História Haunted. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Personagens Originais
Tags Alessia Broseau, Evento, Justin Bieber
Visualizações 36
Palavras 3.203
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


❄️ Boa leitura.
❄️"Disappointment - decepção".
❄️ Notas finais importantes!

Capítulo 7 - Disappointment.


Fanfic / Fanfiction Haunted. - Capítulo 7 - Disappointment.

 

 

Eu estava caminhando de um lado para o outro, dentro do meu próprio escritório. Rachel decidiu fazer as pazes com o Adam e ambos não me atendiam, provavelmente estava transando e eu não queria atrapalhar. Olivier era o único que podia me ajudar. Eu estava em pânico. Mesmo sendo o único, ele disse que ainda não estava a casa e pediu vinte minutos.

Malditos minutos que não passavam de jeito nenhum!

Como eu poderia encará-lo na sexta-feira? Eu ia dizer que sua teoria era um sucesso, inflando mais ainda seu ego ou eu diria que foi um baita equivoco? Como eu ia agir?

– Graças a Deus! – Falei assim que atendi meu melhor amigo. – Aconteceu uma grande merda hoje. Merda das grandes.

– Para você está misturando inglês e francês, com toda a certeza foi algo que te abalou demais... Foi seu namorado?

– Quer saber? Foi um erro te ligar! Já disse mil vezes que ele não é meu namorado! – Quanto mais irritada eu ficava, mais embolado o francês ficava.

– Tudo bem, perdão, não desligue, Lessa. O que seu cliente fez?

– Primeiro ele tentou me dar uma lição de moral sobre o assalto e...

Eu fui cortada.

Olivier só estava me deixando mais puta.

– Como ele ficou sabendo sobre o assalto?

– Ele tentou me ligar pela manhã, para saber do evento, eu não atendi porque fui roubada e meio que contei rapidamente para não ficar mal na fita com um cliente importante... Posso continuar ou você vai me atrapalhar mais uma vez?

– Desculpe, estressadinha... Continua.

– Ficamos um bom tempo discutindo sobre o evento e daí eu percebi que a conversa tomou um rumo estranho... Ele perguntou sobre nossos encontros, para falar do evento, é claro, então eu disse que só tínhamos mais dois até o evento e ele pareceu aliviado, sabe? Ainda disse que o evento estava tomando muito do tempo dele, como se ele fosse o Senhor Todo Ocupado e eu quase quis matá-lo, mas o problema veio depois disso.

– O que ele disse?

– “O evento está tomando muito do meu tempo, ao menos a companhia é agradável”. – Engrossei a voz, tentando imitá-lo. – Daí eu disse que era muito mais que agradável e ele ficou tenso...

– Você deu em cima dele nessa cara de pau? Estou surpreso!

– Olivier, não foi dar em cima. Ele basicamente disse que eu era agradável. Preferia que ele dissesse que sou competente, ou sei lá, algum adjetivo em relação ao meu trabalho.

­– E o que aconteceu depois?

– “Infelizmente não tive o prazer de confirmar tal afirmação”.

– Lessa, quer um conselho? Pare de engrossar a voz, fica péssimo.

– Vai tomar no seu cu!

– Continua a sua história, amor.

– Depois eu voltei a falar do evento e me lembrei de que ele estava lendo meu livro favorito, então como ele se meteu no tema do assalto, me dei à liberdade de me meter na leitura dele, então perguntei se ele já tinha terminado, ele disse que sim e ainda disse que tinha um perfil da minha vida, baseado no livro.

– Creio que ele te disse tal perfil.

– Exatamente! – Exclamei. – Olivier, ele me descreveu sem ao menos me conhecer.

– O que você disse?

– Oh merde...

– Você se entregou totalmente, Lessa. – Como se eu não soubesse. – O que ele disse?

– Ele disse que eu abandonei alguém importante para mim, mas não foi recente. Disse que assim como o Hachiko no livro, eu espero o retorno desta pessoa e isso me faz ter uma esperança. Devido a essa esperança eu não perdi a fé no amor verdadeiro, mesmo que não seja apenas no sentido romântico. Talvez um cachorro, marido ou filho... – Disse o que me lembrei de imediato. – Aquele desgraçado falou muitas coisas, Ollie, socorro!

