História HeadAche - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bissexual, Drama, Hentai, Mundo Alternativo, Original, Romance, Sobrenatural, Suspense, Visões, Yaoi, Yuri
Exibições 7
Palavras 1.656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olaaaaa bem me desculpem pelo capítulo anterior que foi curtissimo, vou tentar fazer um maior agora, mas fica foda com esse período de provas e ai meu senhor se preparem

Próximos capítulos ficarão um pouco mais adultos. :v

Boa leitura!!

Capítulo 8 - Spanish sahara the place that you'd wanna


Fanfic / Fanfiction HeadAche - Capítulo 8 - Spanish sahara the place that you'd wanna

O que é real? Você acha que sabe como o mundo funciona, mas esta realidade pode ser uma de muitas. Tempo é o que nos dar energia para continuar vivendo, tempo trás o que conhecemos hoje como existência, cabe a nós decidir o que é vida.

Mas e se você soubesse que seu tempo está contado? E se você morresse amanhã?

Para Rafael, se ele descobrisse que este era o último dia de sua vida ele passaria todo este tempo com seus amigos, devorando cada segundo com vontade e diversão.

Para Kyle ele comeria tudo o que não pôde comer na vida, e faria uma crítica construtiva sobre cada alimento. Era uma dádiva para ele.

Já Eve, ela tinha um alerta em sua mente. Uma pequena voz que gritava que seu tempo estava acabando, mas o que ela faria? Não sabia, nunca sua vida tinha estado tão confusa, e pelo modo como as coisas estavam indo ela pensava que iria piorar mais, embora estava gostando um pouco destas mudanças. Não parecia ser algo tão ruim formar amizades antes de partir desta para melhor, embora isto não queira dizer que ela teria aceitado este futuro.

A garota havia amanhecido com a pele bem mais pálida e seus olhos verdes aparentavam um pouco mais escuros. Ela não havia percebido a mudança, pois no espelho se encarava com aquela mesma figura de sempre, ja os garotos se entreolhavam e nada diziam, o mundo que eles estavam vivendo agora ja era estranho suficiente.

Os três estavam arrumando suas coisas para voltar para a universidade e suas respectivas vidas, o combinado era de que se algo estranho aparecesse novamente eles voltariam imediatamente para a casa da garota, mas seguiriam suas respectivas vidas se as criaturas não os incomodassem.

Parecia uma forma justa de seguirem em frente, os garotos também prometeram guardar segredo e Rafael disse que Eve ainda era bem vinda em seu grupo, o que aliviou a garota.

Enquanto arrumava suas coisas Eve lembrou do casaco e dos livros que havia esquecido no câmpus e que eles muito provavelmente estavam nos achados e perdidos agora, suspirou e anotou um lembrete no celular para não se esquecer.

Vestiu uma blusa vermelha e calças jeans escuras, pegou uma mochila pequena e esperou os outros na porta dos fundos (já que a da frente não podia ser movida pelo arrombamento improvisado que tiveram que fazer).

- Ah Eve se você precisar de ajuda com a porta eu posso trazer meu irmão aqui e ele vai ajudar. - Kyle falou baixinho enquanto se distraia com as marcas da madeira da parede.

Eve sorriu um pouco olhando para ele e viu Rafael olhando para o outro com certo... Interesse.

- Obrigada pela gentileza, eu aceito. - Disse a garota.

Kyle assentiu, com um ar de que aquilo não era nada demais.

Todos pegaram suas coisas e se prepararam para correr, praticamente. Kyle que nunca havia amarrado os sapatos na vida, deu um laço duplo para não tropeçar. Eve havia se alongado três vezes antes de sair do quarto e Rafael era o unico que parecia mais relaxado, já que estava bem acostumado com exercícios.

Quando Eve abriu a porta, olhou de um lado para o outro e andou alguns passos mais a frente para ter a certeza de que estavam seguros.

Tudo parecia livre de qualquer perigo, o que fez a garota suspirar de alívio antes de acenar, chamando os outros.

Os garotos saíram ainda desconfiados, pareciam filhotes que seguiam sua mãe, e Eve sorriu um pouco pensando que realmente poderia cuidar deles naquele momento difícil,  ela se sentia útil.

Os três começaram a andar pela floresta, atravessando o pequeno rio que havia se formado por conta da chuva, através de uma pequena ponte de pedras que Eve e sua mãe haviam feito anos antes. Os garotos estavam calados, tímidos, mas ao mesmo tempo curiosos, olhando ao redor e abrindo os olhos para este novo mundo que eles ainda não conheciam.

Enquanto Eve andava ofegante de cansada, mas alerta à qualquer tipo de perigo. Tinham acordado cedo demais, para garantir que caso algo acontecesse e eles se perdessem ainda haveria tempo de se encontrar e voltar para a universidade para continuarem suas vidas. Afinal o que é mais importante do que manter as aparências?

Rafael nunca havia se importado tanto com o horário das aulas antes, é incrivel como tudo muda quando você tem medo de ser chamado de louco. Kyle não se importava tanto com aulas, mas estava preocupado com o estado de suas coisas, enquanto Eve apenas queria levar os garotos de volta em segurança.

Os três pararam na metade do caminho para beberem água, ambos os meninos não estavam acostumados com aquele ambiente, a floresta era como se fosse um outro lugar, era mais úmida, densa, difícil de caminhar. Eve ja estava acostumada, pois vivera naquele lugar por muito tempo, mas os garotos tinham seus problemas, principalmente Kyle.

