História He Was Walking Her Home - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Erik Durm, Joshua Kimmich, Lars Bender, Manuel Neuer, Robert Lewandowski, Sven Bender
Personagens Lars Bender
Exibições 17
Palavras 1.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá :-), só avisando, esse cap tem uma passagem de tempo bem pequena para adiantar as coisas, :-D boa leitura.

Capítulo 18 - Remember Me


Fanfic / Fanfiction He Was Walking Her Home - Capítulo 18 - Remember Me

...Três Meses Depois...

Com o tempo passando, a amizade dos jovens ia crescendo, eles se tornaram bem próximos, até Joshua estava se tornando mais chegados a eles.

Anne estava revisando as lições de Física, sentada em um dos bancos do pátio da escola esperando por Leon, mas alguém apareceu antes dele.

_Bom dia senhorita Anne.-Sven sentou-se ao lado da menina.

_Bom dia cópia do Lars.-Anne abriu um largo sorriso ao ver o rapaz.

_Acho que esse é o meu segundo nome, dado pelos meus amigos.-Sven deu um breve sorriso tímido.

_Você fica lindinho quando está com vergonha.-Anne deu um leve empurrãozinho nele._O que tem para me dizer?

_Er...eu gostaria de lhe pedir um favor.-O rapaz tirou um papel dobrado de seu bolso e entregou à menina.

_Além de ser  um papel dobrado, o que é isso?-Anne ficou analisando o que Sven havia acabado de lhe entregar.

_Entrega para a Luh, por favor.-Sven ficou corado com o pedido.

_Own, que lindo, é uma cartinha de amor. Claro que entrego Sven.-Anne levantou-se animada.

_Mas eu gostaria  que você colocasse no armário dela, se for possível.-Sven levantou-se também.

_Sven, você sabe a combinação do armário da Luh.

_Eu sei, mas você e Line têm permissão da diretoria para abrirem o armário dela porque vocês a ajudam com as lições, se me pegarem fazendo isso, posso ficar encrencado.

_Tudo bem, eu faço isso.-Anne parou um pouco para pensar e continuou._Sven, a Luh conhece sua caligrafia, como fez para ela não saber?

_Simples, usei uma máquina de escrever (lembre-se, eles estão na década de 80).-Sven falou se sentindo o máximo pela ideia. Nesse momento Leon chegou também.

_Bom dia pessoal.-O rapaz estendeu a mão para Sven que retribuiu o cumprimento, e depois beijou a testa de Anne.

_Eu estava esperando por você Leo, preciso de sua ajuda.-Anne deu um enorme sorriso.

_Ok senhorita, o que você quer?-Leon passou a mão em volta do ombro de Anne.

_Bem, eu já vou indo ver se o Lars não se meteu em confusão ainda.-Sven se despediu dos amigos e foi em direção ao estacionamento da escola.

...Do outro lado do colégio...

Oleg e Annita estavam observando Lars, Line e Luh conversando em frente ao carro dos Bender.

_Oleg, você acha que algum dia a Luana se lembrará de algo?-Annita abraçou seus joelhos.

_Isso não acontecerá, você não se lembra que me disse que afetou o lugar onde ficavam armazenadas as memórias de longo prazo?-Oleg abraçou a menina tentando acalmá-la.

_Sim, mas os amiguinhos dela estão engajados na campanha para ela recuperar a memória.-Annita se levantou.

_MAS ISSO NÃO VAI ACONTECER.-Oleg se levantou também segurando o braço dela.

_Que isso Oleg?! Você falou agora com uma voz psicopata.-Annita se mostrou preocupada.

_Você não duvide do que sou capaz.-Ele a apertou com mais força ainda.

_Para com isso Oleg, um dia você pode se machucar, eu sei que você não é uma pessoa má.-Annita abraçou o rapaz, o surpreendendo.

_Annita, não faça isso comigo, você sabe que eu não sou como as outras pessoas que têm sentimentos.-Ele deixou uma lágrima escapar.

_Tem sim, olha, você está chorando, isso é ter sentimentos Oleg, por favor, não machuque ninguém eu não quero que você se machuque.-Annita quase implorou.

_Tudo bem, eu faço isso, mas faço por você.-Ele aproximou os rostos do dois a ponto de suas testas estarem coladas, o rapaz surpreendentemente abriu um sorriso e beijou a garota que ficou surpresa de início, mas depois, correspondeu ao beijo.

Perto dali, três pares de olhos perplexos com a cena a observavam boquiabertos.

_Gente, me belisca, eu vivi para ver o dia em que Oleg Verniaiev sorriu? É isso mesmo?-Lars estava com os olhos fixos naquela cena até que foi beliscado por Line._Aaiiiiiii, isso dói.-O rapaz colocou a mão no local.

_Ora essa, você me pediu, eu não tenho culpa.-A menina levantou os braços tentando se justificar.