– Uau, ele é bom nesse jogo de ler o livro favorito das pessoas e dar um perfil... Você sabe o livro favorito dele? Talvez você consiga fazer o mesmo que ele.

– Não, eu não sei a porra do livro favorito dele! Tem como me ajudar?

– Depois que ele deu uma de cigana e desvendou seu passado, só lendo o livro sobre um cachorro, você disse “oh merda” e desligou?

– Basicamente ele se gabou por ter acertado e me mandou pensar em argumentos para discutirmos na sexta-feira, quando ele vier aqui na empresa para ver os móveis do evento.

– Você tem quatro dias até encontrar com ele, então fique calma. Você não fará nada demais. Foque no evento e deixe que o Bieber tome a iniciativa de entrar em qualquer assunto extra, mostre-se segura e focada no trabalho.

– Tudo bem, eu posso fazer isso. Tenho feito isso sempre.

– Quando ele entrar no assunto, não negue que ele acertou, mas também não admita... Desconverse e tente descobrir o livro favorito dele, ou qualquer outra coisa. Nós, homens, gostamos muito de um desafio e embora você ache que está muito exposta a ele, basicamente esse homem não sabe quase nada de você.

– Como você sabe que eu me sinto exposta?

– Eu te conheço muito bem, minha linda.

– Ele não sabe quase nada? Claro que sabe, Ollie. Ele até me viu fumar, ninguém vê isso.

– Vamos lá! Ele te viu fumar, descobriu seu livro favorito, pareceu um idiota brigando com você sobre o assalto, coisa que eu tenho certeza que você deu um corte nele, falou uma suposição bem precisa sobre você, mas ele não sabe que é precisa, logo ele deu um tiro no escuro e desligou a chamada. Acho que quem está inseguro nisto tudo é ele.

– Acho que você tem razão... Não tinha visto por esse lado.

– Eu sempre tenho. – Revirei os olhos na hora. – Relaxa e deixe que ele faça a introdução a esse assunto... Certifique-se que alguém possa te escutar, caso você grite, por que ninguém normal tem uma noção tão grande da vida de alguém apenas se baseando num livro. Aposto que ele contratou um detetive.

– Contratou um detetive? Perdeu o juízo?

– Calma, amor, eu estava brincando!

– Amor? Então você já tem um novo amor? – Ouvi uma voz feminina e segurei a risada. – Primeiro você grita comigo e agora eu descubro que você tem um amor?

Era a Frankie.

Que péssima situação para conhecê-la.

– Frankie, eu estou falando com a minha melhor amiga, não começa. Aliás, o que está fazendo aqui e como entrou?

– Sei onde você guarda a chave e vim tacar fogo na sua casa... O que acha que estou fazendo aqui? Eu vim fazer a porra das pazes, mas acho que você prefere ficar com o seu amor.

– Puta merda, Frankie, é a Lessa, minha melhor amiga. Eu a chamo assim por hábito, nada mais que isso!

– A sua melhor amiga que foi sua namorada por dois anos? Acha que eu sou idiota, Olivier? Eu vi sua maldita foto no Instagram com ela! Você foi para Nova Iorque só para sair com essa mulher!

– Fale com ela, então! Descubra sozinha tudo! Ela está me contando dos problemas com o namorado e você não pode exigir alguma coisa. Você quem falou merda sem saber de nada!

– Talvez eu realmente queira falar com ela! – Frankie gritou e logo ouvi sua voz mais próxima. – Alô?

– Oi... – Disse sem jeito. – Olha, o Ollie e eu somos só amigos, mesmo tendo namorado há anos. Nós namorados por dois anos a quatro anos. É tudo passado e ele gosta de você. Ele veio para Nova Iorque, por que é algo que ele sempre faz, Frankie. Mesmo estando longe, ele não parou de falar de você e acho que ele gosta mesmo de você, então aproveita, por que eu te garanto que ele é o melhor namorado que você vai encontrar no mundo. Eu mesma já tive a oportunidade de comprovar isso.

– Então por que acabou?

– Acabou porque ele foi maravilhoso o suficiente para não impedir meu sonho. Ollie foi à pessoa que mais me incentivou a vir para NY e a pessoa que me apoiou em tudo. Se não fosse por ele, acho que a minha vida seria uma grande merda sem sentido. Não ache que nós ainda nos gostamos, porque não é verdade. Todo o amor mudou. O que sentíamos se transformou num laço de irmandade, ok? Ele gosta de você, comprou o livro que você mais gosta e ficou empolgado em começar a ler, então valorize a pessoa que está a sua frente e tente descobrir mais sobre ele, antes de apontar o dedo e dizer coisas que você não sabe.

