História Heal Me - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Ecchi, Ficção, Girls Like Girls, Homossexualidade, Lesbian, Lesbicas, Mutilação, Orange, Originais, Romance, Suícidio, Violencia, Yuri
Exibições 46
Palavras 1.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Ficção, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Desculpa pela demora gente ;-; Estive um tanto agarrada com trabalhos escolares (E com uns problemas emocionais da adolescência) Mas estou aqui firme e forte ò.ó
Espero q gostem do capítulo.
Me perdoem por qualquer erro, revisar de madrugada é complicado.
Boa leitura!

Capítulo 2 - A New... Friend


Fanfic / Fanfiction Heal Me - Capítulo 2 - A New... Friend

-Hey...-Uma voz distante dizia.

Meu corpo parecia estar sendo puxado para baixo, uma sensação estranha. Minha cabeça latejava de forma aguda, o que me deixava preocupada.

-Hey... Consegue me ouvir?-A voz parecia se aproximar de mim.

Abri os olhos com uma certa dificuldade por conta da luz forte que iluminava aquele ambiente.

-Ela está acordando.

Busquei olhar mais ao lado e vi um rosto borrado. O de uma garota, era tudo que eu podia dizer sobre. Ergui minha cabeça e me vi sobre uma espécie de cama. Objetos coloridos ficavam em cima de uma uma mesa encostada na parede aos meus pés. Calculei serem remédios. Eu conhecia bem um ambiente daqueles.

-O que estou fazendo aqui?-Me ergui bruscamente e no mesmo instante minha cabeça parecia que ia explodir. Reclamei da dor levando uma das mãos até minha testa. Fui empurrada contra maca devagar até que minha cabeça fosse de encontro com o travesseiro.

-Sem esforço, mocinha.-Disse o médico. Eu o enxergava totalmente embaçado devido à miopia. Mas claramente era um médico.

-Ela vai ficar bem?-A mesma voz que ouvi quando acordei falou.

-Vai sim. Ela não teve nada mais do que um grande galo e um pequeno corte na região da cabeça, logo logo vai estar bem. Aqui, o seu óculos.-O homem me ajudou a colocar o óculos. Finalmente eu podia enxergar nitidamente.

A garota que se encontrava ao lado do médico era a mesma que me encarava na aula de português. Seus cabelos castanhos ondulados caiam sobre seus ombros, tinha olhos da mesma cor e era um pouco menos "branquela" do que eu. Seus lábios não estavam retocados com batom, e nem precisavam. Ela estava com a roupa de Educação Física ainda.

-Me perdoe pelo ocorrido...-Levou uma das mãos até a sua nuca com uma expressão de quem realmente lamentava o estrago feito.-Eu chutei a bola de basquete por conta de uma aposta com um amigo. Era para ter acertado o garoto a sua frente.

-Você queria machucar alguém?!-Indagou o médico assustado com o que a garota havia dito. Ele era de estatura mediana, de pele negra, usava óculos e tinha o cabelo aparado.

-Ah, Dr Jones, eu tenho os meus motivos.-Revirou os olhos.-Me chamo Jéssica. Sinto muito mesmo pelo ocorrido.-Ela levantou sua mão para me cumprimentar.

-Me chamo Katherine. Está tudo bem.-Sorri torto.-Eu entendo.-Nos cumprimentamos.

-Bom, como já sabe, me chamo Jones, sou enfermeiro da escola para atender a casos como esse.-Ele se virou para Jéssica que cruzou os braços.

-Prazer, Jones. Obrigada por me atender.-Sorri o cumprimentando também.-Por quanto tempo estou aqui?

-Três horas. Daqui a pouco o sinal da saída vai bater.-Ela disse.

-Eu preciso pegar o meu material.-Me sentei com dificuldade sobre a maca, segurando um saco de gelo sobre a região que doía.

-Esquece. Já peguei para você.-Apontou para a minha bolsa de lado sobre a cadeira.

-Agora deite até que eu diga que está liberada para sair.-Dr Jones ordenou, eu fiz.

 

••

 

-Obrigada.-Agradeci ao pegar a bolsa. Minha cabeça estava enfaixada mas pelo menos a touca cobria tudo. Ainda doía a qualquer esforço.

-Hm... Aonde você mora?-Perguntou a garota ao meu lado.

-Moro à duas quadras daqui, é perto.

-Posso te acompanhar?-Jéssica caminhava chutando algumas pedrinhas na calçada.

-Sim mas...

-Ótimo.-Ela interrompeu, exibindo o sorriso ao olhar para mim. E que sorriso.

-Não está fazendo isso porque acha que vou desmaiar na rua e morrer atropelada por um carro, não é?

Ela riu.

-Também, mas quero ser sua companhia. Gostei de ti.-Voltou a encarar o chão e chutar as pedrinhas.

-Uh, que cavalheira.-Brinquei rindo até minha cabeça latejar novamente e eu reclamar da dor.

-Sem esforço e sem rir ok?

Fiz que sim com a cabeça.

Fiquei admirada ao ouvir que ela havia gostado de mim. Jéssica parecia ser uma garota bem legal e... Admirável. Confesso, aquela garota era incrivelmente linda com o seu jeito de garoto, de camiseta vermelha de basquete e uma blusa xadrez azul amarrada sobre a cintura.

-Por que queria acertar uma bola de basquete na cabeça do garoto?-Indaguei curiosa.

