História He Likes Green - Capítulo 24


Escrita por: ~ e ~bubblebitxh

Postado
Categorias Originais
Tags Blue, Colegial, Comedia, Drama, Festa, Gay, Romance, Troye, Yaoi, Yuri
Exibições 268
Palavras 2.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Spoilers, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 24 - Juice


-Como anda a sua relação com eles?  

-Péssima, todos ainda me odeiam, não importa o que eu diga - Jéssica disse frustrada – Como você consegue fazer todos gostarem de você e sequer parecer suspeita? 

-Simples querida, ninguém nunca sabe o que eu faço, eu sempre tenho em quem por a culpa. Por que acha que ainda tenho você como parceira? Se tudo der errado, não sou eu quem vai levar a culpa. 

-Eu não sei porquê eu continuo aqui ouvindo seus xingamentos - Jéssica respondeu. Era realmente péssimo quando ela chegava ali e tinha que ouvir gritos sobre como era lerda, incompetente e burra. 

-Se não quer ouvir meus xingamentos então faça as coisas direito, agora eu terei que voltar a atormenta-lo com mensagens... Preciso fazer com que ele acredite que aquelas mensagens vem de um alguém especifico, não queremos que ele desconfie de mim não é? 

-E se ele contar das mensagens pra alguém? 

-Não seja idiota, se eu sequer desconfiar que ele fará isso eu dou um jeito. Agora estou indo embora, tenho mais o que fazer além de ficar olhando pra essa sua cara de fracassada. 

(...) 

Thomas havia dado um jeito de levar Jake com ele sempre que saiam com o grupo, queria que ele fosse aceito, queria mostrar a todos – principalmente a Troye – que ele não era uma pessoa ruim. E eles já começavam a aceita-lo melhor, mas Troye agia como se a qualquer momento o garoto fosse tirar uma metralhadora de algum lugar e começar um massacre. 

Naquela tarde, ele, Evan, Adam e Troye combinaram de irem juntos até o aeroporto, pois o irmão mais velho de Evan chegaria naquele dia com o namorado. Eles se encontraram na casa de Evan e pensavam em como iriam até lá, já que nenhum deles tinha um carro e Michael e Daniel não queriam emprestar ou leva-los até lá. 

-O Jake poderia nos levar se alguém não fosse contra – Thomas disse cruzando os braços. 

-Não vou entrar no mesmo carro que ele – Troye protestou. 

-Por que você continua com isso? Combinamos que você ia tentar aceitar o Jake. 

-Exatamente. Tentar, estou tentando, mas isso não significa que tenho que ficar perto dele. 

-Meu Deus, o que aconteceu entre vocês já passou... Por que não pode superar isso? Ou... - Thomas disse e se interrompeu encarando Troye - Você ainda gosta dele? 

-O que? Claro que não! - Respondeu como se aquilo fosse um enorme insulto – Credo, de onde tirou isso?! Eu amo o Dylan! 

-Então qual é o problema com o Jake? - Thomas perguntou mais alto. 

-E se pegarmos o carro emprestado? - Evan sugeriu, fazendo os dois pararem para encara-lo. 

-Por que não pensamos nisso antes? - Troye perguntou. 

-Verdade. Vou ligar para o Jake – Thomas disse pegando seu celular e saindo da sala. 

-Vocês dois tem que parar com essas briguinhas – Adam comentou se jogando no sofá. 

-Ah parem de reclamar, não tenho culpa que ele resolveu namorar a pessoa que eu mais odeio nesse mundo. 

-Ele não vai emprestar o carro, vai ter que sair com a Heather – Thomas disse se jogando no sofá 

-E agora? - Evan perguntou preocupado olhando seu relógio - Já está quase na hora. Charlie vai me matar se eu não estiver lá na hora! 

-Adam, ligue para o Mike, quem sabe com outra pessoa ele aceite – Troye sugeriu e o garoto negou balançando a cabeça. 

-Não sei se ele vai querer falar comigo, ele anda muito estranho comigo desde que nós... - ele se interrompeu no meio da frase, parando completamente como se tivesse acabado de ser paralisado. 