– Ele comprou?

– Sim, Frankie. Agora desligue esse telefone, dê um abraço nele e converse sobre.

– Tudo bem, obrigada, eu acho.

– Se você partir o coração dele, eu saio de Nova Iorque e te caço até no inferno, está me ouvindo? – Ela riu na mesma hora. – Agora desliga o telefone e vá dar um beijo dele.

Antes que ela pudesse falar, eu mesma desliguei a chamada e respirei fundo.

Eu tinha dois problemas resolvidos. O meu e do Olivier.

Pelos menos isso.

 

...

 

Acordei com meu corpo dolorido. Definitivamente eu não deveria ter ido à academia esta semana. Passei tanto tempo ser ir e agora estava completamente dolorida. A semana passou tão devagar e eu tive tanto trabalho que quase não acreditei quando finalmente que já era sexta-feira, dia 16.

Três semanas para o evento dele.

Observei meu corpo no espelho, depois de estar pronta. Saia preta, camisa azul turquesa, saltos pretos, cabelo solto e liso, brincos pequenos, colar que ganhei do Olivier, anel da amizade no dedo anelar direito, igual ao que Rachel tinha, e maquiagem mais caprichada que o normal. Coloquei perfume, desodorante e hidratante dentro da minha bolsa, só para garantir.

Às três horas ele estaria lá e eu queria muito causar uma excelente impressão.

Peguei no pé de todo mundo, o setor dos móveis estava pronto para nossa reunião e eu escolhi a melhor equipe para nos ajudar. Taylor, Rose, Scarlet e eu. Rachel decidiu se meter e não tinha como dizer não a ela. Nós cinco, mas eu sentia que isso não seria o suficiente, sentia que teria alguma surpresinha desnecessária.

Saí de casa sem pressa e tomei café no Starbucks, seguindo até a empresa. Segui até meu andar e quando saí do elevador, vi Scarlet a minha espera.

– Bom dia, Lessa. Tenho novidades. – A mesma disse animada e eu fui seguindo até minha sala, tendo-a atrás de mim. – Adivinha com quem fechamos contrato? Você vai pirar.

– Com quem? – Joguei minha bolsa sobre a mesa e já tirei meus saltos.

– Beyoncé. – Na mesma hora eu arregalei os olhos. – Aparentemente, ela fará um chá de bebê aqui na cidade e entrou em contato conosco... Você sabia que ela está grávida?

– Não, eu não fazia ideia.

– Hm, ela mencionou algo da mídia ainda não saber, não pode vazar nada. – Concordei com a cabeça. – Somos tão vips que estou pensando em pedir um aumento.

Eu a encarei com a sobrancelha arqueada e ela sorriu convencida, já saindo da sala.

Eu mereço!

 

...

 

Três horas da tarde.

Saí de dentro do banheiro do meu escritório, após escovar os dentes, passar hidratante, desodorante e pouco perfume. Retoquei o batom vermelho e arrumei minha roupa. Voltei a minha sala e calcei meus saltos, sentando-me confortavelmente em minha cadeira.

– Lessa, o senhor Bieber está aqui fora.

A voz de Scarlet deixou-me um pouco apreensiva, devido à notícia.

– Mande-o entrar. – Respondi firme e respirei fundo.

Agora ele sentiria o que foi estar na minha pele, há quinze dias.

A porta foi aberta e porra, ele estava lindo. Cabelo bem arrumado, terno azul com as mangas dobradas até quase o cotovelo, dando-me visão de suas tatuagens – céus, ele tinha muitas – sapatos pretos, relógio de ouro e a maldita saliência na calça. Eu o encarava de forma tão impiedosa que talvez eu estivesse encarnando o senhor Bieber de quinze dias atrás. Eu praticamente estava o deixando nu aos meus olhos.

Até que não seria má ideia.

– Senhorita Brosseau. – Justin Bieber no seu tom de voz superior e estendeu a mão. Levantei da cadeira e observei seu olhar descer diretamente até as minhas pernas, que estavam um pouco mais expostas que o normal. A saia de hoje era mais curta. E sim, foi proposital.

