História Haunted |H.S| - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 1.717
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - 03


As respirações de Faye eram pesadas desde que ela correu para baixo da rua. A escuridão engoliu-a, tornando-se impossível ver qualquer coisa. Suas roupas ficaram encharcadas e ela estava com frio por todo seu corpo até os ossos. Ela não conseguia ouvir nada mais do que sua própria respiração e da superficial chuva contra o chão em volta dela, e ainda assim ela ainda sabia que ia acabar mal se ela não parasse. Ela tinha caminhado por tanto tempo que seus pulmões e coração estavam doendo, mas algo a fez continuar. Ela sabia que algo ou alguém estava atrás dela, mas ela não tinha vistos nem ouvido quem quer que fosse. Com cada passo que ela dava parecia que algo quebrava em suas pernas, o envio de tal dor através de seu corpo fez com que ela quere-se  gritar no topo de seus pulmões. Mas ela não podia gritar, ela só poderia continuar andando. Faye olhou para trás, mas encontrou-se decepcionado mais uma vez, quando a única coisa que ela viu foi escuridão. Ou seja, apenas a deixou ainda mais assustada.

Faye virou à direita e correu em entre duas casas. Por um momento ela pensou que iria ficar longe, mas, em seguida, ela bateu em alguma coisa que a fez cair de costas. Ela olhou para cima e uma parede de tijolos apareceu na frente dela. Ela olhou a parede com olhos arregalados e se levantou. Lentamente, ela levantou a mão e tocou a parede com cuidado, era real.

"Não!" Ela gritou. "Não! Não deveria ter uma parede aqui!"Sua voz ecoava no beco escuro quando ela começou a escalar a parede com as mãos. Em seguida, ela congelou, ela sentiu algo. Era um sentimento, a sensação da presença de outra pessoa. Ela se virou e olhou para o beco, mas não havia ninguém lá. Se encostou na parede e soltou um profundo suspiro de alívio. Não, não havia ninguém lá. Mas, assim como ela pensou que o perigo havia passado, um som rascante atingiu sua orelha e no segundo seguinte ela sentiu um aperto em torno de sua garganta. O aperto ficou mais forte e ela logo sentiu seus pés deixarem o chão. Seus pulmões gritando por ar, mais do que eles fizeram quando ela corria. Ela ainda não conseguia ver a pessoa que estava a sufocando e isso a deixava ainda mais apavorada. Seu coração batia tão forte que ela queria pressionar ambas as mãos sobre o peito para mantê-lo no lugar certo. Mas a única coisa que ela poderia focar era o aperto em torno de sua garganta. Ela queria que ele desaparecesse, mas ela não podia fazer nada. A força já tinha começado a escorregar para fora de seu corpo.

"Por favor..." Ela implorou em voz baixa. Ela podia sentir as lágrimas escorrendo pelo rosto, elas queimavam contra sua pele fria. "Por favor." A palavra foi quase inaudível, sua visão começou a ficar embaçada e seu coração tinha começado a desistir. Em seguida, o som de uma voz rouca e escura chegou a seus ouvidos.

"Eu vou gostar de brincar com você."

Faye sentou-se na cama com um empurrão. Sua respiração era pesada e rápida, como se ela tivesse estado em uma maratona, e o suor em sua pele brilhava à luz do sol que entrava pela janela. Suas mãos se moveram até sua garganta. Nada. Tudo tinha sido um sonho. Ela escondeu o rosto em sua mão por um momento, tomando algumas respirações profundas antes de sair da cama. Faye caminhou até seu guarda-roupa e pegou uma roupa antes de ir ao banheiro. Ela ficou na frente do espelho por um tempo e confirmou que ela não tinha nenhuma marca em sua garganta. Em seguida, ela olhou em seus próprios olhos. O medo que ela sentiu no sonho ainda era visível neles. Ela balançou a cabeça e tirou a roupa antes de entrar no chuveiro. A água que corria por seu corpo nu era tão quente que fez sua pele rosada e vapor encher o banheiro. A água queimou em seu corpo, mas, desde que mantido o medo de distância, ela não se importava. Ela não tinha certeza de quanto tempo ela estava lá, mas o suficiente para que sua pele começar a ficar dormente no calor. sentou-se na cama com um empurrão. Sua respiração era pesada e rápida, como se ela tivesse estado em uma maratona, e o suor em sua pele brilhava à luz do sol que entrava pela janela. Suas mãos se moveram até sua garganta. Nada. Tudo tinha sido um sonho. Ela escondeu o rosto em sua mão por um momento, tomando algumas respirações profundas antes de sair da cama. Faye caminhou até seu guarda-roupa e pegou uma roupa antes de ir ao banheiro. Ela ficou na frente do espelho por um tempo e confirmou que ela não tinha nenhuma marca em sua garganta. Em seguida, ela olhou em seus próprios olhos. O medo que ela sentiu no sonho ainda era visível neles. Ela balançou a cabeça e tirou a roupa antes de entrar no chuveiro. A água que corria por seu corpo nu era tão quente que fez sua pele rosada e vapor encher o banheiro. A água queimou em seu corpo, mas, desde que mantido o medo de distância, ela não se importava. Ela não tinha certeza de quanto tempo ela estava lá, mas o suficiente para que sua pele começar a ficar dormente no calor.