-Vocês o que? - Thomas perguntou se sentando no sofá. 

Adam corou. 

-Acho que eu não deveria falar disso... 

-Ah por favor, somos seus amigos, não contaremos pra ninguém - Evan disse o incentivando. 

-Tudo bem... é que... bem – hesitou – Eu e o Michael nos beijamos e ele está muito estranho comigo desde aquele dia. 

-O que? Eu não acredito – Thomas praticamente gritou dando um pulo do sofá - Eu sabia que você era o hétero por quem ele estava apaixonado. Sabia! 

-Ele não está apaixonando por mim – respondeu rápido. 

-Espera, quero saber sobre esse beijo ai – Troye disse antes que Thomas começasse uma discussão - Você não é hétero? Por que beijou ele? 

-Foi assim: Ele queria ir à uma festa e me convidou pra ir com ele, eu aceitei é claro... - contou - Então eu bebi bastante e quando eu estava prestes a ficar com uma garota, o Michael me puxou e me beijou e na hora eu não entendi muito bem, eu estava bêbado então apenas o beijei. 

-É o que dizem... Você só é hétero até a primeira dose – Troye comentou balançando a cabeça. 

-Parece que eu estava certo não é mesmo? Mike está apaixonado por você - Thomas disse com um sorriso convencido – Agora ligue pra ele e peça pra nos levar ao aeroporto. Você vai ver como ele vai aceitar! 

-Okay, irei tentar – cedeu se levantando do sofá.  

Ele voltou um pouco depois e pegou seu casaco que estava na poltrona. 

-Ele está por perto, pediu pra esperar lá fora – respondeu saindo antes que seus amigos começassem a fazer piadas, como ele sabia que fariam. 

-Eu falei q... - Thomas começou a dizer mas foi interrompido por Adam que o encarava como se fosse mata-lo. 

-Nem uma palavra sobre isso ou eu mato vocês, sou formado em ocultação de cadáver com 7 temporadas de Pretty Little Liars - ameaçou. 

-Nossa que medinho – Evan zombou – Pra reagir assim talvez ele também goste do Mike. 

-É verdade não tinha pensado nisso, talvez seja medo de descobrir que não é tão hétero assim – Troye confirmou arqueando uma sobrancelha – eu sempre desconfiei. 

-Ninguém consegue ser hétero por muito tempo depois que começa a andar conosco. Olha o Evan por exem... Não espera, eu nunca vi o Evan com ninguém! - Thomas falou franzindo a testa, enquanto saia logo atrás de Evan – Bom, não importa agora, o que importa é. Adam gosta do Mike! 

-Eu não gosto do... - se interrompeu quando viu que o garoto esperava encostado no carro. 

-Até perdeu a fala – Evan brincou - vocês notaram como ele chegou rápido? Se um de nós tivesse pedido, ele só chegaria aqui amanhã. 

-Calem a boa pelo amor de Deus – Adam pediu, em seus pensamentos ele orava pra que eles não fizessem esses comentários na frente de Michael, seria muito constrangedor. 

(...) 

-Espero que não me peçam nada por uns 2 meses depois disso – Michael resmungou. 

Eles estavam esperando pelo Ethan, fazia uns 10 minutos. 

-Pare de reclamar – Adam reclamou batendo na cabeça do garoto. 

-Acho que estou shippando – Thomas comentou um pouco mais baixo. 

-Gente, o Ethan já deveria ter aparecido ou ligado não acham? - Evan perguntou. 

-Seria fácil fazer isso se você estivesse com a droga do celular – ouviu seu irmão dizer, ele se virou e abraçou o mais velho, que retribuiu. 

-Quem são vocês? - Charlie perguntou, se referindo aos garotos. 

-Sou Michael – disse levantando-se num pulo para estender a mão para Charlie. 

-Ah, sou Charlie – respondeu apertando a mão do outro. 

-É um enorme prazer conhece-lo – sorriu. 

-Michael! - Ethan o chamou – Pare de dar em cima do meu namorado. 