-Ah...-Ela fez um coque bagunçado com o seu cabelo.-Longa história. Tae e eu estávamos conversando e sugeriu que, se eu odiava mesmo o Carl, eu deveria chutar a bola de basquete nele. Não pensei duas vezes, fiz e acabei não te vendo entrar.-Já estávamos em frente à minha casa.

-Entendi. Eu caí muito feio?-Perguntei um tanto sem graça. Só de pensar que paguei um mico caindo na quadra era constrangedor.

-Eu estava um pouco longe para ver direito mas... Você se desequilibrou com a batida da bola e pareceu desmaiar antes de bater a cabeça no chão. Todos correram pra ver e eu principalmente. O professor te pegou nos braços e o mínimo que eu deveria fazer era te acompanhar até a enfermaria. Levei uma ocorrência...-Balançou o papel em sua mão no ar para me mostrar.-Mas nada mais grave do que fiz acontecer com você. Sério, desculpa ok?

-Está tudo bem.-Sorri de leve.-Seus pais não vão ficar "p da vida" com você?

-Ah... Vão, mas ficarão mais preocupados com o seu estado do que com a ocorrência que levei.-Deu de ombros.

-Diga a eles que estou bem. Um machucado a mais não faz diferença.-Brinquei.

-Ai meu Deus! Você tem outros?!-Ela segurou meus ombros preocupada. Senti minha pele queimar por baixo do moletom. Apenas apontei para o meu curativo na bochecha.-Ah...-Ela retirou suas mãos de onde estavam um tanto aliviada.

-Eu preciso entrar...-Apontei a casa ao lado com o queixo.

-Ah sim.-Ela sorriu um tanto sem graça.-Te vejo amanhã?

-Claro!-Falei um tanto entusiasmada com a ideia.

-Ótimo. Até logo.-Levantou sua mão direita para um high five que correspondi?

"Até logo?"

 

Não havia entendido bem aquilo se só nos veríamos amanhã de manhã.

Entrei em casa e meus pais, Kristen e James, não estavam. Trabalham no período da tarde e só chegavam mais a noite.

Minha mãe, uma mulher de 30 anos, olhos azuis, lábios delicados, ruiva, dona de um corpo escultural pelo qual meu pai admirava. Um cara alto, cabelos já grisalhos apesar dos seus 35 anos. Olhos castanhos esverdeados e estatura mediana para um homem. Ambos trabalhavam em uma grande empresa de eletrônicos.

Estava exausta. Peguei um pacote de Doritos no armário e me deitei sobre o sofá em frente à grande TV. O cansaço me consumia aos poucos até que meus olhos não fossem mais capazes de se manterem abertos. Por consequência, caí no sono.

 

-Querida...-Minha mãe chamava.-Não é melhor ir até a cama para descansar? São quase nove da noite.

-Hm?!-Me levantei assustada e com a cabeça latejando novamente. Reclamei de dor.

-O que houve?-Levou uma das mãos até minha touca para retirá-la.-Aí meu Deus!-Disse assustada.

-Não foi nada, mãe.-Tratei logo de dizer.-Eu apenas caí de cabeça no chão na quadra e me enfaixaram na enfermaria. Nada grave.

-Katherine, você tem que tomar cuidado viu? Você já está bem machucad...

-Eu sei, eu sei... Mas estou me recuperando hm?-Dei um beijo em sua testa para finalmente subir e tomar um banho.

 

Coloquei o meu pijama, um moletom simples e um short já bem surrado. Chequei meu celular e havia uma mensagem da Jess.

-Como ela conseguiu o meu número?-Tratei de visualizar a mensagem.

 

Jess: Antes que você ache que eu vasculhei o seu celular já vou logo dizendo que não vi nada mais que o seu número e sua playlist, confesso que você tem um bom gosto viu? Sua senha foi bem fácil de descobrir. Ah, qual é? "Butterfly"? É minha música favorita do BTS. Enfim, espero que melhore logo. Boa noite. 

 

Confesso que fiquei um tanto espantada imaginando que ela foi capaz de pegar o meu celular e ainda por cima descobrir a minha senha. Decidi responder.

 

Katherine: Ok... Eu estou assustada com a ideia de você ter descobrido a minha senha. É, eu amo butterfly também. Te vejo na escola. Boa noite.

 

Deixei o meu celular sobre o criado mudo ao lado da minha cama juntamente ao meu óculos. Finalmente me deitando e mantendo o olhar preso ao teto, como eu fazia na maioria das vezes. Gostava de refletir sempre que podia.

 

••

 

A grande avenida se encontrava completamente sem movimento. Estava escuro. Pouca iluminação era emanada dos postes nas calçadas. Pus meus fones de ouvido com Run do BTS tocando num volume consideravelmente alto.

Uma sombra mais a frente havia me chamado a atenção. Era familiar. Uma garota, que se virou fazendo com que seus cabelos voassem pela leve brisa que ali batia. O seu rosto. Suas feições. Era ela. Me pus a correr pela chuva que cada vez ficava mais intensa. A mesma se pôs a correr para mim, nossa distância se encurtava, era tudo o que eu mais queria. Nossos dedos quase se tocando quando senti que algo estava errado.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ;)
Vou atualizar em 1 semana (ou talvez até antes por conta das provas)
Enfim
Obg por deixarem o apoio, sempre me motiva a escrever mais e mais.
Até o próximo cap :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...