Faye saiu do chuveiro e enrolou uma toalha em torno de seu corpo. Seus pés descalços a levaram até o chão de mosaico. Seus olhos estavam grudados no chão como se fosse fascinante assistir seus pés, quando na verdade não era. Ela parou na pia do banheiro e levantou seu olhar. Ela congelou. Olhou no espelho embaçado. Mas não foi o próprio espelho que fez seu coração começar a bater incontrolável em seu peito. Foram as palavras escritas sobre ele. Ela os tinha ouvido antes, em seu sonho. As palavras lidas: "Eu vou gostar de brincar com você." Suas mão tremiam quando ela limpou as palavras no espelho. O que a surpreendeu no segundo seguinte não era a visão de seu próprio reflexo. Era o reflexo de um menino que está atrás dela, com sangue escorrendo pelo seu rosto. Faye virou-se, mas o menino já tinha ido embora. Ela deixou-se cair no chão, respirando com dificuldade. O que está acontecendo? Ela pensou e fechou os olhos, talvez eu esteja ficando louca. Faye moveu seus joelhos para cima em direção a seu peito e escondeu o rosto nos braços, fechando os olhos. Mas quando o menino passou diante de seus olhos, com sua pele pálida, bochechas sangrentas e órbitas vazias, seus olhos se abriram e um suspiro deixou sua boca. Em vez disso, ela olhou para a lâmpada no teto, esperando a luz se tornar a imagem do menino queimar. Faye ficou lá até que seu coração começou a bater normalmente outra vez e seu corpo tinha parado de tremer. Então, ela levantou-se lentamente e colocou as roupas que ela tinha trazido com ela de seu quarto, elas ficaram ligeiramente úmidas ao ficar no vapor, mas ela não se importava.

Quando Faye abriu a porta do banheiro, ela deixou seus olhos viajar para cima e para baixo no corredor algumas vezes, para se certificar de que ela estava sozinha, antes que ela se apressou para as escadas e desceu para o primeiro andar. Ela entrou na cozinha e sentou-se em uma das cadeira do bar pelo balcão. Ela não podia deixar de se sentir como se alguém estava-se olhando para ela, mas não havia mais ninguém na cozinha. Ela soltou um suspiro alto e balançou a cabeça.

"Nada disso é real." Disse Faye para si mesma enquanto pensava sobre o que tinha acontecido nas últimas 24 horas. Sua mãe alegando ter visto um jovem de pé ao lado da cama, um sonho de super assustador, a sentença sobre o espelho e o reflexo de um menino. Este não é um bom começo, ela pensou e colocou os braços sobre o balcão.

"É tudo real." A voz era quase inaudível, quase como uma rajada de vento. O som da voz abraçou seu corpo e fez calafrios viajar até suas costas. Ela estremeceu. Faye cobriu a cabeça com os braços e apertou seus olhos fechados.

"É tudo real." As palavras varreram a cozinha como um fantasma. Faye queria gritar para ele parar, mas ela não o fez. Deve ser o sonho, ela, porém, deve ter realmente a assustado. Mas ela ainda não conseguia afastar a sensação de que alguém estava na cozinha. Mas era bobo, não foi? Ela não podia ver ninguém, e isso significava que não havia ninguém ali, porque esta era a palavra real. O mundo real em que existe tal coisa como fantasmas ou pessoas invisíveis existiu, especialmente meninos, sem olhos e bochechas sangrentas que poderia desaparecer em questão de segundos. Não, isso era impossível. Todo mundo sabia disso. Este não era algum tipo de livro no qual os humanos viviam junto de vampiros e lobisomens, e ser possuído por um demônio era um medo diário. Não, o que era real, era Faye. Ela estava viva e que ela era real. Isso é tudo o que havia, certo? Um mundo simples, normal, em que o maior medo das pessoas são as ações de outras pessoas.

Faye lentamente olhou para cima depois de um tempo, ela não poderia apenas sentar lá durante todo o dia. Em vez disso, ela se levantou para pegar alguma coisa para comer, embora o medo que estava puxando para dentro dela a fez sentir-se doente. Ela derramou leite e cereais em uma tigela e entrou na sala e sentou-se no sofá. Faye puxou os pés em cima do sofá e olhou fixamente no ar. Do lado de fora a chuva começou a cair contra as janelas de novo, fazendo Faye se sentir um pouco mais calma e segura. Mas isso logo mudou quando a tv ligada começou com um barulho irritante enchendo toda a sala. Os olhos de Faye cairam na tela da tv a sua frente. De repente, a palavra "run" apareceu na tela antes de desaparecer novamente, ela foi seguido pela, agora familiar, frase "Eu vou gostar de brincar com você". Em seguida, a tela ficou preta e um silêncio caiu ao redor da garota.


Notas Finais


Todos os créditos vão para: rosepetalhaz e a moça que traduziu a fic Claere_ferraz <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...