-Eu não estava dando em cima dele – resmungou voltando a se sentar de braços cruzados. 

Evan sorriu. Estava feliz de ver o irmão depois de tanto tempo longe, imaginava o que teria mudado, mas ele continuava o mesmo: igualzinho a Evan, só que um pouco mais alto e de olhos azuis. Charlie sim havia mudado bastante, estava mais bronzeado, seus cabelos antes negros, estavam castanhos claros, ele estava mais alto e mais forte também. 

Depois de todos se apresentarem devidamente, Michael levou os 3 para casa. 

-Troye, você vai pra sua casa? - perguntou. 

O garoto pensou bem. Fazia algumas horas que não via seu namorado, por que não fazer uma visita? 

-Leve-me para a casa de Dylan – respondeu sorrindo. 

-Não fale como se eu fosse seu motorista particular – resmungou. 

-Deuses! Como você está chato hoje Michael – Adam falou um pouco mais alto – Na próxima reclamação eu juro que te jogo desse carro. 

-Como o carro é meu você deveria se jogar, não acha? - perguntou fazendo o garoto revirar os olhos, enquanto Troye ria no banco de trás. 

(...) 

Michael o deixou em frente a casa de Dylan e foi levar Adam para casa. Troye torcia para que alguém estivesse em casa, não queria ter tido essa viagem a toa. 
Ele tocou a campainha e esperou. Em poucos minutos um cara mais velho abriu a porta, ele se parecia bastante com Dylan, devia ser seu pai. 

-Olá, boa tarde, Dylan está? - perguntou. O cara o encarava sério. 

-Sim, pode entrar – falou dando passagem para o garoto entrar – ele está no quarto. Sabe onde fica? 

-Sei, obrigado – assentiu e subiu as escadas indo até o quarto de seu namorado. 

Ele provavelmente deveria bater na porta, mas ela estrava entreaberta, então ele resolveu entrar. Estivera naquele quarto poucas vezes, mas essas poucas vezes foram muito bem aproveitadas. A decoração do quarto era bem simples, quase tudo ali era cinza ou branco, parecia algo feito pela Amy, apenas os lençóis de sua cama eram azuis.  
Dylan havia adquirido um certo amor pela cor azul desde que Troye aparecera em sua vida, sempre foi sua cor favorita, mas não tanto quanto era agora. 

Troye se sentou na cama dele e começou a observar suas coisas, algumas fotos em porta retratos em cima do criado mudo. Havia uma em que estavam ele, Amy e Valerie, pareciam ter uns 10 anos, mais ou menos. Era estranho pois ele tinha a impressão de já ter visto o garoto em algum lugar, mas ele se lembraria disso. 

Dylan saiu de seu banheiro apenas de cueca e pareceu bastante surpreso ao encontrar Troye ali, ele sorriu e se aproximou do rapaz. 

-Que ótima surpresa! Achei que passaria o dia com os garotos – comentou dando um selinho nele. 

-Eu ia, mas Charlie e Ethan estavam cansados da viagem, Michael e Adam não paravam de "brigar" e Thomas foi encontrar Jake – contou se deitando na cama. 

-Eu estava mais feliz pensando que você havia trocado um dia com os amigos por seu namorado – comentou indo até o guarda roupa procurar uma roupa. 

-Não seja dramático - riu – O que está fazendo? 

-Vou me vestir – respondeu como se fosse uma óbvia. 

-Ah não, pare com isso! Esta visão está perfeita – Troye comentou encarando o garoto e sorrindo – vem aqui. 

Dylan obedeceu e foi até ele, que ainda estava deitado, parou em cima dele e o beijou. 

-Ah, meu Deus – escutaram alguém dizer. 

Dylan saiu de cima de Troye e os dois se sentaram na cama para entender o que aconteceu. O pai de Dylan estava parado na porta com o rosto corado, era difícil dizer o que ele sentia naquele momento já que sua expressão mostrava apenas surpresa. 

-O que... Você... Meu Deus – ele gaguejava tentando processar as informações - Você é gay? 