- Mas que merda, você não podia morar em um canto mais simples Eve? - Reclamou o moreno.

- Desculpe, eu tive que pegar uma rota maior por quê fiquei com medo daquele bicho aparecer de novo. - Falou a garota.

Era uma meia verdade, ela realmente estava prezando pela segurança, mas também era uma forma inconsciente de fazer com que a companhia que havia recebido no dia anterior durasse mais.

Rafael se encostou em um tronco o que fez Eve engasgar e olhar para ele um pouco surpresa, Rafael logo se tornou alerta.

- O que foi?! Aquela coisa voltou?! - Perguntou automaticamente.

Eve sacudiu a cabeça negativamente e deu alguns passos para trás.

- Ah Eve qual é não me assusta assim! - Rafael falou, voltando a se apoiar no tronco da árvore.

O problema não era o fato de um bicho cheio de fungos e assustador ter aparecido, o problema era, e Rafael percebeu tarde demais, que aquele tronco estava se mechendo.

Sentindo o movimento abrupto, Rafael caiu no chão, tão surpreso que não tinha como se apoiar, e ao olhar para cima ele viu, as raízes da árvore pareciam flutuar no ar, a terra sujando o rosto e corpo do garoto.

Kyle correu e puxou o loiro pelo braço, pasmo e assustado, olhando para  cima, para a criatura gigantesca que à primeira vista parecia se misturar muito bem à floresta.

Mas a criatura apenas moveu sua pata para longe deles e os encarou, Eve sorriu e começou a rir, estendendo sua mão para a frente, as lembranças logo invadindo sua mente.

Lembrou que quando criança, sua mãe havia trazido uma criatura idêntica àquela  para casa, machucada e dentro de uma caixa de sapatos, um filhote... Mas com o passar dos meses a criatura cresceu tanto que sua mãe teve que solta-la de volta para a floresta, e Eve nunca mais havia a visto, até agora.

- Sêze! - Ela falou, e aquela criatura soltou um barulho que  mais parecia com o de um pássaro.

A criatura aproximou seu rosto, muito maior do que os corpos humanos que ali estavam, tendo um pouco de dificuldade por conta das outras árvores, mas o brilho em seus olhos esbanjava alegria, por reconhecer a pequena amiga.

Os pássaros voavam por entre as costas da criatura, mas existiam outras morando nela também, como se suas costas fossem um mundo vivo, o que não parecia incomodar muito.

- Que merda...?! - Rafael estava abismado, impressionado, porém temeroso.

- Você conhece isso?! - Kyle perguntou surpreso.

- Sim! É um Gront, uma espécie de protetor da floresta, minha mãe o encontrou filhote machucado, por conta do seu tamanho imenso eles tem dificuldade de se esconder por isso são camuflaveis e só vivem na floresta, mas a mãe havia sido morta por marceneiros que a confundiram com uma árvore qualquer. São criaturas bastante pacíficas, mas muito raras, acho que Sêze é o único neste país. - Explicou a garota enquanto ainda acariciava o giga.

- Incrível... - Murmuraram os dois.

Ela sorriu novamente e parou de acariciar, Sêze voltou seu corpo para cima e voltou a ficar imóvel, realmente se escondendo dos olhos até mesmo de Eve, era preciso forçar a vista para perceber algo ali.

- Vamos. - Ela disse e voltou a andar.

E continuaram a andar, desta vez os garotos olhavam de um lado para o outro com os olhos ainda mais abertos, e Kyle ainda segurava o braço de Rafael.

☆☆☆

Chegaram na faculdade cedo e sem problemas adicionais, Kyle soltou o braço de Rafael e olhou para os lados como se procurasse algo mais importante para fazer, Rafael olhava para Eve e então para Kyle sem saber o que dizer.

A verdade é que todos estavam com uma certa sensação de decepção, ninguém queria se despedir e realmente voltar para suas vidas normais, mas sabiam que não havia muita coisa a ser feita, já que o efeito da visão dos garotos era apenas temporário. Kyle foi o primeiro a falar.

- Então... Eu tenho que ir... Bem, vocês podem ser loucos e eu ainda acho que estou bastante drogado, mas... foi legal. - Falou e se virou, quando começou a andar o garoto parou e se virou para eles novamente. - Ah! Eu acho que vou atrás de vocês caso as visões continuem e também talvez amanhã eu passe aqui para falar com você Eve, sobre a porta...

Eve sorriu e acentiu com a cabeça, o garoto então deu uma última olhada para Rafael e se retirou sem falar nada.

Aquela ainda era uma situação bem embaraçosa, afinal todos mal se conheciam.

- Acho que ele está afim de você. - Eve então disse, quebrando o silêncio entre ela e o loiro.

- O que?! Ele nem me conhece! - Falou o garoto.

- E dai? - Ela perguntou com um sorriso malicioso. - Você é loiro dos olhos azuis, tem um bom físico e é claramente o passivo. - Então ela se virou e começou a andar. - Eu pegava.

O loiro corou muito e passou a seguir a garota, aparentemente eles não iriam se despedir tão cedo.



...


- Você realmente acha que ele está afim? - Rafael perguntou curioso.

- Meu deus você parece uma garotinha. - Eve disse e riu, - Vem vamos pra aula!


Notas Finais


Então o que acharam?? Por favor comentem e deixem suas opiniões! Me desculpem pela demora no lançamento!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...