História Heal Me - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Ecchi, Ficção, Girls Like Girls, Homossexualidade, Lesbian, Lesbicas, Mutilação, Orange, Originais, Romance, Suícidio, Violencia, Yuri
Exibições 10
Palavras 1.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Ficção, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oin de novo rs
Cedo para postar e tarde para estar aqui? Nem um pouco kkkk
Então, decidi soltar o capítulo antes porque tô com uns probleminhas aí...
Espero n ser só eu acordada a essa hora postando fanfic lésbica :v
Boa leitura!

Capítulo 3 - Butterfly


Fanfic / Fanfiction Heal Me - Capítulo 3 - Butterfly

Sua imagem se desfigurou junto ao vento à minha frente, em milhares de borboletas azuis, suas preferidas.

Deixei meu corpo cair. Correr até ela não adiantaria mais nada. Ela sei foi. Agarrei os meus joelhos com força socando o chão com ódio, com dor, com... saudades. Me pus a chorar quando estendi a minha mão analisando as feridas que sangravam por entre os meus dedos. Levei minhas mãos trêmulas a cobrir minha face.

Acordei sentindo as lágrimas escorrerem pelo meu rosto. Eu estava ajoelhada sobre o chão, acendi o abajur. Repeti o gesto do sonho com as mãos, eles estavam lá. E sangrando. Me levantei à procura dos curativos necessários para enfaixar minhas mãos. Eu devia ter dados socos inconscientes enquanto sonhava. Tremia ao enrolar o curativo por conta do medo de tudo ter voltado a acontecer novamente.

Rezava para que os meus pais não tivessem escutado os socos, o que já era tarde. Alguém bateu na porta.

-Filha! Tá tudo bem?!

Era o meu pai.

-Está sim! Apenas cai da cama...-Menti voltando a enrolar o curativo com dificuldade.

O café da manhã, mesmo sendo um simples sanduíche, não me parecia apetitoso. Meu estômago embrulhava ao encarar o prato diante de mim.

Me sentia extremamente cansada e com certeza minhas olheiras estavam gritantes de baixo dos meus olhos.

Jogando minha bolsa de lado sobre o ombro, peguei o meu sanduíche e saí em direção à porta.

Havia um pequeno cachorro deitado no cantinho da calçada, era marronzinho, com manchas mais escuras separadas pelo corpo, um fofo, mas infelizmente de rua e aparentava sentir fome já que choramingava baixinho. Eu não podia levar para casa. Olhei meu sanduíche em mãos e não pensei duas vezes, fui até onde o pequeno estava, me agachando até o mesmo.

-Tome... Você deve estar com fome.-Deixei o lanche perto de suas patas e a resposta veio de imediato. Ele abanou o rabo todo feliz lambendo a minha mão para assim comer o seu lanche. Sorri feito boba.

-Não sabia que você tinha um cachorro.

Levei um susto caindo sentada para trás, só então olhei para cima.

-Ai, Jéssica! que susto...-Reclamei.

Ela se agachou perto de mim e do pequeno cachorrinho para fazer carinho no mesmo. Sorriu.

Estava linda. Dessa vez vestia uma calça um tanto colada e seu all star vermelho combinava com o moletom de mesma cor. Eu agradecia mentalmente por ser uma época fria, pois poderia usar moletons quentinhos e confortáveis para esconder marcas do passado.

-Não era a minha intenção principal. Enfim, é seu?

-Infelizmente não...-Bufei.-Meus pais não gostam de cachorros.

-Entendo.-Ela desviou o olhar para o chão como se sentisse mal por aquilo. Voltou a olhar para mim antes de falar novamente.-Acho que conheço um abrigo de cães que ele possa ficar. Depois da escola podemos sei lá... Ir até lá.-Jéssica deu de ombros.

-Por mim, tudo bem.-Sorri de leve.

Ela se levantou e pegou uma caixa do outro lado da rua para que o filhote pudesse ficar dentro e, mais confortável eu diria.

-Venha, senão vamos perder a aula.-Estendeu sua mão para que eu pudesse me levantar, correspondi tomando o cuidado para não mostrar o que estava por baixo. Me pus a caminhar junto à ela.

••

O intervalo estava extremamente agitado para um Ensino Médio em uma boa escola. Sentada sobre a mesa com os pés no banco olhando o horizonte além das grades que limitavam a escola, eu queria me afastar daquele barulho mais ao fundo. Estava pensativa com tudo aquilo que sonhei, fazia tempo que não acontecia, pensava ter me recuperado.

Puxei minhas mangas para cima analisando as faixas enroladas na minha mão, a parte em que os ossos se encontravam, a mais elevada quando fechamos nossas mãos, estavam manchadas de sangue.

-Hey, girl...

Jéssica pulou ao meu lado mas seu entusiasmo acabou assim que viu minhas mãos.

-WTF, Katherine?!-Perguntou indignada deixando a bandeja de lanche de lado para pegar minhas mãos.

-E_Eu pratico karatê..-Menti.

-Hm...-Foi tudo o que ela disse, estava na cara que não havia engolido a desculpa, mas ignorou o assunto totalmente o que me deixou aliviada.-Peguei hambúrguer e refri para nós, você parece não ter comido nada, e nem ficou na fila da cantina, então comprei para você.-Estendeu as mãos com os lanches me oferecendo.

-Não posso aceitar.-Empurrei o lanche de volta.-Eu não fiquei porque não quero comer nada.

-Vai comer sim, garota. Olha a sua cara, está até verde.

-Exagerada...-Reclamei enquanto ela ria.