– Senhor Bieber. – Respondi calmamente e senti o aperto firme de mão. Ignorei meus pensamentos com suas mãos e indiquei a poltrona a minha frente, vendo-o abrir o botão do terno e se sentar. Fiz o mesmo e observei sua blusa impecavelmente branca e seus músculos evidenciados pela mesma. – Gostaria de ouvir o planejamento do dia ou o senhor está ciente?

– Faremos o que falamos ao telefone? – Puta merda. A conversa sobre o livro. Respirei fundo antes de assentir com a cabeça. Apoiei meus cotovelos na mesa e joguei o cabelo para o lado, enquanto observava a lista que estava entre meus cotovelos. – Quanto tempo acha que gastaremos aqui?

– Creio que não muito, já tenho um planejamento completo de como ficaria seu evento. – Falei levantando meu olhar e vendo que ele não desviava o maldito olhar por nada! – Só um minuto.

Apertei no botão que me conectava a Scarlet e na mesma hora ela atendeu.

– Scarlet, estou indo com o senhor Bieber até o quinto andar, tudo bem? Quero que todos os selecionados fiquem prontos, caso seja necessário.

– Pode deixar, Brosseau.

Desliguei a chamada e me levantei, sentindo seus olhos me seguirem. Desci um pouco a saia e puxei as mangas da blusa. Então eu peguei minha folha e me perguntei internamente onde tinha largado o celular. Avistei minha bolsa no balcão atrás de mim e logo achei o aparelho, voltando para a mesa e o encarando. Seu olhar ainda estava em mim.

– Como consegue trabalhar com a mesa tão cheia? – Indiretamente ele me chamou de bagunceira e má organizada.

– Eu me preocupo em fazer um bom trabalho e não manter minha mesa arrumada. – Respondi séria e ele apenas concordou com a cabeça.

Toma essa, Senhor Eu Tenho Transtorno Obsessivo Compulsivo!

– Podemos ir? – Perguntei com o máximo de educação possível e ele assentiu, ficando de pé. Ótimo dia para usar Louboutin, eu ficava bem alta e quase do tamanho dele.

Saímos da minha sala e fomos andando lado a lado. Lancei um olhar cúmplice para Scarlet e apertei o botão do elevador. Não demoramos muito a chegar ao quinto andar. Assim que saímos do elevador, tinham vários caminhamos a serem seguidos. Cada um dizia um nome. “Casamento”. “Debutante”. “Evento Externo”. “Pequena Recepção”. “Sala de reuniões”.

Segui até pequena recepção e vi minha equipe ali. Observei que os móveis que escolhi já estavam no mostruário e tudo em perfeito estado.

– Senhor Bieber, estes são Taylor e Rose, ajudantes no seu evento. Rachel já lhe foi apresentada anteriormente. – Falei indicando cada um e ele apertou a mão de cada um. – Como estamos, Taylor?

– Tudo que você pediu está aqui, assim como o planejamento. – Ele me entregou duas folhas. – Estaremos a sua espera na sala de reuniões.

– Juízo, Lessa. – Rachel disse antes de fechar a porta e eu quis enforcá-la naquele mesmo instante.

Juízo?

Céus, o que ele pensaria de mim ao ouvir isso? Que eu não costumo ter juízo ao ficar sozinha com algum cliente?

– Seu planejamento. – Falei um pouco sem jeito e entreguei a folha a ele. – Separamos cinco tipos de mesas, cadeiras, bancadas para o DJ, mesas altas e bares. Iremos avaliar aqui e o senhor dará uma nota de zero a cinco para cada item. No fim escolheremos de acordo com as mais bem votadas.

– Tudo bem. – Ele estava tão calado e frio. Bem diferente de como foi durante a nossa chamada na segunda-feira. Qual era o problema dele?

Então nós começamos pela bancada do DJ. Expliquei a diferença de cada uma, o benefício de algumas e tudo mais. Depois seguimos até as mesas altas que ficariam espalhadas pelo local, optando pelas brancas com tampo de vidro redondo. Demoramos quase uma hora inteira para escolher todos os móveis e ele avaliar.

– Esses são os itens escolhidos, certo? – Apontei para cada um e ele assentiu com a cabeça. – Vamos escolher sobre a decoração.