_Olá pessoas, o que estão fazendo?-Sven chegou perto dos jovens.

_Olá Sven, nós só estávamos observando o Verniaiev e a miss simpatia se beijarem.-Luh apontou para o local onde os jovens estavam antes, mas não havia mais ninguém lá.

_Nossa, eles estavam ali agora, não é mesmo Lars?-Luh tentou chamar a atenção do rapaz, mas ele e Line estavam muito ocupados em uma guerrinha de “eu tinha razão”.

_Tudo bem Luh, esses dois só voltarão ao mundo normal quando decidirem quem estava certo.-Sven passou a mão pelo ombro da menina._Tudo bem, eu acredito em você.-Ele deu um leve sorriso que fez a menina sorrir também.

...De volta à escola...

_Leon, eu vou fazer uma operação agora, preciso de sua ajuda.-Anne parou em frente ao armário de Luh, deixando Leon confuso.

_Ann, o que você pretende fazer no armário da Luana?-O rapaz arqueou a sobrancelha.

_O Sven me pediu para colocar esse bilhete aqui, observe se alguém está espionando, enquanto eu coloco.

_Ann, mas você tem permissão para abrir o armário da Luh.

_Mas somente quando ela precisar de algo, alguém da diretoria com perguntas retóricas ou Oleg e sua tropa querendo atrapalhar tudo estragariam o plano.-Anne virou-se e começou a girar segundo as coordenadas do cofre da menina, enquanto isso, Leon observava o corredor.

...Algumas horas  depois...

Já era a hora do intervalo. Sven e Lars estavam já no refeitório enquanto Line ajudava Luh a arrumar o material.

_Luh, vamos para o refeitório, hoje tem Strudel.-Line apressou a irmã.

_Já estou indo, só vou guardar meu material.-Luh abriu o armário, deixando cair no chão um papel._O que é isso?-Luh abaixou-se para pegar o papel.

_Não sei, leia logo o que está escrito.-Line, apesar de saber o plano de Sven, não sabia o que estava escrito na carta.

_”Uma manhã de primavera, um quintal, uma macieira, um menino e uma menina, uma maçã voadora.”.-Ela ficou sem entender nada._O...o que significa isso?-Luh então tomou fôlego e continuou._”Vou te amar do mesmo modo que te amo hoje, que te amei ontem e que te amarei amanhã, e farei você se lembrar de mim todos os dias se preciso.”-Ao ler essas palavras, Luh teve uma breve lembrança._Li...Line...e....eu lembrei de algo.

_Sério Luh? Do que se lembrou?-Line ficou animada com a notícia.

_Eu estava com alguém...abraçada à pessoa....ela... ela me disse as mesmas palavras que estão escritas aqui.-Luh tremia muito, havia mais de três meses que ela sofreu o acidente e, nesse tempo todo, quase não se lembrou de nada.

_Isso é ótimo minha irmã.-Line abraçou  Luh._Agora vamos para o refeitório que os meninos estão nos esperando. As duas foram até o refeitório, ao avistarem os meninos que estavam sentados em uma pequena mesa no canto, elas perceberam que os dois estavam impacientes. Lars logo percebeu que as duas estavam chegando e se levantou e foi de encontro às irmãs.

_Ainda bem que vocês chegaram, pensei que  tivessem ido comer lá em Mönchengladbach.-O rapaz já estava com muita fome.

_Desculpa, é que a Luh precisou me contar algo.-Line falou com um enorme sorriso.

_Que felicidade toda é essa.-Lars perguntou.

_Conto para você depois...agora...estou com muita fome, pegue algo para mil Lars.-Line falou e Lars entendeu o recado que ela que quis dar.

_Tudo bem Line, só vou porque você é minha amiga.-Lars falou e foi em direção a Luh, estendendo o braço para ela._Luh, vamos comigo Você deve querer algo para comer.

_Claro Lars.-Luh segurou o braço do rapaz, enquanto os dois se afastavam, Line e Sven os acompanhavam com os olhos.

_Então Line, o que houve.-Sven falou assim que Lars e Luh saíram do seu campo de visão.

_Ela...ela se lembrou de algo com aquilo que você pediu para Anne colocar no armário dela.-Line sentou-se ao lado do rapaz.

_Sério? Do que ela se lembrou?

_De estar abraçada a alguém, que suspeito ser você, ela falou que a pessoa disse a ela as mesmas coisas que estavam escritas naquele papel. Quando foi que isso ocorreu?

_Na noite antes do acidente.-Sven sorriu ao lembrar a cena.

_No filme Tubarão?-Line ficou surpresa.

_Sim, mas nós só ficamos abraçados, eu não fiz nada com sua irmã.-Sven falou.

_Eu sei Sven, confio em você.-Line segurou a mão do rapaz.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...