenas para minha diversão - me apresso a falar antes dele e vou fechando a porta, mas ele empurra.

- Sim, obrigado por me convidar para entrar, um gesto muito educado, inclusive - disse entrando.

- É sério, Jimin, não tô a fim de ir a lugar nenhum. - reclamei.

Nos sentamos no sofá e eu olhei como se estivesse suplicando para não me obrigar a ir a lugar nenhum, não hoje. Não queria aparecer em alguma revista amanhã. Essa relação já está ficando chata e confusa... Mesmo ainda não tendo uma relação entre nós.


- Sinto muito, preciso de você hoje. Daqui à 2 horas, na verdade.


- Jimin...


- Por favor - pediu se aproximando. - Você vai gostar, aposto que não espera pelo que vai acontecer.


- Já estou com medo - falei cruzando os braços. - Aí, oque é que você quer?


- Haverá um jantar em casa hoje, meus avós virão, assim como alguns sócios da empresa. Não me pergunte se é jantar em família ou a negócios, é um pouco dos dois. Mas os sócios que irão vir são quase da família então vai ser legal.

Fiquei me perguntando porquê eu ainda faço as coisas por ele. Mas ainda assim fui me arrumar, lógico depois de contestar muito.

Dei adeus as minhas roupas confortáveis de ficar em casa e vesti um vestido "apropriado" para a ocasião, não muito desconfortável e nem muito simples. Foi difícil achar um assim no guarda-roupas, no geral, nem vestido eu uso direito. Ele era preto na parte de baixo e vermelho com mangas compridas em cima, de modo que parecia uma saia e uma blusa, pois se ajustava perfeitamente em baixo e ficava mais folgado em cima. Calço saltos pretos. Encaro meu cabelo.

- Não tenho a menor ideia de como deixá-lo - admito.

- Oque? Seu cabelo? Deixa ele solto - Jimin da de ombros vindo até atrás de mim, que estava na frente do espelho. - É atraente quando eles caem ao redor do seu rosto - disse rodeando minha cintura.

Olhei nosso reflexo no espelho, o jeito como nossas cores se contrastavam uma na outra. Tão diferentes.

"Eu sou um furacão, e acho que ele é meu centro" pensei nas palavras que disse à Yuna há algum tempo. Refleti sobre aquelas verdades. Sim, eu era um furacão. Um furacão de pensamentos, um caos de amargura pelo passado que tento esquecer. Mas ele também é. Ainda assim ele consegue assumir a liderança de tudo aquilo que eu pensava.

Liguei para meu tio, avisando sobre o "imprevisto". Então fomos para casa de Jimin, de novo.

- Escuta... Quando chegar lá, tenta relaxar, sorrir, essas coisas, mas, acima de tudo, tente não arrancar minha cabeça - Jimin falou num tom nervoso, o que me deixou preocupada.

Não pergunto nada, sabendo que ele não iria responder.

Então a mesma coisa de sempre, cheguei lá, cumprimento seus pais, ele me apresenta a seus avós.

Ah que chato!

- _____! - Jihyun me chama e me viro rapidamente para ele, que estava com um cachorro pequenino nos braços. - Esse é o novo integrante da família Park, chamo de Leão, por causa da cor dos pêlos dele.

- Na verdade, ele é idiota e por isso deu esse nome ao coitado do cachorro, até por que eu escolhi o nome dele e ele se chama Kyoto. - Jimin interveio.

Então eles começaram a discutir sobre o nome do pobre cachorro.

- Já chega, vocês dois. Já são irritantes normalmente, não discutam vão ficar piores. - falei pegando Kyoto dos braços de Jihyun. Uma coisa tão pequena não merece ficar perto desses dois... 


- Viu, aposto que foi por isso que seus pais resolveram ter um cachorro em vez de outro filho - falei é começamos a rir.


Quando os tais sócios chegam e se sentam à mesa, Jimin me chama para conversamos, dizendo para eu não ficar zangada e tentar sorrir, por mais que quisesse matar ele. Fiquei nervosa.

Então entramos na sala de jantar e, depois de Jimin cumprimentar a todos, falando coisas que eu nem prestei a menor atenção ele segura em minha cintura, me deixando envergonhada, e diz:

- E eu só quero aproveitar isso para apresentar vocês a _____, minha namorada.



Notas Finais


Joguei a bomba e corri pq eu não sou besta sjsjisjss🏃🏃🏃


Até amanhã!!! *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...