História He kills, She dies - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bullying, Drama, Família, Homicidio, Psicopata, Romance, Suicida, Suícidio
Exibições 75
Palavras 761
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Desculpem os erros ♡

Capítulo 17 - Capítulo 17


Fanfic / Fanfiction He kills, She dies - Capítulo 17 - Capítulo 17

P.O.V Dara

-Oi - falo sorrindo

-Oi - ele sorri - Marquei seu psicólogo para amanhã de manhã

-Mas eu tenho aula... - falo

-Eu sei. Mas ele só podia essa horário então eu tive que marcar - ele explica

-Tudo bem - falo

-Vou com você então não se preocupe, certo? - ele diz

Eu o encaro. Sei que ele tenta ser duro, mas ele acaba sendo fofo. Sorrio e entrelaço nossas mãos até chegarmos na minha casa

-Venho te buscar umas 6:00 horas para irmos, okay? - ele pergunta

-Okay - respondo

-Bom, até amanhã então - ele diz e se vira para ir embora

-Não está esquecendo de nada? - pergunto

-Hmm... - ele pensa - O que?

Reviro os olhos e vou até ele lhe dando um beijo rápido e sorrindo logo depois

-Agora sim, até amanhã - falo e aceno entrando dentro de casa

(...)

Acordei bem cedo. Me arrumei e esperei dar as 6:00 para descer e esperar David na sala

Ele chegou exatamente as 6:01

-Atrasou um minuto, sabia? - finjo estar com raiva

-Ownt. Fica tão linda com raiva - ele diz - Até parece que tem coragem de machucar algo ou alguém

Ele ri

-Chato - falo

-Hehe. Vamos logo. - ele me puxa e continua segurando minha mão por todo o trajeto

(...)

-Dara, por favor, entre - uma mulher me chama e me mostra uma sala com a porta fechada

Eu aceno para David

-Estarei te esperando - ele diz

-Okay - falo e entro na sala

(...)

O psicólogo era um senhor de aproximadamente 50 anos, e ele era muito simpático... Depois de falar tudo o que eu sentia, ele me passou alguns remédios e disse que se eu os tomasse, meu transtorno melhoraria.

Eu fiquei e feliz e ao mesmo tempo triste por causa disso. Eu teria de fingir ser uma outra pessoa, para ser aceita na sociedade...

Depois de eu ter saído da sala, vou de encontro a David

-Como foi? - ele pergunta se levantando do sofá

-Ele disse que eu tenho que tomar uns remédios e... - antes de eu terminar de falar, a mesma mulher de antes vem ao nosso encontro e diz que o psicólogo estava chamando David

P.O.V David

-Com licença, posso entrar? - pergunto abrindo a porta lentamente

-À vontade. Você é? - ele pergunta

-David. O responsável pela Dara, que saiu daqui a alguns minutos atrás - respondo

-Ah, sei - o rosto dele que antes estava sorrindo mudou completamente quando ouviu que eu era o responsável pela Dara - Eu preciso falar com você mesmo, é uma coisa muito grave

-E essa coisa grave se refere a Dara? - pergunto

-Sim - ele responde - Ela tem um tendência muito grande ao suicídio. David, ela não é normal. Tudo oque ela me disse aqui... eu realmente fiquei chocado

-Entendo... - falo

-Estou falando sério, ela não é alguém normal. Ela precisa de remédios. Ela precisa de ajuda. - ele diz

-É tão grave assim? - pergunto

-David, ela é uma ótima pessoa por fora. Mas por dentro ela se parece com um monstro. Mas não é um monstro que devora as pessoas sabe? Ela devora ela mesma... - ele fala - Ela já tentou suicídio mais de duas vezes pelo oque ela me disse, e por isso, que eu peço a sua ajuda. Se ela tentou essas vezes, ela pode muito bem tentar de novo. Então, quero que você esteja sempre ao lado dela, porque ela pode estar feliz agora e daqui a um minuto estar triste

-Estou entendendo - falo

-Pelo o que ela me disse, eu já deveria internar ela, mas eu vou dar uma chance porque talvez ela melhore. Mas se ela não melhorar... eu vou interná-la. - diz ele - Me prometa que irá ficar sempre ao lado dela e que vai impedir ela de cometer suicídio.

-Prometo - respondo

-Lembre-se de que ela pode tentar cometer suicídio de novo a qualquer instante e em qualquer lugar. - ele explica

-Pode deixar - falo já abrindo a porta

-Ah, e não fale para ela o que conversamos aqui, okay? - ele peegunta - Ela não vai se sentir bem se souber do que falamos

-Okay. Até a próxima semana - aceno e saio da sala

-Demorou... - fala Dara

-Ele estava me falando sobre os preços sos remédios, sabe? - minto

-Ah sim. Entendi - ela diz - Então vamos?

-Vamos - respondo e ela segura minha mão por todo trajeto até a casa dela


Notas Finais


Estejam preparados para o próximo capítulo. Obg jdbxjbs
* --- * ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...