Peguei o catálogo de panos de mesa e coloquei sobre a ilha que ele estava encostado. Fui mostrando os tecidos que tínhamos e falando quais ficariam bons. A decoração da festa seria com aquelas luminárias de papel, com lâmpadas dentro, por todo o local. Dentro das mesas altas, que eram furadas, teriam lâmpadas. O evento começava às cinco da tarde e depois que escurecesse, ficaria incrível.

Durante tudo que eu falava, Justin prestava total atenção e às vezes me interrompia para tirar alguma dúvida. Olhava sempre nos meus olhos e algumas vezes eu o peguei olhando para os meus lábios, mas ele desviava o olhar bem rápido. Olhei meu relógio de pulso e vi que eram quatro e doze da tarde.

Uma hora e doze sem passar vergonha.

– Acho que terminamos. Temos tudo decidido. – Murmurei fechando o catálogo. – Há algo que queria mudar?

– Está tudo perfeito. Paola enviou os convites hoje e acho que você deveria ter a lista atualizada dos convidados. – Então ele abriu o botão do paletó e pegou uma lista de duas folhas. Estava em ordem alfabética e estava preenchida frente e versa. Passei os olhos lentamente, até parar num específico.

Rachel Knowles?

– Rachel está na lista? – Questionei confusa e levantei meu olhar, vendo-o com a mesma expressão séria.

– Pelo que fiquei sabendo, ela é uma excelente advogada e é um evento perfeito para os negócios... Logo eu lhe pergunto, por que ela não estaria?

Outch!

Que fora enorme!

– Acho que já terminamos por hoje. – Falei em resposta, tentando não transparecer a minha raiva. – Creio que o senhor tem uma viagem para fazer e eu eventos para organizar.

– Concordo plenamente. – Que babaca! – Podemos ir?

Assenti com a cabeça e abri a porta de vidro, vendo-o passar por mim. Fomos andando até o elevador e eu vi o olhar curioso dos meus amigos, de dentro da sala de reunião. As paredes eram de vidro e dava para ver tudo. Apertei o elevador e nem me atrevi a encará-lo. Quando as portas se abriram, nós dois entramos e eu apertei o botão do térreo.

Era agonizante o silêncio. Muito mesmo.

Depois de todo aquele papinho no telefone ele ia agir assim? Como se nada tivesse acontecido? Que maturidade! O pior de toda a situação era eu estar esperando por algo que jamais aconteceria. Isso me deixava completamente frustrada comigo mesma.

Saímos do elevador e eu o acompanhei até a porta da empresa, já vendo seu motorista a sua espera.

– Hoje foi um dia produtivo, Alessia. Estou sem muito tempo e paciência, logo já peço desculpa se tive algum comportamento inapropriado. – Bieber disse me encarando e eu me segurei para não falar besteira.

– Não houve comportamento inapropriado, apenas... Negócios. – Apenas os malditos negócios. – Até semana que vem, senhor Bieber.

Ele pegou minha mão e levou até seus lábios, depositando um beijo carinhoso na região. Assim que ele voltou a sua postura, puxei minha mão de volta, num gesto um tanto bruto.

– Até semana que vem, Alessia. – Ele disse sério. – Entro em contato com você, para confirmarmos sobre nosso encontro na sexta-feira.

Concordei com a cabeça e ele deu as costas, seguindo até seu carro. Seu motorista fechou a porta e deu a volta, entrando no veículo e dando partida.

Que diabos tinha sido o dia de hoje?

 

 


Notas Finais


❄️ AAAAAAAAAAAAAAAAA (essa foto do capítulo é maravilhosa) e esse Bieber ainda mata a gente, não é?
❄️ O que estão achando desse balde de água fria?
❄️ Não prometo uma data fixa, ainda mais agora que a minha vida está totalmente sem rumo.
❄️ A história terá, no máximo, trinta capítulos, sem chance para segunda temporada.
❄️ Se gostou, compartilhe com seus amigos e deixe sua opinião. Se não gostou, faça o mesmo!
❄️ Obrigada a quem leu e chegou até aqui, vocês são demais!!
❄️ NÃO ESTOU RESPONDENDO AOS COMENTÁRIOS PELA FALTA DE TEMPO, MAS EU LI E RESPONDO ASSIM QUER DER!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...