-Anda, pega logo.

Não tive escolha a não ser pegar.

Mordi meu lanche e ela tinha razão, eu estava com fome.

-Oi, meninas!-Um garoto com apenas quatro dedos de altura a mais que eu e Jéssica acenou se aproximando, me lembrei do episódio na aula de português em que ambos estavam conversando quando ela ficou me olhando.

-Ah, esse é o meu amigo "mal caminho" que me fez chutar a bola acidentalmente em você, o Taehyung.

Ele claramente era coreano. Com o cabelo tingido de castanho claro e um tanto bagunçado, o que lhe dava um certo charme. Seu sorriso era encantador, pena que não fazia efeito em mim como nas demais meninas. Ele retirou uma das mãos do bolso da blusa e me cumprimentou.

-Prazer, Katherine. Jess não parou de falar de você a noite toda...

Jéssica pareceu irritada ao cutuvelar o amigo no braço, que reclamou da dor.

-Enfim, ele é coreano e pá. É gente boa, né Kim Taehyung?-Encarou.

-É...-Concordou esfregando o lugar onde foi acertado.-Me mudei para cá aos 7 anos, então acabei pegando bem a língua estrangeira, já que hoje tenho 16.

-Acho isso bem legal.-Sorri.

-Por favor, desculpe. Não havia sido a minha intenção fazer com que Jéssica acertasse você.

-Nah... Está tudo bem, estou melhor.

Continuamos ali até terminarmos os nossos lanches, jogando conversa fora até o intervalo acabar. Eram pessoas que eu havia acabado de conhecer, mas de cara pareciam boas. Me faziam bem.

Como havíamos combinado, pegamos o cachorrinho para levarmos até o abrigo que Jess comentou.

Revesamos ao carregá-lo. Ela levava muito mais jeito que eu, mas assim que me acostumei, levei o pequeno pelo resto do caminho.

Paramos em frente ao grande estabelecimento. Havia uma placa informando que os animais ali, eram bem cuidados e ainda eram treinados a fazer companhia as crianças com algum tipo de deficiência.

Era o melhor abrigo que eu já havia visto. Em questão de organização e pela finalidade do projeto.

Foi um tanto doloroso deixá-lo ali, mas ele estaria muito melhor do que com a gente e nas ruas.

-Um dia... Nós teremos o cookie de volta.-Jéssica disse quando saímos de lá.

Apelidamos o cachorrinho de cookie por ele parecer um biscoito com bolinhas de chocolate, já que suas manchas nos pelos se assemelhavam bastante.

Jéssica quis me acompanhar até em casa novamente, ela me informou que a sua ficava na direção da minha, só que não estava acostumada a passar pelas ruas nas quais eu passava.

Ela parecia um tanto inquieta e nervosa durante o caminho, não trocamos uma palavra sequer, o que me deixou preocupada.

-Você quer dizer algo, Jess?-Perguntei me virando para a mesma.

-Se importa de ir amanhã comigo em um evento de games na cidade?-Perguntou.-Sei lá... Queria conversar, te conhecer melhor fora da escola.-Deu de ombros voltando a olhar para mim.

-Por mim, tudo bem.-Senti meu rosto corar e o meu estômago embrulhar. Como quando você mistura álcool com fogo e um clarão se forma. Causando espanto e conforto ao mesmo tempo, quando você necessita das chamas para se aquecer.

-Ótimo.-Ela sorriu imediatamente ao ouvir minha resposta.-Te vejo mais tarde.-Ela se afastou de frente se virando somente quando havia parado de acenar.

Entrei dentro de casa e minha mãe me recebeu.

-Por que demorou tanto, Katherine?-Ela já havia chegado em casa, o que de certa forma me assustou, nem vi o tempo passar ao lado de Jéssica.

-Fui levar um cachorrinho de rua para um abrigo.-Sorri mostrando que estava tudo bem.-Posso ir em um evento de games amanhã?-Aproveitei para perguntar.

-Tudo bem, você precisa sair, menina.

-É...-Foi tudo o que disse antes de subir até o quarto.

Estava exausta, peguei uma camiseta branca e confortável, um pequeno short e me troquei. Meus braços e pernas não eram de se mostrar mas, era somente eu com o meu eu, e mais ninguém. Meus pais sabiam que sempre que eu trancasse a porta eu não queria ser incomodada. Então só me chamavam para caso precisassem realmente de mim.

Fui para a pequena sacada como fazia em todo o final de tarde, para pensar.

A vista era maravilhosa, o por do sol ficava além da cidade e a luz preenchia as nuvens de laranja e rosa, deixando finas linhas do céu serem notadas.

Eu morava perto do centro mas em um bairro onde a vegetação ainda era conservada. Sempre gostei de cidades mas quando tudo começou a cair na minha vida, eu e meus pais nos mudamos para cá.

Minha relação com eles é um tanto distante, mas quando conversamos parecemos ser realmente uma família, o que acontece raramente.

Fechei os olhos me debruçando sobre a grade de madeira e cruzando os dedos das minhas mãos, ainda doloridas, sentindo o ar leve mexer alguns fios de cabelo que pendiam em minha face.

Pensar que passaria o dia ao lado de Jess me deixava... Feliz, mas ao mesmo tempo com medo. Medo de tudo se repetir. Sorri fechando os olhos e consequentemente deixando uma lágrima escorrer, até que o vento pudesse secá-la. 


Notas Finais


Bad não?
Quem seria a garota do sonho?
Bom, espero que tenham gostado :3
Desculpem por qualquer erro gramatical.
Até a próxima \o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...