"Isso é um pouco óbvio" Troye pensou, mas não era uma boa ideia pra falar algo do tipo. 

-Ah pai eu... É acho que eu sou – Dylan respondeu sem encarar o homem. 

Ele tinha quase certeza que estava extremamente vermelho. Olhou pra Troye e viu que ele parecia bem, como poderia estar tão calmo numa situação assim? 

-Eu... Eu não sei o que dizer – ele disse ainda boquiaberto. 

-Está com raiva? - Dylan perguntou hesitante. 

-Claro que não! - respondeu sorrindo – Surpreso talvez... muito surpreso, não esperava por isso, mas você sabe que não sou preconceituoso. Por que não me contou sobre isso antes? 

-Acho que estava com medo – respondeu baixo, ainda não estava muito seguro. 

-Medo de que? O que achou que eu poderia fazer? Por favor Dylan, você me conhece, sabe que a última coisa nessa mundo com a qual eu ficaria bravo é a sua sexualidade – Robert disse um pouco mais alto, estava chateado por seu filho não ter contando antes. 

-Desculpa – respondeu abaixando a cabeça. 

-Ele é o seu namorado? - perguntou apontando para Troye, que até o momento apenas assistia a cena. 

-Sim, desculpa não ter o apresentado antes também. 

-Tudo bem, qual seu nome garoto? - ele perguntou para Troye, que levou um certo tempo até processar que a pergunta era pra ele. 

-Ah, eu me chamo Troye – respondeu sério, fazendo o homem sorrir. 

-Espero que esteja cuidando bem do meu filho – disse piscando para o garoto – Vou deixar vocês sozinhos, estou saindo e a Amy não está... Aproveitem! 

-Meu Deus – Dylan disse aliviado – achei que ia ter um infarto. 

-Eu adorei o seu pai – Troye comentou sorrindo. 

-No fundo eu sabia que ele reagiria bem a isso, mas não queria que ele descobrisse assim – Dylan comentou se levantando. 

-Sabe... - Troye disse ficando de joelhos na cama, na frente de Dylan – Acho que deveríamos fazer o que ele disse e aproveitar que estamos sozinhos. 

-Talvez, mas não agora, estou com muita fome, vamos comer – falou sorrindo e dando um selinho no garoto. 

-Está me trocando por comida? Eu achei que eu faria isso um dia – o garoto disse em um tom dramático, se levantando para seguir Dylan para fora do quarto. 

-Jamais te trocaria por qualquer coisa – riu abraçando o garoto de lado. 

Eles foram até a cozinha, onde Dylan começou a preparar algo para comer, enquanto Troye estava sentado no balcão atrás dele o observando e pensando sobre como ele era maravilhoso e tinha um corpo tão perfeito, que ele podia ver quase totalmente agora, já que o garoto continuava apenas de cueca. 

-Quer algo para comer? - Dylan perguntou indo até ele. 

-Quero  

-O que?  

-Você - falou e o beijou, mas o garoto se separou dele. 

-Você está muito pervertido hoje, o que está acontecendo? - perguntou o encarando com um sorriso. 

-Falta de sexo, falta de você - o garoto respondeu sorrindo - Está reclamando? Eu posso parar com isso! 

-Não, não mesmo – falou recebendo um selinho do garoto. 

-Eu tenho que fazer algo e eu não sei se posso esperar você terminar de comer – falou pulando do balcão. 

-E o que você tem que fazer? - Perguntou observando o garoto se ajoelhar em sua frente e sorriu. 

-Hmmm tenho mesmo que responder? - perguntou arqueando a sobrancelha com um sorriso malicioso.


Notas Finais


Olaaaa meus amoreeees
Desculpem a demora, de novo a culpa é do kpop (ALGUÉM ME TIRA DAQUI, EU ERA GÓTICA ANTES DESSA PALHAÇADA)
Enfim, ta ai mais um capitulozinho sem tretas, só paz e muito amor pra nois né non
Mas devo dar um spoiler pra vcs n se iludirem é só a famosa calmaria antes da tempestade <3
COMENTEM PLEASE <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...